1. Spirit Fanfics >
  2. Arquivo X - Jeon Jungkook >
  3. X - I do not believe

História Arquivo X - Jeon Jungkook - Capítulo 10


Escrita por:


Notas do Autor


❤️Ai gente, dessa vez eu me superei na demora viu...

💜Eu queria me justificar... É que os capítulos dessa história são meio complicados de se escrever. Eu planejei a fic toda, mas ainda existem muitos detalezinhos pendentes, que eu ainda preciso encaixar; e pensar em momentos exatos para a aparição de personagens... Mas me desculpem pela enrolação, de qualquer jeito.

💕Boa leitura.

Capítulo 10 - X - I do not believe


Fanfic / Fanfiction Arquivo X - Jeon Jungkook - Capítulo 10 - X - I do not believe

Washington, Estados Unidos. Sexta-feira, doze dias após o assalto.

EU TIVE QUE controlar a vontade de dar um suspiro, me sentando no tapete que havia na sala de Jungkook, esperando ele voltar com o notebook para podermos assistir as filmagens. O desgraçado do dono da loja tinha sido muito esperto, eu admito; eu e Jeon tínhamos alugado alguns aparelhos para podermos assistir as fitas, mas nenhum conseguia tocar as que nós tínhamos. E apenas depois de analisarmos um pouco, descobrimos que havia um pendrive escondido dentro de cada uma, com as filmagens do dia referente.

Perdemos a manhã inteira rodando por Washington, procurando por alguma locadora que pudesse ter o aparelho necessário para podermos assistir as filmagens, e acabamos apenas perdendo algumas horas que poderíamos utilizar para podermos assistir as imagens. Já tínhamos adiantado aquele momento por tempo demais, por estarmos atarefados com outros assuntos e outros casos; e eu sinceramente não aguentava mais aquela ansiedade toda em ver logo as filmagens. E confesso que eu iria ficar muito chateada se não conseguisse encontrar nada ali; já que aqueles vídeos eram a minha única esperança.

Jungkook apareceu alguns minutos depois, trazendo um notebook e o carregador dele. Colocou o aparelho sobre a mesa, e eu o liguei enquanto ele conectava o carregador na tomada mais próxima —tendo que ter o auxílio de uma extensão. Como o aparelho tinha senha, eu me afastei um pouquinho, fingindo estar entretida com a fita em minhas mãos enquanto o maior digitava a senha, o mais rápido que ele conseguia.

Entreguei o primeiro pendrive à ele, me arrastando para mais perto de forma ansiosa; puxando o relatório para mais perto, procurando pelo primeiro horário marcado por um marca-texto roxo. Passei algumas folhas até finalmente encontrar, e esperei que Jeon conseguisse abrir as imagens no computador para podermos começar a assistir.

— Qual o horário? —Perguntou, olhando para os papéis em minhas mãos, provavelmente buscando o que tinha me perguntado.

— Perto das onze da noite. Coloca por volta das dez horas e acelera um pouco a velocidade. —Ele assentiu, abrindo a filmagem e programando para ser transmitida mais rapidamente, passando a procurar pelo horário que eu tinha informado em seguida.— A compra foi um fuzil 762 e alguns carregadores para uma Ak-47. —Jeon assentiu novamente, se ajeitando ao meu lado enquanto a filmagem passava pelo computador.

Eu me mantive atenta ao vídeo, analisando cada pessoa que se aproximava do caixa; observando o que elas tinham em mãos também, tentando reconhecer a arma pela qual estávamos procurando. Mas a maioria das pessoas comprava apenas algumas pistolas ou balas para isso, raramente alguém aparecia com um rifle, e quando aparecia, não era pelo que estávamos procurando.

Até que por fim, alguém com um capuz preto se aproximou do caixa, e eu rapidamente puxei o computador para mais perto, pausando o vídeo e analisando a arma em suas mãos, e mesmo que a qualidade do vídeo não fosse uma das melhores, eu consegui reconhecer a arma em sua mão; um fuzil 762. Olhei para a outra mão, notando alguns carregadores, que eu não consegui reconhecer pela distância. Comparei os horários, notando que aquela era mesmo a pessoa que nós estávamos procurando.

— Não dá para ver com o capuz... —Jungkook comentou, se aproximando de mim para tentar enxergar melhor, consequentemente nossas coxas se esfregaram; a minha exposta por conta do short que eu usava. Mesmo com o pouco contato, eu senti minha pele se arrepiar, e a sensação se intensificou quando Jeon se apoiou na minha perna, se esticando para poder pegar o relatório que estava do meu outro lado.

