História Arrependimento por acaso - Capítulo 81


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), Black Pink, EXO, Got7, K.A.R.D
Personagens BamBam, Jimin, Jiwoo, Kai, Personagens Originais, Rosé
Visualizações 14
Palavras 2.562
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Festa, Ficção Adolescente, Romance e Novela
Avisos: Adultério, Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 81 - Nova empregada


Dois meses depois...

Jimin on

Voltamos para a Coréia à um mês. Sabia da minha responsabilidade do Dak-hoo, meu irmão. Para mim não seria incômodo cuidar do mesmo, pelo contrário, seria maravilhoso!

Mas tenho certeza que Taeyon não vai aceitar, afinal, ela já deixou isso bem claro.

Isso mesmo... o júri decidiu que Taeyon vai pagar a pena em liberdade e por apenas dois anos. 

Não queria que a morte do meu pai fosse julgada dessa forma... queria justiça! Mas... pelo que eu vi, Dak é muito apegado a sua mãe, jamais ele iria querer ficar longe dela.

Enquanto tudo isso acontecia, eu e Ana estávamos indo bem. Ultimamente nem camisinha temos usado. Mas claro, os remédios dela estão em dia e seria impossível vir uma gravidez agora, afinal, preferimos ter filhos depois do casamento.

Ana ficou triste quando afirmei que Dak-hoo não viria mais. Ela realmente queria conhecê-lo. Por isso, entrei em um acordo com Taeyon. Dak-hoo viria todas as férias para cá. 

Estava em uma reunião de negócios em um hotel aqui em Daegu, até que ouço o meu telefone tocar, e vejo logo o belo rosto da minha noiva aparecer na tela do aparelho.

- Perdão senhores, é uma ligação de urgência. - digo me reverenciando e saindo da mesa.

Ultimamente tem sido assim, tenho dado mais atenção a Ana, pois não consigo ficar muito tempo distante. Lógico que aquilo era recíproco!

Mês passado, adiei a minha viajem a Busan, apenas porque ela queria fazer compras. Semana passada, ela passou a semana toda sem abrir o consultório, só porque eu queria ficar mais tempo com ela.

A cada segundo, percebo que nunca vou conseguir viver sem ela. A amo de mais para isso. Posso julgar essa época como a melhor de toda a minha vida!

Atendo o telefonema ouvindo sua doce voz.

ligação on

Ana- Jimin?

- Sim, Amor

Ana- Pode vir para casa agora? - que voz fofa!

- Amor... a reuião já está acabando... não dá para esperar nem um pouquinho?

Ana- É que eu queria te ver...

- Ana... não fica brava... mas, não vai dar. Hoje vamos decidi sobre as finanças da empresa. Encontrei doze sócios! Isso vai aumentar muito o lucro! Imagina quando parte da empresa passar para Dak-hoo! Tenho certeza que ele a fará crescer também. 

Ana- Ta, tudo bem. Até mais tarde.

- Eu te amo, prometo voltar o mais rápido que eu puder.

Ana- Eu te amo também. Vem logo

- Beijo, tchau.

ligação off

Que grossa! Nem me devolveu o beijo!

Tenho quase certeza que quando eu chegar ela mal vai olhar para minha cara. Mas devo confessar que estou levando esse lance de lucro e finanças da empresa muito a sério. Claro, eu e Ana aproveitávamos sim o nosso tempo, mas eu via que ela se dedicava mais para estar do meu lado, do que eu. Ela realmente não importa se o lucro do consultório cair. Ela simplesmente abre mão de tudo, só para fazer minhas vontades.

Me sinto um idiota nessa reunião de importância mínima, afinal, minha empresa já tem mais de 50 sócios e é a empresa mais renomada de toda a Ásia! 

Quem não conhece as empresas Parksonic? É quase impossível! Somos reconhecidos até pelo ocidente!

Quer saber? Não será uma reunião que me levará à miséria.

