História Are you Online? - Capítulo 7


Escrita por: ~

Postado
Categorias Naruto
Personagens Karin, Naruto Uzumaki, Sai, Sakura Haruno, Sasuke Uchiha
Tags Are You Online?, Gamers, Games, Jogos, Naruto, Sakura Haruno, Sasuke Uchiha, Sasusaku, Universo Alternativo
Visualizações 739
Palavras 3.158
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Romance e Novela, Universo Alternativo
Avisos: Drogas, Heterossexualidade, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Bom final de semana :)

Capítulo 7 - Nível 6.


3 anos atrás, 19 anos

 

Lá estava eu encarando uma mensagem da Karin em meu celular no meio de uma aula de lógica. Poderia ser uma mensagem, mas era no mínimo umas cinco. Ela estava eufórica porque tinha um cara que fazia algumas aulas com ela em biologia que queria me conhecer já que, de acordo com ela, os pequenos vislumbres que ele teve de mim me fez parecer a mulher perfeita para os olhos desse cara.

Como saber que isso será uma má ideia? Estamos falando de Karin. Desde que terminei meu relacionamento, há dois anos, ela insiste em arrumar um cara legal para mim ─ sendo que nem ela quer namorar, por que diabos me encher o saco?

Olhei para o lado e Sai também estava olhando para seu celular, provavelmente Karin estava tramando para ele me empurrar para o encontro no intervalo de nossas aulas, mas ele fez um bico de desgosto. Sei que posso ter um aliado para a ocasião.

Sai fazia o mesmo curso que eu, Game Design¹, mas na vertente focada em artes, já eu focada na parte de programação e lógica, pois eu amo a possibilidade pensar em como construir cada regra e funcionamento de um jogo, pensar em todos os “se”. Karin estava fazendo biologia e Ino estava em moda e sim, todos nós estudávamos na mesma universidade, porém divididos por um enorme campus.

Eu não gostava nem um pouco dessa atitude dela, sabia que jamais daria certo, mas continuava insistindo para que algo rolasse, já que ela tem o pensamento que se fosse por mim, eu ficaria sozinha para sempre. E qual o problema nisso? Sou auto suficiente como humana para não precisar de um companheiro, oras! Diferente dela que pegava e largava homem como ninguém, até a Ino que é uma loira de arrasar tinha sossegado depois do primeiro ano de faculdade.

Blergh.

Não é porque sou legal com as pessoas que são próximas a mim, quer dizer que serei legal com todos, minha simpatia não é para tanto.

Eu já estava bufando de raiva só pelo fato ter que atravessar o campus até a praça de alimentação para encontrar Karin com meu não futuro pretendente.

─ Você podia fingir ser ao menos meu peguete ─ falei para Sai enquanto arrumava meu casaco de malha nos ombros.

─ Não consigo nem fingir quando vejo algo que não gosto, imagina ser seu peguete ─ ele falou dando um leve sorriso para mim na maior cara de pau.

─ Faça esse esforço que te retribuo com algo? ─ saiu como uma pergunta na minha falta de ideias para tentar fazer Sai entrar nessa. Karin me enchia tanto em arrumar algum namorado para mim que já fiz Sai encenar comigo umas duas vezes desde que entramos na faculdade.

─ Você não foi muito confiante em suas palavras, senhorita ─ ele disse olhando para frente como se nada fosse problema dele.

─ Por favorrrrrrrrrrrrr… ─ falei juntando as duas mãos em frente meu coração, parando a sua frente praticamente implorando de joelhos ─ Eu pago para você umas canetas de nanquim novas ou te upo em algum jogo… Eu não sei. Só por favor!

Sai começou a rir levemente movimentando a mão num gesto de como estivesse espantando uma mosca, depois mudando para um positivo e dei um suspiro aliviada.

─ Vai logo garota, se agarra no meu braço ─ não demorei um segundo para fazê-lo ─ Se a Karin der um ‘a’ a gente chuta ela por debaixo da mesa. E você pode me pagar um cappuccino.

