História Armas do Destino - Capítulo 21


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Personagens Originais
Tags Alcoolismo, Assassinatos, Bts, Drogas, Hentai, J-hope, Jin, Rap Monster
Visualizações 49
Palavras 1.117
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Hentai, Policial, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 21 - Por que?


  - Que merda! – Bati na parede do elevador. – Isso tinha que acontecer justo hoje? Justo agora?

    Eu me sento no canto do elevador e fiquei olhando para cima, para o teto do elevador. Na minha vida só acontece merda mesmo. Fiquei jogando uns joguinhos que tenho no celular.

    Já se passaram quinze minutos e nada dessa merda de energia voltar. Já estava ficando puto.

  - Parece irritado, Joonie. O que houve? – Era a voz da S/n de novo.

  - Não é nada. – Digo sem olhar para ela.

  - Conta pra sua amiga. – Ela se sentou do meu lado. – Pode confiar em mim.

  - Estou indo encontrar uma pessoa.

  - Aquela que te ligou?

  - Essa mesma.

  - Quem era?

  - Eu não sei. Não quis falar.

  - Hum... Que tal continuarmos o que estávamos fazendo? – Ela falou segurando meu queixo e me fazendo olhar para ela.

  - Você é só coisa da minha cabeça. – Digo abaixando a cabeça novamente.

  - Não sou não.

  - S/n, você esta em coma. Eu estou tão preocupado com você que estou te imaginando aqui.

  - Qual é, Namjoon? – Ela disse parecendo triste. – Vamos parar com essa besteira. Tá, eu estou em coma. Mas mesmo assim, vamos aproveitar. Se eu sou coisa da sua cabeça, aproveite, pois quando eu acordar do coma nem vou me lembrar disso. Desse acontecimento.

    Ela tirou meu celular das minhas mãos e se sentou no meu colo. Ela logo começou a rebolar lentamente em cima do meu membro, arrancando de mim alguns gemidos.

  - Vamos, Joonie. – Ela pegou minhas mãos e levou para seus seios, que só estavam com o sutiã. Quando foi que ela tirou a roupa? – Sua dongsaeng quer muito que você a foda.

    Eu soltei minhas mãos das dela e levei para suas costas, onde abri seu sutiã e tive a bela visão dos seus seios desnudos. Eu comecei a sugar o direito e apertar o esquerdo, fazendo S/n gemer. Ela começou a puxar de leve os fios de cabelo da minha nuca enquanto rebolava com maior intensidade no meu membro.

    Eu levantei ela do meu colo e tirei minha calça e minha box. Ela tirou sua calcinha e logo se sentou no meu colo, fazendo meu membro penetrar sua intimidade.

  - Aaarh... você é tão grande, Joonie... – Ela gemeu e logo começou a rebolar.

  - Uurr... E você é tão apertada. – Seguro na sua cintura e começo a ditar os movimentos que queria, o jeito que eu gostava.

    Soltávamos gemidos altos. As vezes nos beijávamos na tentativa de abafar os gemidos. Mas não dava certo. Estávamos sentindo tanto prazer que nem os beijos conseguiam abafar nossos altos gemidos. Eu comecei a dar chupões e mordidas no seu pescoço. Fazendo ela gemer ainda mais alto. Me dando ainda mais prazer.

  - I-isso, Joonie.. Fode sua dongsaeng bem gostoso. – Ela disse em meio aos gemidos.

    Eu a deitei no chão do elevador e fiquei em cima dela. Voltei a estoca-la, dessa vez mais forte e fundo, fazendo-a gemer mais  alto.

  - V-você é tão apertada, S/n... – Sussurrei no seu ouvido.

  - V-você é tão grande, Joonie. – Ela gemeu e me beijou.

    O beijo era feroz, selvagem e prazeroso. Esse beijo me deu mais vontade ainda de foder ela.

    A buceta dela é tão apertada. É tão gostosa de sentir.

  - Sua bucetinha é tão gostosa de foder, Baby Girl... – Digo no seu ouvido.

    Ela sorriu e começou a rebolar. Ela colocou suas pernas ao redor da minha cintura, e isso fez com que eu aumentasse a velocidade das estocadas que dava nela. Eu acertei diversas vezes seu ponto sensível.

  - J-joonie... E-eu... V-vou... – Ela não terminou de falar por ter atingindo seu orgasmo.

    Quando isso aconteceu, ela mordeu meu ombro e arranhou minha costa.

  - Você deixou meu pau todo molhado com seu melzinho... – Sussurrei no seu ouvido e mordi seu lóbulo. – Aarh, Baby... Vou gozar... – Tirei rapidamente meu membro de seu interior e me masturbei rapidamente, deixando meu gozo molhar suas coxas e sua intimidade.

    Eu me sentei no lugar que estava minutos atrás e a puxei, fazendo ela se sentar e deitar a cabeça no meu ombro.

  - Foi tão gostoso... – Ela disse ofegante.

  - Foi mesmo. – Sorri e beijei sua testa.

    Ficamos mais um tempo assim. Abraçados. Só se escutava o som das nossas respirações. Esse era o único som audível no elevador.

  - Vamos nos vestir. – Digo me levantando e começando a vestir mina roupa.

    Eu ajudei ela a se levantar e a vesti a roupa dela que estava no chão.

  - Te amo, Joonie. – Ela me olhou e me beijou.

    Eu retribui o beijo abraçando ela.

    Do nada, as luzes se acenderam e o elevador voltou a descer. Quando ele chegou o térreo, S/n havia novamente sumido.

  - Que merda! – Xinguei um pouco alto. – Por que isso esta acontecendo? – Pergunto saindo do elevador.

    Sai do hospital e corri em direção ao estacionamento. Entro no meu carro e corro e direção a praia.

   ---30 minutos depois---   

Cheguei na praia e fiquei um tempo no meu carro. Senti uma dor no meu ombro esquerdo. Abri a camisa que usava e olhei no espelho retrovisor e vi uma mordida no meu ombro.

  - Mas... Foi aqui que a S/n do sonho me mordeu... – Falo passando a mão no local. – Será que aconteceu de verdade tudo aquilo? – Me pergunto.

    Sai do carro e fui em direção a praia. Eu fiquei sentando em uma grande pedra. Olhei para o relógio e já tinha passado quase trinta minutos desde que cheguei na praia. Estava me preparando para ir embora quando escuto alguém falar algo.

  - Pensei que você não ia aparecer. – Era a mesma voz que falou comigo no telefone.

  - Eu que pensei isso. Marcamos a uma hora. – Digo me levantando da pedra e virando para onde a voz vinha, mas estava debaixo de uma ponte, então a sombra d aponte cobria seu rosto.

  - Já viu o tamanho dessa praia, rapaz? Ela é enorme. Eu estava te procurando. – A pessoa disse parecendo irritada.

  - Tudo bem. Calma. – Suspiro. – Vem mais pra cá para eu poder ver seu rosto.

  - Não. Aqui esta ótimo para mim.

  - Beleza. O que você quer que eu faça?

  - Pegue. – O ser que não quer se identificar estendeu a mão e segurava papel com umas coisas escritas.

    Essa pessoa usava luvas e um casaco. Tudo que pude ver quando sua mão apareceu na luz do sol.

  - O que tem aqui? – Pergunto logo que pego o papel.

  - As coisas que precisa fazer para mim.

1. Comprar drogas do RJ

2. Vender drogas pro Mang

3. Esconder provas

4. Matar S/n

O QUE?! MATAR A S/N?! POR QUE?


Notas Finais


Será que Namjoon vai aceitar fazer essas coisas?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...