História Aroma - Capítulo 9


Escrita por: e BlueSnow08

Postado
Categorias VIXX
Personagens Hongbin, Hyuk, Ken, Leo, N, Ravi
Tags Alfa, Beta, Chaken, Haken, Hansik, Kenbin, Menção Chasang, Neo, Ômega
Visualizações 32
Palavras 1.854
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Famí­lia, Lemon, Romance e Novela, Shonen-Ai, Universo Alternativo, Yaoi (Gay)
Avisos: Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olá
Bom já tinha preparado
Então desfrutem
Ainda me vejo irritada , mas um a um meus problemas vao ficando mais leves
Obrigado pela compreensão

Capítulo 9 - Ressoar


Fanfic / Fanfiction Aroma - Capítulo 9 - Ressoar

3 dias depois Hakyeon e Sanghyuk receberam alta, mas o mais novo não foi para casa. Assim como havia pedido, seu pai lhe levou para onde sua amada mãe estava morando. Um tanto afastado, mas era uma bela casa com todas as mordomias que sempre teve. Taekwoon não lhe negou nada, do conforto até sexo. Sim, o alfa deu varias escapadinhas durante o início tortuoso de casamento com Hakyeon. Não que fosse ruim estar casado com seu amigo, mas era a questão de sentimentos que ainda não existiam.

Amava sua ex mulher, mesmo que agora não consiga nem se quer tocá-la por já ter aceitado seu amigo como seu ômega e já tê-lo marcado. Mas sorriu, e beijou sua testa, vendo seu filho se distanciar para deixá-los sozinho.

- Não peça isso, não vou saber explicar, ainda sinto vontade de atacar ele, preciso com urgência que converse com nosso filho - comentou para os olhos suplicantes dela, sentado no sofá, de pernas cruzadas olhando o jardim pela janela aberta - Hakyeon ainda está arrasado, mas buscando forças para me manter controlado - explicou por fim, voltando a sua atenção para a bela mulher.

- Entendo e imagino, deve estar sendo muito difícil para ele não permitir que o lobo o domine, esta tentando proteger meu filhote e eu agradeço, mas querido, entenda, ver o Hyuk daquele jeito me parte o coração.

Ele não respondeu, ficou observando o balançar da cortina branca quando o vento passava. Sabia bem dos sentimentos de sua ex mulher, embora não se importasse, estava mais preocupado em voltar pra casa e cuidar de seu pequeno ômega.

- Você pensou no assunto?

- Não! Nem quero, nem vou, que inferno! - gritou alterado, olhando furioso para a ômega - Hyuk é meu único herdeiro, já tenho o alfa forte que me substituirá.

- Mas Hakyeon é puro como você,  pode  lhe dar um ainda mais forte e Hyuk pode ser seu conselheiro, pense bem!

- Han Yunura, eu não vou repetir - se levantou exalando ira - Cuide do seu filho e ponha juízo naquela cabeça de vento, em uma semana eu volto pra buscá-lo, espero profundamente que haja mudanças ou eu começarei a ser realmente cruel com ele.

Partiu sem deixar Yunura se pronunciar. Ter filhos era um assunto delicado para o alfa, ele não queria ter nenhum se possível, odiava o regimento da família Jung para com a sociedade. Governavam de maneira bruta e linear, fora que passaram por um desgosto grande com Taekwoon se negando a casar com quem eles haviam escolhido e apoiando o ômega a seguir seu próprio caminho, o defendendo. Era imoral.

Então o alfa não queria herdeiros, não por  odiar crianças, mas por saber e não querer passar o futuro de uma nação pra uma criança alienada que acha que suas verdades devem ser entendidas e que quem atrapalha deve ser eliminado. E esse era exatamente seu filhote. Fora que com a chegada de um herdeiro puro, Hyuk seria deixado de lado o que causaria inveja e talvez até homicídio.

Imaginem, o mais novo já não gostava de Hakyeon, se ele viesse a ter um filho de seu pai, o que ele não faria a essa criança, sabendo do que ele já fez ao moreno? Era arriscado demais.

