História Aro e Philippe - Um amor impossível - Capítulo 4


Escrita por:

Postado
Categorias Saga Crepúsculo
Personagens Alec, Alice Cullen, Aro Volturi, Bella Swan, Caius Volturi, Carlisle Cullen, Corin, Demetri Volturi, Edward Cullen, Emmett Cullen, Esme Cullen, Felix, Gianna, Heidi, Jacob Black, Jane, Jasper Hale, Marcus Volturi, Personagens Originais, Renata, Renesmee Cullen, Rosalie Hale
Tags Amigos, Amor Impossivel, Amor Improprio, Amor Incondicional, Aro, Confusão, Decisões, Philippe, Segredos, Sofrimento
Visualizações 14
Palavras 994
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Ficção, Luta, Magia, Romance e Novela, Saga, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Imagem: Philippe

Capítulo 4 - Um ato inapropriado para amigos.


Fanfic / Fanfiction Aro e Philippe - Um amor impossível - Capítulo 4 - Um ato inapropriado para amigos.

Philippe

O baile está acontecendo, Aro está olhando a lua no jardim, como ele sempre faz toda a noite, mesmo que tenha uma festa. O mesmo estava elegante, maravilhoso.

Peguei umas 3 garrafas do sangue alcóolico mais forte e 2 copos de vidro bem grandes. Peguei um saquinho cheio de pílulas que um amigo meu me apresentou, ela deixa as pessoas ficarem loucas mais rápido, é só colocar na bebida e esperar dissolver, é impossível perceber.

Coloquei discretamente 2 pílulas no copo de Aro e logo coloquei o sangue. O cheiro estava muito agradável, fazia minha boca se enxer de veneno, minha garganta ardia, clamava por aquele sangue doce e amargo ao mesmo tempo por causa do Álcool extremamente forte.

Fui rapidamente sem que alguém percebesse para o jardim. Me aproximei de Aro e o mesmo olhou para mim com uma sombracelha levantada. Coloquei as coisas entre nóis e olhei profundamente em seus olhos paralisadores.

- Ola meu amigo, está muito desanimado, trouxe uma coisa para te animar- Falei 

- Sempre tentando me animar né Philippe? Pelo visto não mudou nada - Ele falou pegando o seu corpo e dando um gole

- Não gosto de ver meus amigos triste - Disse sincero

- Nossa! Como essa bebida tá forte! - Ele falou fazendo careta

- Isso significa que é bem mais divertido!

- Não gosto de ficar bêbado

- Já faz anos que você não faz isso! Pelo menos 1 vez Aro! Você ta muito carregado!

- Ok então, mais já viu avisando que isso não acontece rápido comigo

- Peguei do mais forte, em pouco tempo você já vai estar bêbado- Falei dando um gole no meu sangue

Depois de muito conversar sobre coisas aleatórias e de muito, muito mesmo, beber. Percebi que Aro já estava bêbado o suficiente, eu acabei por não ficar, já que jogava toda hora metade da minha bebida fora discretamente, e colocava pouca quantidade no copo.

Mais mesmo assim minha visão tava meio zonza.

- Aro tenho um lugar para te mostrar! - Falei e o puxei para a floresta

Andamos bastante até chegar em uma caverna isolada, cercada de grandes árvores.

- O que é isso Philippe? - Ele perguntou com aquela voz lenta de bêbado

- Você vai ver. Será uma noite inesquecível! - "realmente será"

A caverna era iluminada por grandes tochas, e bem no chão tinha alguns panos e almofadas, e em um dos cantos do lugar, tinha uma cama enorme de casal.

- O que pretende me trazendo aqui? - Perguntou com malícia no lugar

- Pretendo que seja meu! - Falei empurrando ele para o chão cheio de panos e almofadas

Eu já estava em cima daquele corpo frio, muito bem conservado.

- Você é tão excitante! - Ele falou

Percebi que já tinha grandes elevaçõa em ambas as calças.

- Me beija Aro - Pedi chegando mais perto

O mesmo começou a me beijar, foi mágico sentir aqueles lábios frios e macios, parecia nuvens de tão delicados e sedosos. Aro começou a me dar mordidinhas com suas presas.

Suas mãos começaram a caminhar por todo o meu corpo.

Eu já não estava aguentando mais.

- Aro, por favor! Preciso de você dentro de mim - Falei

- Vou me enterrar em você querido! - Ele falou e trocamos de lugar rapidamente 

Agora ele estava em cima e eu em baixo. Aro começou a despejar beijos por todo o meu corpo, estava desendo para meu membro, o próprio rasgou minha calça e começou a me chupar.

Chupava cada vez mais rápido, e de vez em quando era de vagar. Até que ele parou e começou a passar a língua pela a cabeça do meu membro.

- Me fode Aro! - Clamei

- Então me chame de Mestre! - Ele exigiu passando a língua por todo o membro

- PORFAVOR MEU MESTRE! ME FODE ATÉ O AMANHECER! - Gritei

Aro imediatamente ficou nu em 1 segundo. Seu corpo me dava água na boca, era lindo, perfeito. Seu membro era enorme, grosso, como aquilo entraria em mim?

- Fique de quatro imediatamente seu cachorro! - Ele mandou e rapidamente obedeci

- Aro me faça seu imediatamente! - Pedi

- Como você é gostoso cachorro! - Ele falou dando um tapa em um glúteo - Me fale novamente o que quer! - Mandou e deu outro tapa, só que no outro glúteo de minha bunda

- Eu quero que você enfie seu membro em mim! - Expliquei bem claro

Aro estocou fortemente em mim, sem delicadeza alguma. Começou a se enterrar cada vez mais fundo em mim, eu já gemia muito alto.

- Ah Philippe! Veja como estou duro por você! - Ele falou se estocando bem fundo e ficou parado lá dentro

- Me fode mais Mestre! - Pedi Me recuperando da dor que tinha sentido no começo, mais agora essa dor não existe

- Seu cachorro! Quero que me chupe agora! - Mandou jogando seu enorme e grosso membro na minha cara

O peguei rapidamente e comecei a chupar, enfiava o máximo que conseguia, o resto que ficava para fora eu o masturbava com minha mão. Aro pegou meus cabelos e começou a me prensar contra o seu pênis duro.

- Deite e abra as pernas! - Ele mandou e o obedeci, Aro estava 100% no comando

Ele se aconchego no meio de minhas pernas e começou a se estocar como antes, mais ao mesmo tempo me masturbava com sua mão fria e macia.

Eu e ele já estamos gritando o nome do outro. Até que eu percebi que já estava chegando o meu limite, de algum jeito aro percebeu isso.

- Goze para mim meu querido! - Ele falou e gozei imediatamente

Meu esperma ficou escorrendo pelo o peito de meu mestre e pelo meu membro. Aro logo em seguida se arrancou de dentro de mim e gozou no meu abdômen.

Eu não conseguia levantar, estava todo fudido, então Aro me pegou e colocou na cama.

Quando um vampiro fica muito bêbado, acaba por dormir, e foi isso que aconteceu com nós dois.

Dormimos abraçados naquela noite fria, naquela caverna quente.






Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...