1. Spirit Fanfics >
  2. Arte da máfia >
  3. O presidente

História Arte da máfia - Capítulo 12


Escrita por:


Notas do Autor


Boa leitura.
"SAIU DO BANHEIRO"OK?ESSA POHA N QUER CORRIGIR

Capítulo 12 - O presidente


Fanfic / Fanfiction Arte da máfia - Capítulo 12 - O presidente

Fiquei lá encalhada na banheira, Kanashi saiu do banheiro. Tentei sai do banheiro, estava muito tonta e a minha cabeça doía demais. Fiz força me levantando da banheira e quase caí no chão.  

Sai do banheiro, minhas roupas estavam molhadas. Fui andando para a escada, deitei a cabeça pro lado olhando lá em baixo. Estava Kanashi, Thales e Yuma na frente de um homem com terno elegante. Mas eu não conseguia ver o rosto devido os três tampando minha visão. Deitei a cabeça mais para o lado, acabei escorregando e cai rolando da escada.

-AAAH.—Gritei rolando escada a baixo.

Os quatro me olharam, cai de cara no chão.

-Ah meu Deus!—Exclamou Yuma, ela veio até mim.-Homura, por que você tá molhada?!—Ela me deixou sentada.

-Porque eu tinha bebido.—Solucei.-E por isso a Kanashi me colocou em uma banheira de água gelada...

Yuma colocou a mão na minha testa e viu que eu estava um picolé de tão gelada.

-Ah céus, Homura você está um gelo!—Disse ela.-Pode ficar doente assim e não podemos deixar que isso aconteça.—Ela me levantou e me levou até um sofá.

Na sala tinha uma lareira e já estava acesa. Yuma me deixou sentada em um sofá, fiquei lá ouvindo eles conversando. Olhei para o marido da Yuma, ele tinha mesmo cara de coreano, mas essa porra mesmo assim é presidente da França? Ok... Fiquei ouvindo a conversa, Kanashi contou todo o plano dela, descobri que o nome do homem era Jean. Jean Kim era seu nome.

-Então tudo certo para amanhã.—Disse Kanashi confiante de seu plano.

-Não é você que vai ser comida!—Gritei lá atrás.

Kanashi revirou os olhos, Thales subiu as escadas. Kanashi olhou para mim e mostrei o dedo do meio para ela.

-Então acho melhor a gente já ir dormir.—Disse Jean.

-Tem razão...—Disse Kanashi, ela subiu as escadas também.

-Quer ajuda para ir lá encima?—Disse Yuma olhando para mim.

-Não, não.—Disse.-Podem ir dormir vocês dois, eu ficarei bem aqui.

Yuma suspirou. Ela subiu as escadas com o Jean. Molie saiu correndo da cozinha e foi até mim, olhei para ela.

-Você não vai dormir?—Perguntou Molie.

-Não se preocupa pequena...—Disse.-Vai dormir também vai.

Molie subiu as escadas correndo, fechei os olhos. Passou uns minutos e sentir alguém me cutucando, abri os olhos e era a Molie novamente. Ela estava segurando uma coberta e umas roupas.

-Aqui.—Disse Molie, ela colocou as roupas no chão.-Sei que não vai ter vontade de trocar de roupa agora, então amanhã você se troca.—Disse ela, a mesma me cubriu com a coberta.

Sorri com os lábios e me aconcheguei no sofá.

-Boa noite!—Disse Molie subindo as escadas correndo.

22:00

[Lado Ella]

Estava na minha varanda, com a cabeça apoiada na minha mão. Estava triste olhando para o céu e pensando na Homura.

-Srta. Ella!—Disse minha empregada entrando no meu quarto.-Uma carta para você!—Disse ela.

-Uma carta?—Perguntei me virando pra ela.

Ela veio até mim e me estendeu uma carta. Peguei a carta, olhei a mesma pela frente e atrás. Tinha um selo da França, meus olhos se encheram de felicidade, deve ser ela!

Rasguei o envelope e peguei o papel de dentro. Comecei a ler a carta, o brilho dos meus olhos sumiram.

-Senhorita?—Perguntou minha empregada preocupada.-O que a carta diz?

-É a Homura, mas...—Apertei a carta e lacrimejando.-Ela disse que está em perigo.

-Ah, meu Deus e agora senhorita?!—Disse a empregada.

-Eu quero apenas...—Olhei para ela.-Três Roupas simples, uma arma e um carro simples.

-O quê?! Por que?—Gritou ela.

-Porque eu amo ela cacete!—Gritei tirando minha camisola.

Abri meu guarda roupa, vesti um terno e uma calça listrada e o terno era listrado. Puxei uma mala, enfiei umas roupas nela e uma arma no meu terno. Sai apressada do meu quarto, desci as escadas e minha empregada veio correndo atrás de mim. Entrei no banco de trás de um carro e a empregada no banco do motorista.

E assim fui para a estação de trem...

[Dia seguinte|Lado Homura]

9:00

Estava esticada no sofá, usando uma regata branca e só de calcinha. Eu me troquei antes de dormir pra valer. Abri os olhos devagar, fiquei sentada com a mão na cabeça, estava com uma leve dor de cabeça. Olhei para os lados, acho que ninguém acordou ainda.Me levantei e vesti uma calça que a Molie pegou para mim, ela preta e tinha alguns detalhes de onça mas nem me importei.