Mesmo que o governo da família Cha seja de maneira mas gentil, buscando justiça e entendimento, não seria nada fácil criar um filho entre as famílias. Era necessário equilíbrio, mas era a família de Taekwoon que detinha o maior poder, portanto a seriedade era a resposta pra tudo.

Yunura suspirou frustada olhando para Hyuk que agora sentava no mesmo lugar que Taekwoon, antes de sair de maneira brusca da casa.

- O que você fez, nem mesmo o seu avô vai deixar passar, você tem noção do quão ferrado você está? - soltou calmamente - Se você for a julgamento o pai do Hakyeon manda te matar e nem mesmo o mais velho da família Jung vai poder te defender, porque você feriu o herdeiro deles!

- Olha o meu rosto, eu também fui ferido!

- Foi o Hakyeon que fez isso? Diz! Foi ele?

- Não - chorou alto, finalmente permitindo a frustração sair - Não foi ele, é por isso que estou irritado, meu pai quer me matar, O MEU PAI! - se jogou no colo de sua mãe chorando compulsivamente - Nem meu melhor amigo quer falar comigo por causa daquele ômega idiota, eu o odeio!

- SangHyuk! Nunca mais repita isso! - deu um leve tapa nas costa do filho - Seu pai protegeu seu ômega, como qualquer outro alfa faria, foi você que provocou todo esse rebuliço - disse firme respirando fundo para não deixar seu instinto materno falar mais alto - Se Wonsik não quer falar com você, coisa boa você não disse, palavras ferem meu filho, principalmente quando tentamos falar com cabeças duras que nem você e seu pai - puxou a franja do alfa para cima para poder olhar em seus olhos - Posso falar sobre o casamento...

- Não! Vim aqui esquecer eles!

- Então está no lugar errado, por que eu vou fazer se arrepender - tirou o mais  novo de seu colo e levantou arrumando o vestido - Sou sua mãe e não estou feliz, Hakyeon é uma pessoa maravilhosa, mesmo que eu esteja desconfortável com todas essas feridas em seu corpo, ele não tem culpa. Você precisa ao menos se arrepender do que fez e parar de querer colocar a culpa dos seus atos em outra pessoa - saiu pisando duro.

Precisava ser firme e não deixar que seu filho pensasse que ali era um porto seguro para suas ironias. Estava correta em suas escolhas, o ômega fora pra ela um amigo/irmão todos os anos em que passou ao lado de Taekwoon. Sempre a apoiou e a defendeu diante ambas as famílias. Mesmo sem estar profundamente envolvida, sabia do relacionamento e das perdas. Doía só de saber que tudo que alcançou ao lado de Taekwoon, Hakyeon não viu 1/3 ao lado de seu alfa. Se privou tanto pra ver o amigo feliz que esqueceu de si mesmo, como era de seu costume.

Não permitiria que seu filho fizesse o que bem entendesse e achasse que nada aconteceria. Estava decidida, faria ele ouvir, mesmo que tivesse que passar uma fita adesiva em sua  boca.

XxxxxxxxX

Hakyeon sorriu ao encontrar o pequeno ômega de cabelos roxos sentado inquieto no sofá.

Andando devagar se aproximou e sentou ao seu lado, agradecendo a empregada que deixava uma bandeja com chá e biscoitos em cima da mesa de centro. Tomou um gole, apreciando o sabor, mas não pode deixar de rir para a cara de ansiedade de Wonsik.

- Ele está na casa da mãe, pediu para se recuperar perto dela - contou, por fim, devolvendo a xícara para a bandeja - Sinto não poder lhe dar mais alguma informação, mas como sabe, eu e o Hyuk não estamos nos dando bem - revirou os olhos, entediado.

- Não, eu realmente não vim saber dele, mesmo que essa informação me deixe mais calmo, dona Yunura talvez bote juízo na cabeça dele, eu vim saber de você - falou tão rápido que acabou ficando ofegante ao terminar.