Comprimi os lábios, não entendo as reações do meu corpo; até quando uma resposta óbvia apareceu na minha mente, explicando o meu mau humor recente e a vontade absurda de doces. Fiz um cálculo rápido mentalmente, me lembrando de quando minha menstruação tinha vindo pela última vez, e quase suspirei ao perceber que sim, eu estava na TPM.

Sempre era um período um tanto complicado para mim; eu tinha que tentar controlar as mudanças contínuas de humor, tentar me concentrar no trabalho, controlar os palavrões que queriam sair por qualquer mínimo erro ou acidente que acontecia. Além disso, eu ficava muito carente, chorava por coisas mínimas e queria muito ficar com alguém que me fizesse carinho e ficasse comigo —admito, toda a minha pose marrenta desfazia completamente quando eu estava nesse momentos. 

Normalmente, Soo ou Lalisa passavam esse momentos comigo; mas recentemente minhas amigas estavam ocupadas com os próprios problemas —tanto com os trabalhos, quanto com as próprias famílias, já que nenhuma era perfeita, é óbvio. Taehyung também me ajudou algumas vezes, me fazendo companhia por alguns dias, praticamente morando no meu apartamento; podia parecer bobagem, e mesmo que fosse, nós dois aproveitávamos muito os momentos um com outro, e ele ainda tinha paciência suficiente para suportar os meus surtos de raiva, se controlando e tentando me acalmar também.

— Ei, marrentinha... —Jeon estralou os dedos em frente ao meu rosto, tentando chamar a minha atenção. Eu balancei a cabeça, afastando as lembranças do meu passado com o Kim da minha cabeça, voltando a me concentrar no moreno ao meu lado.— Não deu para ver o rosto da pessoa por causa da qualidade, então eu pensei em salvarmos o vídeo, cortar a parte necessária e mandar para o Taehyung, para ver se ele consegue uma qualidade melhor. O que acha?

Hum?! É, pode ser... —Respondi, ainda um pouco avoada. Mordi o lábio inferior, pensando em algo que pudesse me ajudar a ficar mais concentrada no que estávamos fazendo, mas não conseguindo ter nenhuma ideia.— Jungkook, vamos comprar um café? Eu não dormi direito nas últimas noite, mal consigo ficar acordada.

— Eu posso fazer um. Se importa em tomar café caseiro? —Neguei algumas vezes, me levantando junto à ele; murmurando que na verdade eu amava café feito em casa. Fomos até a cozinha de seu apartamento, e Jeon pegou o que seria necessário para fazermos o café enquanto eu puxei uma caneca para poder aquecer a água, tendo sua permissão total para mexer ali à vontade.— Quer algo para comer? Eu devia ter pensado nisso antes, você está trabalhando desde cedo e não comeu nada, nem almoçou.

— Eu aceito algo doce, você tem? —O moreno assentiu, abrindo um dos armários superiores e puxando dois pacotes de biscoito; além de abrir a geladeira, pegando uma barra de chocolate pela metade. Eu quase salivei.

Ajeitamos as coisas para podermos coar o café, ainda esperando a água ferver; e enquanto eu encaixava o coador na garrafa eu senti seus dois braços circulando a minha cintura, e o corpo de Jungkook sendo encaixado atrás do meu, fazendo um arrepio intenso se espalhar pelo meu corpo, sendo acompanhado de uma sensação gostosa, como um frio em meu interior. Contive a vontade de suspirar, me concentrando no que eu estava fazendo; e Jeon pareceu surpreso por eu não ter o afastado, já que soltou um sorriso, que eu pude ver pelo canto do olho.

— Eu jurei que iria levar um murro agora mesmo. —Deu uma risada fraca, não me soltando nem mesmo quando eu me estiquei para pegar o copo com água, passando-a pelo coador.

— Então por que fez? É um imbecil mesmo... —Murmurei, atenta ao café que eu estava fazendo; sentindo seus dedos acariciando minha cintura por dentro da minha blusa, fazendo mais arrepios se espalharem pelo meu corpo.

— Porque eu gosto de ficar perto de você, sua marrenta estraga prazeres. —Foi a minha vez de dar uma risada fraca, colocando as coisas que sujamos dentro da pia. Seu rosto se aproximou do meu pescoço, e eu tive que agarrar a borda da bancada quando seus lábios deixaram um selar carinhoso ali, sem nenhum tipo de segundas intenções; mas o fazer meu corpo entender aquilo, era uma coisa completamente diferente.

— Jungkook... —Apertei a bancada com mais força, sentindo sua respiração bater contra a área úmida do meu pescoço, por conta do beijo recente. Eu estava há meses sem ter qualquer tipo de relação sexual, nem me tocar eu estava tendo tempo; já que toda a minha atenção estava voltada ao meu trabalho, por medo de perdê-lo por qualquer erro idiota. Por conta disso, qualquer mínimo toque parecia ser provocativo, e eu até poderia ignorar e seguir em frente sem deixar aquilo me afetar; mas na semana em que eu me encontrava, era muito complicado eu me segurar.

