História Arranhões - Capítulo 1


Escrita por: e yerifleur

Postado
Categorias EXO
Personagens Chen, Xiumin
Tags Chenmin, Exo, Fluffy, Hybrid, Xiuchen, Xiuchenworld, Yaoi
Visualizações 265
Palavras 2.133
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ficção Adolescente, Fluffy, Universo Alternativo, Yaoi (Gay)
Avisos: Homossexualidade
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Iai, essa é a minha primeira oneshot do projeto e eu to bem aaaaaaaaa pq eu demorei pra fazer (???) mas eh isso

essa é minha primeira fic com híbridos e o meu medo de não estar bom é real.

agradeço a @tokisaki pelo plot maravilindo ♡

Capítulo 1 - Capítulo Único


Junmyeon tinha um bom coração, gostava de cuidar de híbridos e claro, mesmo que já tivesse um, não ligaria em ter mais um em sua “humilde” casa. Minseok, seu primeiro híbrido gato era um tanto arisco, não gostava de ver Junmyeon com outros híbridos e sendo um amor de pessoa que é com outras pesele,s sem ser ele, um bom ciumento, só que odiava mais ainda o fato de Junmyeon ter trago um híbrido de cachorro naquela noite.

O Kim havia visto o híbrido de cachorro abandonado na rua, não havia aguentado o ver ali encolhido no canto do beco que havia passado, e sem mais  nem menos o convidou para ficar em sua casa para que Junmyeon cuidasse de si, claro que o híbrido, Jongdae, não iria negar; havia sentido o seu “instinto” de cão interior apitar dizendo que aquele homem era alguém bom e que não o faria mal algum como outras pessoas que o viam sofrendo dias e dias na rua.

De fato, Jongdae achou que Junmyeon seria alguém humilde, com não muito dinheiro, mas havia se enganado totalmente com aquele pensamento, após chegarem na casa do Kim viu que ele não era alguém com pouco dinheiro, pelo contrário Junmyeon era uma pessoa podre de rica e que aquela “casa” poderia ser facilmente confundida com um castelo na parte rica de Seul.

— Seja bem-vindo, Jongdae. — sorriu, abrindo a porta para o híbrido que estava de queixo caído com todo aquele luxo que nunca havia visto na vida.

Viu as empregadas e mordomos, juntamente de um outro híbrido que encarava o dono com olhos brilhantes — não vendo que havia alguém de novo ao seu lado —, Minseok estava feliz por saber que finalmente Junmyeon estava de volta para poder ficar com ele por um longo tempo, mas assim que notou mais alguém ao seu lado, seu sensor deu sinal, ele não havia gostado de Jongdae, o seu santo não havia batido com o do outro híbrido.

Ambos ficaram se encarando e Junmyeon acabou sorrindo com aquilo, os dois não haviam se dado bem e era de se esperar de alguém como Minseok, ele havia sido muito mimado por ser o único híbrido na casa e agora que teria mais alguém do seu lado, ele não aceitaria tão fácil.

— Esse é Jongdae, espero que possam se dar bem. — sorriu.

Os seus dias ficariam mais divertidos a partir daquele dia, seria engraçado ver as vezes que o doce Jongdae tentaria se dar bem com Minseok, pois mesmo que ele não tivesse ido com  cara do outro, não significava que Jongdae não tentaria algo para se aproximarem e, consequentemente, serem bons amigos por conta de uma única pessoa que haviam os “juntado” e esse alguém era Junmyeon, mas claro, nada seria fácil, ainda mais quando se tratava de Minseok.

De primeira Minseok achou que ainda dormiria em seu quarto sozinho, mas no fim estava errado, o dono levou Jongdae para conhecer seu quarto e sua feição de irritado se fez presente no momento em que viu aquela atrocidade, não tinha como Junmyeon estar se tornando uma pessoa horrível agora, era isso que o mesmo pensou ao vê-lo levando o “cachorro” para seu quarto.

Jongdae dormiria em uma cama do lado da de Minseok e agora Junmyeon ficaria no quarto dos dois até que pegassem no sono, já que de uma forma ou de outra queria que os dois fossem amigos e que Jongdae se sentisse bem, já que agora viveria uma realidade totalmente diferente.

Na hora do jantar Jongdae se sentiu nos seus sonhos vendo aquelas inúmeras comidas em cima da mesa e que eram apenas para três pessoas. Sentou-se ao lado de Minseok, e não havia ligado para nada quando Junmyeon avisou que poderia comer a vontade pois estava em sua casa. Apenas iniciou seu momento de glória, se alimentando como nunca havia se alimentado na vida.

