História As Apimentadas - Duas Vezes Mais Quente (Camren) - Capítulo 6


Escrita por:

Postado
Categorias Camila Cabello, Demi Lovato, Fifth Harmony, Selena Gomez, Shawn Mendes
Personagens Ally Brooke, Camila Cabello, Demi Lovato, Dinah Jane Hansen, Lauren Jauregui, Normani Hamilton, Personagens Originais, Selena Gomez, Shawn Mendes
Tags Camila Cabello, Camren, Lauren Jauregui, Norminah
Visualizações 213
Palavras 1.996
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Famí­lia, Festa, Ficção, Ficção Adolescente, LGBT, Literatura Feminina, Romance e Novela
Avisos: Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olá, seres! Demorou, mas eu voltei!
Na verdade não sei bem o que dizer nessas notas iniciais, então, sem mais delongas, divirtam-se!

Capítulo 6 - A Irmã Mais Nova (Parte 3)


Lauren continuava sentada no sofá de Camila. Se antes ela estava assustada, agora parecia muito incomodada enquanto a latina e sua irmãzinha Sofia saltitavam de um lado para o outro da sala, cantando uma das músicas de “Cinderela”, que a pequena havia praticamente obrigado as duas a colocarem. A criança havia contagiado totalmente a irmã. Tanto, até, que a convenceu a colocar uma tiara de plástico minúscula e agir como uma princesa, só porque queria ser a fada madrinha dela!

—Isso não acaba nunca? — a de olhos verdes resmungou, observando a garotinha e a irmã mais velha jogando papéis picados uma na outra, como se fossem os poderes mágicos da fada.

—Qual é, Lolo! É divertido! — Camila saltitou até ela e jogou um cachecol cor-de-rosa em sua direção. — Você pode ser meu príncipe! — e então deu uma piscadela discreta.

Lauren soltou um leve sorriso, realmente pensando em entrar na brincadeira, mas então notou o olhar ameaçador de Sofi mais uma vez.

—Eu passo… — ela respondeu rapidamente, cruzando os braços e desviando o olhar para não ter que encarar aquele pequeno monstrinho.

—Ela deveria ser a meia-irmã feia, Kaki! — Sofi disse de forma inocente, mas obviamente para provocar a de olhos verdes. E é claro que Camila não conteve o riso.

—Como é que é??? — Lauren protestou, abrindo a boca levemente indignada. — Feia???

—Ei, calma… Ela só está brincando, Lolo!

—É bom que esteja! — dessa vez foi a de olhos verdes quem lançou um olhar mortal para a pequena, que logo correu para trás da irmã, soltando um risinho travesso.

Aquela guerra estava com certeza bem longe de terminar.

***

Normani e Dinah pareciam finalmente estar tendo um encontro de verdade. Depois de o garçom finalmente entregar os pratos e se afastar, as duas puderam conversar normalmente. Quer dizer, quase normalmente.

—Dinah, você tem certeza de que está tudo bem? — a morena perguntou, ao notar que a garota olhava o celular a cada 5 minutos.

—Tenho sim! — ela respondeu, largando o aparelho na mesa e dando um sorrisinho visivelmente tenso.

—Mesmo? — Mani insistiu, olhando profundamente nos olhos de Dinah, que apenas balançou a cabeça positivamente. — Ok… Vou acreditar em você por enquanto… Mas é só porque eu preciso te dizer algo importante. Eu deveria esperar até o fim da noite, mas não consigo mais me conter…

Nesse momento, a grandona sentiu seu coração pulsar forte e rápido. Será que era o que ela estava pensando? Se fosse, o que ela diria? Ou melhor, ela conseguiria dizer alguma coisa?

E pela milésima vez aquela noite, Dinah sentiu seu estômago embrulhar.

—Normani, eu preciso… Eu… — ela já estava de pé, se virando para correr para o banheiro, quando a mão da morena agarrou seu braço.

—Ok, pra mim já deu! — ela exclamou, dando um leve susto na loira.

—O que?

—Por que você está fazendo isso? — Mani perguntou, agora parecendo irritada.

—Como assim?

—Você fica fugindo de mim! Qual o problema? Não queria ter vindo a esse encontro? Você podia apenas ter dito “não” quando eu te convidei!

—Mani, não é isso… É que… — Dinah abaixou a cabeça, realmente envergonhada por estar com medo de um simples encontro.

—Vamos lá! Fale! — Normani cruzou os braços, esperando por alguma resposta, mas a grandona permaneceu em silêncio olhando para o chão. — Dinah Jane, se você não me der uma explicação agora, eu juro que saio por aquela porta e nunca mais falo com você na minha vida!

