História Arte e Anatomia - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias EXO
Personagens D.O, Kai, Lay
Tags Kaisoo, Nãoseioqueeutofazendo, Pwp, Sookai
Visualizações 482
Palavras 3.574
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Ficção, Ficção Adolescente, Hentai, Lemon, LGBT, Slash, Universo Alternativo, Yaoi (Gay)
Avisos: Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oiii eu achei isso em um pendrive velho ksksksk se alguém for ler isso espero que goste e releve qualquer erro, eu não revisei. Boa leitura >.<

Capítulo 1 - Capitulo Único



Eu estava frustrado.

 


Frustrado com os meus desenhos ‘’meia boca’’, como o meu professor de artes costumava chama-los. Estava farto de ter o professor - filho da puta que não sabe apreciar o meu estilo de arte - reclamando comigo sobre os desenhos com proporções corporais estranhas, ‘’você precisa praticar a anatomia com um modelo ao vivo e a cores’’ ele disse, mas com que cara eu iria pedir á algum de meus amigos para tirar a roupa e me deixar fazer um desenho dele pelado??     Seria muito menos vergonhoso pagar um striper ou algo parecido, para tirar a roupa e me deixar desenha-lo. Era isso que eu tinha em mente, estava juntando coragem o suficiente - e dinheiro também - para ir atrás de um cara que tira a roupa por dinheiro, ate jongin - meu colega de classe gostoso e bissexual, por quem eu tenho um penhasco - se oferecer, na maior cara de pau, parar tirar a roupa para mim.
‘’tudo em nome da arte, é claro’’ jongin disse com aquele maldito sorriso com dentes perfeitos, na boca perfeita - que eu queria beijar muito - no rosto malditamente perfeito dele. Mas é claro que eu não recusei, quem em sã consciência iria recusar? Era uma chance de ouro, iria ver aquele corpo gostoso sem NENHUMA peça de roupa e ainda por cima iria ajudar aperfeiçoar os meus desenhos.

 

***


Eu estava nervoso - tipo para caralho, eu iria ver o meu chush P E L A D Ã O - estava suando de tanto nervoso estava quase indo tomar outro banho, quando, alguém bateu na porta do meu quarto, eu todo nervoso fui lá ver quem era... Era jongin todo gostoso parado lá com aquele sorriso maldito naquele rosto malditamente bonito, e eu nem preciso mencionar que eu me derreti todo - mais do que já estava - e eu devo ter viajado muito olhado para aqueles brações - por que, sim! Meus amigos ele estava com uma regata branca de tirar o folego - que quando eu percebi ele estava pedindo passagem para entrar no meu dormitório.

— Hmm eu posso?


— Aaaaah claro que sim... - entra na minha casa, entra na minha vida e no meu cu também -.


Ele entrou e ficou observando tudo, eu me senti um pouco envergonhado. Sabe quando uma pessoa diz que o celular é uma extensão do corpo dela? Então, meu dormitório era quase como uma extensão do meu corpo, - estranho, eu sei- não era qualquer um que eu deixava entrar ali, ate mesmo meus amigos mal pisavam ali, entretanto Kim Jongin, repito! KIM J O N G I N, estava e n t r a n d o aqui, eu me senti um pouco invadido... Sem malicia rs

— Então... Onde vai ser? - ele perguntou quando terminou de analisar tudo ao seu redor -.
— Na minha cama, de preferência... - murmurei -
— O que você disse? - perguntou. Notei que seu sorriso tinha mudado para alguma coisa mais... Maliciosa? Hmm -
— É... e-eu disse... Na frente daquela parede ali! - apontei para a esquerda, perto da estante de livros, onde era iluminado pela luz que entrava pela janela do lado oposto -.
— Certo - ele andou ate a frente da parede e se sentou em um banquinho que eu tinha colocado mais cedo -.
— Bem... Eu vou pegar o material, você pode ahh... Tirar a roupa... - sai andando, quase correndo, ate o armário que ficava no corredorzinho que dava acesso ao quarto e banheiro. Tentei pegar todo o material que iria precisar o que não deu muito certo, pois derrubei quase tudo no chão e fez uma bagunça e barulho danado -.

— Você precisa de ajuda...? - ouvi jongin dizer -.

