História Arquitetura do Amor - Capítulo 8


Escrita por: ~ e ~Nessie_M

Postado
Categorias Justin Bieber
Tags Jasmine Villegas, J-hope, Justin Bieber, Lauren Cohan, Twd
Visualizações 112
Palavras 1.521
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Famí­lia, Hentai, Romance e Novela, Universo Alternativo
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


ESSE CAPÍTULO POSSUI CENA DE SEXO EXPLÍCITO, SE VOCÊ NÃO GOSTA, A NÃO LEITUTA DO MESMO NÃO IRÁ INTERFERIR NO ENREDO DA HISTÓRIA.

Boa Leitura!

Capítulo 8 - Você Fica - Parte ll (Bônus)


Fanfic / Fanfiction Arquitetura do Amor - Capítulo 8 - Você Fica - Parte ll (Bônus)

Entramos no quarto tropeçando em um emaranhado de pés e pernas até nos encostarmos na coisa sólida mais próxima, a porta do meu closet. Justin beijava meu pescoço com fervor e por um breve momento lembrei do pedido dele.

— Ainda quer conhecer meu closet? – Perguntei enquanto deslizava as mãos por baixo na barra de sua camisa, sentindo suas costas rígidas e quentes. 

Bieber não respondeu, apenas me pressionou mais na porta e desceu seus beijos molhados e calorosos para meu pescoço, me deixando arrepiada com o toque de sua língua em minha pele exposta. Tateei em meio ao escuro do quarto e o misto de sensações prazerosas a maçaneta da porta e, inferno, se já era difícil fazer isso bêbada, imagina bêbada e embriagada de tesão. Com dificuldade abri a porta e tão logo como começou estávamos entre cabides e roupas penduradas nos móveis do closet. 

— Hm, gostei do seu closet. Ele tem seu cheiro. – Suas mãos ágeis desceram para meus quadris e brevemente ele se afastou de mim para terminar sua fala. — Mas vai ficar melhor ainda com o cheiro do nosso sexo. – Não resisti ao seu sorriso de canto e voltei a beijar-lhe, ao passo que subia sua camisa de forma apressada. Ah, aquela abdômen merecia ser muito bem explorado por minha língua.

Empurrei Justin até ele estar sentado em um pequeno sofá e sentei em seu colo, tomando seus lábios em um beijo intenso. Suas mãos agarraram minha cintura, me puxando para perto até estar em cima de um local estrategicamente prazeroso para nós dois. Minhas mãos afoitas se deliciaram em sua barriga enquanto meus beijos exploravam seu pescoço, deixando algumas marcas. Não sei ao certo em qual momento entre a porta do quarto e o closet meu vestido foi retirado, mas puta merda, Justin agarrava minhas coxas e apertava fortemente, de forma que nossas intimidades se tocavam. Três peças de roupa e eu poderia sentir Justin, propriamente falando. Ao mesmo tempo que nossas bocas se encontravam de forma desesperada as mãos trabalhavam para retirar o restante das peças de roupa. Brevemente me levantei e puxei a calça de Justin, o que me fez cair de bunda no chão, arrancando uma risada dele.

— Uma bela visão, é o que eu tenho daqui. – Em meio aos risos frouxos me ajoelhei entre suas pernas e comecei a beijar desde seu joelho até a virilha, de forma lenta e provocativa, não esquecendo de passar meus lábios e língua pelos gominhos de seu abdômen, além de deixar um beijo sob a cueca box preta.

— Bieber, se você soubesse o quão sexy é uma cueca preta você nunca usaria outra cor. – Sentei-me novamente em seu colo e rebolei lentamente, arrancando um gemido de nós dois, dessa vez pude sentir infinitamente melhor a conexão entre nossas intimidades. E, inferno, eu poderia rebolar ali a noite inteira.

Justin arrancou meu sutiã e o jogou pelo closet, por um momento ele observou meus seios despidos e logo suas mãos grandes e quentes os apertavam. Rebolei mais uma vez e recebi uma arfada em resposta, as mãos que antes exploravam meu busto foram para os quadris e bunda, pressionando a região e aumentando o atrito, me deixando cada vez mais ansiosa. Sua boca, sem perder tempo, se apossou do meio seio direito, dando leves sugadas e mordidas. Segurei seus ombros e finquei minhas unhas ali, aumentando a força nos mesmos quando sua mão atrevida fez uma leve pressão por cima da renda – não intencional – da lingerie vermelha, onde ele deslizou o dedo levemente, me torturando. Segurei sua mão no local e o incentivei a continuar, mas dessa vez afastei um pouco o tecido da calcinha, de forma que ele tocasse diretamente minha intimidade. E quando Justin fez isso foi inevitável não soltar um gemido sôfrego, meu ventre queimava de ansiedade e meu corpo exalava tesão. Passei a rebolar mais rapidamente em sua mão e ocasionalmente arranhava seus ombros.

— Caralho, Annabelle. Você vai me deixar louco. – Bieber disse apertando o próprio membro.

Sorri de lado e me apossei de seus lábios mais uma vez, passando os dedos pela barra de sua box e ameaçando adentrar com a mão, mas minha intenção não foi concluída. Bieber me pegou de surpresa e penetrou dois dedos em minha intimidade fazendo movimentos de vai e vem, gemi alto e imaginei o quão bom seria ter seu membro ali. Com esse pensamento fiz menção de tirar sua cueca e ele entendeu o recado, levantando os quadris para eu arrancar aquela íntima peça de roupa, aproveitei a deixa e tirei minha própria calcinha de forma apressada. Sentei novamente sob o quadril de Justin, mas sem penetração ainda. Movimentei o quadril e finalmente pude sentir o atrito de nossas intimidades, soltei um gemido longo de prazer e agarrei os cabelos do loiro em minha frente, olhando bem em seus olhos, que transbordavam desejo.

