História Arranjem um quarto! - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol, D.O, Sehun
Tags Baekhyun, Baeksoo, Chanhun, Chanyeol, Comedia, Exo, Fem!sehun, Fluffly, Kyungsoo, Namoradinhos, Otp
Visualizações 569
Palavras 2.474
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Bishounen, Comédia, Fluffy, Lemon, Shonen-Ai, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Yaoi (Gay)
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oi gente, tudo bem? rs *desvia das pedras*
Não era nem pra eu estar postando fanfic nova, mas tão legalzinho esse plot ´3´, peguei lá no Exo fanfics e saiu isso aqui hehe
Desculpem qualquer erro, meio que escrevi às pressas e to morrendo de sono. Espero que gostem <3

Capítulo 1 - Capítulo Único


Kyungsoo e Baekhyun namoravam há seis meses e há mais ou menos três eles começaram com as “mãozinhas”. Começou tudo muito sutil, quando estavam assistindo um filme qualquer na televisão e pelos deuses, era muito chato. Como ocupar o tempo? Simples, beijando. Fora Baekhyun quem começou aquilo, distribuindo leves selares no rosto do namorado e trilhando um caminho até seus lábios carnudinhos.

Não demorou muito para que Baekhyun estivesse sentado no colo do baixinho e os dois trocassem beijos fervorosos. Ah, qual é? O ruivinho tinha uma bunda bem gostosinha de apertar e Kyungsoo andava tão necessitado... Quer dizer, eles apenas ficavam nos beijinhos por que Baekhyun não queria estragar sua imagem de virgem pura e inocente (embora o moreno soubesse bem a figura que namorava, mas shh, o Baek não pode saber!) e quando voltava para casa com as calças sufocando o membro ereto, tinha que se contentar com aquele pornô meia boca e as mãos calejadas. Não que Kyungsoo fosse ingrato, de maneira alguma, aquelas suas mãos já lhe proporcionaram vários prazeres... Mas, nossa, como queria poder avançar o sinal com o namorado...

Daí então estava os dois garotos se engolindo no sofá da sala como se suas vidas dependessem daquilo. Baek gemendo baixinho contra o ouvindo de Kyungsoo, Kyungsoo apertando as coxas redondinhas do namorado, um suspiro aqui e outro ali e a tenda já estava armada. “Eita pleura, é hoje!” pensou Kyungsoo todo empolgado quando o ruivinho falou todo sem graça “Soo, tá muito quente... Tira a minha camisa?”. Não pensou duas vezes antes de arrancar aquela camiseta ridícula da DC (Nem todo mundo é perfeito, né?) e jogar no chão.

Ah, finalmente ele estava tendo um vislumbre do corpo esguio do namorado e uau, ele era tão lindo que Kyungsoo se viu obrigado a virar admirando um pouquinho. “P-para de me e-encarar Soo...” falou todo vermelhinho tentando esconder o rosto entre as mãos. Bem, já que era para parar de encarar, o melhor a se fazer era partir para a ação, certo? O moreno voltou a percorrer a boca pela tez macia do outro e Baekhyun soltou um gemidinho quando sentiu a língua do namorado lamber a extensão de seu pescoço. Opa!

Desceu o ósculo pelo peito desnudo do ruivo e Baekhyun jurou ter ido ao céu e cumprimentado Jesus Cristo (mas que situação mais embaraçosa para se conhecer alguém) quando Kyungsoo rodeou uma de suas auréolas e puxou seu mamilo num chupãozinho estalado. Soltou um gemido alto e esganiçado agarrando-se ainda mais ao corpo do outro, por que diabos nunca fizeram aquilo antes?

Continuaram naqueles beijos ardentes se perdendo em toques ousados quando foram interrompidos por um adolescente espinhento parado no meio da sala:

- Vocês realmente precisam fazer isso no sofá da sala?

Chanyeol era o irmão mais novo de Baekhyun e por algum motivo ele sempre aparecia nas horas mais erradas, parecia algum tipo de maldição. Aquele pirralho com dois metros de altura e cara de otaku punheteiro sempre dava um jeito de quebrar o clima do casal antes mesmo de começar. Kyungsoo o odiava com todas suas forças.

– C-c-chayeol! – Baekhyun pulou do sofá e tratou de catar a blusa no chão.

Chanyeol – Ele imitou a voz do irmão de forma zombeteira – Arranjem um quarto.

