1. Spirit Fanfics >
  2. Arte e Alma - Yoonkook >
  3. 17

História Arte e Alma - Yoonkook - Capítulo 21


Escrita por: e JooEJjk


Capítulo 21 - 17


Jungkook

No dia seguinte, eu estava sentado ao lado de Yoongi quando Taehyung bateu com força a bandeja do almoço na mesa. A raiva do dia anterior parecia estar armazenada no fundo da mente, e naquele momento a irritação tinha a ver com outra questão.

— A gente NÃO VAI deixar Jimin A berração comer de novo com a gente! Eu proíbo isso!

Nas últimas semanas, Jimin tinha se aproximado da nossa mesa, sentado por dois minutos — três, quando não estava com pressa — e conversado sobre citações aleatórias. Depois ele elogiava Taehyung e ia embora, sempre apressado. Estranhamente, esse momento tinha se tornado um dos melhores do meu dia.

— Por que não? Ele é ótimo — disse Yoongi.

Toda vez que ele falava, eu observava seus lábios.

Ele poderia ter dito cocô que ainda assim soaria romântico.

Pare com isso, Jungkook.

— Ótimo?! ÓTIMO?! Olhem só isso!

Ele pôs a mão na mochila e tirou dois saquinhos Ziploc. Um deles tinha frascos novos de álcool em gel, e o outro, cookies.

— Estão vendo isso?! — disse ele, sua pele pálida ficando vermelha. — álcool em gel e cookies? — perguntei, confuso.

— Cookies caseiros! Sim, isso mesmo! Jimin aberração simplesmente parou na frente do meu armário e disse, “oi, Taehyung, percebi que você estava com pouco álcool em gel ontem no almoço, por isso comprei dois novos, e também fiz biscoitos para você”.

Depois ele me entregou isso e foi embora!

— Que gentil — respondeu Yoongi.

— Gentil?! Isso é loucura! E se alguém visse a gente? E se alguém achasse que eu e Ele estamos... estamos... juntos?!

— Qual seria o problema? — perguntou Yoongi.

Taehyung bufou e riu, com raiva.

— Ele é... Ele é... Ele é Jimin Abe...

— Sim? — disse Jimin, aproximando-se por trás de Taehyung.

O rosto dele ficou ainda mais vermelho quando ele se virou para olhá-lo.

— Ah. Oi.

Taehyung abriu um grande sorriso falso para ele. Jimin abriu um sorriso maior ainda.

— Seu sorriso é perfeito. Muito branco e perolado. Pena que vai ter que tirar os sisos em algum momento, porque tenho certeza de que eles também devem ser lindos. Eu queria comer com vocês hoje, mas... — ele olhou para o relógio de pulso — estou atrasado. Vejo vocês depois, ok? Taehyung, essa camiseta amarela ficou ótima em você. Achei que o bordô combinava, mas amarelo é melhor. Tá bom. Até mais, pessoal.

Com isso, ele foi embora com sua calça barulhenta, deixando Taehyung boquiaberto e confuso.

— Ele NÃO PODE mais comer aqui com a gente!

— Se você gosta tanto dele, é só chamá-lo para sair, Taehyung — disse Yoongi mordendo o hambúrguer de frango.

— Oi? Você acha que eu gosto do Jimin? Do JIMIN?! Tá bom. — Taehyung riu. — Só porque Ele é estranho e meio que bonito e faz cookies excelentes e tem uma covinha na bochecha direita do lado de uma marca de nascença em forma de coração, e às vezes cita algumas coisas interessantes, e é engraçado e estranho e provavelmente beija muito bem porque está sempre mexendo a boca, o que me dá vontade de beijá-lo quatro vezes seguida... isso não significa que EU GOSTO DELE E QUE QUERO SEUS COOKIES! — gritou ele.

Yoongi e eu ficamos em silêncio, encarando-o de olhos arregalados. Taehyung tinha acabado de recitar o monólogo mais constrangedor e confuso da história da humanidade. Nossos olhos se moveram para Jimin, que tinha voltado e virado um tomate. Paralisado, Ele segurava dois pacotes de cookies. Taehyung virou-se para Ele. Ele piscou.

Ele piscou.

Ele piscou de novo.

Ele piscou de novo.

Vários momentos constrangedores com os dois piscando se passaram antes que Ele falasse.

— Esqueci de entregar os cookies que fiz para Jungkook e Yoongi.

Ele entregou um saquinho para cada e depois endireitou a postura.

Seu olhar encontrou o de Taehyung.

Taehyung piscou de novo.

Jimin piscou de novo também.

— Agora vou embora — disse Jimin.

— Tá bom, parece certo — concordou Taehyung.

Ele se afastou com pressa, os saltos e a calça anunciando sua saída.

Taehyung sentou-se na cadeira e enterrou o rosto nas mãos.

— Acham que Ele escutou?

— De maneira alguma — respondeu Yoongi com um sorriso irônico. — Acho que você está a salvo.

Quando não estava com Yoongi no colégio, eu pensava mais nele do que deveria. Toda vez que recebia uma mensagem dele, sentia meu estômago se revirar.

Yoongi: Apolíneo — adjetivo [apol’ĩnju]: Que possui grande beleza.

Eu: Aplicação em uma frase, por favor?

  Yoongi: Você estava muito apolíneo      quando entrou na aula de cálculo hoje com meias descombinadas.

Eu: Você é muito maluco.

Ele não respondeu.

Preparei o jantar das minhas irmãs e conferi o celular. Dei um cochilo, acordei e conferi o celular. Eu me pesei, encarei minha barriga no espelho e conferi o celular. Escutei meus pais brigando sobre a possibilidade de ensino domiciliar para mim no próximo semestre e conferi o celular.

Tudo antes das 19h.

Yoongi: Odeio essa palavra. É a segunda de que menos gosto.

Eu: Qual?

Yoongi: Maluco.

Eu: Por quê?

Ele me fez esperar de novo.

Só recebi uma resposta às 19h39.

Yoongi: Porque o pessoal da minha antiga cidade sempre chamava minha mãe de maluca.


Notas Finais


Continua....
Me desculpem pela a erros, e pelo capitulo pequeno.
Por favor comentem se estão gostando ❤️


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...