— Como isso é bom, Bieber. – Seu membro rijo era quente e pulsava sob mim, meus lábios alvoroçados procuraram os seus e nosso beijo foi uma pura explosão de vontades. 

As mãos de ambos não sabiam onde ficar, de forma que percorriam todo o corpo um do outro. Justin me afastou minimamente e encostou a cabeça do seu membro em minha entrada, como se estivesse pedindo permissão. Inferno, só precisava que ele me fodesse.

— Seu pedido é uma ordem, senhorita. – Então me dei conta que tinha falado aquelas palavras em voz alta. 

Senti meu rosto ficar quente e Justin soltou uma risada nasalada e logo em seguida me penetrou. Por alguns segundos ficamos parados sentindo um ao outro e aquela sensação maravilhosa. Ah, aquela sensação. E quando finalmente ele investiu o quadril contra o mim pude contar estrelas, tamanho o prazer que senti. Me apoiei mais confortavelmente e comecei a me movimentar contra ele, ao passo que continuava rebolando. Seus gemidos eram baixinhos e extremamente sexy e a sensação de ouvi-los era maravilhosa, só aumentava meu tesão. Suas mãos apertavam minha carne fortemente e eu trabalhava com a boca em seu pescoço, tendo a certeza que no dia seguinte belas marcas roxas estariam ali. 

Inesperadamente Justin me segurou firme e levantou do sofá, sem desconectar nossas intimidades. Ele caminhou até a porta de um dos armários e me pressionou neles, escutei algumas coisas caírem dentro do armários, mas seu membro entrando cada vez mais profundo e forte tirou minha atenção dos perfumes que possivelmente tinham caído e quebrado.

— Inferno, Bieber. Você vai me deixar louca. – Arranhei suas costas e o som de sua risadinha baixa junto com o hálito quente em meu pescoço, juro que poderia ser considerado a oitava maravilha do mundo do sexo. 

Quem era mesmo um ator pornô perto de Bieber? Ele era uma empresa inteira. Ri dos meus pensamentos e Justin me olhou confuso. Balancei a cabeça em negação e beijei-o novamente, puxando levemente seu lábio inferior. Meu ventre queimava e eu sentia que a cada segundo o calor aumentava, assim como meus gemidos. Não sei em qual momento chegamos em minha cama, mas Justin estava sobre mim e me peguei admirando aquelas orbes caramelo. Ou melhor, admirando aquele homem.

— Annabelle, caralho, você é perfeita. – Senti seu membro entrar em mim mais uma vez e outra e outra em um ritmo gostoso. 

Senti ainda minhas entranhas se contraírem e eu sabia que estava perto. O suor escorria por nossos corpos e eu não tinha mais a capacidade de falar tamanho o prazer que sentia naquele momento.
Justin percebeu que meu orgasmo estava chegando e aumentou a velocidade, entrando com força e diminuindo o ritmo até chegar em algum ponto estratégico que nunca consegui achar sozinha. Minhas pernas começaram a tremer levemente e meu ventre contraia. Enlacei minhas pernas com mais força em volta dele e o puxei pra mais perto, minhas mãos viajavam por suas costas deixando uma trilha de arranhões e eu gemia sofregamente.

Quando finalmente o momento veio, senti como se tivesse liberado uma descarga elétrica e soltei um gemido longo e prazeroso. Fazia um bom tempo que não tinha um orgasmo tão bom. Justin continuou me penetrando e aos poucos minhas pernas pararam de tremer, ao contrário de Justin, que cada vez acelerava mais em busca do próprio prazer.

Troquei nossas posições, de forma que estava sentada em cima dele. Tornei a mexer os quadris com pressão e ritmo e Justin segurava minha cintura acompanhando o movimento. Não demorou muito para eu sentir seu gozo quente dentro de mim, e novamente eu senti meu ventre contrair, continuei me movimentando um pouco mais e não demorou para eu ter o segundo orgasmo da noite.

Apoiei a testa no ombro de Justin e arfei cansada, juntamente com ele. Fui envolvida em um abraço caloroso e selei levemente nossos lábios. Nossas intimidades ainda estavam conectadas e era uma sensação boa, mas o cansaço pós sexo e uma noite regada de bebida gritaram em meu corpo. Deitei ao seu lado na cama e senti o sono me envolver lentamente, assim como seus braços se apoiaram em minha cintura de uma forma descuidada, dormi como não dormia há muito tempo. Lembro apenas de um vago "Boa noite, Anna" e nada mais.


Notas Finais


Hello, meus amores!!!! Como estão?

Então, esse capítulo foi escrito pela @Nessie_M, que tem a mente suja, porque eu sou um anjo e não escrevo pornografia. Eu adicionei ela como co-autora, porque pelas regras do site, eu não posso somente dar créditos ela e mudei também classificação da história, que antes era de 16 anos. Novamente, quem não gosta de coisas do tipo, não precisa ler capítulos assim, se eu postar mais algum, será da mesma forma que esse: em forma de bônus, para não interferir no enredo da história.

Espero que tenham gostado da surpresinha e quero agradecer pelos comentários e favoritos do capítulo anterior. Um beijo no core de vocês e até o próximo capítulo.

Bjs, Purple.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...