O garoto atravessou a sala lançando olhares reprovadores para o casal e continuou em direção ao seu quarto, mas antes fez questão de soltar uma piadinha:

– Kyungsoo, vê se vai com calma com o Baek, ele geme parecendo que vai morrer.

É claro que o moreno quis avançar naquele pirralho maldito, mas fora contido por um Baekhyun roxo de vergonha.

 

 

Naquele sábado tedioso, Kyungsoo se espreguiçava preguiçosamente na cama do namorado, bocejou lentamente e coçou os olhos na maior lerdeza do mundo. A cama de Baekhyun era quentinha, como resistir a tirar aquela soneca enquanto o outro não voltava das compras? Como sua casa estava em reforma, ele e Baekhyun aproveitavam o tempo juntos na do ruivo, já que seus pais tinham viajado e podiam ficar mais à vontade. O que implicava era ter que lidar com Chanyeol metendo o bedelho sempre que o casal inventava de avançar os sinais.

Destravou a tela do celular e percebeu que tinha recebido uma mensagem do namorado.

Bebê

Soo? A gente já está saindo do supermercado, já já chegamos <3

(14:23)

Não demorou muito para que ouvisse a porta da frente sendo aberta e a voz do ruivinho adentrar o local:

– Chanyeol, leva isso para a cozinha e deixa em cima do balcão, vou ver o Soo e volto para arrumar isso.

Antes que Baekhyun entrasse no quarto, Kyungsoo escondeu-se atrás da porta para lhe dar um susto, se acabava de rir com a carinha de pânico que o namorado fazia sempre que se assustava.

– Soo? – Abriu a porta de fininho caminhando até o meio do quarto – Ué, será que ele foi para casa?

Kyungsoo aproximou-se lentamente na pontinha dos pés e agarrou Baekhyun, jogando os dois na cama. Baekhyun gritou desesperado e começou a se debater até perceber que era o namorado.

– Puta merda Kyungsoo! Eu quase pari uma criança! – Falou levando a mão até o coração.

– Cruzes amor, vai ao banheiro pelo menos – Respondeu risonho.

Baekhyun levou alguns segundos para entender a piadinha nojenta e retorceu uma cara em desgosto.

– Por que é que eu ainda te namoro mesmo?

– Por que eu sou lindo, gostoso, beijo bem, tenho um pau enor-

– Tá bom! Já entendi – Baekhyun falou todo vermelho tampando a boca do namorado.

Kyungsoo soltou uma risada ao ver o ruivo todo sem graça e lhe deu um beijinho estalado nos lábios fininhos. Ah, como era bobo por Baekhyun...

– Vem me ajudar a guardar as compras, hm?

– Claro.

Seguiram até a cozinha onde estavam os pacotes e começaram a guardar as compras rapidinho para aproveitar o resto do dia juntinhos. Estava tudo indo bem até um tubinho branco cair de uma das sacolas e Kyungsoo perceber do que se tratava. Imediatamente seu demônio interior acordou ao encarar Baekhyun visivelmente constrangido.

– O que é isso aqui, Baek? – Perguntou todo sugestivo.

– A-ah, é s-só uma c-coisinha que eu c-comprei, n-no caso de a-algo acontecer...

– Ah é? – O moreno falou aproximando-se – Algo acontecer? Tipo o quê?

A essa altura Baekhyun já estava todo derretido de vergonha nos braços do namorado e já podia sentir os lábios formigarem com o beijo faminto que estavam prestes a dar. O moreno passou uma das mãos ao redor da cintura pouco curvilínea do outro e grudou os corpos num calor gostoso. Kyungsoo tinha aquele cheiro amadeirado de sempre e que deixava os sentidos do ruivo um tanto quanto perturbados.

Kyungsoo deu uma de espertinho e foi logo beijando o pescoço de Baekhyun, que era pra desmontar ele logo. O ruivo soltou um suspiro pesado e cerrou os olhinhos, Kyungsoo amava o fato de que ele ficava todo entregue tão facinho e por causa disso adorava provocá-lo. Subiu os beijinhos em direção a boca do namorado, aproveitou que estava entreaberta e foi logo enrolando as línguas. Baekhyun tremeu nos braços do menor e enrolou os braços ao redor de seus ombros com força.