Fui até a mesa de reuniões, já tinha ouvido todos os hyungs que estavam presentes. Sabia tudo o que se passava por dentro e fora de suas empresas. Na verdade, a empresa deles havia apenas nome, pois seus lucros já estavam no vermelho, e por isso, decidiram que fazendo uma parceria comigo, assim, minha empresa teria um nome renomado à mais e também ajudaria o lucro deles. 

Pensei a respeito, tinha que terminar logo aquilo.

- Bom, senhores, aconteceu um imprevisto e eu não posso demorar mais que dois minutos, por isso, serei definitivo. - respirei - Bom... quero parceria com apenas uma empresa. Como sabem, nós da Parksonic, fazemos os melhores e mais produzidos M/V's dos maiores grupos. Acho inútil da minha parte, me aliar com perdedores que apenas querem se apoderar do lucro a empresa. Mas, como também quero ter um nome a mais na minha empresa e também quero uma parceria renomada e lucrativa, eu escolho a empresa do Bang Si Hyuk hyung. PD Nim hyung,  conversamos sobre nosso acordo com a Big Hit mais tarde. Tenham um bom dia, e até a próxima reunião - digo tudo bem rápido, me reverencio e saio do quarto do hotel indo para a garagem, entrando no carro e dando partida.

Não demorou muito para que eu chegasse em casa. Abri a porta e entrei de mansinho, colocando minhas pastas encima da mesa de centro.

Tirei os sapatos rápidos e os coloquei perto da porta. Tirei também minha gravata, o paletó e abri alguns botões da minha camisa, na esperança de me sentir mais confortável que antes, e olha... funcionou muito bem.

Fui em passos ligeiros para a cozinha, conferir que barulho era aquele. Com certeza seria Ana, e então um sorriso safado brotou em meus lábios. Cheguei da cozinha, tendo a visão de Ana de calça rosa com detalhes lilás bem apertada  e um casaco rosa com unicórnios (tentativa tumblr falida com sucesso). Mas ela nem gosta de rosa! Aquelas roupas a deixavam com cara de... deixa pra lá 

Em passos lentos caminhei até à mesma, percebendo que seu corpo estava estranho... não tinha mais tanto formato como tinha antes.

~Não, você não pode deixar de desejar a sua noiva, seu lerdo!

Cheguei até a mesma e a abracei, depositando um beijo em seu rosto... espera... A Ana não é branca!

...- Desculpe senhor... mas... não costumo me relacionar com meus patrões. Isso já aconteceu quatro vezes e não deu certo - antes que ela terminasse a frase, ma afastei bruscamente da mesma.

- QUÊ?  TÁ LOUCA? QUEM É VOCÊ,  GAROTA?! ANA!!!! - saí da cozinha rápido a procurando, mas a garota me seguiu.

...- Senhor, ela não está - sorri ladina - Mas com certeza eu posso solucionar o seu problema - morde o lábio inferior. Cadela

- Não, você só pode me ajudar com uma coisa, e é respondendo minhas perguntas. Quem é você? De onde veio? E o que faz aqui? - digo tudo rápido e a garota ri se aproximando.

...- Me chamo Seongjae sou a nova empregada. Vim da capital morar com o meu namorado, mas ele não me faz feliz, sabe? Ele me rejeita, não sente desejo por mim, nem transam...

- Não quero saber da sua vida. Apenas quero que me explique o que lhe pedi.

Sj- Calma chefinho... o que fiz para merecer isso? - existiu!

Não sei porque, mas tenho certeza que essa garota é puta.

- Onde está Ana? - pergunto com os braços cruzados analisando aquela garota.

Sj- Não sei... - por que ela força aegyo?

- Ela saiu de carro? - pergunto seco

Sj- Não. Mas oppa...

- Jimin, Park Jimin - a corrijo - Obrigada pela informação senhorita Seongjae. - me retiro, indo calçar os sapatos, mas a garota me segue

Sj- Por que não fica? A Ana já vai voltar! Que tal fazermos um jantar? - QUÊ?

