1. Spirit Fanfics >
  2. Are You Crazy? >
  3. Perseguição.

História Are You Crazy? - Capítulo 2


Escrita por:


Notas do Autor


Boa Leitura 🌹

Capítulo 2 - Perseguição.


Aish! Esses moleques! Ao olhar para a minha esquerda avisto Jimin abraçado ao meu pescoço e com a perna sobre mim... Seria muito fofo se não estivesse me sufocando!  Que cheiro é esse? Parece talco... Hoseok! Quando olho para minha direita vejo Hobi de cabeça para baixo com o pé na minha cara e abraçando minha perna... Ninguém merece esses dois!

Eu poderia gritar um "Saíam já de cima de mim seus folgados!" mas minha consciência não permite. Eles sempre foram assim, deste jeitinho, fofos ao limite. Nunca foram desrespeitosos comigo. Piadinhas sobre meu corpo? Nunca! Cantadas para cima de mim? Nop! Mãos bobas? Jamais! Atitudes de macho babaca? Never! E é por isso que eu tenho certeza de que tenho os dois melhores amigos do mundo!

Ok, ok, isso está muito fofo mas tá começando a faltar ar aqui!

— Bora acordar, cambada! Hoje temos faculdade e um trabalho para montar!

Demorou em torno de uns dois minutos para eles entenderem o que eu disse, irem abrindo os olhinhos e se levantarem enquanto encaram o chão... Por que tão lerdos, senhor?

Ao perceber que eles demorariam um tanto para assimilarem o fato de estarem acordando às... É mesmo, eu nem sei que horas são! Me levanto indo em direção até o banheiro incrível e super luxuoso do quarto do J-Hope, tirando o candelabro esquisito ao lado da pia, esse banheiro é incrível! Tem até luzes coloridas no chuveiro e... Eu já disse o quão burguês é Jung Hoseok?

[...]

— Tô pensando seriamente em furtar esse seu pijama, Hobi!

— Pode ficar, amiga, eu tenho mais uns quarenta desses e de diferentes cores. — Ele diz casualmente. Aish! Rico é um caso sério!

— Se você ofereceu pensando que eu não aceitaria, acabou de quebrar a cara! — Assim que termino de falar os dois se desmancham em risadas... Mas eu falei algo engraçado?

— Relaxa, S/n! Pode levar tranquila! — Ele diz brincalhão enquanto recupera o ar. 

— E vou mesmo! — Cê' é louco, esse trem é muito macio! — Agora melhor arrumarmos um café porque eu ainda preciso passar em casa antes da faculdade!

— O que acham de bolinhos do Hobi?

— Eu nunca mais que como aquilo! Tinha gosto de banana com erva cidreira, canela e alho! 

— O alho não foi proposital. Como eu iria saber que não tinha lavado a colher direito? — A cara de Jimin me descreve neste momento. Como assim ele não percebeu que a colher estava suja? 

— Como assim você não percebeu que a colher estava suja, cara?! — E parabéns, Jimin! Você acabou de externar meus pensamentos e prolongar uma conversa...

— Olha aqui, eu não tenho culpa nenhuma se o detergente acabou bem na hora que fui lavar a louça da janta do dia anterior... Acontece, ué!? — Pela expressão de revolta do Jimin eu acho que isso vai dar merda...

— Que tal panquecas? — Resolvi interferir nesta pequena discussão antes que virasse algo grande, como sempre.

— Como sempre, S/n salva a pátria! — Jimin diz exageradamente, ou talvez só não quisesse os bolinhos do Hobi mesmo.

E assim fizemos e comemos as deliciosas panquecas feitas por mim, obviamente, porque se o Jimin fizesse ficariam em formato de corações e queimadas no fundo, e se o Hobi fizesse... Puts, nem quero imaginar! E cada um seguiu o rumo de suas casas, menos o Hoseok que já estava dentro da dele... 

[...]

— E aí, Jimin? Trouxe as coisas? — Digo ao me encontrar com Jimin em frente ao seu armário, que por coincidência é de frente para o meu.

— Tá me tirando, S/n? A pessoa mais responsável deste local tem nome e sobrenome!

— E Jung Hoseok que não é, né? — Eu não podia perder essa piada... Foi mal, Hobi!