Entramos na praça de alimentação como se fossemos um casal extremamente elegante e muito bem arrumados, como diria Sai “Góticos suaves”, já que fazíamos questão de não parecermos do nosso curso que só tinha garoto rico babaca ou mega nerds que se vestem com a primeira coisa que vêm que em sua maioria era algo relacionado a cultura geek.

A praça estava relativamente vazia e sem Karin, logo sentamos na primeira mesa que vimos, aguardando a garota aparecer enquanto já tínhamos em mãos nossos cappuccinos. Hoje era sexta então logo me toquei que a maioria dos alunos devia estar nos bares que ficavam perto do campus. Eu e Sai nem nos importamos em esperar, não queríamos esperar ela estar lá para começarmos a beber nosso cappuccino.

Não demorando mais de cinco minutos, ela apareceu em nossa frente fingindo um pigarro. Percebi Sai se mexendo para olhar para frente e depois apenas a expressão de desgosto do Sai que se tornou aparente, pois ele se contorceu um pouco no banco.

Tirei os olhos do meu capuccino e olhei para cima esperando ao menos um cara bonitinho, mas tomei um susto pelo tamanho das sobrancelhas daquele homem. Arregalei meus olhos e fiz uma careta, aquilo era impossível.

Karin abriu a boca para apresentar o indesejado e ele se colocou à frente dela, a interrompendo.

─ É uma honra conhecer você, Sakura-San! Meu nome é Rock Lee! ─ o garoto falou tão empolgado e confiante que eu apenas queria me encolher no banco ao lado de Sai.

─ Eu acho que é uma pena para você ─ disse Sai em tom petulante passando o braço atrás do meu ombro.

Karin e Rock Lee olharam para gente ao mesmo tempo, mas de formas diferentes. A gente sabia que a cabeça da Karin estava funcionando para poder nos dedurar e Rock Lee tendo sua feição animada mudando para estranheza. Karin se sentou na nossa frente olhando por cima do óculos de forma irritada.

─ Uma pena é esse teat… Ai! ─ ela deu um pequeno gritinho pelo chute que Sai deu nela por debaixo da mesa, seu movimento foi rápido e discreto.

Sai se levantou me puxando da cadeira e olhou para os dois de forma sarcástica.

─ Que pena, o intervalo acabou ─ ele puxou minha mão ─ Até mais.

Ele me puxou mais para acelerarmos o passo antes que Karin decidisse ir atrás da gente para brigar ou fazer algum mini-show de sua raiva por termos estragado seu lance de ser cupido. Nosso passo estava quase virando uma corrida para chegarmos logo em nosso prédio para o restante das aulas.

─ Ao menos paguei seu cappuccino ─ falei sorrindo para Sai quando entramos em nossa última aula do dia.

─ Só o cappuccino, né gata? Você podia pagar para mim uma cerveja quando acabar a aula, sei que isso é por volta das dez e meia da noite e você quer jogar e eu também, mas vou querer beber por ter feito eu chutar a ruiva ─ falou sem qualquer expressão em seu rosto, apenas esperando minha confirmação que foi um longo suspiro com um chacoalhar de cabeça.

Eu odiava ir em bares, na verdade, eu odiava ir em bares perto da faculdade ou lotados, que nesse caso eram as duas coisas. Karin estava entupindo eu e o Sai de mensagens falando como fomos ingratos com sua atitude para mim e claramente ignoramos.

No caminho até o bar da escolha do Sai, encontramos Ino sozinha que logo se juntou a gente. Eu não iria beber, não gosto do sabor e muito menos do cheiro. Falam para mim que sou fresca, mas para eu poder dizer que não gosto experimentei muita coisa, então papo encerrado, mas mesmo assim Ino me importunava para beber com ela. Ao menos suas importunações estão ficando menores sobre isso.

Estavamos num bar meio old school, sentados em uma mesa no meio de tantas outras. Ino se deleitava olhando para os homens ─ de verdade ─ bonitos que apareciam por lá e Sai apreciando sua cerveja em silêncio enquanto eu percebi que estava sendo encarada.

