História As aventuras de Teddy Lupin, o intrépido repórter - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias Harry Potter
Personagens Harry Potter, Hermione Granger, Personagens Originais, Ted Lupin, Victoire Weasley
Tags Harry Potter, Teddy Lupin, Victoire Weasley
Visualizações 7
Palavras 1.358
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, FemmeSlash, Ficção, LGBT, Magia, Mistério, Policial, Romance e Novela, Slash, Suspense, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Cross-dresser, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Spoilers, Suicídio, Tortura, Transsexualidade, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Esse demorou, mas foi!
Eu fiquei um tempão sem escrever aqui porque estava sem ideias para um novo capítulo, fora que tinha que cuidar de outras fanfics, e elas eram mais urgentes...
Mas temos aí o segundo capítulo das Aventuras de Teddy Lupin!
E agora ele vai jantar com Harry, um jantar que promete ser bem tumultuado.

Capítulo 2 - Confissões


Teddy mal podia acreditar em sua sorte. Tinha se safado de ser descoberto por um triz. É certo que Hermione Granger era bastante esperta e que ela poderia desconfiar do disfarce que ele escolheu, mas serviria para ao menos ganhar tempo.

À noite, uma surpresa: Harry.

- Teddy, você está aí? – perguntava ele, dentro do espelho de dois sentidos que o jovem tinha ganhado no Natal.

- Ah, Harry, oi. O que é?

- Esqueceu que dia é hoje? – Teddy coçava a cabeça. Era quinta. Dia em que ele sempre jantava com os Potter. Tinha esquecido completamente.

- Não, imagina! Eu já estava indo, sabe como é, meu trabalho anda muito puxado.

- Entendo – disse Harry, com sinceridade – Mas não devemos deixar que o trabalho domine as nossas vidas, Teddy. Nunca se esqueça disso.

Teddy assentiu. Afinal, Harry sempre tinha razão. Tomou banho, se arrumou e aparatou até o apartamento dos Potter.

Era uma casa simples, mas espaçosa. Não tinha tantos luxos, mas em compensação era cheia de retratos dos Potter em vários momentos felizes. Um com Harry e Ginny recém-casados, outro tinha um sorridente Harry segurando um bebê gordinho e sorridente de olhos tão verdes quanto os dele, outro com as três crianças Potter em escadinha: James Sirius, o mais velho, tinha os mesmos cabelos revoltos do pai, só que num tom mais castanho, olhos travessos e um ar despreocupado. Albus Severus, o do meio, era praticamente a cópia exata do pai na sua idade: cabelos negros e olhos verde esmeralda, talvez as únicas diferenças estejam em seu penteado, um pouco mais arrumado que o do irmão, e seu aspecto feliz e saudável. Já Lily Luna, a mais nova, era extremamente parecida com a mãe: cabelos ruivos cortados na altura do ombro e várias sardas no rosto. A menina estava de cabeça baixa e não sorria, afinal seus dentes da frente tinham caído poucos dias antes daquela foto e ela estava com vergonha da enorme janela que se formou em sua boca. Mas a foto favorita de Teddy era uma em que ele estava com toda a turma reunida: os Potter, os Weasley e também os vários amigos da Armada de Dumbledore, numa reunião que ocorreu em 2014. Teddy estava em um canto, sorrindo e tentando abraçar Victoire, mas Bill estava entre eles e não queria deixar Teddy se aproximar de sua filha. Teddy sempre ria ao ver aquela foto, afinal mesmo tendo crescido junto de Victoire e dos outros, Bill mudara seu tratamento com Teddy quando notou que ele e Victoire cresciam próximos demais e mostrou seu lado extremamente ciumento e desconfiado. As coisas não estavam tão diferentes agora, mesmo com Teddy praticamente casado com Victoire.

- Oi, sumido... – disse uma voz quente e suave, que Teddy já conhecia. Victoire o abraçava por trás e enchia sua nuca de beijos.

- Amor... Você veio!

- Ô, né, só assim pra eu te ver agora! – ela o virou para a sua direção e Teddy pôde notar que a namorada estava brava.

- Desculpa, querida, mas você sabe como é o meu trabalho... – Vic franziu o olhar para ele, assim como o pai, ela também era ciumenta.

- Pode falar, qual o nome dela?

- Oi?

Teddy e Vic tinham aberto seu relacionamento desde os tempos de Hogwarts, quando ele se formou e ela ficou no colégio por mais um ano. Teddy amava muito Victoire, mas às vezes não conseguia resistir ao charme de outras meninas que insistiam em dar em cima dele. O mesmo, claro, ocorria com Victoire, e para ser justo, ele decidiu permitir que ela também pudesse viver outras aventuras fora do seu relacionamento. Tudo isso, claro, era desconhecido da parte dos parentes e amigos, que eles tinham certeza que desaprovariam a decisão. Teddy evitava fazer isso na frente de Vic, geralmente seus casos ocorriam durante viagens e duravam apenas uma noite. Outra coisa que a jovem não sabia era que a maioria de seus supostos amantes era Teddy disfarçado.