— Coitada da futura mulher de Hoseok, ao invés de ser esperada, ela é quem vai ter que esperar no altar! — Admito que ri, mas com muito respeito, futura esposa do Hoseok!

— Eu trouxe os lençóis e o vestido que eu aluguei, essa porcaria custou quase toda a minha mesada! — Que é apenas o suficiente para eu viver, se cortarem minha luz eu vou surtar! 

— Depois eu sou o mauricinho... 

— Até parece que não sabe que meus pais trabalham feito condenados lá no Brasil para poderem bancar minha estadia aqui... — O clima pesa assim que me recordo do que disse à mamãe: "Eu vou realizar meu sonho, enriquecer, lhes orgulhar e lhes ajudar!". Mas até agora não fiz nem a metade disto...

— Sim, sim... Eu sei! E estão se esforçando pela causa certa! Você é ótima no que faz, S/n! — Ele rodeia seus braços sobre meu ombro e me lança um sorriso orgulhoso e carinhoso... Como eu amo esse garoto! Ou melhor, esses garotos! 

Logo a voz estridente de Hoseok é ouvida à alguns passos de nós. E ao nos virarmos nós deparamos com Jung Hoseok com seu cabelo vermelho à ponto de doer a vista, um suéter com todas as cores do arco-íris e um tigre na frente... Sem contar aquela pochete verde ridícula que ele acha que é linda! 

— Hello, my friends! — E só agora eu reparei que ele está segurando um monte de sacola com uns panos coloridos... Medo!

— Olá, Hobi! — Respondo no mesmo tom.

— Quando nos disseram na palestra que era para colorirmos o mundo, eles não quiseram dizer no sentido literal, Hoseok!

— Ha ha ha, engraçadão, em? Toma, cinquentão para você calar a boca e comprar uma blusa nova, não aguento mais ver esse troço listrado em você! — Ele realmente deu os cinquenta reais? É muito burguês mesmo! 

— Mas o que são todos esses panos? — Pergunto curiosa.

— Ué? São as coisas para montagem da peça, oras!

— Ah, sim! Mas 'se tá ligado que era para trazer um lençol velho e seu figurino, né?

— Passei numa loja de tecidos e achei bonitinho, aí eu resolvi comprar! Vai ficar 'dahora, pô! Confiem em mim! — Medo!

— Tá certo, tá certo! — Ninguém resiste ao biquinho do Hobi, se ele me mandar rasgar dinheiro e fazer esse biquinho... eu mando ele ir tomar no meio do...! — Agora vamos logo para a aula!

[...]

Pausa para o lanche, o melhor momento de todos! Jimin não me deixa dizer a palavra "recreio", ele diz que é coisa de criança... Mas é mais ou menos isso!

Estávamos à comer os bolinhos de arroz feitos pela mãe de Jimin em uma das mesas ao ar livre da universidade, em um completo silêncio, quando ouvi uma voz familiar soar na mesa de trás.

— Eu deveria ter vindo à aula extra de ontem! Quem sabe eu não teria mudado meu destino? — Eu realmente conheço essa voz...— Talvez eu estaria em um palco com minhares de fans ao meu redor ou sendo representante de marcas grandes como a Fila, Hyundai, Puma, LG... Por que estão me olhando assim? Beleza para isso eu tenho! Mas ok, talvez eu tenha exagerado um pouco... Mas qualquer coisa seria melhor do que ser atacado por uma maluca na rua! — Ok, agora eu tenho certeza de quem é!

— O quê? — Hobi e Jimin me olham assustados e de bocas cheias enquanto tentam entender o porquê de tanta indignação vindo de minha parte. — Acreditam que o cara de ontem está me chamando de maluca, ali atrás?! Isso é um absurdo!

— Talvez seja porque você atacou o cara sem ter motivos? — Eu amo esse jeitinho debochado do Jimin, mas neste momento eu só não soquei a cara dele porquê eu sou muito legal!

— Deveria agradecer por estar sendo chamada de maluca, porque eu teria dito coisas piores!

— Ah, obrigada meninos, ajudaram muito! — Sentiram aí? Acho que estou exalando sarcasmo!

— Pera, então quer dizer que ele estuda aqui?

— Não, Jimin! Ele apenas entrou aqui para fazer um lanche com os amigos e contar uns casos... 