- Lamento, essas atividades a dois pratico apenas com minha esposa. - digo ríspido terminando de calçar meus sapatos - Tchau senhorita Seongjae.

Bato a porta com força. Como Ana pôde fazer isso? Ela nem me avisou nada!

Isso não vai ficar assim, Ana Kyung!

Sabia onde ela estava, aquela mesma biblioteca...

Cheguei no local procurando a garota e assim que a encontro, não deixo de notar sua beleza ressaltada naquele short jeans de bainha que deixavam suas coxas mais bonitas e bronzeadas, naquela camisa dos vingadores (dada por Jungkook), naquela sandália rasteira de couro que a dei no Brasil e com aqueles belos, negros e longos cabelos soltos, deixando sua testa visível.

~Postura! Você está bravo com ela!

Caminhei até ela e me sentei ao seu lado.

- O que faz aqui? - digo ríspido e alto

Ana- Chimchim! Me assustou! - sorri... puta que pariu - fala baixo, estamos numa biblioteca, e todos estão concentrados em seus...

- Não quero saber de ninguém! Você, vem comigo - puxei seu braço a arrastando para fora da biblioteca.

Ana- Hey! Posso saber o que é isso?! - grita ao estar fora da biblioteca.

- Quem pergunta agora sou eu! - respiro fundo - Amor da minha vida, razão do meu viver, motivo da minha ereção... Quem é aquela zinha que está em nossa casa? - pergunto tentando me controlar

Ana- Ela tem nome! - grita - Seongjae é nossa empregada.

- E me diz, por que não me contou, meu brigadeiro? - faço o máximo para não gritar com a mesma

Ana- Eu queria que você viesse para a seleção de empregadas, mas o senhor estava muito ocupado! - diz brava

- Amor, desculpa... mas... você deveria ter escolhido melhor... Já viu como a garota se veste? Ela dá encima de mim! - grito a última frase

Ana- Fala baixo! - diz no mesmo tom - Para com isso! Seongjae não é isso que está pensando! É apenas impressão! Tente conviver mais! - diz brava e defensora.

- Tem razão... vou tentar... - respiro fundo - Vamos indo para casa, sim? - Ana assente e começa a caminhar junto a mim - Como foi o seu dia?

Ana- Normal, e o seu? Conseguiu os sócios?

- Foi bem, e... não, não assinei contrato com todos. O único empresário que tinha uma empresa de bom lucro ali era PD... não seria tão mal fazer negocio com ele.

Ana- Então o meu noivo é um espertinho? - pergunta entrelaçando nossos braços e rindo.

- Não, apenas quero uma boa vida para nós e para o meu irmão. Me senti bem por conseguir acabar com os negócios sujos do meu pai e reerguer uma empresa forte, grande e lucrativa. - sorri 

Ana- Por que disse aquelas coisas da Seongjae? - me olha com uma carinha estranha 

- Eu achei que era você que estava na cozinha, então eu... - cocei a nuca - eu... ah... você sabe...

Ana- Fala logo Jimin, anda! O que você fez?! - quase me bate

- Calma! Eu a abracei, só isso! - escondo a parte do beijo, mas Ana é mais esperta

Ana- Tem mais coisa, fala!

- Eu dei um beijo no rosto dela - digo simplista e Ana da um riso sem graça 

Ana- Beijou a Seongjae pensando ser eu? Não percebeu a diferença entre nós duas, Jimin? Sinceramente... - apenas agora percebi que estávamos na porta de casa. Ana entra sem olhar na minha cara e vai direto para o quarto e eu fui atrás dela.

Por que ela estava brava? Foi sem querer! Aquela garota nojenta mal chegou e já está acabando com as coisas!

Entrei no quarto, e a encontrei no canto da cama, encolhida mexendo no celular.

- Amor?

Ana- Eu tenho nome.

- Ana, pare de agir como se eu quisesse aquilo! 