- Não tem ninguém. Já disse, é o meu trabalho, só isso...

- Você sabe muito bem que o nosso acordo...

- Depois a gente fala nisso, está bem? Olha, Gina tá vindo aí!

Gina Potter descia as escadas como se fosse uma rainha. A mulher vibrou ao ver Teddy e Victoire na sua frente.

- Meninos, que bom que vocês chegaram!

- E aí, tia, o jantar de hoje vai ser o quê?

- Isso vocês veem com Harry, é ele que tá pilotando o fogão hoje – um delicioso aroma de costelas de porco com batatas tomava conta do ambiente – E pelo visto, vai ser delicioso!

Os quatro adultos foram comer. O assunto principal era Teddy.

- Gin me fala da sua dedicação no trabalho...

- É, eu tenho me esforçado bastante.

- Você está gostando de lá?

- Sim, estou, Gina...

- Kappesberg tá te tratando bem?

- Sim, ele tem sido legal comigo...

- Estranho! Kappesberg não costuma ser tão bacana com novatos

Teddy preferiu se concentrar na comida. Achou que ia acabar falando demais em algum momento e isso ia acabar colocando tudo a perder.

- Mione foi ao seu departamento outro dia, eu comentei com você, Teddy?

- Foi, é? – Teddy tentou parecer displicente, mas não conseguiu.

- É, ela foi. E você não vai acreditar no que ela viu – Teddy sabia o que Harry iria dizer, então tentou desconversar.

- Ah, eu acredito sim! Mas o verão tá chegando, né? Será que Lily vai se sair bem nos exames?

- Acho que vai. Mais inteligente que o Al ela tem que ser, não é mesmo? – brincou Vic, arrancando gargalhadas dos presentes.

- Sim, mas voltando ao assunto – Harry estava insistente e Teddy começou a se perguntar se ele estava desconfiado de alguma coisa – Você deve saber que o seu pai, um homem a quem admiro bastante, morreu há mais de vinte anos...

- Eu sei quem é o meu pai – Teddy começava a ficar nervoso.

- Sabe, é? Mas não sabe que foi justamente ele que Mione viu no jornal naquele dia...

- Ah, é claro que não era ele! Existe muita gente parecida, eu mesmo, vocês vivem falando que eu lembro muito o meu pai!

Ali Teddy percebeu que acabou de se entregar.

- É, Teddy... Eu não consigo entender. Por que se esconder da gente? Achou que iríamos impedir você de trabalhar?

- Nós somos seus padrinhos, só queremos o seu bem...

- Eu sei disso, tá legal? Só queria proteger a mim mesmo, a Vic, a vocês, todo mundo! Eu mexo com gente da pior espécie, se descobrem que sou eu, sobra pra todo mundo!

Teddy terminou rapidamente de comer e saiu da mesa. Aquele jantar acabara ali.

- Espere – gritou Vic.

Teddy se voltou para ela e notou que a garota parecia triste e zangada.

- Achei que pelo menos em mim você confiaria...

Ele deu um longo suspiro. E se deu conta de que fez uma grande besteira.

- Vic, espera! – Victoire aparatou dali mesmo, sem dar chances de Teddy se explicar.

- Agora a conversa é com a gente! – disse Harry, logo atrás dele.

Após uma longa discussão, Teddy concordou que seria como uma espécie de repórter não-oficial do Ministério. Harry usaria seus serviços para investigar e expor casos complexos, além de fazer cobertura exclusiva das operações dos aurores e ser os olhos e ouvidos de Harry no jornal, informando caso algum outro jornalista esteja trabalhando contra ele ou Hermione.

- Mas não já tem a tia Gina lá? Duvido deles quererem divulgar alguma calúnia contra o senhor com ela por perto.

- Gin é diferente. Por ser minha esposa, eles nunca vão falar nada na frente dela. Com você não. Além de ser meu afilhado, também possui uma grande capacidade de, digamos, se infiltrar. Mas não se preocupe, não vou interferir na autonomia do Profeta, nem transformá-lo no porta-voz do Ministério. Só quero evitar que os boatos que se espalham sobre mim saiam do controle.

Teddy saiu dali um pouco mais aliviado. Com Harry e Gina sabendo de tudo, ele tirava um peso dos ombros. Só faltava ele se entender com Victoire.


Notas Finais


É... Agora com Harry sabendo, talvez Teddy tenha mais cobertura na hora de fazer suas reportagens, fora que ele terá informações privilegiadas!
Só resta saber se ele consegue se entender com a Vic


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...