1. Spirit Fanfics >
  2. Arrow - The Green Arrow >
  3. O Regresso

História Arrow - The Green Arrow - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


Oláááá, pessoal! Minha primeira fic de Arrow/Arqueiro Verde.
Espero então que gostem!
:D

Capítulo 1 - O Regresso


Fanfic / Fanfiction Arrow - The Green Arrow - Capítulo 1 - O Regresso

Passaram-se 5 anos e Oliver Queen mudou radicalmente, pois a sua vida não tem sido um mar de rosas, a sua família não sabe de nada sobre Oliver há já muitos anos, a sua mãe espera a sua chegada a casa, Oliver chegou à cidade e foi levado directamente para o hospital, mas as notícias que a mãe recebeu sobre seu filho não eram as melhores, ninguém podia ter noção do que Oliver passara durante os 5 anos. 

_ Então Doutora, meu filho irá ficar completamente bem? 

_ Não sei Senhora Queen, só o tempo o dirá, mas ninguém pode imaginar o que seu filho passou, nem por onde viveu, só ele mesmo poderá responder a isso. - Respondeu a doutora que tratou de Oliver. 

_ Quer dizer que ele perdeu a noção das coisas? - Perguntou Moira. 

_ Não, ele tem a plena consciência de onde está, quem é, quem são as pessoas que o rodeiam, mas, poderá estar com o psicológico muito diferente do que quando ele partiu. - Respondeu a médica retirando-se. 

Moira então entrou no quarto de seu filho, Oliver estava a pé a olhar pela janela, onde tudo lhe parecia diferente e realmente tudo estava diferente. 

_ Meu filho. - Disse Moira abraçando Oliver. 

_ Mãe. - Disse Oliver retribuindo o abraço de sua mãe. 

_ Como te sentes? - Perguntou preocupada. 

_ Melhor agora. - Respondeu Oliver. 

_ Irão dar-te alta médica hoje ao fim do dia. - Disse Moira. 

_ Ah ainda bem, a comida do hospital é horrível. - Disse Oliver. 

_ Não faças piadas Oliver, podias não estar aqui agora. - Disse Moira. 

_ Sim, mas, estou é o que interessa. - Disse Oliver. 

E então mais tarde a médica deu alta a Oliver, e este pôde ir para casa. 

_ Finalmente em casa. - Disse Oliver respirando fundo. 

_ Que bom é ter-te de volta Oliver. - Disse Moira abrindo a porta. 

Oliver entrou com um semblante nostálgico, quando sua irmã Thea apareceu no início das escadas. 

_ Hey, irmãzinha. - Disse Oliver. 

_ Oliver. - Thea correu até Oliver seguidamente lhe dando um abraço. - Eu sabia que estavas vivo, que bom ter-te de volta. 

_ Sim é bom estar de volta. - Disse Oliver.  - Agora quero ir descansar, preciso de dormir. - Completou Oliver. 

_ Vem meu filho. - Disse Moira, sendo acompanhada por Oliver. - Teu quarto está exatamente como o deixas-te.  

_ Obrigado, mãe. Está Exatamente como o deixei. - Disse Oliver sentando na cama. 

_ Bem meu filho vou te deixar descansar, caso precises de alguma coisa estamos lá em baixo meu filho. - Moira retirou-se. 

 

Oliver então deitou, e adormeceu passados 5 segundos. 

Nessa noite, Oliver teve pesadelos, coisas horríveis passaram na sua mente, a sua vida nos últimos anos, tinha sido um autêntico filme de terror. Acordou a meio da noite a suar, a janela estava completamente aberta, muito vento e chovia bastante, mas, Oliver deixou a janela assim mesmo. 

“Servirá para apanhar bastante ar” - Pensava. 

A noite foi de uma verdadeira tempestade, mas o dia amanheceu cheio de sol. 

Oliver tomou um duche rápido, vestiu a primeira roupa que viu na sua frente, e desceu para comer. 

Quando chegou à sala, seu melhor amigo Tommy estava sentado ao lado de sua irmã Thea. 

_ Olha só quem apareceu! O naufrago! - Disse Tommy abraçando Oliver. 

_ E aí amigão? Continuas o mesmo Tommy Merlyn! - Oliver retribuiu o abraço de seu amigo. 

_ Nada disso maninho, Tommy está empenhado em ajudar o pai na empresa! - Disse Thea entrando na conversa. 

_ O quê? É brincadeira não? - Perguntou Oliver não querendo acreditar. 

_ Verdade, verdadinha! - Respondeu Tommy. - Estou a trabalhar com o meu pai na empresa. 

_ Só para agradar mulher só pode. - Comentou Moira dando risadinha. 

_ Quem é a sortuda? Se é que há alguma sortuda. - Disse Oliver gozando/zombando de Tommy. 

_ A sortuda, ou não, é a Laurel! - Respondeu Tommy lembrando do passado, ficando assim triste. 

_ Não entristeças amigo, entre mim e a Laurel, acabou tudo desde o momento em que parti, e ela não soube mais nada sobre mim, e provavelmente não quer saber, por isso, não te preocupes com o passado Tommy. - Disse Oliver. 

_ Quem és tu? O que fizeste com o meu velho irmão Oliver Queen? - Perguntou Thea. 

_ Oliver Queen mudou, se habituem a este Oliver. - Respondeu Oliver. - Vamos comer? 