— Está comendo demais! — resmungou Minseok, arranhando o braço de Jongdae que não havia sentido tanta dor com aquele arranhão.

— Jun disse que eu poderia comer a vontade, então fique quieto. — respondeu com a boca cheia.

— Engula primeiro. — alertou Junmyeon enquanto comia tranquilamente.

Aquele jantar havia se resumido em dois híbridos brigando e um Jongdae todo arranhado no braço, não havia ligado muito já que estava feliz comendo tudo aquilo que teria em sua vida agora. Após a comida ter descido, foi tomar um banho e colocou uma roupa confortável que Junmyeon havia dado para ele, e foi para a sua nova cama. Minseok também já se encontrava na sua própria cama, e Junmyeon havia chegado no quarto para ficar conversando com os dois até que o sono em ambos batesse, não demorando muito para que Minseok fingisse sentir sono para que Jongdae também sentisse o verdadeiro sono; Junmyeon saiu do quarto quando viu que Jongdae estava com os olhos quase se fechando.

Quando o híbrido de cachorro pegou no sono, Minseok se preparou para ligar a luz do quarto, ali estava uma bagunça e aquilo o irritava. Iniciou sua arrumação pelo quarto, e guardou as coisas de Jongdae em sua parte do quarto com muito desdém já que era o “belo adormecido” quem deveria fazer isso.

Com alguns breves barulhos que Minseok fazia, Jongdae acabou acordando de péssimo humor, odiava aquilo com todas as forças.

— Por que está arrumando aqui a essa hora? — perguntou.

— Bagunça me irrita, e você é um idiota que não sabe arrumar as próprias coisas. — respondeu, não olhando nos olhos de Jongdae.

— Isso se chama frescura, e eu sei arrumar sim. — inflou as bochechas.

— Não sabe não, olha essa bagunça, seu babaca. — começou a se irritar.

— Não me chama de babaca se é você quem é. — retrucou.

— Babaca! — arranhou o rosto de Jongdae que acabou sangrando com aquele ato.

O híbrido de cachorro acabou entrando em modo de defesa, começou a encarar Minseok com ódio e o mesmo se preparava para arranhar Jongdae novamente. Agora ambos estavam esperando uma forma de atacarem um ao outro, nenhum dos dois estava com paciência, e com certeza acordar Jongdae não foi algo bom já que o cachorro fora pacífico esse tempo todo com Minseok, havia o deixado arranhar seu braço o jantar todo, e agora havia o irritado além da conta.

Sem pensar duas vezes, Minseok acabou arranhando o rosto de Jongdae de novo, e o mesmo fez a mesma coisa com Minseok, que miou de dor já que Jongdae era um tanto mais forte que si, e era por essa e outras coisas que Jongdae escolheu ser calmo com Minseok, ele era frágil e tinha medo de o machucar e no fim Junmyeon o mandar embora de sua casa.

Antes mesmo que os dois terminassem aquilo que haviam começado, Junmyeon entrou no quarto de braços cruzados, os dois híbridos se encolheram pois sabiam que estavam encrencados.

— Nem adianta virem com essa carinha de quem não são culpados, dava pra ouvir vocês do meu quarto e não era nem para estarem acordados. — reclamou. — Minseok e Jongdae, vocês estão encrencados, amanhã quando acordarem quero ter uma conversa com os dois e espero que vão logo dormir e que eu não precise voltar aqui. — declarou.

Os dois assentiram e foram para a cama sem nem se olharem, estavam se sentindo tristes por terem deixado Junmyeon irritado com os mesmos e sabiam que eram culpados por isso, era para estarem dormindo, mas estavam ali, brigando entre si para saberem quem era o babaca da situação e na verdade era simples aquela resposta, eram ambos pois Junmyeon amava os dois de forma igual para igual e não tinha motivo para que eles brigassem, Minseok não deveria ter sido daquele jeito com o novo hóspede da casa, teria que já ter se preparado para aquela situação já que sempre comentou sobre aquilo com o mesmo e isso o chateou assim como o fato de Jongdae ter o desobedecido quando disse para não entrar no jogo de Minseok.

No dia seguinte os híbridos acordaram uma da tarde, após acordarem e fazerem a rotina normalmente e já terem comido — sem Junmyeon —, e logo foram para o jardim, encontrando lá o Kim sentado lendo um livro tranquilamente.

Junmyeon notou os dois e logo tratou de largar o livro que estava lendo, precisava fazer aqueles dois se darem bem de um jeito ou de outro.