- Eu? Eu to bem, na medida do possível, mas por quê? Está sabendo de algo que eu não sei? - ergueu as sobrancelhas, confuso e curioso.

- Bem, o senhor Taekwoon começou a me contar que vocês já deveriam estar casados e confesso que fiquei muito curioso pra saber mais, porém achei muito invasivo de minha parte questionar sobre esse assunto, então eu lembrei de seus olhos pedindo socorro silenciosamente, enquanto estava no hospital e também teve as coisas que o idiota do Hyuk falou - gesticulava demais, falava rápido, não conseguia olhar para o ômega na sua  frente o que deixava o moreno sem saber como segurar o riso e Wonsik estava totalmente envergonhado e querendo enfiar a cara no chão - Enfim, fiquei preocupado, como ômega eu entendi seus sentimentos.

Estava surpreso, por isso acariciou o rosto do mais novo com ternura, deixando o ambiente mais agradável para ele, mostrando um pouco do que seu poder era capaz de fazer com as pessoas ao seu redor. Nunca imaginou que Wonsik havia notado tanto em tão pouco tempo.

- Pequeno, eu vou ficar bem, eu sempre fico - riu anasalado observando o ômega se acalmar quanto mais seu aroma se intensificava - Você disse que o Taekwoon entrou no assunto do casamento.

- Sim, brevemente, apenas falou que já eram destinados desde os 8 anos de idade.

- Sim, seria deveras interessante obedecer ao invés de viver, não acha? - perguntou num tom de deboche, fazendo Wonsik rir alto - Não era minha intensão, mas as coisas saíram do controle, eu precisei proteger Jaehwan da família do Taekwoon e acabou que eu fiz algo ruim.

- Você matou alguém?

- Sim, mas não fui eu, simplesmente fiz com que eles se atacassem, alguém acabou morrendo, não muito importante, mas que tinha sangue e pensamentos iguais - contou com pesar sentindo a marca arder, junto ao barulho de carro sendo estacionado - Taekwoon chegou.

Wonsik observou a face do mais velho se fechar e seu corpo enrijecer, como um gato pronto pra atacar, alerta. A presença do alfa era uma ameaça naquele momento, ele estava irritado, cego em seus próprios pensamentos, sem conter seus feromônios, machucando todos naquela  casa.

- Hyung, eu... está doendo muito... - se jogou no chão, se contorcendo. Mas o ômega não parecia ouvir.

Hakyeon estava respondendo ao seu alfa. Seus olhos mudavam de cor a cada passo que ele dava para mais perto. Embora ainda tentasse proteger Wonsik, falhava miseravelmente,  pois Taekwoon o estava controlando, domando o lobo que habitava seu ser.

Quando o mais alto entrou na casa, o pegou no colo, rosnando baixo, enfiando o rosto no pescoço do ômega. O carregou para o quarto sem nem sequer olhar ao redor.

Trancou a porta e soltou seu pequeno no chão. Hakyeon que ainda não conseguia pensar com clareza, apenas tentou descobrir o que deixava o alfa tão irritado, mas esse não lhe permitia se aproximar mais.

- Você está fugindo de mim? - perguntou confuso - Então por quê está tentando controlar meu lobo?

Sem demora foi beijado, tão voraz que gemeu com o contato. Tremeu por inteiro ao ser jogado na cama e sentir as mãos do alfa percorrer por seu corpo. Mas não podia deixar, então afastou o alfa de cima de si, o deixando furioso.

- Não me negue! - rosnou segurando o queixo do ômega - Eu não permito isso!

 

- Vai me forçar? - perguntou se encolhendo de medo - Desse jeito eu não quero! Taekwoon é você que tem que me desejar, não apenas o seu lobo - chorava assustado com a brutalidade do maior, olhando dentro daquele carmim que só transmitia ira - Mas se é o que quer, eu... - olhou para o lado dando a liberdade que seu lobo tanto queria - Me tome, meu alfa.


Notas Finais


Beta corre aqui!
Gostaram?
Comentem!!
P.S.: Cap editado :^D


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...