A ameaça fez a garota soltar um arfar ainda mais assustado e levantar a cabeça para olhar para a morena novamente, que agora não tinha uma expressão nada doce. E funcionou! Mesmo se sentindo tão pequena quanto uma formiguinha de tanta vergonha, Dinah começou a se explicar:

—E-eu… Eu fiquei com medo…

—Medo? — Mani relaxou um pouco a expressão, mudando de raiva para dúvida.

—Sim, medo… Medo desse encontro! Olha, eu sei que isso é estranho já que nós nos vemos todo mês, mas é que isso… — ela olhou em volta. — É totalmente diferente! É mais… Íntimo! E com intimidade, eu quero dizer que parece que nossa relação pode ficar mais séria!

—E você não quer que fique?

—Pelo contrário! Eu quero muito! E por isso fiquei nervosa. Passei tanto tempo escolhendo a roupa perfeita, o penteado perfeito, o esmalte perfeito… Eu quis estar perfeita pra você! Mani, eu gosto muito de você! Mas… Acho que estraguei tudo com esse meu medo idiota… Desculpe…

Aos pouquinhos, um sorriso foi tomando conta do rosto de Normani. Nunca havia visto Dinah daquele jeito. A grande e imponente dançarina braço direito da líder do grupo Pacific Vista envergonhada e contraída, aquilo era simplesmente adorável.

—Você não estragou nada… — a morena desceu a mão por toda a extensão do braço da loira até chegar em suas mão e segurá-la suavemente.

—Não?

—Claro que não! Olha, eu confesso: passei o jantar todo com as pernas bambas, mas não dava pra notar porque estávamos sentadas. E a cada vez que você ia ao banheiro, eu pedia um copo d'água com açúcar para o garçom pra tentar me acalmar e falar com você sem gaguejar! Pensei até que tinha feito algo de errado pra você fugir de mim! Nunca tinha me sentido tão nervosa em toda minha vida! Nem as finais do “World of Dance” me deixaram assim!

—Você estava nervosa? Mas… Por que?

—Bom… — dessa vez foi Normani quem desviou o olhar. — É que… Eu te chamei pra sair porque queria te pedir em namoro…

Dinah teve um choque ao ouvir aquela palavra, enquanto todos (absolutamente TODOS) os clientes do restaurante soltavam um “Awwwnn”, enquanto assistiam a cena como se fosse uma novela.

—Mani… — ela murmurou, ainda um pouco aérea.

—E então, você aceita? — a morena insistiu, esperando por uma resposta.

Mas em vez de dizer alguma coisa, Dinah, com sua força maior que o normal, apenas agarrou a nuca de Normani e deu-lhe um beijo profundo, fazendo com que os “expectadores” do estabelecimento gritasse mais e aplaudissem enlouquecidamente. E, ao terminar, ainda teve a ousadia de perguntar:

—Isso responde a sua pergunta?

—Melhor resposta impossível! — Mani disse, soltando um leve riso.

—Me leva pra casa?

—Com todo prazer! — a morena concluiu, tirando um bolinho de dinheiro da bolsa, largando na mesa e seguindo com a sua mais nova namorada para fora do restaurante.

E bem, pra fechar aquela noite com chave de ouro, Dinah não pôde deixar de dar um leve esbarrão naquele mesmo garçom, mais uma vez fazendo-o cair de cara no aquário dos caranguejos.

***

Depois de muita insistência, Lauren acabou cedendo a sua latina e agora cantava e saltava junto com ela e sua irmãzinha, que hora ou outra armava alguma forma de atacá-la indiretamente, fosse jogando uma almofada contra ela ou puxando seus cabelos com a varinha mágica de plástico que estava usando pra fazer o papel de fada madrinha.

—Espera, espera! — Camila exclamava enquanto sofria um ataque de cócegas de Sofi e Lauren. — Por favor! — ela gargalhava. — Eu preciso ir ao banheiro!

Assim que as duas pararam com a brincadeira, a latina se levantou, com o rosto vermelho e ofegando muito.

—Obrihada! — ela disse indo em direção ao corredor que dava para o banheiro — Eu já volto, ok? Não se divirtam sem mim!

—Pode deixar! — Sofi respondeu, com aquele jeito doce que ela tinha para/com a mais velha.

—Sabe, criança… — Lauren disse, assim que Camila fechou a porta. — Talvez você não seja tão ruim quanto parece…

—Eu te disse pra ficar longe da Kaki, não disse? — a pequena respondeu, mostrando que a de olhos verdes estava errada. Mas ela já não estava mais tão intimidada assim.

—A “Kaki” — Lauren fez áspas com os dedos. — é minha namorada e eu fico perto dela quando eu quiser! — e então mostrou a língua, exatamente como uma criança faria.

