História Arranjado - Capítulo 9


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Bangtan Boys, Imagine Bts, Imagine Suga, Suga
Visualizações 226
Palavras 1.227
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Festa, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oi gente, não me matem por favor! Eu quase desisti de escrever essa fanfic, porém, decidi continuar ela por vocês. Estou passando por uma fase difícil é pra quem ainda não tem conhecimento de tudo que está acontecendo, eu tenho uma fanfic (Sob o Azul deste céu) onde eu desabafo um pouco falando sobre tudo que ocorreu comigo este ano e tudo que me fez ficar mal.
Enfim, me desculpem qualquer erro e pelo capítulo pequeno. Prometo recompensar no próximo ok? Boa leitura e obrigada a todos que me apoiaram. (E SIM, MUDEI MEU USER)

Capítulo 9 - Desabafos


Fanfic / Fanfiction Arranjado - Capítulo 9 - Desabafos

  Acho que uma das piores coisas que aconteceram na minha vida, fora ter deixado meus pais me forçarem a esse casamento arranjado. Não estou reclamando, longe disso. Apenas queria desabafar, colocar todas as minhas angústias para fora, até não restar absolutamente nada que me abalasse. Até que eu tivesse alguém que me ajudasse, me desse uma luz ou simplesmente, me fizesse enxergar o certo. Se bem que enxergar a realidade, o certo, no agora, era completamente devastador.

Min Yoongi estava internado.

Parece que ele teve uma hemorragia, não sei ao certo, já que não me deixaram o ver. Pelo que soube, corria riscos de ficar um bom tempo em uma cadeira de rodas.

Eu só queria o ver. Era tão difícil assim? Caralho eu sou a noiva dele, tenho que ter pelo menos algum privilégio. Mas não, sequer existia isso. As possibilidades de ver Min Yoongi estavam se esgotando, junto de minha paciência. Pode-se apostar que se eu pudesse, entraria por aquela sala, sem me importar com protestos ou consequências. É pessoal, o Min é mais importante para mim do que eu poderia imaginar. Chega a ser engraçado tanta aproximação em tão pouco tempo, tanto sentimento envolvido. Eu não conhecia seu interior, não conhecia seus gostos, suas comidas favoritas e nem nada do tipo. Ele era fechado demais e eu, desinteressada demais.

O medo tomou conta de mim quando pensei que poderia o perder. Na sabia a gravidade de seus ferimentos, era uma merda estar desinformada. Aposto que a família de Yoongi me culpou sobre o ocorrido, acabando por proibir os médicos de dar nem que fosse uma mínima informação. Que cara de pau. Lee era bem mais importante não é? Por que não o colocaram para se casar com ela? Talvez seja por falta de influência financeira, já a personalidade falsa dela era o que fazia com que gostassem dela. De minha parte, apenas gostavam do dinheiro. Eu só conseguia pensar naquele ditado, "rindo pra não chorar" porque estava difícil. Suga mudou muito ultimamente, porém, sua família continuava a mesma e, temo em acreditar que seus pais nunca gostaram de mim. Era ridícula o forma como tratavam o próprio filho como uma mercadoria, para conseguir cada vez mais dinheiro, sem se importarem com sua felicidade. Ele podia ser rude, ter seu jeito único, mas ainda sim, merecia ser feliz. E, se eu for realmente a escolhida para passar a vida ao seu lado, farei o possível para que a felicidade esteja ao seu alcance todos os dias.

Havia uma certa turbulência de pensamentos em minha mente, tais que me fizeram não perceber a presença de meus pais no recinto, estes que me acordaram de pensamentos obscuros ao tocarem meu ombro. Foi então que percebi, eu chorava.

