1. Spirit Fanfics >
  2. As armadilhas do amor - Imagine Hongjoong >
  3. A letter and unanswered questions ...

História As armadilhas do amor - Imagine Hongjoong - Capítulo 16


Escrita por:


Notas do Autor


Boa leitura 📖
Espero que gostem ☺️

Capítulo 16 - A letter and unanswered questions ...


Fanfic / Fanfiction As armadilhas do amor - Imagine Hongjoong - Capítulo 16 - A letter and unanswered questions ...

Seoul 9:00 am...

Hongjoong p.v.o 

Estava na empresa cuidando de alguns papéis, que pareciam ser infinitos, já que não acabavam nunca. Porém, mesmo com tanta coisa para fazer e contratos importantes para revisar, minha preocupação com S/n era constante, mesmo sabendo que Sook falava muitas coisas da boca pra fora, sinto que ela não vai deixar só por meras palavras, não dessa vez. Como sei? Bem depois que pedi S/n em namoro, não sei como, mas Sook descobriu, e me ligou no mesmo dia em que S/n rescebeu aquela ligação estranha, na curta ligação, ela disse as seguintes palavras:

" Olá querido Kim Hongjoong, soube que está namorando aquela vadiazinha. Aproveite os últimos dias que você tem com essa nojenta, como eu disse irei me vingar, mas não será uma mera vingança já que não estou sozinha nisso. Ah querido, as coisas poderiam ser diferentes, você poderia estar comigo delirando o prazer de me ter ao seu lado, mas você não quis assim entãoitome cuidado querido Joongie, os dias que vocês tem juntos está prestes a acabar, aproveite cada segundo. "

" Como ela sabe? E quem é essa pessoa?" - penso.

Essas malditas palavras não saiam da minha cabeça e apesar da preocupação, tento me manter calmo, não quero que S/n descubra isso e fique no mesmo estado em que estou, não quero vela assustada. Não quero que ela se preocupe, eu mesmo quero resolver isso, mas não sei como. Não me preocupo comigo e sim com S/n, se Sook fizer algo com ela ... não quero nem pensar nisso.

Hong: Meu Deus, o que vou fazer. - digo me debruçando sobre a mesa - estou de mãos atadas. Ah S/n, não vou deixar que nada te aconteça, eu não posso permitir.

Procuro me concentrar na enorme pilha de e papéis a minha frente, mesmo sendo impossível, já que tudo circulava em minha cabeça. Mas continuo tentando me distrair, lendo contrato por contrato, avaliando propostas, revendo os gráficos de lucro, entre outras coisas muito importantes.

Hongjoong off...

.

.

.

S/n p.v.o

Estava na cozinha encarando a dispensa que estava literalmente vazia, não havia nenhum temperinho, nada, apenas algumas verduras mirradas, e alguns biscoitos moles, como tudo chegou a essa situação? Não faz muito tempo que fiz compras e já está assim, se pensando bem, as compras que fiz foram à um mês. Já me dando por vencida, dou um olhadinha nas horas e vou a passos lentos carregados de preguiça até as escadas.

S/n: Vou ter que sair para fazer compras denovo, como é que tudo acabou tão rápido? - digo subindo as escadas com uma preguiça extrema de sair de casa, já que o dia estava frio.

Me troquei, colocando uma calça jeans de lavagem clara, uma blusa preta e um moletom bem quentinho e aconchegante, juntamente com um tênis de cano baixo. Me olhei no espelho, prendi o cabelo em um rabo de cavalo, bem simples, e sai do quarto, desci as escadas indo a porta principal, sai colocando meus fones de ouvido, coloquei qualquer música da minha playlist.

Enquanto andava pelas ruas, senti aquela maldita sensação novamente, olhei de forma discreta envolta a procura da pessoa qua estivesse me observando, porém não encontrei, continuei andando e tentando me convencer que era coisa da minha cabeça,  porém me mantive atenta, quando percebi já estava perto do supermercado me apressei para entrar, na esperança de que tudo o que sentia acabasse.

Enquanto pegava as mercadorias que estavam em minha lista, me lembrei da primeira vez que senti essa sensação, no dia do meu passeio com meu irmão, mas nesse dia não me atentei tanto, pois achei que era coisa da minha cabeça então ignorei. Porém agora, isso está me deixando preocupada, aquela ligação, será que é só uma brincadeira de mal gosto ou talvez ... não, ele está em Incheon, ele não sabe onde estou, ou sabe? 

Balanço a cabeça tentando afastar meus pensamentos de qualquer negatividade, e continuo a pegar os itens necessários.

Quebra de tempo ...

.

.

.

Já estava em casa, preparando meu almoço, já que Hong iria ter um almoço de negócios, o que o impedia de vir me fazer companhia por um tempo, ele vem se esforçando muito para aumentar a fama de sua empresa, me orgulho dele por isso.

Estava destraida preparando super refinado também conhecido como  macarrão, quando escuto alguém bater na porta, me assusto ja que nao esperava nenhuma visita no momento, desligo o fogo do macarrão, o qual já estava pronto, e vou a passos receiosos até a porta, o medo era presente, o qual me deixava sem folego. Quando já estava de frente para porta respiro fundo e a abro, me deparando com o nada, olho para os lados, mas nada, então olho para o último lugar, o qual ainda não havia olhado, para baixo, onde estava uma carta.

Me abaixo para o pegar, entro e fecho a porta rapidamente a trancando, abro cautelosamente o envelope, no qual meu nome estava assinado em vermelho.

" Olá querida S/n, sentiu minha falta? Espero que sim, saiba que não paro de pensar em você por um segundo e em como podetiamos estar juntos agora, mas não estamos. Mandei este bilhete para lhe informar que ainda não desisti de você e irei fazer o impossível para te ter de volta em meus braços. Se lembre você é só minha, e eu sou o único homem que pode te fazer feliz.

Atenciosamente Kang-Dae ♡"

Me assunto ao ler o nome daquele infeliz, como ele soube que estou aqui? Me sento no chão em lágrimas, estava desesperada, perguntas e mais perguntas estavam pairando em minha cabeça.

" Como esse desequilibrado descobriu onde estou? Por que ele ainda não desistiu de mim? Será que eu não deixei bem claro, que estou bem melhor sem aquele imprestável? " - pensei.

Em prantos começo a chorar descontroladamente, jogo a carta longe e começo a passar a mão com força em minhas roupas a procura de me "limpar", eu já o amei muito, porém ele nunca me respeitou e quase me violentou alegando que eu era sua propriedade e que ele deveria ser o primeiro, minha sorte é que meu irmão apareceu e me ajudou a sair de lá, no dia seguinte me mudei, com isso não consegui terminar a faculdade a qual eu fazia com aquele nojento.

S/n: Como eu te odeio... como eu te odeio... me deixa em paz, por favor. - após dizer essas frases incansavelmente em meio ao choro, me senti fraca, e apenas pude ver o escuro e sentir meu corpo entrar com contato com o chão gelado da sala.

Continua...



Notas Finais


Oiii gente, como vocês estão? Já lavaram bem as mãos? Espero que sim, bom gente espero que tenham gostado do capítulo de hoje. 😁
Eu tenho uma outra fic, que é do nosso Yeosang, por favor gente dá uma ajudinha lá, o link está aqui:

https://www.spiritfanfiction.com/historia/when-love-blooms-yeosang-18983377

Obrigada desde já e até o próximo capítulo bye ☺️👋🏻


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...