História As Aventuras da Ladra e do Deus - Capítulo 11


Escrita por:

Postado
Categorias Mitologia Nórdica
Personagens Personagens Originais
Tags Amor, Asgard, Aventura, Baldur, Deuses, Drama, Loki, Midgard, Mitologia, Odin, Original, Personagem Original, Ragnarok, Romance, Runas, Sexo, Sigyn, Thor, Tyr, Vikings
Visualizações 16
Palavras 1.128
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Ecchi, Ficção, Hentai, Luta, Magia, Mistério, Misticismo, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Canibalismo, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Pansexualidade, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir culturas, crenças, tradições ou costumes.

Notas do Autor


Ponto de vista do Baldur, só pra avisar
Boa leitura sz

Capítulo 11 - Baldur


Fanfic / Fanfiction As Aventuras da Ladra e do Deus - Capítulo 11 - Baldur

Assim que Odin se retira acompanhado de Lynae o caos instala-se na bancada do salão, desde cochichos jocosos até gritos histéricos, metade da bancada discordava da minha decisão de abdicar da vingança consentida por Odin e isso porque apoiavam a morte de Loki. Mas assim que os comentários e questões começam a cair sobre Sigyn a mesma esquiva-se e dá por encerrada aquela reunião, deixando o salão a passos pesados junto a mais duas deusas, naquela altura Loki já fugira há muito tempo e eu aproveito para caminhar pelo reino, desfrutando de meu retorno após tantos anos. E não posso deixar de pensar em Lynae e como ela parecia determinada a encontrar a irmã, agora deve contentar-se em visitar o pai e irmão em Valhala, mas também lembro-me de ouvi-la dizer que possuía uma companheira e que esta também estava no salão de festas...

- Ei, Baldur! – Thor me desperta dos pensamentos antes que tomassem um rumo não desejado. Ele está junto de Tyr, que parece contrariado – Olrun levou sua amiga até a cachoeira, ela é tão bonita quanto aparenta?

- Vocês não estão pensando em... – franzo o cenho inconformado, mas Tyr me interrompe.

- Thor quer vê-la nua, eu apenas quero conferir se a humana realmente será discípula de Olrun.

- Odin quer tornar Lynae uma valquíria?! – indago surpreso, seguindo os outros dois rumo a cachoeira – imaginei que ela teria seu merecido descanso após matar Sigyn.

- Odin comentou comigo assim que soubemos sobre seu retorno – Tyr conta, coçando a cicatriz onde deveria estar sua mão – Queria que eu a treinasse, mas me recusei... Já tive problemas demais com criaturas próximas de Loki. Então Olrun se dispôs a fazê-lo.

Shhh... – Thor chia para nós assim que chegamos a caverna, escolhemos uma rocha grande e alta e nos sentamos onde dificilmente uma mulher notará nossa presença – Então, Loki, onde ela está?

Loki? Até então eu não havia notado a presença do deus da trapaça e isso porque ele estava na forma de um sapo, mas assim que Thor o chama amistosamente ele se transforma, cruzando os braços com uma expressão descontente – ciúmes?

- Sua esposa não é o suficiente para você, Thor? – Loki indaga de forma jocosa, mas o olhar desafiador do deus do trovão diz “quer falar sobre fidelidade?”. Constrangido, o deus da trapaça bufa e se senta ao nosso lado, ignorando minha expressão furiosa. Eu ainda desejo mata-lo e assim faria com gosto, mas sei dos sentimentos de Lynae, ela pode tentar esconde-los, mas seus olhos são claros – A ladra está ali, junto a Olrun... Parece que Odin a fará valquíria.

- No final de nada adiantou tê-la... Uau...

