História A.r.m. - Capítulo 7


Escrita por:

Postado
Categorias Shadowhunters
Personagens Alexander "Alec" Lightwood, Clary Fairchild (Clary Fray), Isabelle Lightwood, Jace Herondale (Jace Wayland), Jocelyn Fairchild, Magnus Bane, Raphael Santiago, Sebastian Verlac (Jonathan Christopher Morgenstern), Simon Lewis, Valentim Morgenstern
Tags A Lenda Do Dragão De Gelo, Clace, Fadas, Feiticeiros, Híbrido, Lobisomens, Malec, Vampiros
Visualizações 67
Palavras 1.551
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, Ficção, Ficção Adolescente, Ficção Científica, Lemon, Luta, Magia, Mistério, Musical (Songfic), Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Universo Alternativo, Yaoi (Gay)
Avisos: Bissexualidade, Gravidez Masculina (MPreg), Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Oi, como estão?
Bem eu espero, aqui está um novo capítulo, hoje teremos algumas coisas que provavelmente não irão perceber, mas futuramente iriam!

Disfurtem.

Capítulo 7 - Por sempre... E para sempre.


Fanfic / Fanfiction A.r.m. - Capítulo 7 - Por sempre... E para sempre.

>...Alexander com onze anos...<

Os dias foram se passando rapidamente entre testes, a escola e as mesmas doses de antidepressivos. Fazia um mês desde a última visita ao hospital pela área de emergência. Consulta com o médico, terapia, medicação, Valentine e Verónica não sabia o que se passava com o seu filho, de um momento para o outro, ele entrou em depressão, tentando inúmeras vezes se suicidar, os mais velhos levaram-lo ao psicólogo e ao terapeuta, para tentar remover o desejo pegar lâminas e passar pelo corpo. 

- Bom dia. - disse Verónica, que foi até o filho deixando um beijo na bochecha, um abraço.

- Bom dia. - disse Alec sem muito ânimo, já se passara um ano desde que Alec ganhara um mãe, seu relacionamento com Verónica era de materna, dado assim, confiança e facilidade de comunicação com ela.

- Dormiste bem? - perguntou Valentine atento ao filho, desde que entrar em depressão de repente, Alexander sorria menos e seus olhos era o mais profundo vazio. Mas com a ajuda de sua esposa, sua mão e Simon, ele estava melhorando.

-Sí, mucho mejor que a noite passada.

- Você quer comer fora, hoje? - perguntou Simon, ao seu lado, desde que souberam que Alec tinha depressão, o Lewis passava mais tempo em casa dos Morgenstern do que não sua própria e os donos estavam agradecidos ao jovem.

- Vale a pena? No último fim de semana eu comi aquelas salsichas esquisitas no banco restaurante mexicano. 

- Você sabe que gostou. - comentou Simon cruzando os braços.

- Sim, mas eu me senti mal, depois. - recrutou Alec com um biquinho nos lábios, os pais e o amigo viram um breve brilho nos olhos azuis.

- Há um novo café a dois quarteirőes daqui... - disse Verónica de modo calmo, porém alegre, ao ver que estava dando certo ter Simon por perto.

- Tudo bem... 

Alexander foi ao seu quarto e trocou de roupa. Quando saí, Simon e seus pais já arranjados, o esperava na porta da mansão.

Nós caminhamos até chegarmos ao local e vimos um espaço aberto, com mesas e cadeiras, guarda-sóis e alguns vasos para decorar. Nós nos sentamos em uma mesa, logo uma garçonete veio nos atender: pedimos waffles, tortas, suco de laranja e café. 

Ninguém falou durante o café da manhã, apenas olhamos de minuto a minuto para Alec, 

"Hoje eles está mais estranhos que o normal.”pensou o pálido enquanto terminava de comer. 

- Filho, eu sei que te perguntamos muito sobre isso... nas, como você se sente? - perguntou Valentine atento a qualquer sobressalto de Alec, que sabia o que seu pai queria dizer.

- Bem, eu não pensei em me jogar da janela do meu quarto por um longo tempo... eu estou bem, e se não fosse por toda a vossa ajuda, e toda aquela quantidade enorme de antidepressivos que eu tomo diariamente, acho que já estaria fazendo besteira.

- Alegra-me ouvir isso. - disse Verónica pegando a mão do filho sobre a mesa. - Você sabe, eu não perguntei antes porque, eu sei que tem sido difícil para você, e eu me preocupo porque você está sempre bem. 

- Às vezes, você exagera mamãe... - disse Alec, rindo logo em seguida.

- Você sabe o porquê, Alec.

Seu pai pagou a conta, e antes de voltarem para a mansão decidiram dar um passeio pelo bairro. Alec era arrastado pelos braços de Simon que estava enrolados no seu direito. As pessoas que passavam por eles inclinava o corpo para frente, em uma saudação respeitosa.

- Tenho uma ideia... - disse Simon para de repente. - Por que não passamos o dia todo assistindo filmes?

- Eu acho que é uma boa ideia, mas vocês não tem lição de casa para fazer? 

- Não, não temos. - responderam Alec e Simon com toda a certeza do mundo. 

Então eles foram para uma locadora de vídeo que estava na rua ao lado, enquanto Simon via a prateleira de ação, seus pais as prateleiras de política, Alec começou ver o resto das prateleiras. 