Os dois trocavam um beijo ardente sem se importar de estarem na cozinha ou o fato de Chanyeol aparecer a qualquer momento (já que o garoto tinha um radar especial para aquilo). Dito e feito. Quando Kyungsoo já começava a embrenhar os dedos ousadinhos dentro da camisa do namorado o pentelho deu as caras no recinto.

 – Meu Deus que nojo, será que vocês não conseguem ficar um minuto sem se engolirem?

A voz do Byun mais novo ecoou pelo local assustando os dois pombinhos que se afastaram num pulo. Chanyeol os encarava com nojo e cinismo, deixando transparecer que no fundinho ele sentia prazer em atrapalhá-los nos momentos mais constrangedores.
Baekhyun deu um pulo de susto e afastou-se bruscamente do namorado, já Kyungsoo encarou aquele pequeno demônio com chamas em seus olhos. Ah, qual é, aquele menino tinha alguma coisa contra ele, só podia.

– Seu moleq-

– Desculpa por você presenciar isso Yeol – Baekhyun pegou na mão do namorado e saiu do cômodo, podendo ouvir claramente a risadinha zombeteira atrás de si.

 

Nem mesmo aquele flagra havia sido o suficiente para apagar o fogo que Kyungsoo estava sentindo, por isso não era surpresa ele estar deitado por cima de Baekhyun lhe distribuindo vários beijos ao redor do corpo. O ruivo choramingava baixinho sentindo o membro pulsar dentro das calças e não via a hora do moreno lhe despir completamente e aliviar seus ânimos.

– O que você quer que eu faça, bebê? – Kyungsoo perguntou ao pé do ouvido todo cheio de malícia.

– S-soo – Ele gemeu arrastando sentindo a língua do namorado passear pela orelha.

– Você me quer? É isso? – Deu uma leve mordida na cartilagem provocando choques pelo corpo do outro.

– Uhum...

Baekhyun mal podia se conter quando sentiu o namorado descer uma das mãos e lhe apertar “bem ali”. Jogou a cabeça para trás e deixou seu gemido ecoar pelo quarto, satisfazendo o moreno que se deliciava com a visão. Kyungsoo friccionava a mão por cima do tecido provocando espasmos no outro e sabia que se continuasse naquele ritmo, Baekhyun gozaria rapidinho. Não, ele não queria aquilo, pelo menos não naquela hora, ainda queria brincar bastante com o corpo daquele safadinho.

Começou a trilhar os beijos pela barriga do namorado, dando leves mordidinhas apenas para lhe provocar mais um pouquinho e continuou a descer. Kyungsoo fez questão de encarar Baekhyun lhe observando com o rosto todo vermelhinho de ansiedade e a respiração pesada, ele era tão lindo que o próprio garoto se encontrava sem ar por sua causa. Desabotoou a calça e a desceu lentamente, deixando o ruivinho apenas de cueca e meias.

Acomodou-se entre as pernas do namorado e passou a língua ao redor da glande por cima do tecido. Baekhyun gemeu um pouco mais alto e segurou o lençol entre os dedos, estava quase perdendo a cabeça e Kyungsoo sequer havia começado! Ficaram naquele enrola enrola por alguns segundos quando o moreno cansou de brincar e tirou a cueca do outro rapidinho. Uau, sabia que Baekhyun era grandinho, mas não esperava aquilo.

– Nossa bebê, não sabia que você era tão bem dotado – Soltou uma risadinha para constranger o namorado.

– P-para Soo, q-que vergonha... – Escondeu o rosto entre as mãos.

Kyungsoo apenas alisou o interior de sua coxa num carinho gostoso e depositou vários beijinhos e lambidinhas até Baekhyun decidir se descobrir e mostrar novamente aquele seu rostinho lindo. Por mais envergonhado que estivessem, ambos não conseguiam desgrudar os olhares quando Kyungsoo lambeu vagarosamente a fenda molhada de Baekhyun e chupou soltando um estalo alto. O ruivo abriu a boca num “O” perfeito e se tremeu inteiro, fazendo com que o moreno gostasse do resultado e continuasse.

Kyungsoo já estava a bons minutos chupando Baekhyun e se deliciando com as respostas que ele lhe dava. O ruivinho se contorcia todo e gemia um “S-soo” bem gostosinho preenchendo o quarto inteiro. Claro que o moreno estava adorando tudo aquilo, ficava tão fascinado com Baekhyun recebendo prazer que ele mesmo sentia como se fosse consigo.

– S-soo, e-eu to m-muito, ah! – Segurou os cabelos do namorado com força.

