História As Árvores Sabem Cantar - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Jikook, Kookmin, Modificações, Namjin, Pássaros, Romance, Taegi
Visualizações 15
Palavras 1.568
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Drama (Tragédia), Ficção, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência, Yaoi
Avisos: Bissexualidade, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Pansexualidade, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olá novamente.. Demorei?
Eu espero que não..
Capítulo focus NamJin próximo capitulo já temos o JIKook oficial de volta. E agora NamJin só volta nos especiais.
Sem plágio.. Boa leitura ^•^

Capítulo 4 - III. O Latido de um Beagle


Fanfic / Fanfiction As Árvores Sabem Cantar - Capítulo 4 - III. O Latido de um Beagle

III. O Latido de Um Beagle

Kim NamJoon


“Dentro de mim há dois cachorros: um deles é cruel e mau; o outro é muito bom. Os dois estão sempre brigando. O que ganha a briga é aquele que eu alimento mais frequentemente.”




“Somos aquilo que sonhamos…” É a frase que minha mãe dizia para mim e para HoSeok desde sempre, o Jung era meu irmão adotivo, HoSeok entrou pra família Kim quando eu possuía 7 anos de idade e ele já tinha seus 5 anos, minha mãe gostaria de ter mais um filho, entretanto ela não suportaria outra gravidez, pois a minha já lhe custou muito e uma segunda tentativa poderia custar-lhe a vida. Meu pai então para não vê-la triste sugeriu a adoção, a Sr. Kim adorou e depois de toda aquela burocracia que há em uma adoção fomos todos juntos ao orfanato. Na época eu estava até usando um gesso e a diretora do orfanato chegou a questionar-me baixinho o que havia ocorrido, talvez ela temesse que meus pais não fossem pessoas boas, ao ver minha mãe brigando comigo quando saímos do carro, ela não ouviu a briga e então julgou errado. Quando chegamos dentro do orfanato minha mãe reforçou o que havia dito quando saímos do carro:

— Por favor meu bem, não quebre nada! — Meu pai riu e vi  a diretora ter uma expressão mais aliviada.

Eles seguiram pra falar com ela e me deixaram ali, depois de um tempo voltaram e fomos rumo a um salão. Lá tinha crianças de todas as idades e tamanhos, mas uma em destaque chamou a atenção dos meus pais, era um garotinho que diferente dos demais que estavam todos arrumados, este estava bagunçado e corria pra lá e pra cá rindo porque as as cuidadoras não conseguiam pegá-lo. Aquele era Jung HoSeok, a quem meus pais adotaram.

   

   Estacionei no subsolo do prédio em que eu e HoSeok moramos, moramos no mesmo andar um na frente do outro, a pedido de nossa mãe já que HoSeok apesar de mais novo era muito mais cuidadoso que eu, então ela impôs isso a nós dois quando saímos de sua casa:

— Boa noite Hyung. — Desejei-lhe boa noite de volta e entrei em casa.

A casa estava uma zona, penas de almofada espalhadas por tudo que era lugar da casa. Fui até a área do causador daquilo tudo vendo o lugar una zona. Encontrei Rapmon choramingando deitado encolhido num canto ao lado de algo vomitado e arregalei os olhos o pegando nos braços, não me importando se a casa estava bagunçada e sim no que poderia ter causado o mal estar no meu cãozinho da raça Beagle.

Disparei até um hospital veterinário, já chegando na emergência de forma afogada com o Beagle nos braços, o mesmo foi levado para exame e então eu pude sentir o exaustão da corrida até ali. Meus braços doloridos pela ajuda na mudança de Jung Kook que havia feito mais cedo deram sinal de vida e minhas pernas também me obrigando a sentar e esticá-las ao máximo. Notei então que era encarado por um cara que ali estava com um gato em seu colo. Só havia nós dois na ala emergencial do hospital e percebi que o mesmo possuía duas orelhas redondas em suas madeixas negras, um híbrido de algum animal até  então desconhecido por mim:

— Sr. Kim. — Ambos os dois no levantamos, nos entre olhamos e o veterinário sorriu nervoso. — Kim NamJoon. — Falou e segui até o balcão esperando notícias do meu Beagle. — Seu cachorro apenas comeu algo estragado e seu organismo estava expulsando.

O alívio foi estampado em meu rosto, uma moça apareceu com Rapmon nos braços todo alegre e saltitante colocou-o no balcão e o cachorro pulou para meus braços, lambendo todo meu rosto:

— Calma Rapmon calma! — Ri com a afobação do cachorro.

Paguei pelo exame do meu animalzinho e o coloquei no chão para poder pegar os remédios que eu teria que dar ao mesmo para que não comesse mais nada que lhe fizesse mal.   

 O outro Kim então foi chamado e veio com seu gato até o balcão. Na verdade era uma gata por causa do nome de Lilith, era uma persa pelo que notei, o veterinário levou-a para dentro e então o Kim voltou-se pra mim:

— Ele é muito bonito. — Se abaixou fazendo carinho em Rapmon e abanou a cauda para ele e o rodeou o farejando. — A-Ah obrigado. — Eu nervoso? Se você visse o cara que está do meu lado qualquer um ficaria nervoso.