Hun? —Ergueu o olhar para mim, e eu virei meu rosto; encontrando suas íris negras e intensas frente a frente comigo, me encarando de uma forma que me fez estremecer internamente. E eu achando que ele estava agindo de forma inocente; Tsc...!— Você está toda arrepiada marrentinha, isso é por minha causa? —Eu praguejei baixinho, amaldiçoando aquele garoto mentalmente algumas vezes, resmungando que ele era um abusado.— Por que não me dá um beijinho, hun?! 

— Porque eu não quero. —Certo, talvez eu estivesse mentindo, e muito; mas eu não iria me deixar levar pelos seus malditos encantos, não mesmo. Tínhamos trabalho à fazer, e eu não podia me desconcentrar e acabar perdendo mais algumas horas; eu queria Jeon, naquela situação eu o queria mais do que nunca, mas eu não iria me render, pelo menos não tão facilmente.

— Eu sei que você quer gatinha, seu corpo te entrega... —Deslizou uma das mãos pelo meu braço exposto, já que eu tinha retirado a jaqueta assim que entramos.— Vamos sua marrenta, é só um beijo... —Seus lábios roçaram no meu ombro, passando a dar beijos suaves ali, me atiçando.

— Aí que está nosso problema. —Sussurrei em resposta, tendo certeza de que ele tinha ouvido quando notei seu sorriso contra a minha pele. Levei o meu olhar para o dele novamente, e antes mesmo de eu perceber o que estava acontecendo, Jungkook levou seus lábios até os meus; firmando o aperto em minha cintura e me fazendo dar um giro, pressionando meu corpo contra a bancada; subindo uma das mãos até a minha nuca, movendo seu corpo contra o meu.

Segurei sua nuca com firmeza, o puxando para mais perto; retribuindo seu beijo afoito, sentindo sua língua se esfregar na minha, desejosa e sensual, me fazendo quase suspirar. Jeon deslizou sua mão pelo meu corpo, me dando um impulso quando alcançou minha coxa; me colocando sentada na pedra atrás de mim, consequentemente empurrando a garrafa de café que nós havíamos acabado de fazer e mais algumas outras coisas que haviam ali.

Dei um suspiro, sentindo sua boca soltar a minha; sua mão que estava na minha nuca deslizou até meu pescoço, e seu polegar chegou ao meu queixo, empurrando minha cabeça para trás de uma forma nada calma. Agarrei seu corpo da forma que era possível, deixando o maior encaixado entre as minhas pernas, o mais próximo possível do meu corpo; sentindo seus lábios descendo pelo meu pescoço, que estava completamente exposto.

Eu senti suas mãos apertando meu corpo fortemente, de uma forma extremamente gostosa, ao ponto de quase me fazer gemer apenas com aquilo; e dentes passaram a ficar presentes contra a minha pele, me mordendo com vontade, provavelmente disposto a deixar marcas.

— Jeon... Céus... —Arfei, abraçando seu corpo com minhas pernas, tendo ciência de que estávamos perdendo o controle; mas não me importando nem um pouco com aquilo, pelo menos não naquele momento. Sua mão apertou minha coxa, enquanto a outra levou ainda mais a minha cabeça para trás, desta vez usando meu cabelo para fazê-lo; e sua boca capturou minha pele em chupão forte. O gemido que escapou da minha garganta foi incontrolável; misturando a dor e o prazer, demonstrando o quanto eu estava gostando.

Porém, Jungkook pareceu entender errado, já que se afastou no mesmo segundo, me encarando completamente ofegante —não muito diferente de mim, confesso. Eu voltei minha cabeça ao normal, encontrando seus olhos sobre mim, parecendo preocupados. Ainda um pouco bagunçado, ele se afastou ainda mais, deixando de me tocar e coçando a própria nuca, parecendo um pouco envergonhado.

— O que foi? —Perguntei, levando minhas mãos até seu rosto, estranhando sua mudança de humor repentina.

— Não posso. Não agora. —Eu franzi o cenho, um pouco confusa; levando em conta que da última vez que nos beijamos, ele era quem estava dizendo que queria me foder.— Eu só... Não posso fazer isso com você agora, okay?! Por favor, não fique chateada.

— Jungkook, eu jamais ficaria chateada por conta disso... —Soltei um sorriso, tentando acalmá-lo.— A frase "cada um tem o seu tempo" não se refere apenas às mulheres. Se você não querer, eu nunca iria te obrigar. Continuamos se e quando você se sentir completamente à vontade. 

