História Arquivo: 140172703 - Humanidade (Camila G!P) - Capítulo 13


Escrita por:

Postado
Categorias Camila Cabello, Fifth Harmony
Personagens Ally Brooke, Camila Cabello, Dinah Jane Hansen, Lauren Jauregui, Normani Hamilton
Tags Abo, Camilacabello, Camilag!p, Camren, Camreng!p, Fifthharmony, Laurenjauregui, Lobos
Visualizações 113
Palavras 1.392
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Ecchi, Ficção, Ficção Adolescente, Ficção Científica, Hentai, LGBT, Literatura Feminina, Luta, Mistério, Orange, Romance e Novela, Shoujo-Ai, Survival, Suspense, Terror e Horror, Yuri (Lésbica)
Avisos: Adultério, Álcool, Insinuação de sexo, Intersexualidade (G!P), Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 13 - Reencontro.


Quando acordou sua cabeça pulsava em dor, seu corpo dolorido junto com a enorme vontade de vomitar a faziam desejar estar morta (n°a: quem tendeu entendeu).

Quando sua cabeça estava começando a melhorar e seus sentidos já estavam normalizados abriu os olhos encontrando alguns vultos, como sua visão ainda estava embaçada fechou com força os olhos e focou em seu olfato sentindo o grande cheiro de várias ômegas no recinto.

Pela segunda vez tentou abrir os olhos e suspirou quando sua visão estava normal, três homens e cinco mulheres caminhavam pelo lugar que tinha a aparência rústica, chão de madeira e paredes na cor bege com detalhes nas quinas, era uma residência.

- Parece que ela acordou... - uma mulher magra, loira e com o rosto fino disse se aproximando de Lauren. - Sou Lucy, responsável em deixar você presa e manter aqueles alfas fedidos longe. - disse com naturalidade ajeitando alguma coisa ao redor.

Tentou se mexer mas percebeu que estava presa a uma maca em pé com vários cintos de couro a impedindo de cair ou sair. Lauren tentou falar mas ainda estava tão chapada por causa dos sedativos que nem sentiu que sua saliva escorria pela boca. - Pelo que sabemos seu nome é Lauren, a única Ômega de sangue puro, isso aumenta a concorrência lá fora. - Lucy disse rindo enquanto os outros no lugar apenas transitavam para um lado e para outro. - Tenho a tarefa de ter que alimentar você, eu não sou boa na cozinha e acabei colocando um pouco de pimenta demais então espero que goste de comida apimentada. - disse indo até um balcão e voltando com uma cumbuca e uma colher. - Quer que eu faca aviãozinho? - tentou dar humor mais não foi correspondida.

Se Lauren conseguisse falar com certeza a mandaria tomar no cu, mas né, nem sabia se sua boca estava aberta. Quando Lucy enfiou a comida garganta abaixo notou em como estava faminta ignorando o excesso de pimenta e tomando cada gota daquela mistura que não sabia o que era.

Terminou de comer e logo Lucy colocou um copo com canudo em sua boca, com muito esforço Lauren conseguiu sugar toda a água do recipiente. - Daqui a pouco o doutor vem buscar você, espero que você goste de seu encontro em família. - Lucy disse antes de desaparecer junto as outras pessoas pela porta um pouco escondida, Lauren ficou confusa e tendo gritar seu nome mas só saiu sílabas enroladas de sua boca.

Sozinha naquela sala se remexia tentando se soltar mas só parecia que os cintos se apertavam ainda mais, se entregou ao cansaço e se rendeu a um choro silencioso, não era de chorar muito mas como qualquer Ômega estava com medo e ainda não tinha a Alfa ao seu lado.

Quando escutou barulhos próximos engoliu o choro assumindo a carranca raivosa, elas sabia que isso podia prejudicar ômegas mas agora os Alfas... Eles achariam sexual e com certeza ficariam loucos. Por sorte os dois homens ômegas de antes entraram, claro dando um pequeno passo para trás quando se sentiram ameaçados, mas não se deixaram se abalar, eles tinham ordens para seguir.

Entraram e aplicaram novamente um leve sedativo apenas para a Ômega não dar-lhes dor de cabeças com seus gritos. Ajeitou ela na maca e a empurraram já que haviam rodas em baixo. Lauren apesar de estar grogue ela fazia de tudo para se manter acordada e observar o lugar aonde estava, assim saberia aonde ir para estrangular que está fazendo isso consigo.

Deixando os pensamentos homicidas de lado se surpreendeu a chegar até um pequeno quarto, os dois ômegas mexeram em algumas coisas atrás de si um passagem se abriu no chão dando a uma rampa junto ao um corredor de concreto. Eles a empurraram abaixo, o corredor mal iluminado dando um ar melancólico mas isso não a assustou nem um pouco, pois viveu em uma floresta banhada em neve e escuridão por muito tempo.