— NÃO! Não preciso - eu estava com a cabeça nas nuvens e distraído demais - se concentra porra você não é um adolescente bobo que fica com vergonha de ver alguém pelado... - disse para mim mesmo. Depois de pegar tudo que precisava, de novo, e arrumar a bagunça que fiz voltei ate onde jongin estava me esperando... PELADO! Eu quase, quase, derrubei tudo de novo no chão acho que só não o fiz por ter ficado paralisado/chocado quando vi o deus grego, vulgo kim jongin, pelado, sem roupa alguma, como veio ao mundo me esperando em pé fazendo uma cara de paisagem enquanto olhava alguns quadros pendurados na parede.

— Precisa de ajuda? - perguntou sorrindo de lado. Esse maldito quer me deixar duro! -.

— Ai não p-precisa e-eu posso fazer isso sozinho! - falei depressa. Com os olhos arregalados e a cara mais vermelha que um pimentão eu andei ate ele e coloquei o cavalete na frente um pouco mais afastado dele, para ter uma visão melhor, arrastei uma mesinha que tinha ali perto e despejei as tintas, pinceis e lápis que iria usar, e comecei a organizar tudo sem levantar o olhar para o cara gostoso e pelado que estava na minha frente.
— Esses quadros são muito interessantes - disse. Eu conseguia sentir o olhar dele me queimar as costas - São seus?

— Sim, não são os meus melhores, mas são os meus favoritos foram os primeiros que pintei...

— Sabe kyungsoo, eu tenho te observado por um tempo - me observado oi? Kim gostoso jongin me observava! Eu vou surtar - e notei que você tende à auto depreciar sua arte... - eu levantei o olhar para encara-lo, tentando não olhar pra aquele pauzão dele, e fiz a egípcia fingindo não entender a parte do ‘’auto depreciar a sua arte’’ porque, bem, eu entendi o que ele queria dizer com isso - Não me entenda mal, é que nas aulas quando o professor fala sobre os seus quadros daquela maneira e você sempre concorda com tudo o que ele diz, mesmo que quase sempre esteja totalmente errado. Você meio que se auto deprecia fazendo isto.

— Aah... É que ele é o professor e eu prefiro me poupar de começar uma discussão sobre arte e acabar sendo expulso daqui... - sim eu sou bolsista, mas pago pelo dormitório -.

— Não deveria o deixar insultar o seu estilo de arte, yixing é muito perfeccionista, acho que ele implica muito com você por nada... - disse e se sentou no banquinho... Com as pernas abertas... E aí eu te pergunto; você meu queridx leitor teria autocontrole o suficiente para NÃO abaixar o olhar pro pauzão daquele deus grego? Se responder sim, então você deve ser muito hetero, lésbica ou tem muito autocontrole mesmo, porque euzinho aqui não perdi a oportunidade de secar aquele pau com os olhos - queria estar era secando com a boca de tanto mamar ele, mas...-

— É... é da próxima vez que ele me insultar vou o mandar ‘pra puta que pariu... - tenho quase certeza de que escorreu uma babinha da minha boca - ele soltou um risinho e eu desviei o meu olhar, para ele não achar que eu sou algum tipo de pervertido, e voltei a minha atenção para as tintas.
Algum tempo depois de terminar de arrumar as coisas e ter que me aproximar do deus grego para ajuda-lo a fazer uma pose extremamente constrangedora, - o que pareceu não afetar jongin já que ele pareceu ficar mais confortável naquela posição - e voltar para frente do cavalete, para, enfim começar os esboços.


Era constrangedor fazer aquilo. 

 


Jongin me encarava com uma expressão facial de quem queria me comer vivo - e se deus quisesse isso iria acontecer hoje mesmo, por que eu não fiz uma chuca atoa, não que tivesse premeditado uma trepada, imagina, mas sonhar não custa nada e a esperança é a ultima que morre - não que eu não estivesse gostando daquilo, porra eu estava quase tendo uma ereção ali só de olhar para ele, mas o desgraçado estava me tirando a concentração e se continuasse assim eu acabaria sem desenhos para esfregar na cara do meu professor perfeccionista e perderia a minha bolsa na faculdade.

— Tem um tempo que eu queria te perguntar... - ele começa a falar depois de um tempão em que ficamos em silêncio, graças a deus por que aquele silêncio constrangedor estava quase me matando -. Kyungsoo... Você é solteiro?