Tudo estava indo perfeito até que o pálida encontrou uma prateleira cheia de filmes fantasia, encontrando a capa de um filme “Fire&Ice” com dois dragões: um branco, que era o dragão de gelo e outro negro com partes de lava, que era o dragão de fogo.

Um imagem passou pela cabeça do Morgenstern mais novo, sangue por todo o lado. Alec balançou a cabeça, ele saiba que quando aquela imagem aparecia em seu mente, ele tinha um ataque de choro, então rapidamente saiu de lá, se aproximando de seus pais, sorrido para parecer despreocupado.

- Que tal vermos filmes de terror? - perguntou Simon, Alec pegou os filmes de terror que o amigo tinha em mãos.

- Têm certeza? - perguntou sua mãe e Alec balançou a cabeça após passar os olhos pelos títulos dos filmes: "Halloween", "Nightmare on Elm Street", "sexta-feira 13", "Ju-on" e "Saw".

****_____****

- Você já escovou os dentes, para ir dormir? - perguntou Verónica assim que Alec saiu do banheiro, ela estava sentada no lado direito da cama.

- Sim, mamãe. - respondeu o garoto.

- Então, anda dormir, pois já passou da hora. - disse a Morgenstern, vendo o garoto subir na cama e seu deitar ao seu lado, a porta é aberta por Valentine.

- Já vai se aconchegar sem mim? - perguntou Valentine, fechando a porta atrás dele, logo até o filho e dando um beijo em sua testa. - Boa noite, meu filho.

- Boa noite, papai, mamãe.

****_____****

Era meia-noite, e Simon não conseguia dormir, ele se sentia um pouco desconfortável depois de ver todos aqueles filmes de terror. Ouviu um barulho na cozinha, sentiu seu coração deixou o seu peito por um segundo. 

Se levantou, indo direto no quarto de Alec - que era mesmo enfrente ao seu - tocou a porta e a abri lentamente, tento cuidado de não a fazer ranger. Alec estava dormindo de bruços, com alguns lençóis e cobertores em seu corpo, Simon sabia o porque, desde que o pálido entrara em depressão, sua temperatura corporal descaiu imenso.

Valentine até pensou que seu filho era um híbrido de sangue de anjo com sangue de um filho da noite, mas ao ver a temperatura do filho se espantou era infinitas vezes mais frio que um vampiro, era o próprio Antártica.

- Alec... - chamou Simon fechando a porta atrás dele, ouvi um gemido e entendeu que ele estava meio adormecido. - Eu não consigo dormir.

Alec se virou e sentou na cama, abriu os olhos e bocejou, ele se arrastou para lado da cama, me deixando a outra metade da cama. Simon foi até ele, os chinelos caíram de seus pés enquanto subia a cama, assim que estava deitado, Alexander o cobriu com o lençol, se deitou de barriga para cima. 

- E se um assassino sai do armário? 

- Nada vai sair do armário, Simon. 

- Nem do banheiro? 

- Nem do banheiro, e mesmo que saísse, não tinhas nada que temer, pois eu iria te proteger. - disse Alec se virando para Simon, com um sorriso. Lewis se sentia protegido, como a muito não se sentia, e normalmente era ele quem protegia Alec.

- Por sempre...

- E para sempre. - concluiu Alec, ambos os garotos logo adormeceram, abraçados.

****_____****

Alexander acordou com a voz de sua mãe lhe avisando que já estava na hora de levantar, ele se levantou ainda sentindo a moleza em seu corpo, esfregou os olhos com os punhos fechados enquanto caminhava até o banheiro. 

Passou um pouco de água fria no rosto para acordar mais rápido, fez suas higiene matinal, vestiu a roupa que sua mãe lhe deixará em cima da cama, uma calça jeans clara rasgada e uma blusa branca, já vestiu, Alec saiu do quarto.

- Bom dia, campeão. - disse Valentine deixado o jornal de lado e dando um beijo na testa do filho.

- Bom dia, papai. Onde está Simon? - perguntou Alexander, após dar um beijo na bochecha e um abraço em seu pai.

- A mãe dele viu buscá-lo para ir ao médico. Se eu fosse você, eu comia logo, pois é a vez de ires para a empresa do papai. - disse sua mãe pegando as chaves do carro, se despediu do marido com um selinho e do filho com um abraço sufocante, indo para o trabalho.

Alec fui ate a mesa e se sentou, ainda estava cheio de sono, só acordou quando o seu pai lhe chamou, se levantou pegando o celular e os fones, indo para o carro. O caminho todo até a empresa foi silencioso e confortável, Valentine não gostava muito de conversar enquanto dirige, ele sempre lembrar que fora assim que sua prima morreu. 

Chegando na empresa, os Morgenstern deram um “oi” para todo mundo que passava por eles, chegando ao escritório Alec se jogou no sofá de couro começado a ler o livro que não tinha terminado no dia anterior.

Normalmente o seu dia era assim: ir para a empresa de seu pai ou o consultório de sua mãe - era sempre uma semana em cada lugar -, ler livros enquanto seus pais trabalhavam, ouvir música e treinar parkour dentro da sala, com o maior cuidado para não quebrar nada.


Notas Finais


Odiaram?
Gostaram?
Alguma dúvida?
Por favor comentem muito para saber se estão gostando.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...