Quando chegaram ao fim uma porta de algum metal se abriu automático mostrando vários aparelhos tecnológicos, o cheiro era de látex e ferro no ambiente. Sentia a presença de vários alfas no lugar, mas como todos já tinham suas almas ligados a seus companheiros a ignorou. Lauren foi empurrada até o meio aonde haviam três cilindros de aço, todos eles ligados a tubos e em computadores.

Um homem de estatura média, com os cabelos raspados e galanteador se aproximou, trajava um jaleco branco com um símbolo no lado esquerdo peito, não conseguia decifrar que desenho era mas conseguia ler a palavra "Sidônia" claramente e essa palavra não era estanha.

- Boa tarde Jauregui, sou Sam Smith, subordinado do quartel militar de Sidônia, estou aqui desde bebê o que faz muito tempo. Fui mudado geneticamente para ser inteligente então... Vou examina-la. - ele disse ajeitando seu jaleco e colocando as mãos nos bolsos. Para Lauren ele era estranho, não sentia nada vindo dele, tentou farejar mas seu cheiro era quase nulo comparado aos ômegas que estavam ali. - Não adianta me cheirar, não sou igual a você. - isso a chocou, desde pequena seus pais diziam que os ancestrais de sua "espécie" estavam instintos, isso só para não colocar idéias malucas em sua cabeça como seu pai tinha, o pai que estava morto, não por muito tempo...

- A-aonde... Eu... Estou? - disse pausadamente ficando feliz de Sam ter entendido.

- Você está num lugar da onde não irá sair. - disse simples deixando Lauren com medo. - Sabe Jauregui, deu muito trabalho achar você, seu pai e sua tataravô, mas achamos. - ele saiu de sua frente apertando um botão perto dos três cilindros que começaram a se mover até o centro deixando bem a frente de Lauren, as paredes de aço iam se encolhendo dando lugar a algum tipo de vidro mostrando três corpos nús em uma água esverdeada, dois corpos de homens e um de mulher.

Algo em seu interior a fez prender uma massa de ferro na garganta a fazendo querer chorar mas se segurou. O cheiro era tão familiar que estava com medo de ficar olhando quem eram. Ergueu o olhar procurando seus rostos e perdendo o ar vendo que dois deles eram mais do que familiar, o do centro podia ver claramente seu pai, Michael Jauregui, do mesmo jeito que se lembrava quando pequena. Do lado esquerdo, o corpo de pele negra já sabia claramente que era o pai de Normani.

Sem resistir se entregou aos choro aliviado, seu pai estava vivo. - Que encontro agradável não é mesmo? - Sam perguntou mas Lauren não respondeu, estava ocupada demais chorando vendo seu pai com a máscara de ar flutuando na água. - Reconhece essa mulher? - perguntou aponto para o cilindro a direita, Lauren negou simplesmente engolindo o choro. - Então lhe apresento Cassandra Jauregui, a matriarca da família, infelizmente sua irmã gêmea morreu na rebelião a muito tempo. - disse passando a mão pelo vidro que continha os corpos.

- Qual seu objetivo? - já melhor Lauren perguntou.

- Primeiramente, era aniquilar essa nova espécie de humanos mas os Observadores acharam que eram melhor deixar você vivos. Agora meu objetivo é criar híbridos mais fortes, mais humanos, compatíveis com os novos humanos em Sidônia. - explicou andando pelo lugar.

- Novos humanos? - confusa Lauren perguntou.

- Depois que os híbridos foram mandados a Terra, houve rebelião lá em cima. Muita coisa mudou, os humanos mudaram, mas agora foram todos eles e não só órfãos sujos. Eu faço parte desse novos humanos, mas comparados a vocês, híbridos, somos fracos. - suspirou cansado.

- O que tem de diferente em você? Tem poderes mágicos? - debochou rindo arrastado.

- Engraçadinha... Não, mas poderíamos. - entrou na brincadeira. - Faça alguma pergunta sobre mim e eu responderei tentando apresentar umas das mudanças. - falou sentado sobre a mesa.

- Quantos anos tem? - Lauren perguntou olhando sua aparecia que com certeza não passava de um homem com seus vinte e quatro anos.

- Tenho noventa e sete anos. - respondeu tirando a expressão assustada de Lauren. - E não. Não sou um vampiro. - riu pegando uma seringa no bolso do jaleco. - Você já está sabendo demais, melhor dormir um pouquinho. - falou indo em direção a ômega que por relance viu um outro cilindro de vidro sendo instalado ao lado do de seu pai.

Sentiu a picada no braço apagando poucos segundos depois.



Notas Finais


Espero que tenham gostado e entendido a estória, tem muita coisa para acontecer e isso foi apenas um prévia de todos os segredos.

Até a próxima, prometo não demorar.

Beijinhos 😘😘


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...