Eu arregalei os olhos — p-porque quer saber? Tem interesse? Por que se você tiver, eu também tenho. - da onde saiu toda essa coragem eu não sei. Jongin gargalhou e se levantou vindo em minha direção, eu estava paralisado com um pincel na mão.
Ele se aproximou - nessa hora eu comecei um mantra dentro da minha cabeça; não olha pro pau dele não olha pro pau dele não olha pro pa... - parou ao meu lado e olhou para o desenho.

— Está muito bom... - ele continuou andando ate parar atrás de mim -. Sim, eu tenho interesse... - ele se aproximou da minha nuca e deixou um beijinho me fazendo arrepiar ate a alma, o que me fez derrubar o pincel no chão e consequentemente eu tive que me abaixar para pega-lo antes que manchasse o meu tapete fofinho, cujo eu gastei um salario INTEIRO para comprar, e quando me abaixei... Ah quando eu me abaixei acabei roçando a minha linda raba no pauzão do Jongin, meus amigos eu quase tive um treco ali mesmo e o pior de tudo foi que o safado se aproveitou ‘pra se roçar em mim! Isso foi o fim da picada pra mim -como minha mamy costuma falar- eu me levantei na hora e me virei todo afobado para ele, e nessa hora toda a vergonha que eu tinha na cara esvaiu-se de mim. - Você quer transar? - falei assim sem mais nem menos, na lata. Ele me olhou parecendo um pouco surpreso, mas depois sorriu aquele maldito sorriso de lado que mata a minha sanidade, e respondeu; ‘’Que bom que foi você quem tomou a iniciativa, eu não queria parecer apressado demais fazendo o convite’’.

 

***

 


Estava tudo pegando fogo, não literalmente, mas quase isso. Estava aos beijos com Jongin - meu sonho foi realizado, já posso riscar da listinha de ‘’coisas pra fazer antes de morrer’’ pegar kim Jongin -. Eu não sabia mais onde começava e terminava a minha boca, a coisa ‘estava tão seria que tivemos que parar um pouco pra recuperar o ar, e tirar a minha roupa. No maior desespero arranquei a camiseta que vestia, Jongin estava com um sorriso lindo e safado no rosto me observando, vale ressaltar que ele já estava de pau duro, eu sorri de volta enquanto olhava o membro alheio com a boca salivando implorando para fazer aquilo de pirulito e chupar ate não sentir mais a minha boca. - não me julguem, eu estava sem transar há um tempão -. Quando fui tirar minha calça ele me parou e disse; ‘’tira devagar, não seja tão apressado’’ e eu fiz o que ele pediu, obvio, quando um gato desses te pede pra fazer um strip-tease para ele é claro que você vai lá e faz. Então eu me virei de costas para ele ter uma visão privilegiada da minha raba - agradeci mentalmente por ter uma raba grande, bonita e livre de pelos -. Comecei a abaixar a calça junto da cueca que usava daquele jeito né, bem devagarinho, empinado a bunda na direção dele -me senti muito ousado nesse momento-. Ele soltou um grunhido quando me abaixei por completo revelando a bunda linda que tenho. Levantei-me e senti-o se aproximando por trás, fechei os olhos e suspirei, o senti colar o corpo dele ao meu - ai misericórdia - soltei um gemidinho quando ele apertou a minha bunda, a mão - e que mão - dele estava gelada e me fez ter arrepios gostosos pelo corpo. Ele subia as mãos pelas laterais do meu corpo me fazendo estremecer todinho.

— Você é ainda mais gostoso do que imaginei. - disse -

— Digo o mesmo sobre você - abri os olhos, tomado de uma coragem barra vontade de fuder ate o talo, me virando para ele e atacando os seus lábios. A guerra de bocas tinha recomeçado e estava ainda pior - melhor - que antes, era uma bagunça que só, mãos bobas passeando pelo meu corpo me apertavam em todo cantinho, e eu também não perdi a minha oportunidade de passar a mãos naquele abdômen maravilhoso de Jongin, passei as minhas mãozinhas por tudo ate chegar ao membro alheio que estava duro, muito duro - nesse momento eu senti uma felicidade imensa em saber que tinha sido eu que causei isso - Então eu me empolguei -ainda mais- e separei o beijo, desentupidor de pias que a gente tava dando, e me abaixei ficando ajoelhado de frente pro pauzão do alheio - salivei muito - e olhei para cima, encontrando o olhar de Jongin sobre mim, ele sorriu, de uma maneira nem um pouco casta para mim e pousou sua mão esquerda sobre a minha cabeça, fazendo carinho nos meus cabelos.
Eu devolvi o sorriso obsceno e abri a boca colocando a língua para fora dando uma lambidinha.