Kanashi desceu as escadas e olhou para mim. Olhei para ela também.

-Tudo certo aí Kuriyama?—Perguntou Kanashi.

-Sim, sim... Quando vamos?—Perguntei.

-Agora mesmo.—Disse ela e o resto desceu atrás dela.-Estava vindo te acordar, mas que bom que já acordou.

Que bom mesmo, não queria que eles me vissem dormindo daquele jeito. Vesti um terno preto antes de sair.

[Quebra do tempo]

13:00

Ja estava tudo planejado e organizado. Jean já estava arrumado e todo para o discurso, não só iríamos protegê-lo mas também como eu tentar encurralar a Laura. Juntou quase toda a cidade no lugar e começaram a transmissão ao vivo.

-Vai dar tudo certo ok?—Disse Yuma preocupada com Jean.

-Claro que vai... Você chegou aqui segurança.—Disse Jean.

Yuma sorriu com os lábios, Jean andou para o palco. Estava eu e todos armados, Molie na limousine claro. Estava um pouco afastada do palco. 

[Lado Kanashi]

Estava atenta para tudo com uma arma de grande porte em mãos como sempre.  Eu vi uma mulher de cabelo curto quase igual o meu e com roupa de empregada. Ela foi andando até uma mesa que ficava no palco com bebidas. Olhava puxado para ela, a mesma pegou uma garrafa de vinho específica e colocou no copo. Fui atrás dela.

-O que está fazendo?—Deitei a cabeça pro lado e acabei vendo ela colocar um pó branco no copo.-EI, ESPERA AI.—Gritei.

Ela se assustou virando para mim, apontei a arma para a cabeça dela.

-Isso é veneno?!—Gritei com o dedo no gatilho da arma.

Ela pegou a garrafa e tentou acertar na minha barriga. Desviei para o lado, ela pulou do palco e saiu correndo pela multidão gigatesca. Pulei do palco também e fui correndo também atrás dela. A multidão não me deixava passar direito, empurrava todo mundo que entrava na minha frente. A mulher já estava ficando longe de mim, atirei para cima e todo mundo se assustou abrindo um caminho. Facilitou bastante minha perseguição, estava na cola da mulher. Eu levei um tiro de tranquilizante bem no meu braço.

-AI!—Parei de correr na hora, olhei para meu braço e arranquei o dardo de tranquilizante do mesmo.-Merda...—Joguei o dardo no chão.

Senti o sono vindo, a mulher já havia sumido. Olhei para o palco, o copo estava envenenado. Tentei correr até lá mas acabei desmaiando na metade do caminho.

[Lado Homura]

Estava muito nervosa. Eu estava longe do palco, estava suando frio também. Eu tinha que fingir que não estava tramando nada, vi a mesa que tinha no palco com bebidas. Vou fingir beber algo! Fui até a mesa, vi um copo com uma bebida avermelhada, deve ser suco de monrango ou algum vinho da mesa. Peguei o copo, assim que ia beber, um barulho alto veio perto de onde estávamos. Jean começou seu discurso, essa era a hora. Fui correndo até lá, tropeço e derrubei sem querer o copo.

Que merda! Eu quase caí, o copo quebrou lindo no chão.  Olhei o que tinha caído, era só uns sacos de areia que foram soltos. Soltos?! Olhei para trás rápido e levei uma pancada na cabeça. Cai no chão desmaiada.

[Quebra do tempo]

Eu abri os olhos bem devagar, se eu já estava com dor de cabeça agora a dor estava bem pior. Tentei me mexer, estava sentada numa cadeira e ainda amarrada.

-O que?!—Olhei para os lados assustada.

-Hora, hora...—Era uma voz familiar.-Meu jantar chegou.

Olhei para frente, Laura saiu das sombras da suposta sala que eu estava. Ela estava sorrindo largo e eu comecei a me desesperar.

-Hmmm, espera! Você não sabe o que fazer agora a partir daqui certo?—Disse Laura passando a mão no meu rosto.

-Eles vão te encontrar!—Gritei.

-Quem? Aqueles fodidos? Eles estão todos machucados!—Ela gritou arranhando meu rosto.-Acabou para você!Meu delicioso jantar... Minha Homura a Milanesa.

Ela me arrastou junto com a cadeira para outra porta da sala. Estava me debatendo, ela entrou em uma cozinha. Eu comecei a gritar por ajuda, eu seria picadinho! Laura passou por um balcão e puxou uma faca.

[Lado Letícia]

15:00

Eu saí do hospital com a Creamy. Tiramos alta, eu já estava me sentindo um pouco melhor e ela também. 

-E então?—Perguntei olhando para a Creamy.

-A gente poderia... Sair para algum lugar qualquer dia desses?—Disse ela me olhando também.

Eu arraguelei os olhos surpresa e sorri com o canto da boca.

-Claro.—Respondi.

Creamy levantou os braços de felicidade. Ri e ela começou a rir também, estávamos pertos uma da outra... Era um momento bom, acho que finalmente posso esquecer aquilo daquela noite. Derrepente senti algo tocando na minha cabeça, gelei e olhei para trás. Era uma mulher negra de terno apontando uma arma na minha cabeça.

-Monroe?!—Exclamei.

[Continua]































Notas Finais


Desculpa se ficou curto?:/
A parte da Ella foi uma criação da minha namorada, só que dei uma grande resumida e mudei


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...