Ana- Ah! Claro! - diz irônica - Jimin, nós vivemos a mais de quatro anos! Nós transamos, sabia?! De longe eu poderia reconhecer você é seu corpo! Como não me conhece?! Já não presta mais atenção em mim?! Já não sou mais tão desejada por você? Está me odiando? Quer desistir do casamento também?! É isso, Jimin?! - nunca ouvi tanta porcaria na minha vida, mas logo entendi. Havia um pacote de absorventes encima da mesa do computador e alguns comprimidos para cólica. Período chato do caralho!

- Não é nada disso, meu amor... - abaixo o tom de voz e me sento ao seu lado - Eu tinha me tocado que aquele corpo era estranho, feio e mal torneado. Mas é se realmente fosse você? Não queria perder o amor que sinto por você apenas por aparência. Ela com uma roupa estranha... fui burro de não ter chamado por você, mas queria fazer uma surpresa, queria que tudo acabasse bem... - respiro e me aproximo dela um pouco mais - Por favor, me desculpa por ter sido um burro... por favor - seguro sua mão, a  encaro e seu biquinho fofo se faz presente.

Ana- Que seja a primeira e última vez... - tira sua mão da minha e volta a mexer no celular.

Chego mais perto da mesma e a observo por um tempo. Sei que é um pecado rir da sua cara de brava, mas ela ficava tão linda, que fazia meu coração disparar a cada segundo. 

Me aproximo mais um pouco de seu corpo e a abraço, selando sua bochecha.

- Eu te amo, você é a única que eu quero ter ao meu lado, eu nunca vou desistir do nosso casamento, você é a mulher da minha vida, ainda vamos construir uma família com quatorze filhos e eu nunca vou perder o desejo e o amor que sinto por você por causa de uma qualquer - digo em seu ouvido, apenas para ela escutar e por fim selo nossos lábios, fazendo nossos lábios se acariciarem com calma, peço passagem com a língua e a mesma concede, tornando o ósculo mais gostoso e confortável, mas eu sabia que eu não podia exceder isso. Separei o beijo com alguns selares mínimos, enquanto pressionava suas bochechas. - Eu te amo, garota - sorrio e vejo a mesma rir mostrando suas gengivas

Ana- Eu também te amo. - me beija novamente, só que para a minha surpresa, a mesma já foi aprofundando o beijo com a presença de sua língua, seu corpo deitado no meu, pondo uma perna sua de cada lado, enquanto eu acariciava toda a extensão de seu corpo, apertando sua coxa e sua bunda.

Talvez aquilo não estivesse rendendo efeito nela, mas logo, logo iria render drásticos efeitos em mim.

Separei minha boca dos seus lábios rápido,  enquanto Ana tentava mais contato.Tento separar o beijo com alguns selinhos, mas ela sempre relutava

- A-Amor... espera... - ela para de me beijar e me encara

Ana- O-o que foi? Você  não quer? - me olha confusa e eu me sinto mais confuso ainda.

- Você não está...? - a olho meio sem graça 

Ana- N-Não

- Mas... e aquilo? - aponto para a mesa do computador.

Ana- Não é meu - assim que Ana acaba de falar, a porta do nosso banheiro é aberta, dando a visão de Seongjae numa toalha de banho

Sj- AI MEU DEUS! DESCULPEM! - diz com a mão no rosto. Ana se levanta rapidamente do meu colo e se sentando ao meu lado. Não pude conter a revirada de olhos 

Ana- Tudo bem Jae... suponho que tenha se confundido de quarto, sim? - pergunta graciosa

Sj- Me confundi? - se faz de desentendida. - Desculpe, Ana! É que no meu quarto também tem um computador e a casa é enorme! - faz um aegyo falido

Ana- Jae... essas coisas acontecem... não se preocupe - sorri

Sj- Mas então... vou indo para o meu quarto... - sorri sapeca

- Como sabe onde é seu quarto, se acabou de se perder? - dou um longo suspiro e a olho sério 

Sj- Sim senhor, iria perguntar a Ana agora - faz uma cara da vítima 

Ana- Não seja rude, Jimin! Jae, é o último quarto do corredor 

Pera....

MEU QUARTO?!



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...