— Sabe faz um tempo que eu queria poder fazer isso... - o provoquei passando a língua em toda a extensão do membro dele.

—Chega de enrolações. - ele disse, com um sorrisinho maldito de lado, e puxou meus cabelos, me fazendo inclina-la para trás eu soltei um gemido dolorido, e ele empurrou o quadril para frente fazendo seu membro entrar na minha boquinha. Eu me assustei um pouco com a atitude repentina, mas não recusei a continuar com aquilo, sempre curti uma coisa mais selvagem.  Ele começou a movimentar o quadril, me fazendo abrir mais a boca para poder abriga-lo melhor, jogou a cabeça para trás e começou a ir mais rápido enquanto soltava gemidos altos. Naquela altura do campeonato, eu já estava babando mais que um cachorro com sede, salivava muito facilitando ainda mais a entrado do pau dele em minha boca, eu sentia a saliva escorrer pelo meu queixo - seria nojento se não fosse tão excitante ver Jongin daquela maneira tão despudorada e pecaminosa. Era extremamente excitante. Eu levei a minha mão direita até o meu próprio membro e comecei a masturba-lo rapidamente, enquanto sentia Jongin ir mais fundo e rápido dentro da minha boca, o que não durou muito. Ele se retirou de minha boca e me puxou, com certa brutalidade, me fazendo ficar em pé. Minhas pernas estavam bambas de tanta excitação, Jongin percebendo isso se aproximou me pegando no colo e me prensando na parede mais próxima. Fazendo-me ficar com as pernas em volta de sua cintura, eu me senti um pouco envergonhado.

— Você tem camisinha? - perguntou, enquanto dava chupões no meu pescoço -.

— uhum... - foi tudo o que consegui pronunciar enquanto fazia ele me soltar, á contragosto, para poder ir pegar o preservativo no banheiro. — Eu já volto - andei apressado até o banheiro achando camisinhas e um tubo de lubrificante espalhados pela gaveta do armário, e voltei rapidamente até Jongin, que me esperava quase sentado no chão á frente do sofá massageando o seu membro ereto. Nesse momento eu parei e meu subconsciente me disse; ‘’tem certeza que vai querer gozar em cima do seu tapete fofinho em que você pagou os olhos da cara?’’ Bem... Eu mandei o meu consciente se foder, é logico, eu ia dar pro Jongin! Estava pouco me importando se fosse ser no chão no meu tapete caro ou encima da mesa, porque para ele eu daria em qualquer lugar. Andei ate ele sorrindo me ajoelhando na sua frente. — Espero que essas sirvam em você. - disse na maior, falsa, inocência. O pênis dele era grande, bem acima da média, os caras com que já havia transado antes não chegavam nem perto do dele -. Ele soltou uma risadinha e depois me olhou com aquele olhar que faz arrepiar a alma. — Vira e fica de quatro. - aquilo não era um pedido, era uma ordem. E eu como o bom menino que sou, fiz o que ele me mandou, me virando e ficando de quatro, empinado o máximo que consegui, a minha bunda na direção dele. O ouvi suspirar. Ele abriu a camisinha e chegou mais perto passando as mãos sobre a minha bunda.

— Pronto para ter a melhor foda da sua vida? - ele fazia movimentos insinuantes contra minha bunda.

Prontinho. - disse. Senti um tapa sendo desferido contra minha nadega esquerda para longo em seguida senti-lo separar as minhas pernas e depois as bandas da minha bunda, deixando a minha entrada exposta, e despejou o lubrificante, geladinho, para depois enfiar um dedo, fez movimentos para eu me acostumar, e inseriu mais dois dedos me alargando, e logo em seguida retirando os dedos para substitui-los por seu pênis me penetrando de uma vez. Eu gemi alto, ele era grande e minha entrada tentava expulsa-lo a todo custo, doeu, mas eu me acostumei rapidamente, me remexi o incitando a iniciar as estocadas.
Eu gemia como se minha vida dependesse disso, era tão bom o jeito que ele me penetrava, eu estava indo aos céus apenas com aquilo, ele puxava meu quadril em sua direção fazendo tudo ficar intenso, eu não me aguentei e deitei o peito no meu tapete fofinho, deixando a bunda empinada para cima, levei uma mão até meu pênis necessitado de atenção, e comecei a masturba-lo na mesma rapidez em que era estocado. Logo o senti se retirar de dentro de mim, soltei um murmuro em reprovação, estava quase chegando lá. 