E lá estava ele, Sasori e seus amigos de sempre, um loiro e outro moreno. Ele acenou para mim e devolvi. Não fazia sentido um veterano de tipo quase 26 anos estar aqui, mas provavelmente e como sempre, ele só tava querendo encher a cara de leve ─ ou não.

Terminei meu suco satisfeita e Sai sua garrafa de cerveja. Ele poderia ter me dito para irmos logo embora, mas ficamos conversando e quando cansamos ficamos em silênico observando ao redor. dei um pigarro para chamar a atenção deles e ao mesmo tempo Ino virou sua cabeça para gente animada.

─ Meu deus Sakura, o cara que acabou de chegar no grupo do seu primo está encarando muito você ─ disse ela esfregando as mãos enluvadas com os dedos a mostra como se estivesse pensando em um plano malígno.

Arrumei minha franja de lado para prender por dentro da minha touca francesa e levantei meus olhos para fingir que não estava devolvendo de volta o olhar de quem fosse. Quando vi, era um cara de cabelo preto muito charmoso e com uma carranca mal humorada. Enruguei a testa em dúvida por achar ele familiar. Eu já tinha visto ele antes?

─ Só vamos embora, quero detonar ainda hoje alguns moleques na arena ─ falei imitando com minhas mãos que estava usando um mouse e teclado.

─ Não vai dar bola pro gatinho? ─ falou Ino dando uma risadinha.

─ Não ─ falei fazendo um bico e cruzando os braços quando arregalei meus olhos ─ Eca, ele tá com um baseado entre os dedos.

Sai e Ino reviraram os olhos e levantamos da mesa. Paguei a parte da Sai de bom grande, pois quem tem carro era ele também.

Passamos pelo grupo ao sair do bar e Sasori meteu a mão na minha cabeça, como se fosse para me comprimentar, apenas virei um pouco o rosto para dar um sorriso para ele e senti o cheiro forte do cigarro irritando meu nariz e meu sorriso desapareceu. Quando encarei feio para o garoto que me olhava, ele virou o rosto para falar com outra pessoa.

 

 

5 meses atrás, 21 anos

 

Meu deus garota, você é muito chata ─  falou Susanoo em meus ouvidos.

─  Você que foi tentar levar três caras de uma vez com uma pistola. Foi burrice. Falei que iria dar merda e você “nãoooo, eu consigo, porque se não nem seria eu” ─ falei mudando a voz para imitá-lo.

Tsc… ao menos ganhamos a partida ─ falou de forma que eu podia imaginar ele fazendo alguma expressão metida.

─ De nada ─ falei sarcástica.

Ah não. Nossa pontuação está praticamente idêntica ─ sua voz saiu cortante de forma que percebi que eu o irritei.

─ Parece que o senhor não tem capacidade me zoar quando estamos falando por voz ─ dei risada ─ Aliás, você tem quantos anos para ficar de mimimi devido minha pontuação ser melhor, 18? 16? ─ um sorriso debochado surgiu em meus lábios aguardando a resposta.

Tenho 27.

Acabei não respondendo, apenas fiquei um tanto surpresa pela idade dele. Achei que teria a minha no mínimo, mas ele era um homem. Pelo menos a postura de um deveria ter, mas eu não sabia nada dele. Absolutamente nada. Saber sua idade era a primeira informação que eu tinha dele além de suas habilidades como jogador serem incríveis. Ele está jogando comigo outros jogos além de CS:GO já tinha uma mês e isso acabou virando um hábito toda vez que surgia a pergunta chave.

Está online? Bora jogar.

─ Você tem 27 anos e é viciado em jogos. O que o senhor faz da vida? ─ perguntei enquanto fazia outro grupo para se iniciar uma nova partida, mas ele não deixou que a procura começasse.

Sou gerente de projetos ─ respondeu seco.

─ Uau ─ fiquei mais surpresa ainda, ele com certeza era bem sucedido então ─ Não vai mais jogar?

