História As aventuras de uma Docete Ciclope - Capítulo 165


Postado
Categorias Amor Doce
Personagens Alexy, Ambre, Armin, Bia, Castiel, Dajan, Dakota, Debrah, Dimitry, Iris, Jade, Kentin, Leigh, Lysandre, Melody, Nathaniel, Nina, Peggy, Personagens Originais, Priya, Professor Faraize, Professora Delanay, Rosalya, Senhora Shermansky, Violette
Tags Alexy, Amor Doce, Armin, Castiel, Ciclope, Dajan, Dake, Dakelicia, Docete, Jade, Kazumi Takashi, Kentin, Lysandre, Nathaniel, Sangue
Visualizações 1.070
Palavras 4.369
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Bishoujo, Bishounen, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Ecchi, Esporte, Famí­lia, Fantasia, Festa, Ficção, Ficção Adolescente, Ficção Científica, Fluffy, Harem, Hentai, Lemon, Luta, Magia, Mistério, Misticismo, Orange, Romance e Novela, Saga, Sci-Fi, Seinen, Shonen-Ai, Shoujo (Romântico), Shoujo-Ai, Shounen, Sobrenatural, Steampunk, Survival, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Canibalismo, Cross-dresser, Drogas, Estupro, Gravidez Masculina (MPreg), Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Intersexualidade (G!P), Linguagem Imprópria, Mutilação, Necrofilia, Nudez, Pansexualidade, Sadomasoquismo, Self Inserction, Sexo, Spoilers, Suicídio, Tortura, Transsexualidade, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Gente eu to um caco
tenho trabalhado MUITO excessivamente
e essa semana eu caguei meu horario todo, então minha produção diminuiu MUITO
Hoje fiquei praticamente vagabundeando o dia todo como "folga" e nisso enrolei pra revisar a fic.
To num stress só de tanta encomenda pra entregar </3
Assim que eu entregar tudo acho que tudo se normaliza quanto a horarios doidos de postagem . . . o problema é: quando eu vou acabar tudo ? </3

Enfim, tá postar, e o importante é que AINDA É SABADO, AHÁ !
(ainda falta responder alguns comentarios, mas eu vou responder !)

Esse capitulo era maior mas tive qur dividir ele pois era muita coisa pra revisar hoje no estado que to de atolamento ;^;
Então deixei parte dele pra o 161 e do 161 pro 162 e assim vai

Boa leitura \o/

P.S.: As fics da BiaxAzriel e do ArminxBoreal hentai que um leitor fez (o suke) foram repostadas na conta nova dele.
Se quiserem ler, deixarei os links nas notas finais <3

Capítulo 165 - Capítulo 160


Fanfic / Fanfiction As aventuras de uma Docete Ciclope - Capítulo 165 - Capítulo 160

Era muito estranho ouvir que o Nath e o Dake haviam sofrido um acidente . . . Como assim?

Até então eram apenas possibilidades.

Eu não conseguia saber como reagir.

Após alguns segundos perdida em meus próprios pensamentos de preocupação eu voltei  a realidade e decidi avisar ao pessoal da casa enquanto pedia para que Ambre me avisasse qualquer coisa.

Ainda não sou intima dessa Ambre, mas fico feliz que ela tenha me ligado e falado normalmente comigo.

"O que houve ? Você está quase da cor do seu cabelo." Armin dizia.

". . . Ambre ligou pra saber do Nath . . . Ela disse que avisaram pra ela que um carro que parecia ser do Nath havia capotado na estrada."

Assim que avisei pude ver a troca de olhares de todos na sala . . .Exceto Armin do futuro, que parecia só levemente surpreso.

Na hora eu não queria nem tinha tempo de questionar, só queria me apressar logo pra poder saber se eles dois estavam bem e se tinha acontecido algo sério, até mesmo se eram eles mesmos no acidente de carro, era importante saber se eles estavam envolvidos ou se não passava de um mero susto.

Apressadamente o Armin se dirigiu até a porta com o Alexy.

Remy estava estático, ele estava com um olhar incrédulo.

"Tá tudo bem . . . ?" Perguntei.

Ele não me olhava, ele não olhava pra nada na realidade . . . Estava como se estivesse em transe.

Voltei a chamar seu nome enquanto dava a mão pra ele.

Ele me olhou assustado, realmente parecia estar fora de si, em outro mundo.

Quando ele me encarou, pude notar seus olhos úmidos . . . 