— S/n e seu humor incrível! — Ele revira os olhos. Aish! Tão exagerado, até parece que quem é assim o tempo todo sou eu e não ele!

— Quem ele pensa que é para me insultar assim? Eu pedi desculpas, poxa...

— Relaxa, daqui a pouco ele esquece isso! — Jimin, eu te amo... Mas não dá para te levar à sério com a boca cheia de bolinho!

O sinal toca e aos poucos os grupo vão se desfazendo e os locais vão esvaziando, e nós três também seguimos o nosso rumo. 

E cá estamos nós no teatro! Eu amo esse lugar e finalmente irei estrelar em uma peça e não apenas como uma figurante. Estou amando esse trabalho! Mas assim... Só acho, que eles deveriam perceber que eu sempre roubo a cena e me darem o papel de principal na apresentação de final de ano de uma vez... Não acham? 

Melhor parar de me iludir e mãos à obra! 

— Vamos organizar esse rolê! — Digo enquanto tiro os lençóis de minha mochila.

— Eu trouxe as flores mas eu me esqueci de um detalhe... — O "Senhor responsável" esqueceu algo?

— E o que é? — Pergunto aflita, se ele esqueceu a coroa, onde vamos arranjar de um dia para o outro? E se for as alianças? Para quem iremos pedir? 

— As folhas secas!

— Aish! Isso é moleza! Vou ali pedir para a tiazinha me deixar ir lá no Jardim da universidade, o que não falta lá é folha caída! — E finalmente Hoseok achou um bom pretesto para passear pelos corredores... Parabéns, J-hope, parabéns!

Eu e Jimin espalhamos os panos e já tínhamos começado a enfeitar o auditório quando Hoseok chega na maior tranquilidade possível enquanto desfila pelo local até chegar perto de nós.

— E cadê as folhas? — Pergunto incrédula, eu sempre soube que ele não era um exemplo de responsabilidade e de noção mas aí já é demais!

— Pedi para a Tiazinha, aí ela disse que não confia em mim e que mandaria um "bom aluno" buscar para nós... Ela realmente não vai com a minha cara.

— E por que será? — Jimin, sua naja!

— E o que ficou fazendo durante essa meia hora que estava lá fora?

— Aproveitei e passei no banheiro, bebedouro, sala dos meus amigos do clube do livro...

— Ainda não entendi o porquê de você estar nesse grupo... — E Jimin ataca novamente!

— Gosto de conversar, tá legal? E papai quer que eu inicie um hábito de leitura... Ele diz que minha mesada está muito alta e meu conhecimento muito baixo... 

— Mas sobre ervas você entende... — E ele não para! Vai que é sua, Jimin!

— Dá para alguém me ajudar aqui? Essa escada tá tremendo e eu tenho medo de altura! 

E após vários minutos colando os enfeites nas paredes do auditório, estávamos prestes à acabar quando ouvimos uma voz que não me era estranha... Ah não! Não!

— Com licença, me pediram para entregar umas folhas aqui... — Era o idiota de ontem e de hoje mais cedo! Que eu não sei e nem faço questão de saber o nome.

— Muito obrigada, já pode ir agora! — Retiro a sacola de suas mãos e ele me olha incrédulo, mas logo em seguida me olha com uma mistura de raiva e ironia. — Virou perseguição agora?

— Eu é quem deveria dizer isso, senhor "Sou muito lindo e fui atacado por uma maluca"! — Fiz questão de fazer as aspas com as mãos, não sou obrigada a nada!

— Então além de maluca é uma sasaeng minha? Eu sei que sou incrível, mas se continuar eu juro que te denuncio! — Ele parecia sério de mais para quem está sendo debochado... Sério que ele é tão prepotente assim?

— Olha aqui, seu idiota, eu não simpatizo nem um pouco com essa sua cara de sonso e em hipótese alguma seria uma fã e quem dirá uma sasaeng sua! — Por que ele está de olhos levemente arregalados e encarando minha mão que está a milímetros de distância do seu rosto? Espera... Por que eu estou apontando meu dedo na cara dele? 

Ei, você poderia tirar sua mão de perto da minha face? Não acho que você mereça tocar nela... 

Ok! Ele está pedindo... Ah se está!

— SEGURA ELA!


Continua...


Notas Finais


Tretaaaaaa
E aí amores, estão gostando?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...