Não, vou dar apoio moral pro Naruto daqui a pouco e para sua stream. Você vai abrir a sua para jogar com ele, certo? ─ perguntou saindo da sala do jogo me deixando sozinha na partida que não começou.

─ Sim ─ respondi meio sem graça da atmosfera que criei.

OK. Até lá. ─ ele desligou o voice chat e saiu de todas as plataformas que eu poderia ter contato com ele.

Fiquei encarando a tela do monitor e a biblioteca dos meus jogos que abriu em cima da tela com a finalização da chamada. Será que eu tinha realmente o irritado ou chateado? Ou talvez aquele seja seu modo normal? Argh. Cara confuso. Não entendi ainda essa aproximação repentina e seus motivos para gostar tanto de me provocar quando estou ao vivo. Ele estava jogando comigo algum jogo que eu não tenho skill suficiente para entender. Além que sua postura fora da stream era outra, ele se portava de modo mais sério maioria das vezes.

Porém, aqui estou eu preocupada devido minha língua afiada se chateie minha recente companhia de jogos. Eu sabia que meu semblante foi para o desânimo e eu precisava mudar isso, pois logo mais iria ao vivo jogar com o sempre feliz Naruto.

Era final da tarde de um sábado, uma pessoa normal que não é do meu tipo estaria saindo para comer com os amigos ou com o namorado e eu chamando ele de viciado, mas aqui estou eu dentro do meu quarto olhando para tela do computador.

Olhei para o seu nick que aparecia offline, logo desaparecendo com a janela de chat com a do Naruto se abrindo, como sempre escrevendo tudo em caps lock de forma que eu conseguia ler com sua voz gritante.

 

Hokage: EAÍIIIII SAKURA-CHAN

Katsuyu: Olá Naruto :)

Hokage: Opa, aconteceu alguma coisa?

Katsuyu: Ahh! Do nada a pergunta.

Hokage: Você acha que nasci ontem?! Quando você manda uma carinha é porque está fingindo bom humor.

Katsuyu: e_e

Katsuyu: Tava jogando com o Susanoo e parece que deixei ele bem irritado, tanto que saiu

Hokage: HUAHAUAHUAHAUh VOCÊ E O BASTARDO ESTAVAM JOGANDO???????

 

Talvez eu não devesse ter contato pro Naruto de forma tão natural o que tinha acontecido. Ele não tinha se tocado que eu e seu amigo estávamos jogando quase todo dia, mas justamente nos horários que Naruto está offline, que é antes do almoço até meio da tarde por ele estar sempre dormindo. Seria um trio legal.

Naruto.

Naruto é amigo dele. Ele pode me ajudar a conhecer mais de Susanoo e minha curiosidade seria sanada. Talvez um pouco. Melhor eu ser discreta se for pedir informações para o tagarela, ele vai acabar até perguntando pro mesmo e minha curiosidade me deixará envergonhada.

Acho melhor deixar para lá. Odeio ter a sensação que irritei alguém, pois quero resolver o clima de toda e qualquer forma, mesmo tendo a possibilidade que estava rolando nada. E eu nem fazia ideia o motivo de estar me preocupando tanto com a situação.

 

Katsuyu: Ai Naruto, se você acordasse um pouco mais cedo poderia jogar com a gente.

Hokage: Meu deus, eu jamais esperaria por isso. Você não sabe como estou rindo aqui.

Katsuyu: E o motivo de tanta graça é….?

Hokage: O bastardo estar jogando com alguém, ele sempre jogou sozinho por ser mais rápido dessa forma para ele HAUHAU Tirando as vezes que joga comigo.

Katsuyu: Ah

 

Um jogador solitário. Não é muito diferente de mim se for pensar, a única pensa que sempre fechei grupo para jogar era o Sai, isso quando eu não estava correndo pelo jogo sozinha para tentar alcançar certos objetivos sem ter que esperar. E agora eu tinha Naruto para me divertir enquanto jogamos.