"Tá tudo bem ?" perguntei novamente bastante receosa.

Ele então me fitando só choramingou baixo "Eu . . . Não vou ter que voltar pra aquele loop vou . . . ?" sinceramente ouvir aquilo me partiu o coração.

". . . Não, porque diz isso . . . ?" 

"Tá tudo se desestabilizando demais.

Dakota não perdia o braço assim pelo que li no seu diário.

Meu pai não--"  antes que ele completasse eu o interrompi.

"Remy .. .  Ninguém perdeu braço aqui. De onde tirou isso ?! Nós nem sabemos se eles estão envolvidos em acidente mesmo !" falei apertando mais ainda sua mão.

"Mas e se for destino ?

Eu era destinado a viver naquele loop pra que tudo existisse, isso incluía minha própria existência !

E se essas tentativas de sair do loop e mudar tudo forem em vão ?! E se eu deixar de existir ?! E se pra parar o caos eu tenha que voltar pro loop ???" Aos poucos notei desespero em sua voz.

"Não temos futuro, não tem com que se preocupar, só viva o presente." Armin do futuro falou sério com seus olhos focados em um PSVita.

Ele realmente parecia muito relaxado mesmo em uma situação de pânico feito essa.

"Armin . . . Essa é sua reação ?"

"Como você mesma falou: Não se sabe se era o carro do Nathaniel mesmo.

E se fosse. . . Tanto faz, não temos futuro.

Podemos simplesmente criar mais uma linha e seguir em frente sem futuro." ele dizia sério.

"O Nathaniel não significa nada pra você ?!" perguntei irritada.

"Sim, significa.

Ele é um amigo muito precioso pra mim.

Mas a questão não é essa, a questão aqui é:  porque me preocupar quando não temos futuro ?

E se o Jade tiver razão e não pudermos mudar nossos destinos ? Se um tiver perdido o braço e o outro o movimento das pernas mudamos de linha de novo pra uma que estejam inteiros." Armin falava ainda tranquilo.

"NÓS PODEMOS MUDAR NOSSO DESTINO SIM !! VOCÊ MESMO DISSE QUE JÁ ERA PRA EU SER UM VEGETAL !! " gritei com ele.

". . . Se não pudermos significa que . . . Eu vou ter que voltar pro loop. . . ?

Significa que . . . A Violette . . . " quando ele falou isso eu já sabia o que vinha pela frente e eu não o permiti terminar.

"Eu vou ver se aconteceu algo ! Fica tranquilo que não tem nada a ver isso de destino Remy !

Quer vir com a gente ?!" perguntei.

Ele só se sentou numa poltrona e por lá ficou balançando a cabeça negativamente.

Sinto como se ele sempre desviasse e evitasse sair de casa.

Na realidade, só o vejo sair pro jardim do colégio . . . Seria essa mais uma fobia ?

 

Armin do futuro ficou lá, calado no sofá.

Me estressei um bocado, mas sai de lá rapidamente pra pegar o Armin do presente a tempo de ele estar em casa ainda.

 

Saímos apressadamente de lá com o carro.

Alexy dirigia e Armin fazia pesquisas tanto de noticias quando via satélite a respeito do acidente em seu netbook.

Ele parecia muito preocupado e dedicado . . . Diferente de seu eu do futuro . . . 

Fiquei em silêncio, o caminho estava carregado de tensão.

Então, repentinamente Armin falou um "não . . . Não pode ser . . . " assim que perguntei o que houve, ele apressadamente ditou coordenadas para Alexy seguir.

Eu podia sentir que algo bom não estava por vir . . . 

Alexy acelerou e fomos correndo.

O Carro capotado estava próximo a ponte que se dirigia entre a Saint Malo e Dinard.

Eu sabia disso pois a Ambre havia avisado . . . Sinceramente eu queria ir lá pra ver o que estava acontecendo.

Mas ver o nervosismo do Armin me tirou as esperanças . . . 

Meu coração e mente foram ocupados por medo, puramente medo do que eu encontraria no local do acidente . . . 

 

Chegamos no local, estava cheio e com tudo selado.

Pude ver de relance Francis no meio daquele mar de gente que se juntou pra ver o que acontecia.

Armin saiu correndo de dentro do carro e se meteu entre todos com grande fúria.

"CADÊ O DAKOTA E O NATHANIEL ?!" Ele gritava.

"Quem--" antes que o policial pudesse expressar qualquer coisa, ele foi interrompido pelo Francis e a Adelaide.

