1. Spirit Fanfics >
  2. Arranged Marriage - NaruHina >
  3. Capítulo Oito

História Arranged Marriage - NaruHina - Capítulo 9


Escrita por:


Notas do Autor


E
A
E
GALERA KSJDKDKD

Capítulo 9 - Capítulo Oito


Hinata

Enquanto estava escolhendo um vestido pela manhã, Naruto literalmente roubou cada peça curta e só deixou as minhas calças jeans e minhas blusas de frio, em plena dez e meia da manhã, ele nem da cama queria sair direto.

Brigamos, brigamos feito crianças para ver com que roupa eu ia e no fim, acabei colocando uma calça, botas e uma blusa de frio bem grossa, deixei meus cabelos soltos para poder proteger minhas orelhas já que ele queria porque queria que eu usasse uma touca e, quando ia sair do quarto e finalmente pegar o carro para ir até a casa dos meus pais, Naruto me faz voltar com sua manha.

Esse homem é uma criança super gigante!

Queria um beijo antes que eu saísse e, com seu bico exagerado, beijou minha boca apaixonadamente, me fazendo suspirar em alegria e vergonha porque, nenhum homem tinha me beijado assim antes, estou vivendo tudo isso pela primeira vez enquanto ele já teve a sua chance.

E falar nisso... Enquanto ele me contava toda aquela história sobre a Shion, me perguntei como ela era com ele, se o que tinham era sério, se realmente a amava mas enfim, são coisas que tenho que perguntar diretamente para ele e não ficar tentando adivinhar; peguei as chaves do carro no escritório dele e fui para fora da casa, e realmente, está um frio de me deixar encolhida e numa espécie de bolota, fui correndo para o sedan e logo entrei.

Na minha família, todos tem que saber dirigir, sem excessão e, assim que cheguei na idade correta, meu pai me levou para a autoescola; na sua visão, por mais que sejamos podre de ricos com as suas conquistas e propagandas na tv sobre uma cidade melhor, ele preserva o bom trabalho manual, preserva a inteligência e o modo como a usamos e, tudo que tenho a dizer é que inveja da minha irmã mais nova, a Hanabi.

Ele sempre a deixou escolher tudo, desde quando era um simples bebê babão já comigo, esteve no controle até o dia do meu casamento e sinto que ainda está, com certeza ele está. Assim que chegar por lá, vou ser bombardeada com perguntas sobre o meu casamento e de forma ímpia, vai me perguntar se estou grávida e, se por algum motivo ele descobrir que estamos usando um método contraceptivo, ele vai me matar.

Sempre desconfiei de algo a mais nessa aliança política.

De repente, os dois resolvem não serem mais inimigos e sim aliados e, logo em seguida, surge o primeiro motivo: um casamento arranjado e muito rápido e, com aquilo que ouvi da minha mãe sobre o quarto dos bebês e quando eu mesma vi, só pude concluir o óbvio: eles estão usando o Naruto e eu para gerar frutos para essa política podre.

Sei que talvez esteja sendo grossa com tudo isso mas sinto que estou me dando bem com o meu marido e, se um dia chegarmos a nós amar perdidamente, gostaria de fazer amor e ter os nossos filhos porque queremos e não porque nossos pais acham que devemos fazer, isso é tão absurdo quanto um pato dançando no festival de outono, é ridículo.

Estaciono o carro na frente da enorme porta de vidro, assim que saio, escuto a música clássica invadindo os meus ouvidos, fecho a porta com cuidado e me aproximo devagar, Hanabi está tendo aula de piano e minha mãe está a observando da escada; fico olhando pelo lado de fora e sorrio, ela sempre foi boa com a música, assim como eu.

Mas, minha atenção e cortada e dirigida para a minha mãe que recebe uma surpresa quando meu pai chega por trás dela e a pega na cintura, os dois abrem um sorriso cúmplice e minha mãe, como sempre delicada, lhe dá um beijo no rosto; esse momento que estou presenciando, me deixa encantada e surpresa, nunca vi meu pai tratar a minha mãe desse jeito, com carinho, ele sempre aparece de forma tão dura e assustadora que sempre pensei que ele a tratava da mesma maneira que comigo.

Mas não... Eles se amam, muito mesmo.

Hanabi toca as notas finais e a professora encerra a aula, meu pai bate palma para ela e eu me aproximo da porta, a abrindo devagar e antes de entrar, bato meus pés para tirar alguma sujeira; minha mãe me olha com comoção e sorri, já meu pai só balança a cabeça e minha irmã corre até mim, me grudando num abraço bem apertado.

- Hina, achei que nunca mais voltaria! - tentei acariciar suas costas mas não consegui, acabei soltando um sorriso mesmo.

- É... Naruto está um pouco mole para sair da cama então, vim até aqui, mas prometo que vamos conversar mais tarde, tudo bem? - ela murmura algo mas não consigo ouvir.

Minha irmã me solta e caminha até às escadas, da um tchau fofo para os meus pais e eu me aproximo do sofá, eles logo vêem até mim e nos sentamos juntos, nem o casaco quis tirar, estou com bastante frio mesmo.

- O que aconteceu, querida? Naruto está doente? - pergunta minha mãe preocupada.

- Não, não! - digo. - Ele só está com preguiça mesmo, muita. - a tranquilizo e meu pai sorri baixinho.

Uau...

- E então, como estão as coisas? Estão realmente se conhecendo? - pergunta logo em seguida e eu me viro para ele.

- Sim, estamos, fizemos muitas coisas juntos. - comento e meu pai concorda apenas balançando a cabeça.

- Presumo que tenha vindo contar algo, então? Está grávida? - eu sabia...