Era isso que eu ia fazer, me divertir. Estampei um sorriso determinado em meu rosto, pronta para ir ao vivo e jogar partidas ranqueadas de Overwatch com o Hokage. Seria mais uma stream divertida e cheia de estratégias, com muitas explicações e conversa com os espectadores ─ principalmente Naruto, adora falar.

Jogamos bastante, jogamos muito bem.

Nossas streams conjuntas de filas ranqueadas de Overwatch foram se repetindo por vários finais de semana até ficarmos no topo do ranking ou até a galera pedir para trocarmos de jogo.

Naruto estava ganhando muito dinheiro com as doações e inscrições de espectadores em seu canal. Eu ganharia parte do dinheiro, mas fico chocada o quanto as pessoas gostam do garoto loiro. Não posso negar que ter começado o meu canal de stream está me rendendo uma boa grana, mas não tanto com a dele, isso porque tenho um nome mais cultivado que o do Naruto, mas no fim me tornei um símbolo de poder para algumas garotas e de ódio para alguns garotos, mas até agora, ainda respeitavam o que eu escrevia mesmo tendo os sabichões para contrair só por contrariar. E mesmo assim, Naruto é um ícone no meio que explodiu por simplesmente querer ser o melhor e muito gente boa sem se esforçar, pessoas tão legais assim nesse ramo é algo tão difícil de achar.

Mais um dia. Mais uma noite.

Lá estava eu arrumada de forma casual para jogar novamente e Naruto, nova estrela em ascensão na área já estava conversando e sendo quem ele é.

Observei que Susanoo estava no chat controlando as pessoas mal educadas ─ junto de Karin ─ e de vez em quando conversando com Naruto que o respondia durante incríveis jogadas. Ele não tinha me provocado ainda e parece que não provocaria, mas as coisas nunca acontecem do jeito que pensamos.

Um cara começou a mandar repetidas mensagens falando que não aguentava mais ver Naruto jogando comigo, porque sou muito ruim e uma garota que nem ao menos é gostosa. Rolei os olhos para a webcam, fazendo um bico de desgosto enquanto jogava. Fui ler o chat devido a um reboliço por algo que alguém falou e lá estava os dois discutindo novamente.

 

Uzumaki.K: Eu vou dar ban em você se não para de fazer spam no chat.

Susanoo: Além que, como alguém ousa falar da aparência de Katsuyu se ela é linda?

Uzuzamki. K: @[email protected] Ela também é foda além de linda... ok?

 

─ Estava demorando para você começar a escrever gracinhas ─ falei rindo de Susanoo.

Pô cara, trate a Sakura-chan como uma rainha. E quem falou bosta não sabe a expert que ela é ─ a voz de Naruto surgiu em minha defesa de uma forma um tanto galanteadora.

Sabíamos que as provocações de Susanoo não me afetam mais e ele só continuava por prazer. Voltamos a jogar como se nada tivesse acontecido, então o mundo não parou e a vida continuou de forma normal quando ele lançou aquela mensagem. Minha curiosidade continuava gritando para saber mais sobre ele, mas minha pessoa não sabia como iria começar uma conversa de forma casual. Queria saber quem ele era.

 

Susanoo: Por que isso seria uma gracinha?

 

─ Porque você não fala sério no chat ─ falei mostrando claramente minha expressão presunçosa para câmera e depois sorrindo levemente divertida

 

Susanoo: Mas eu falei sério.

 

─  Caralho hein, Sasuke. Você não para! ─ Naruto riu até não aguentar mais e isso acabou desviando totalmente a atenção que teriam de mim ganhando um tom rosa nas bochechas.

Mas agora sei o nome dele.

 

 


Notas Finais


¹ É comum as pessoas acharem que ser game designer é quem faz arte do jogo ou algo do tipo, mas game designer é o profissional que pensa em toda mecânica do jogo, é praticamente quem cria todas as regras e missões que o jogador deverá enfrentar.


Espero vocês nos comentários <3 Não sei quando irei atualizar, minhas férias estão acabando já, mas espero que antes delas acabar de vez XD


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...