Kyungsoo entendeu direitinho aquele recado e tratou intensificar os movimentos para que o Byun alcançasse seu ápice e ele pudesse desfrutar daquela visão dos céus. Baekhyun tinha vários espasmos pelo corpo, as falanges esbranquiçadas de tanto apertar os fios castanhos e o corpo explodindo em várias ondas de prazer quando a porta do quarto fora violentamente aberta por um gigante.

– Hyung, você esqueceu isso na cozin-

O resultado não poderia ter sido mais catastrófico: no susto Baekhyun acabou gozando em jatos fortes pelo rosto inteiro de Kyungsoo, inclusive em seu olho. Depois disso foi uma confusão: Baekhyun sentindo o corpo inteiro retesar de susto e prazer chutando Kyungsoo sem querer, Kyungsoo caindo da cama com o olho cheio de porra e se contorcendo de dor no chão e Chanyeol boquiaberto parado na porta do quarto.

– Mas que merda, Chanyeol sai daqui! – Baekhyun tentou berrar, mas acabou que saiu um gemido engasgado e foi tão engraçado que pdsakdpadoksap.

Chanyeol saiu correndo tropeçando nos próprios pés e trancou-se em seu quarto pelo resto do dia.

No fim do dia, Baekhyun acabou levando Kyungsoo ao hospital por causa de seu olho vermelho que não parava de doer e lacrimejar. Fora um tanto quanto complicado explicar ao médico o que tinha acontecido, o ruivinho só faltava se fundir com a cadeira de tanta vergonha e o homem lhe encarando todo esquisito também não ajudava muito. Acabou que ele só passou um colírio e pediu para que o casal se mantivesse sem “atividades sexuais” pelas próximas vinte e quatro horas, o que não seria uma tarefa muito difícil, né?

– Soo, me desculpa, de verdade... Eu deveria ter trancado a porta – Baekhyun choramingava todo sem jeito.

– Tá tudo bem, bebê, não foi culpa sua, não se preocupe, hm? – Falou acariciando os fios vermelhos do namorado.

Tirando um olho vermelho, um pinto que não subia nem mesmo se Baekhyun vestisse lingerie e dançasse num pole dance (ok, talvez subisse) e uma testemunha ocular muito filha da puta, estava tudo bem.

 

Naquela sexta-feira Baekhyun tinha largado mais cedo da faculdade e a última aula de Kyungsoo havia sido cancela, por causa disso estavam os dois aos beijos na sala da casa do ruivo. Felizmente a casa estava livre e Chanyeol só voltaria pela noite, já que tinha ido à casa da Sehun para fazer um trabalho da escola.

Estava tudo sob controle e Kyungsoo finalmente iria afogar o ganso após uma semana inteira com o coleguinha lá de baixo frustrado pela experiência da semana anterior. Baekhyun rebolava em seu colo todo desinibido e gemendo manhosinho, bem safadinho do jeito que era. Kyungsoo segurava seu quadril com força e grunhia baixinho sentindo o membro teso sendo friccionado.

– Puta merda, bebê...

Trataram logo de se livrar daquelas roupas incômodas e acelerar o processo (não culpem o Kyungsoo, ele estava realmente necessitado). Kyungsoo já estava com a camisinha a postos e um Baekhyun todo preparadinho quando a porta da frente fora aberta e Chanyeol adentrou aos beijos com Sehun. A garota mal deu tempo de Chanyeol fechar a porta e já foi enfiando a mão em suas calças num beijo afoito.

Baekhyun e Kyungsoo encararam o casal adolescente boquiabertos e antes que o moreno pudesse processar qualquer coisa, Baekhyun já estava de pé com o corpo todo exposto e a cara vermelha, não de vergonha, mas de raiva.

– Byun Chanyeol, é esse o trabalho que você anda fazendo? – Colocou a mão na cintura inconformado.

Os dois jovenzinhos soltaram um grito esganiçado de vergonha, Sehun cobriu os olhos toda constrangida, Chanyeol tentou se explicar, Baekhyun batia o pezinho irritado no chão e Kyungsoo... Bem, Kyungsoo limitou-se a gritar todo zombeteiro:

– Arranjem um quarto!


Notas Finais


obs: Antes que alguém venha problematizar, Kyung e Baek tem por volta de 21 anos enquanto que o Chanyeol e Sehun tem 17.
bjo no core de todo mundo


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...