E assim se dirigiram para a mesa da sala onde estava o pequeno-almoço/café da manhã. 

Começaram a comer, e de repente a campainha tocou, entrou um sujeito alto e encorpado. 

_ Um convidado, e não disseste nada mãe? - Perguntou Oliver em tom de brincadeira. 

_ Será teu guarda-costas Oliver. - Respondeu Moira muito séria. 

_ Só podes estar a brincar comigo não? Para que preciso de ama seca? - Perguntou Oliver fazendo cara feia. 

_ Não é ama seca Oliver, agora que voltaste vais precisar de um guarda-costas, pelo amor de Deus Oliver. - Respondeu Moira vendo que Oliver virou costas. 

_ Peço desculpa pela atitude de meu filho. - Disse Moira seguindo Oliver. 

Oliver subiu até seu quarto. 

_ Oliver tu vais ter guarda-costas quer queiras quer não, agora para baixo por favor. - Disse Moira meio que dando bronca no seu filho. 

Oliver assim fez, e desceu. 

_ Bem já que vou ter guarda-costas, posso ao menos saber seu nome? Sr.? - Perguntou Oliver. 

_ John Diggle, senhor! - Respondeu Diggle. 

_ Acho que já ouvi falar de si em algum lado, Sr. Diggle. - Comentou Tommy. 

_ Estive no exército senhor. - Disse Diggle. 

_ Ahh muito bem, a minha mãe tem mesmo jeito para escolher ama seca! Ai peço desculpa, guarda-costas. - Disse Oliver vendo que Moira não estava a gostar do tom de seu filho. - Ou seja meu excelentíssimo guarda-costas vai me seguir para todo o lado? Até para o banheiro? - Perguntou Oliver mais uma vez em tom zombeteiro. 

_ Chega, Oliver, de piadinhas sem graça! - Disse Moira, já chateada com Oliver. - Vais para a empresa, ver como é a realidade das pessoas trabalhadoras, ver a realidade da nossa cidade, e parar com as piadinhas, já não és criança, mas parece que a criança não te deixou. - Disse Moira, já mesmo irritada com seu filho. 

_ Tudo bem, começo hoje é? - Perguntou Oliver. 

_ Podes começar amanhã, sem falta menino Oliver Queen. - Respondeu Moira. 

_ Então, mas estavas a dizer.... - Disse Oliver sem conseguir acabar a frase. 

_ Por hoje podes fazer o que quiseres, menos ir a festas e ficar bêbado, quero-te sóbrio para amanhã Oliver Queen! - Disse Moira saindo. 

_ Bem amigão, parece que tens de te pôr na linha, ou então a Sra.Queen põe-te na ordem! Bem até logo, vou trabalhar e já estou atrasado. - Disse Tommy saindo. 

_ E eu vou para a escola, que já está na minha hora, tchau aí maninho. - Disse Thea saindo. 

_ Bem, e o que podemos fazer hoje? Hum, sempre podemos ir dar uma volta pela cidade. - Disse Oliver virando-se para John. 

_ Sim senhor, vamos! - Disse John sendo seguido por Oliver. 

Entraram no carro, e Diggle arrancou, mas, antes trancou as portas sem Oliver dar por isso. 

Enquanto passeavam pela cidade Oliver conseguia ver o quanto algumas zonas da cidade estavam meio ao abandono. 

_ Então teu nome é John Diggle, muito bem. - Comentou Oliver quebrando o gelo. 

_ Chame-me de John, ou Diggle, ou simplesmente Digg. - Disse John. 

_ Ah muito bem sim senhor, já percebi que estiveste então no exército. - Disse Oliver. 

_ Sim senhor, muitos anos. - Disse John. 

Entretanto passavam pelas agora antigas fábricas Queen. 

_ Fecharam as fábricas? - Perguntou Oliver. 

_ Sim senhor. - Respondeu John. 

_ UAU, mas, porquê? - Perguntou Oliver intrigado. 

_ A sua mãe assim quis. - Respondeu John. 

_ Ah muito bem, e decidiu assim sem mais nem menos? - Perguntou Oliver meio chateado. 

_ Juntamente com seu seu sócio que actualmente é seu marido. E acho que já falei demais. - Disse John. 

_ Hum, estou a ver. Tenho muito que falar com minha mãe. - Disse Oliver pensativo. 

Oliver tentou então abrir a porta sem Diggle ver, mas John percebeu o que Oliver estava a tentar fazer. 

_ Eu percebi logo que poderias tentar algo do género, por isso decidi logo trancar as portas. - Disse Diggle. 

_ Hum, esperto! Bem acho que podemos voltar, tenho muito que conversar com a Senhora Queen! - Disse Oliver. 

E assim foi, Diggle conduziu Oliver até à mansão Queen, mas, sua mãe ainda não estava em casa. 

_ Bem, eu vou subir! Não sei o teu expediente, mas se quiseres podes ir para casa. Obrigado. - Disse Oliver se dirigindo a John, e subiu para o quarto. 

Mais tarde ao final do dia, Oliver ouviu a porta a bater. 

Oliver desceu, e viu que era sua mãe. 

_ Acho que temos muito que conversar Senhora Queen. - Disse Oliver. 

................................................................................................................................................................. 

 

 

 

 


Notas Finais


Espero então que tenham gostado malta!
Vos vejo nos comentários (espero eu).

Nota: Se virem algo de diferente na minha escrita é porque sou de outro país!!
Obrigada

:D


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...