História Aremi - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Bissexualidade, Hentai, Magia, Original, Sadomasoquismo
Visualizações 36
Palavras 1.315
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Ecchi, Fantasia, Hentai, Magia, Orange, Romance e Novela, Yuri (Lésbica)
Avisos: Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Sadomasoquismo, Sexo
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Sei lá, lê aí.

Capítulo 1 - 364


Aremi. Uma espécie de deusa que renasce a cada 100 anos. Nunca causam uma aparição muito chamativa, elas preferem ficar “na sombra”, eu diria. Ah, e quem sou eu? Meu nome é Douglas e eu moro em Kyoto, no Japão. “Como você sabe disso então?”, você deve estar se perguntando. Não, eu não sou o Aremi. Afinal, só nascem Aremi mulher. Bem, a última Aremi nasceu há 22 anos. E ela é minha irmã, o nome dela é Letícia. E por que eu digo que elas são espécies de deusas? Bom, elas se lembram de tudo que ocorreu na outra encarnação. Bom, não necessariamente tudo, só que for útil. Foi o que ela me disse. Eu não sei muito bem o que elas querem, mas deve ser algo como onisciência ou sei lá o que. No momento estamos eu e ela no quarto dela, sozinhos. É um quarto completamente preto, sério, tudo é preto aqui, a cama, as paredes, o piso, o gesso no teto, tudo. É até meio assustador estar aqui sozinho com ela que, bem, como eu posso dizer isso... tem dois escravos sexuais, ou melhor, “servos”, Gabriel, que ela apelida de Gaybi, e Marília. Pensar que Marília não tem apelido me faz achar que ela gosta mais de Gabriel. Ah, e sim, ela é bissexual. E a gente ainda tem outra irmã, Annehelen, a gente a chama de Anne pra encurtar as coisas, mas ela ainda não sabe de nada dessa coisa de deusa e tal. Enfim, é aqui que nós começamos essa possível história de magia, um pouco de comédia, e muito, mas muito azar, na manhã do dia 22 de Maio de 2017, aniversário de Letícia.

 

Douglas: Vai contar à Anne hoje? Você já tem 22 anos, ou melhor, algumas centenas de anos.

Letícia: Ainda não. Ela não pode saber disso, não ainda.

Douglas: Claro que pode, ela já tem 17 anos, você me contou quando eu tinha 15.

Letícia: Mas ela é diferente. Eu não posso simplesmente contar pra minha querida irmã mais nova que eu sou um ser místico que não morre, não definitivamente.

Douglas: Se você não vai contar então eu vou. ANNEEEEE!

Letícia: Não faz isso!

Anne: Que foi?!

Douglas: Sobe aqui no quarto de Letícia.

Anne: Eu não, esse lugar me dá medo.

Douglas: É importante.

Anne: Então vem cá na cozinha e me diz.

Douglas: Aff, ok.

 

Depois de descer às escadas e chegar à cozinha, Letícia, que ainda não queria contar à Anne a verdade, e eu vemos Anne cozinhando com seu avental rosa pink.

 

Douglas (Pensando): Desde que o papai e a mamãe morreram naquele acidente Anne está sempre cuidando da casa pra nós...

Anne: O que vocês queriam me dizer?

Letícia: Nada! Não é nada de mais, certo Douglas?

Douglas: É sim, Anne...

Anne: O que é? Vocês estão me assustando...

Letícia: Eu já disse que não é nada!

Douglas: Eu não sei se tem um jeito de te dizer isso sem que seja confuso pra você, mas...

Anne: Fala logo!

Douglas: Letícia é uma deusa.

Anne: Eu sei que você ama ela, eu também, mas não precisa vir aqui só me dizer isso, e ainda dizer que é importante.

Douglas: Não, você não entendeu, ela literalmente é uma deusa.

Anne: Você tá louco? Eu sempre disse pra não aceitar drogas e você faz isso?!

Douglas: Eu não estou louco, é sério, ela é uma deusa.

Anne: Letícia, diz pro teu irmão que ele tá lokasso já que ele não me escuta.

Letícia: Dessa vez ele não tá lokasso, eu realmente sou uma deusa...

Douglas: Dessa vez?

Anne: Ah, qual é, inventem outra.

 

Depois de, bem, muito tempo, o suficiente para que Anne começasse a desconfiar que a gente estava falando a verdade, eu, já entediado com tudo aquilo, disse:

 

Douglas: Eu não queria ter que pedir isso, mas, Letícia, chama Gabriel e Marília aí pra ver se ela acredita.