— Obrigado por entender... —Dei uma risada fraca, apenas assentindo.— Vem. —Me estendeu sua mão, me ajudando a descer da bancada; zombando baixinho da minha falta de altura em seguida. Pegamos as coisas que estavam ali, além de duas canecas para podermos tocar o café; e caminhamos até perto do computador novamente, nos sentado no chão com algumas comidas ao nosso redor.

Voltamos a assistir as fitas, procurando pelos momentos exatos —de acordo com o relatório; e observando quem se aproximava no caixa quando os horários batiam. Ficamos horas naquilo, e eu estava morrendo de sono, tendo ciência de que eu não tinha dormido nada nos últimos dias e ainda tinha um compromisso marcado para essa noite, que também envolvia esse maldito assalto.

Então, lentamente, eu percebi as quatros canecas de café que eu tomei começarem a perder o efeito. Estávamos na décima filmagem, demorando até mesmo uma hora em algumas, voltando diversas vezes, analisando rostos e o que eles levavam, tentando reconhecer aquele maldito rosto; eu já não aguentava mais olhar para aquela tela, estava caindo de sono para os lados, piscando os olhos para tentar me manter firme. Mas então, em algum momento, foi mais forte do que eu. Apoiei minha cabeça no ombro de Jungkook, praticamente dormindo antes mesmo de terminar de me encostar. Consegui sentir, antes de ser completamente entre ao sono; quando ele se moveu um pouco, me fazendo deitar a cabeça em seu colo, deslizando uma das mãos até minha nuca, em um cafuné que me fez dormir ainda mais rápido.

Eu não tenho a mínima ideia de quanto tempo se passou, de quantas filmagens Jeon tinha assistido e se tinha descoberto algo relacionado à pessoa que estava fazendo as compras; mas eu acordei sentindo um carinho em minha bochecha, seguido de um selar na minha testa. Pisquei os olhos por alguns segundos, me sentindo perdida com a típica lerdeza pós sono; e me levantei com cuidado, olhando ao redor e coçando os olhos, me perguntando mentalmente o que estava acontecendo.

— Eu te disse para não ficar sem dormir por tanto tempo... —Ele comentou, sorrindo para mim; enquanto eu ainda estava levemente perdida, embriaga pelo sono.

— Eu apaguei completamente. Me desculpa mesmo. —Murmurei, envergonhada por ter dormido enquanto ele ficava trabalhando, completamente concentrado naquilo.

— Não tem problema. Eu já tinha notado que você estava cansada; está há noites sem dormir, era esperado que acabasse pegado no sono. —Deu um sorriso tranquilizador, que eu retribuí, sorrindo fraquinho e me ajeitando no chão; sentindo uma dor insuportável nas costas por conta da posição que eu havia dormido.— Te acordei porque Taehyung respondeu. Ele disse que conseguiu ampliar a imagem sem piorar ainda mais a qualidade. Acabei de mandar para o computador; queria que você visse junto comigo.

Oh! Obrigada por me acordar então. —Agradeci, coçando os olhos mais uma vez, buscando a garrafa de café com os olhos enquanto Jungkook abria o vídeo recebido no computador, ajeitando as coisas para podermos ver. Me servi um pouco de café, ansiosa para finalmente descobrir ao menos uma das pessoas que estava por trás daquele maldito roubo.

Me virei para a tela, assistindo com calma, percebendo que a imagem já estava levemente ampliada. A pessoa com o capuz se aproximou, trazendo apenas carregadores desta vez; o vídeo foi pausado e ampliado ainda mais, e eu quase cuspi todo o café presente na minha boca ao reconhecer o rosto feminino. Arregalei os olhos, puxando o notebook para o meu colo e empurrando a tela para trás, completamente desacreditada.

— Puta merda...! —Murmurei, cobrindo minha boca; sentindo minha garganta seca, não acreditando que eu havia sido traída daquela forma.

— Eu não acredito! E eu ainda estava suspeitando da Soo... —Jeon exclamou, tão desacreditado quanto eu; já que a garota na filmagem fazia parte do nosso grupo.

Lalisa Manoban; a garota que era como uma irmã para mim.


Notas Finais


❤️Lalisa... Para quem estava suspeitando da Soo KAKKAKkkzkakakskskakK, aiai... Eu avisei que ela era inocente!

💜Uma das trinta mil pessoas do assalto foi revelada, quem amou? Kaksksksksm, mas a estratégia da S/n para conseguir o resto vai ser INCRÍVEL, vocês vão ver!

🖤E agora uma parte da personalidade do Jeon que vocês não conheciam... Por que vocês acham que o JK não quis ir adiante, hun?!

Xoxo, Juh 💕


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...