 

— Podem sentar os dois. — ordenou. — Vamos começar, quando eu trouxe o Jongdae, Minseok, eu não esperava que você fosse gentil, mas esperava mais. Jongdae, quando o trouxe para cá, expliquei detalhadamente de como era meu outro híbrido, e você disse que estaria tudo bem e que sabia lidar, mas não soube. Os dois começaram a brigar no meio da noite quando achei que estavam dormindo, sei do problema de limpeza que Minseok tem, mas o que os dois estavam fazendo, se arranhando, machucando um ao outro, é errado e espero que a partir de hoje seja diferente. — terminou.

Jongdae e Minseok ficaram em silêncio, Junmyeon tinha total razão sobre aquilo e aceitaram sem o questionar, respiraram fundo e saíram dali para deixarem o Kim tranquilo.

Os dois foram até a sala em silêncio, Minseok tinha que dar um jeito em si mesmo já que ele foi um dos primeiros que acabou causando aquilo, precisava melhorar e como queria Junmyeon feliz, deveria se dar bem com Jongdae de uma forma ou de outra.

— Deveríamos fazer uma trégua. — sugeriu.

— Concordo.

 

Com desdém, Minseok levantou a mão para que Jongdae a aceitassem em sinal de trégua, mas o que ele havia feito havia sido algo totalmente diferente do que imaginava. Como um tratado de trégua, Jongdae havia dado em beijo na bochecha de Minseok, e havia dado um sorriso para ele.

Com a inocência no olhar de Jongdae, Minseok se sentiu fascinado por aquilo no outro híbrido, aceitou aquilo de consciência pura não se arrependendo de nada, pois se não fosse por seus arranhões e sua carranca, nunca teria vivido aquele momento com Jongdae.
 


~ xcw ~

 

Com o tempo, a dupla de híbridos se acostumou com a presença de cada um, já não estavam brigando como antes, e de certo pareciam mais amáveis um com o outro. Na visão de outras pessoas era algo adorável de se ver, mas para Junmyeon era estranho já que nos primeiros dias em que Jongdae chegou na mansão, Minseok fora alguém extremamente bravo com a presença de outro híbrido no local, mas no fundo Junmyeon se sentia feliz por vê-los se dando tão bem.

 

No jardim daquela mansão, Minseok comentava com Jongdae alguns esconderijos da casa para quando um deles estivesse brigado com Junmyeon ou quisesse tranquilidade, era estranho pensar daquela forma; ainda mais quando aquele lugar emanava tranquilidade, mas pequenas coisas irritavam aqueles híbridos, como a constante barulheira que os empregados causavam limpando a casa, por possuírem a audição extremamente “potente”, e no fim acabavam sendo prejudicados.

 

— Você vem aqui direto, não é? — Jongdae perguntou, sentando-se no gramado.

 

— Com certeza, ficam com aquele aspirador de pó que faz um barulhão no meu quarto, e é horrível. E quando tem festa, soltam fogos de artifício. — se chateou ao se lembrar das incontáveis vezes que choramingava com os acontecimentos.

 

— Eu sofria com os fogos quando fui abandonado, em ano novo eu tentava me afastar da cidade o mais rápido para não ouvir os fogos, não adiantava tanto, mas isso era bom pra mim. — comentou.

 

— Onde você ficava antigamente? — perguntou Minseok, sentando ao lado de Jongdae, a cauda clarinha balançando suavemente no ar.

 

— Em uma casa quase que do tamanho da sala de estar, meu antigo dono não tinha tanto dinheiro, mas se esforçou para cuidar de mim. Só que no final nem ele me aguentou, e me tirou de casa. — lembrou-se da época em que fora desejado do único lugar que conhecia naquela região.

 

O dono não teve dó ao retirar Jongdae de casa, não queria se preocupar em cuidar de mais alguém como antes, e o Kim sempre deu um extremo trabalho com a comida e com várias outras coisas, estava sendo impossível, porém sabia que aconteceria aquilo e não teve responsabilidade.

 

— Mas agora você vai ficar muito feliz aqui. — Minseok abraçou Jongdae de lado, e assim lhe deu um beijo na bochecha fazendo-os corar.

 

— Sim, pois agora eu tenho Junmyeon e você. — as orelhinhas de Jongdae se levantaram e seu rabo balançou fortemente, demonstrando sua felicidade.

 

— Te amo Dae, demais! — um sorriso tímido apareceu nos lábios de Minseok.

 

— E eu te amo mais, Minmin. — Jongdae deu um selinho em Minseok.


Notas Finais


Espero muito que tenham gostado e eu, novamente, agradeço pelo plot ♡


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...