Aquilo deixou Sofia furiosa! Um mostrar de línguas para as crianças, equivalia a um dedo do meio para os adolescentes e adultos. Quase que num piscar de olhos, a garotinha foi de encontro a maior, empurrando-a com certa força apesar de ser pequena. Em seguida, montou sobre o quadril da de olhos verdes e começou a golpeá-la com uma almofada várias e várias vezes.

—Não! — Lauren gritava. — Socorro! Camila! Camz!!!

Ao ouvir os gritos da namorada, a latina saiu mais que depressa do banheiro e correu para a sala, deparando-se com Lauren largada no chão com o rosto e o corpo cobertos de penas (do forro da almofada), enquanto Sofi apenas balançava os pezinhos, sentada no sofá.

—O que aconteceu? — ela perguntou, correndo para ajudar Lauren a se levantar.

—Ok, pra mim já chega! — a de olhos verdes respondeu, cuspindo algumas peninhas, limpando a boca e encarando a garotinha — Não vou mais ficar mesmo ambiente que essa pestinha!

—O que? — Camila alternou o olhar entre a namorada e a irmãzinha. —  Como assim, Lolo?

—Sua irmã! — ela apontou para Sofia. — Ela está me ameaçando e me atacando desde o primeiro segundo em que me viu sentada nesse sofá! Ela jogou o ursinho dela em mim, puxou o meu cabelo, me bateu com a varinha mágica de plástico e quase me fez engolir as penas de uma almofada! Tudo porque quer que eu fique longe de você!

—Sofi? — a latina olhou séria para a pequena, que baixou a cabeça e cruzou os braços. — Isso é verdade? — mas a garotinha não respondeu. — Sofia… — ao ouvir Camila chamá-la por seu nome em vez do apelido, ela a olhou e balançou a cabeça muito sutilmente, confirmando as acusações da de olhos verdes. — Mas… Eu não entendo! Por que você quer que a Lolo fique longe de mim? 

—Porque se você namorar com ela, nós não vamos mais fazer as coisas que sempre fazemos! Você não vai mais cantar comigo, nem brincar de boneca, nem me ensinar a dançar igual a você! Você vai passar o tempo todo com a Lauren e vai se esquecer de mim!

Ao ouvir a vozinha triste de Sofia, Lauren a olhou de forma diferente. Era só uma criança que gostava muito da irmã. Tanto que não queria perdê-la nunca. Estava tentando proteger Camila! A garota sentiu pena dela (HÁ, TROCADILHOS :v).

—Oh, Sofi… Eu jamais esqueceria de você! Mesmo que eu namore com a Lolo, sempre vou ter tempo pra minha irmãzinha! — a latina cutucou a barriga da irmã menor, arrancando-lhe gargalhadas. — E então, está tudo bem?

—Sim! — a pequena respondeu, sorridente.

—Ainda quer que a Lolo fique longe?

—Não! — Sofia deu um pulinho para descer do sofá e correu até a de olhos verdes, abraçando-a pelas pernas e então levantando a cabeça para olhá-la. — Eu não devia ter feito coisas ruins com você!  Lauren, você me desculpa?

—Hm… — Lauren fez uma cara pensativa, claro, de brincadeira e então respondeu com um sorriso: — Só se eu não for mais a irmã feia!

—Ah! — a garotinha deu alguns pulinhos,  animada. — Você pode ser a Malévola!

—Malévola? — a maior estranhou um pouco.

—É! A Malévola parece bruxa grande e má, mas na verdade ela é uma fada boazinha que ama muito muito muito a princesa! E ela é bonita e tem olhos verdes iguais aos seus!

Camila e Lauren se olharam, dando o mesmo sorriso por acharem fofissíssimos os comentários de Sofia e a comparação que havia feito da personagem com a garota.

—O que foi? — a latina perguntou, ao notar que a irmãzinha havia parado de pular e agora as encarava, esperando por algo.

—Vocês tem que dar um beijo!

—O que? — as duas riram.

—É! Todo mundo sabe que os conto-de-fadas sempre terminam com um beijo de amor verdadeiro! Então, vocês tem que dar um beijo!

Mais uma vez o casal se olhou e sorriu. Pareciam estar pensando exatamente a mesma coisa. E estavam! Ao mesmo tempo, Lauren e Camila se agacharam para ficar da altura da pequena Sofi e então beijaram suas bochechas, uma de cada lado, fazendo a pequena sorrir, alegre, encerrando, finalmente, aquele que na verdade era o tão esperado encontro entre a fada dos olhos verdes e sua princesa latina

FIM DO EPISÓDIO 2


Notas Finais


E É ISSO POR ENQUANTO PESSOAL!

Hoje eu quero saber de vocês, o.que aprendemos com esse episódio?

Deixem aí nos comentários porque eu sempre leio e respondo quando posso!

Até o próximo episódio! <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...