Letícia: Tem certeza? Eu não queria chegar nesse ponto, você sabe o que acontece quando eles vêm...

Douglas: Eu sei, mas parece que não vai ter outro jeito, a gente tá aqui faz quase uma hora e ela ainda não acreditou, acho que não temos outra escolha, você não acha?

Letícia: Acho que sim, mas acho que é melhor chamar só Marília porque, né...

Douglas: Pensando bem, é melhor mesmo.

Anne: Espera aí, do que vocês estão falando?

Letícia: Em meu nome, eu, a trigentésima sexagésima quarta Aremi, invoco minha leal serva, Marília.

 

Depois dessas palavras, vem uma luz branca extremamente forte do peito de Letícia, o que fez com que todos nós fechássemos os olhos, ao abrir, nos deparamos com uma garota, que aparenta ter a mesma idade de Letícia, estava completamente nua, a não ser por uma coleira de metal no seu pescoço.

 

Anne: Mas o que é isso aqui, meu Deus?!

Douglas: A gente tentou falar, mas você não quis acreditar, não tínhamos outra escolha.

Marília: Quanta gente aqui, você é mesmo uma safada. Até Douglas vai ver a gente hoje, seu próprio irmão.

Letícia: Você só pensa em putaria né, hoje a gente não vai transar não. Pelo menos não agora...

Douglas: Minha nossa...

Anne: Ok, o que está acontecendo aqui?

Douglas: Como eu já disse, Letícia é uma deusa, e essa é a serva dela, Marília. Acredita na gente agora?

Anne: Acho que agora eu acredito!

Letícia: Enfim, pode voltar Marília.

Marília: Me chamou aqui só pra ficar nua na frente dos seus irmãos?

Letícia: Sim, a serva é minha e eu chamo ela quando eu quiser.

Marília: Adoro quando você fica assim, com raiva...

Anne: Meu Deus...

Douglas: Elas têm uma relação meio estranha.

Letícia: Tô começando a achar que era melhor ter chamado Gaybi e não você.

Matília: Aquele viado masoquista? Você sempre amou mais ele...

Letícia: Eu amo vocês igualmente!

Marília: Sei... Enfim, já que eu tô aqui e sua irmã já me viu mesmo eu vou comer alguma coisa. Tem o que pra comer Douglas?

Douglas: Olha na geladeira, acho que tem uma torta de limão lá.

Marília: Oxe, já tô lá.

 

 

E Marília, literalmente do jeito que veio ao mundo há um minuto, foi até a geladeira pra comer torta de limão.

 

Anne: Ok, tem uma coisa que eu não tô entendendo.

Douglas: Só uma? Estou surpreso, depois disso tudo não era pra estar entendendo nada.

Letícia: O que é que você não tá entendendo?

Anne: Que parada é essa de deusa? Desde quando você é uma deusa?

Letícia: Uns 36.400 anos.

Anne: O QUÊ?!

 

Depois da gente explicar a coisa toda pra Anne, Marília chega convenientemente pedindo para voltar.

 

Marília: Agora que eu já comi eu vou pra casa.

Letícia: Então volta, derrota.

 

E de repente a mesma luz de antes de Marília aparecer surge novamente, mas no peito de Marília, e ela some.

 

Letícia: AH NÃO!

Douglas: O que foi?

Letícia: Temos um grande problema...

Anne: O que aconteceu?

Letícia: Hoje eu fiz 22 anos, quando eu fizer 23 eu...

Anne: Você...?

Letícia: Eu morro.

Douglas: Como assim? Pensei que você não morria.

Letícia: Eu vou morrer, mas meu espírito vai renascer depois de 77 anos.

Anne: Então a gente vai te perder pra... sempre?

Letícia: Sim... E tem mais, eu vou me esquecer de vocês.

Anne: Eu pensei que você se lembrava de tudo que tinha acontecido.

Letícia: Não exatamente. Eu lembro tudo que for útil, e... se eu lembrasse de todas as pessoas provavelmente eu estaria sempre triste... por perder sempre tantas pessoas.

Douglas: Por mim tudo bem. Se você não se lembrar da gente não vai poder ficar triste.

Letícia: Mas dessa vez é diferente! Eu não sei porque... mas eu sei que eu vou ficar triste se eu perder vocês também...

Anne: E tem algum jeito de você não reencarnar?

Letícia: Até tem, mas...

Anne: “Mas..."?

Letícia: Se a gente fizer a gente pode morrer.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...