- Querida, está tudo bem? - perguntou meu pai ao se aproximar. Naquele momento, eu soube que haveria o apoio. Observar as faces preocupadas daqueles que me deram a vida era uma espécie de colírio para meus olhos. Então me permiti jogar-me em direção à ambos, que se assustaram de início, me abraçando logo em seguida. O abraço era caloroso, calmo e que transmitia uma paz incomparável para meu coração. Eu estava feliz por ambos estarem alí, por se importarem. Então eu chorei. Era como se estivesse voltado à minha infância, onde chorava por um simples corte ou joelho ralado. E eu realmente queria ser criança novamente. Não queria estar cercada de toda a maldade daquele mundo, de toda a injustiça e ganância. Apenas queria me jogar nos braços de meus pais e relembrar os momentos bons, onde eu apenas presava e enxergava a inocência e infantilidade do mundo. Eu era cega por estar envolta de tanta ganância e apenas fui perceber isso, quando pensei que já era tarde demais.

- Eu… não tive notícias dele pai.

- Como assim?

- Não me falaram sobre o estado dele. Eu não sei nem se ele está vivo - respondi com a voz embargada, encaixando minha cabeça na linha do pescoço de minha mãe, enquanto sentia seu cheiro doce que, antes era capaz de me acalmar. Agora, eu apenas queria abraçar o Min e sentir seu cheiro amadeirado enquanto acariciava suas madeixas. Era uma realidade incapaz de se alcançar. Eu apenas podia chorar e esperar, implorar que alguém me desse notícias daquele que já havia tomado meu coração.

- Ei querida, se acalme sim? Vamos falar com os Min's e saber se eles possuem alguma notícia - disse a mais velha, passando o polegar por minha bochecha, em um carinho inofensivo - Por ora, não chore. Vai ficar tudo bem, Min Yoongi é forte e irá voltar para você.

Apenas concordei com a cabeça, caminhando junto deles em direção à meus sogros - se eu puder os chamar assim. Assim que nos viram, os mais velhos abriram pequenos sorrisos de lado, quase imperceptíveis. Funguei mais uma vez, abraçando o corpo magro de minha mãe, como se estivesse com medo de um monstro. Na verdade, estava com medo do que ambos falariam à seguir.

- Olá. Como vão? - se aproximou o pai de Yoongi, apertando a mão de meu pai. Falso. Era apenas isso que eu consegui pensar no momento.

- Muito bem. Não posso perguntar o mesmo, eu acho. Afinal, o filho de vocês está em um hospital - respondeu meu pai, coçando a nuca como eu sempre fazia quando estava envergonhada.

- Tens razão - Afirmou a senhora Min, que se levantou enquanto limpava as lágrimas - S/N, querida, não chore. Yoongi é forte e vai voltar por você. Por todos nós. E claro, se houver uma criança.

- Criança?

- Sim. Acha que pode haver a possibilidade de estar esperando um filho? Se sim, os enjôos começarão em breve - disse a mulher de forma alegre, enquanto me mantinha fortemente agarrada à minha mãe, como se tentasse evitar um possível desmaio. Não tinha a possibilidade de estar grávida, não mesmo! Esquece, devo pensar em Yoongi no momento e não em um possível ser crescendo dentro de mim. Neguei rapidamente com a cabeça, arrancando uma risada baixa de cada um dos presentes alí. Pelo menos, minha visão sobre os Min não tinha mudado. E eu juro, estava tentando não olhar para cara da vadia da Lee sentada na sala de espera. Como se ele fosse chamar por ela… Ok, se ele fizer isso, eu juro que arranco as partes íntimas dele fora!

- Com licença, quem de vocês é S/N? - fomos interrompidos pela voz de um homem com vestimenta branca. Levantei a mão, como se dissesse que era eu por quem ele procurava, mesmo que eu estivesse com uma visível cara confusa. O que estava acontecendo afinal? - Ele acordou e… chamou por você.

Todos suspiraram aliviados, porém, a face preocupada do médico fez com que eu não tirasse o peso de meu peito. Ele não estava bem. Tinha algo de errado, eu podia sentir.

- Que bom doutor, mas…. Aconteceu algo? Ele está bem? - perguntei apreensiva, me soltando de minha mãe e indo até o médico, que continuava a me encarar.

- Ele está estável, porém, temos algo a dizer. Acreditamos que seja melhor que algum familiar diga isso a ele, pois a reação pode não ser boa.

- Doutor, o que aconteceu com meu filho? - perguntaram os Min em uníssono.

- Min Yoongi terá que fazer uma cirurgia. Ele corre risco de nunca mais conseguir andar.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...