- Hiashi! - diz minha mãe o advertindo. - O que foi, filha? - coço a garganta um pouco e suspiro.

- An... Estamos com um problema que o senhora pode ajudar, Naruto meio que está em atrito com uma amiga e ela se recusa a ouvi-lo, o que fazer nesses momentos? - meu pai suspira.

- Estarei no escritório. - se levanta e começa a andar como um velho de oitenta anos.

Nossa papai, obrigado pelo apoio.

- Não ligue, você sabe como ele é. - sorrio tímida e ela se levanta, sentando do meu lado. - Uma amiga... É a sua antiga namorada? - a olho com espanto.

- Mãe... - murmuro e seu sorriso aumenta.

- Está com ciúmes, minha filha? - aperto os olhos e suspiro.

Não sei bem o que responder, fiquei um pouco confusa com toda essa história e incomodada também, estávamos andando no shopping de forma relaxante e ela apareceu do nada, fez toda aquela gritaria e acabou estragando o nosso programa de mais tarde, vi o por do sol sobre o som de sua explicação, não era o que eu queria.

- Não sei, mamãe, mas... Só quero resolver tudo isso. - sua sombrancelha sobe e logo sua mão vai para o queixo, de forma pensativa.

Adoro esse jeito dela, adoro mesmo.

- Bom querida, se a garota não quis ouvir o que ele tem a dizer, significa que não se importa tanto assim com a explicação e, se um dia, ela o procurar novamente, seja sincera e a explique tudo. - murmura. - Quando se tem um casamento como o nosso, de forma arranjada, temos que estar sempre fortes e prontas para reclamar os nossos maridos, geralmente os homens são mais desavergonhados do que as mulheres. - sorri de forma nostálgica e eu a acompanho.

- Então... Não mexemos com ela até que ela venha até nós outra vez, é isso? - pergunto confirmando.

- Isso, querida, as vezes ficar remoendo algo do passado, só trás complicações para o futuro. - sua mão vai para o meu cabelo me acariciando.

Hmm... Deixar no passado...

[...]

A conversa que tive com a minha mãe acabou com todas as minhas dúvidas sobre esse assunto, talvez esteja certa, se a Shion se negou a ouvir e preferiu apontar o dedo e criticar o Naruto, ele não pode fazer muita coisa mas, de certa forma, ser culpado por algo que você não fez, é revoltante.

Me encolho novamente igual a uma bolinha e vou correndo para dentro da minha casa, abro as portas mais rápido do que um relâmpago e entro; me viro e começo a esfregar minhas mãos, depois que tirar tudo isso, vou até a cozinha fazer um chocolate quente, Naruto ainda deve estar na cama.

- Senhora? - me viro para o lado e vejo Samui estendendo as mãos. - Me de seu casaco, ah, o Senhor e a Senhora Uzumaki estão na sala de visitas. - murmura e eu aperto meus olhos um pouco.

- Hm... Sim, muito obrigado... An... Poderia fazer chocolate quente, por favor? - peço com um sorriso e ela concorda.

Diferente da casa do meu pai, a nossa tem um pequeno corredor antes que entramos de fato, no espaço aconchegante e, depois de atravessa-lo, dou de cara com o meu sogro e a minha sogra sentados em um dos sofás, logo em seguida, vejo Naruto todo encolhido na poltrona enquanto balança a cabeça de forma monótona.

- Hinata, querida! - diz Kushina e eu sorrio me aproximando.

- Oi, que bom ver vocês por aqui. - ela me abraça e logo em seguida o Sr. Namikaze faz o mesmo.

Caminho até o loiro e de imediato ele me abraça, está exagerado igual de manhã; solto uma risada fina e acaricio seus cabelos, logo viro minha atenção para os mais velhos e eles estão olhando em apreciação para nós dois.

- Bom, está bem frio lá fora, por onde estava? - pergunta de forma gentil a ruiva e eu sorrio.

- Fui visitar meus pais, como Naruto está um pouco... Mole, acabei pegando esse tempo e indo lá. - Minato sorri e encara o filho.

- Vejo bem, está com esse cobertor desde que chegamos aqui. - murmura e Naruto se defende.

- Não gosto do frio, pai. - aperta mais os seus dedos na minha cintura e suspira. - Então, o que estava prestes a dizer? - pergunta e eu fico atenta.

- Sim, a festa. - comunica. - O diplomata, Sr. Otsutsuki vai fazer uma festa para comemorar o aniversário do filho, Toneri, vocês vão ter que ir. - esse nome...Viro meu rosto para Naruto e ele está fazendo o mesmo na minha direção, seus olhos avaliam os meus e eu avalio os dele.

- Por que temos que ir, não somos ligados a família deles. - murmura o loiro e o seu pai suspira.

- Mas eu sim, além do seu pai, Hinata. - levanto a sombrancelha ainda surpresa. - Então, se preparem para esse fim de semana, estamos entendidos? - pergunta para nós dois mas o seu olhar está só no Naruto.

- Mas pai... - o homem suspira irritado. - Tá bom, entendemos. - murmura puto da vida.

Então, a conversa com a minha mãe, sobre deixar tudo no passado, parece ter sido em vão, se vamos a essa festa junto da nossa família, provavelmente vamos ver aquela garota por lá, e esse tal de Toneri, Naruto falou seu nome quando estávamos no shopping; balançamos a cabeça concordando com alguns detalhes que falaram e logo eles se levantaram, se despediram de nós e saíram de nossa casa como se aquela conversa não tivesse existido nunca.

Kami-sama, que dê tudo certo nessa festa.


Notas Finais


Até maaais!!



Desculpe pelos erros!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...