— Vem aqui. - eu fiquei de joelhos e me virei para olha-lo, ele estava sentado encostado no sofá. — Vem, eu quero ver você cavalgando em mim. - disse, e bateu uma vez em sua coxa, me chamando para sentar nele -. Eu fui engatinhando ate ele e me posicionei em cima dele com uma perna em cada lado, me sentei encaixando o pênis dele em minha entrada o fazendo me penetrar. Soltei um gemido manhoso quando o senti, novamente, todo dentro de mim, olhei para o rosto dele, estava suado com os fios de cabelos todo bagunçado e grudado na testa, e eu não estava diferente dele. O seu olhar me queimava, me fazia eu me sentir quente, era intenso. Eu o beijei enquanto comecei a me movimentar, senti as mãos dele em minha cintura me ajudando a subir e descer em um ritmo lento e provocante. Separei as nossas bocas quando comecei um ritmo mais rápido e brusco, senti as mãos dele ir ate o meu membro esquecido, e começar a me masturbar.
Jongin gemia baixo, ao contrario de mim que praticamente gritava a cada vez que descia em direção ao seu membro, estava quase lá novamente e sentia que ele não estava tão diferente de mim.  Aumentando o ritmo em que eu cavalgava, e eu pude ter a visão, maravilhosa, que era ver Kim Jongin gozando, enquanto jogava a cabeça para trás com a boca aberta soltando um gemido esganiçado, eu não aguentei e gozei junto gemendo alto para caramba.

— Espero que ninguém faça reclamações na diretoria sobre gemidos altos demais. - eu disse deitando a cabeça no ombro alheio.

 

***

 


No outro dia tive que ir a aula mesmo estando com uma, considerável, dificuldade para andar e sentar, já que fizemos mais uma vez depois daquela e depois Jongin continuou a ser o meu modelo, gostoso e pelado, e nós trocamos nossos números dantes dele ir embora. E eu estava considerando nunca mais ser o passivo com Jongin, por que veja bem, o brinquedinho dele era grande e se as coisas continuassem no mesmo ritmo - se deus ou qualquer outra entidade quiser -. Eu acabaria não conseguindo sentar direito nunca mais, e se deus me deu um pênis eu devo usa-lo também. - não só de ser passivo vive a gay dentro de mim -.
Eu teria que encarar o professor perfeccionista e babaca, que aparentemente me odiava. Estava parado na entrado da sala 10 de artes, ponderando se entrava ou voltava para o meu dormitório para passar pomada na raba que tinha sido quase esfolada por Jongin.

— O que você está esperando para entrar? - falando no diabo - Quer que eu te leve no colo? Eu peguei pesado ontem - soltou uma risadinha debochada. Eu me virei para ele e revirei os olhos e respondi.

— Você nem se acha, não é mesmo... Espera só ate você ser o passivo. - disse e entrei na sala. Jongin entrou logo em seguida, com um sorrisinho bobo nos lábios, e direcionou ao seu lugar. Fiquei trocando mensagens nada castas com Jongin ate o professor yixing entrar na sala alguns minutos depois.
A aula se seguiu como sempre, o professor implicou comigo como sempre, mas, no final da aula chamou eu e Jongin, e disse que tinha gostado do nós tínhamos conseguido fazer - eu engasguei nessa parte e tive uma crise de tosse - e disse que deveríamos praticar mais vezes juntos.
''Pode deixar professor, eu o ajudarei a praticar mais vezes''. - Jongin disse com aquele maldito sorriso com dentes perfeitos, na boca perfeita - que eu queria beijar muito - no rosto malditamente perfeito dele.

 


Até que praticar ‘proporções corporais’ não seria tão ruim assim.
 


Notas Finais


esse deve ter sido o primeiro lemon que escrevi foi aqui que comecei a odiar escrever lemon... q vergonha de postar me desculpem se estiver muito ruim :p

qualquer erro me avisem eu vou revisar depois pq se fizesse isso agora eu desistiria de postar


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...