Eu simplesmente perco as palavras ao ver a pequena berserker de longe, banhando-se junto a Olrun, ali estão algumas das mais belas mulheres e a beleza desnuda de Lynae destona-se de todas ali, até da poderosa Olrun, me causa até suspeitas se sua beleza pode se comparar a de Sif. Suas curvas são tão minimalistas e delicadas, perfeitamente alinhadas para seu corpo pequeno e magro, tão frágil que desta forma mal posso lembrar-me da forte mulher que me tirou de Hel. Ela tem uma beleza inocente ao mesmo tempo que suas expressões são maliciosas e as atitudes estrategicamente bem pensadas. Hunf, agora entendo por que Loki a persegue, são semelhantes...

- Parece hipnotizado, meu irmão – Thor debocha, despertando-me – Vocês passaram anos em Hel, não diga que nunca a vira despida.

- Somos amigos e ela é uma grande mulher, acima de meus desejos eu a respeito.

- Já eu não posso dizer o mesmo... Forte e delicada, que combinação excitante – Tyr comenta sem tirar seus olhos da cachoeira metros a frente – Uma pena já estar prometida...

- Prometida? – indaguei confuso, mas não preciso de mais que alguns segundos para compreender. A conversa de Odin com Sigyn antes da minha morte, ele falava sobre Sigyn abdicar de sua união por um filho de Ivar... No inicio pensei que Sigyn desposaria com o filho de Ivar, mas é exatamente o contrario – Loki? Há! Lynae jamais aceitará, ela o odeia.

- É o que Odin quer – é tudo o que Thor diz.

Se Odin viu Lynae em seus sonhos fará de tudo para molda-la de acordo como quer que seja o futuro, assim como fizera com os filhos de Loki. O que me perturba é a calma com que o deus da trapaça lida com isso, tão tranquilo...

Ele sabe algo que não sabemos...

E irei descobrir.

Pouco antes da ceia procuro por Loki a fim de tirar a história a limpo – não poder mata-lo não me impede de espanca-lo até ouvir as respostas que desejo – mas não surpreendentemente vejo dificuldades em encontra-lo, o que até é de se esperar, Loki é escorregadio como uma cobra aquática, se não quer ser encontrado, simplesmente não é. Decido então desistir e aguardar até a reunião com Odin, esperando que o mesmo dê as devidas explicações. Neste tempo livre caminho em direção aos portões de Valhala, desejo conhecer as pessoas que Lynae falava, ela até possuía uma companheira... Confesso, saber que era comprometida incomodava-me, mas com sua nova vida muito duvido que mantenha com a relação, além de haver a união com...

- Loki!

Hun? A familiar voz de Sigyn atrai minha atenção e espio pela fresta do corredor, podendo ver a deusa caminhando apressada atrás de um ruivo – o que Lynae diria se me encontrasse espiando conversas alheias? Por Odin...

- Loki! Espere – ela insiste desesperada – Jure a Odin que não se rebelará e tudo estará bem! É tão simples, meu amor.

- De que vale uma jura no fim dos tempos, quando nada mais importa? – Loki indaga sem paciência – Se teme tanto a vida, então deixe que a ladra me mate de uma vez.

- Sabe que não penso duas vezes antes de me sacrificar por você, eu o amo! Minha vida é sua e a sacrifico por você! Mas me recuso a aceitar que aquela humana seja sua... O perdoei todas as vezes, em seus passeios, em Jotunheim, com seus filhos, sempre o perdoei! Mas ela...

- Sigyn, não comece... – ele ralha, esfregando as têmporas.

- Por que ela pode persuadi-lo e eu não? – a deusa choraminga – É porque você a ama, não é? Sei que me desposou por ambição, mas lutei pelo seu amor, dia após dias, nos maus momentos e nos piores que os maus! Então esta humana chega e conquista o que almejo por eras.

- Chega! Quer saber se eu a amo? Se foi o que Odin viu? Então pergunte a ele ou descubra em Hel! Pois sequer eu conheço a resposta! – Loki exalta-se e então parte a passos pesados, deixando para trás uma deusa aos prantos.

Por Frygg, então é isso o que Loki esconde?


Notas Finais


Spoiler: os próximos capítulos serão +18 de todas as formas imagináveis.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...