Sua pele era branca, seu rosto fino, seus lábios vermelhos e levemente inchados. Ouvi um pigarrear e notei que o encarava descaradamente. Limpei a garganta e peguei Rapmon nos braços, o cumprimentando:

— Kim NamJoon. — Recebi um cumprimento de volta.

— Kim SeokJin. — Sorriu, sua gata apareceu e ele a pegou nos braços. — Então?

— Confirmando suas suspeitas ela realmente está grávida, são pelo menos 4 filhotes.

— Sua baladeira! Eu lhe disse que não queria ser avô tão cedo! — SeokJin falou com a gata que apenas miou em resposta e ronronou pedindo carinho.  Sorri ao ver a forma como ele a tratava.

SeokJin agradeceu ao veterinário e saiu porta a fora, o segui:

— Bela gata. — Elogiei-a assim como ele havia feito com Rap Mon. Ambos os dois animais estavam se farejando mas era visível que não pretendiam entrar em briga. Pareciam mais curiosos um com o outro.

— Obrigado, acho que Rapmon também achou. — Riu.

Sua risada era um tanto diferente e contagiosa que me fez rir junto.

— Bem tchau! — Acenei seguindo rumo ao meu prédio.

Agradecia a minha família por ter feito um prédio bem perto do centro onde tudo ficava a poucos minutos, inclusive o hospital veterinário. Ouvi passos e vi o SeokJin andar ao meu lado:

— Moras pra cá também? — Assento.  — Moro alí. — Apontou e eu arregalei os olhos, aquilo poderia ser coincidência demais.

— Também moro ali! No terceiro andar.

— Não acredito! Você é o vizinho que todos reclamam do cachorro barulhento? — Ri.

— Eu mesmo, mas ninguém me despediu já que sou filho do dono e síndico. — Ele olhou-me incrédulo.

— Wow. Disseram-me que seu cachorro é barulhento e você também mas que é uma ótima pessoa. Me mudei anteontem.

— Entendi.

 Continuamos conversando até quando chegamos ao prédio e no elevador, SeokJin era uma ótima pessoa para conversar, era um híbrido de coala e médico especialista em híbridos. Ele me convidou para entrar em sua casa e eu não tardei a aceitar, queria continuar conversando com ele a noite toda se possível.

Sua casa era bem arrumada, ao contrário da minha que estava uma verdadeira zona de batalha,  SeokJin colocou a gata persa no sofá e seguiu para a cozinha americana começando a cozinhar, o cheiro de sua comida impregnou em meu nariz e me vi em êxtase, era um cheiro maravilhoso. Lilith aproximou-se de mim e deitou em meu colo, fiz-lhe carinho ouvindo-a ronronar:

— Você é o primeiro que ela permite tocar. — SeokJin disse se aproximando com dois pratos de macarronada.

— Me sinto lisonjeado. — Rimos.

(...)


Quando voltei para casa já era tarde e quase não peguei no sono pensando no híbrido de coala que havia conhecido através de Rapmon, ele era encantador. As cobertas se mexeram e vi o pequeno Beagle se ajeitar sobre a cama ao meu lado me olhando:

— Você também achou ele bonito? — Rap Mon latiu abanando o rabo e se jogou em mim.

 Gargalhei lhe abraçando e lhe fazendo carinho.

Estava quase pegando no sono quando o meu telefone tocou me fazendo procurá-lo. O nome de Jung Kook apareceu no ecrã e vi que já era bem tarde da noite para aquele moleque estar acordado, então alguma coisa havia acontecido:

— Jeon? — Atendi já confuso.

NamJoon Hyung você conhece algum médico especialista em híbridos?

 Eu havia acabado de conhecer SeokJin.

— Conheço.

Me diz o número dele, Hyung eu preciso de ajuda!

— Calma Jung Kook! — Me levantei as pressas pouco me importando com o pijama do Ryan que eu estava usando.  — Já to indo para aí.


Chegando até o apartamento de SeokJin toquei a campainha repetidas vezes até o mesmo aparecer com uma cara de sono e um pijama de seda rosa:

— NamJoon? — Falou confuso.

— Desculpe lhe acordar, mas acho que é urgente! Meu amigo ligou-me procurando um médico especialista em híbridos e você é o único que conheço.

SeokJin correu pra dentro de seu apartamento e Lilith apareceu miando e se esfregando em minhas pernas. Logo em seguida o médico apareceu usando outra roupa e carregando uma maleta:

— Para onde vamos? — Peguei Lilith nos braços  e a levei comigo.

 Indo até o apartamento de HoSeok onde eu já havia deixado Rap Mon deixei a gata e segui para meu apartamento trocando o pijama por uma roupa qualquer. Em poucos minutos chegamos a nova casa de Jung Kook, já vi também o carro de TaeHyung estacionado e me desesperei saindo correndo até a casa.

Assim que entramos, Jung Kook guiou SeokJin até a cozinha, TaeHyung cumprimentou o mesmo e vi que ao seu lado um híbrido de raposa? — Talvez.  — Cumprimentou SeokJin também. Pelo visto se conheciam.

Foi então que notei as grandes asas e o garoto sobre a mesa da cozinha.

 O que estava acontecendo? 


Notas Finais


Gostaram? Eu espero que sim.
Raça Beagle:
https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Beagle

Gato Persa:
https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Persa_(gato)

Bom é isso e até a próxima..


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...