Tentei me aproximar, mas estava difícil, ele saiu atropelando pessoas, eu não faria o mesmo que ele(principalmente sabendo de minha super força).

Eu não conseguia ouvir com grande clareza, mas pelo olhar do Armin . . . A noticia era preocupante.

Após longos minutos conversando com os pais de Nath, ele retornou até mim.

"Armin . . . ?" falei.

"Dakota e Nath ficaram presos nas engrenagens.

Eles foram levados para o hospital com grande urgência. . . O acidente parece ter sido feio . . . " Armin estava com um olhar  de frustração enorme.

Era vazio.

Ele encarava o nada.

E eu ? Sinceramente ?

Me sentia no mesmo estado que ele . . . 

 

Eu temia, temia muito por mais noticias.

Temia que o Remy estivesse certo em suas "previsões."

"Não temos muito o que fazer por aqui . . . pedi pra que eles nos ligassem caso algo acontecesse . . . E pra dar noticias em geral . . . " Armin dizia voltando pro carro.

Acenei de longe para Francis que respondeu o gesto, e logo corri pro carro.

"Armin . . . Não podemos visitar eles ?"

". . . Não . . . 

O Francis provavelmente vai ligar quanto pudermos visitar eles . . . " Armin dizia frustrado e claramente muito, MUITO triste.

Não nos restou muito o que fazer além de retornar pra casa . . . 

Alexy quis sair pra esparecer a cabeça, Armin sempre foi extremo oposto, ele prefere se isolar em momentos de tristeza . . . E foi o que ele fez.

Foi direto pra casa.

Eu não iria simplesmente deixa-lo sozinho.

 

Assim que chegamos em casa, Azriel estava lá com olhar muito preocupado ao lado de Remy, meu pai e o Armin do futuro ainda estava no mesmíssimo lugar jogando normalmente.

"Tá tudo bem ? Jade me contou a situação toda. . . Era o carro do Nath e o Dake mesmo ??" Azriel dizia.

Armin sem parar sua caminhada até seu quarto só falou que não estava tudo bem e se retirou.

O silêncio pairou ainda mais forte.

Remy que já estava em pânico só ficou ainda mais.

Ele parecia ter controlado sua crise, mas ele ali começou a se descontrolar aos poucos.

". . . Não . . . Eles . . . eles não vão . . . Não vão . . . " ele dizia repetidamente.

Era difícil . . . 

Eu queria ir atrás do Armin que estava mal, mas queria ajudar o Remy também . . .

"Vai ficar tudo bem ! Tenha fé  . . ." falei.

"Você tá falando isso em uma casa de céticos. Aqui não tem gente religiosa feito do Nathaniel. "Armin do futuro finalmente falou.

"Porque ao invés de falar merda não ajuda em algo ao invés de ficar só jogando ?!" confesso que me arrependo de falar assim com ele, as vezes ele poderia ter se isolado por tristeza . . . Mas . . . Eu estava com raiva.

Mesmo sem saber o real motivo do Armin estar tão tranquilo e cagar pra tudo, me irritava sua postura.

"Estou fazendo algo. Terminando de salvar Inaba. Falta pouco, já estou com a Naoto na party." Armin dizia voltando a atenção pro PSVita.

Eu não podia acreditar na postura dele.

Então fui pra cima dele aos berros.

"ARMIN ! SEU MELHOR AMIGO ESTÁ NO HOSPITAL E VOCÊ SÓ SE PREOCUPA COM A MERDA DO VIDEO GAME ?!"

"Eu já vi esse filme. Não tem porque fazer esse escândalo todo.

Só mudar de linha temporal pra uma que ele esteja inteiro e tudo volta ao normal. Estamos sem futuro mesmo." Armin dizia sem olhar pra mim sequer e com aquela cara de quem realmente pensava o que dizia.

Sua frieza me incomodava.

Eu . . . Não consigo lidar com isso.

Puxei o Remy que estava quase um vasinho sem alma pra varanda e por lá fiquei com ele.

Ele estava em pânico.

"Remy . . . Se acalma por favor. Não precisa ficar assim !

Não vamos te deixar voltar pra aquele loop." eu dizia.

". . . Eu . . . Preciso ligar pra Violette. . . " ele pareceu não dar atenção alguma pra o que eu falei, só saiu direto para seu quarto com olhar desolado.

Escorei minha cabeça nas mãos que estavam apoiadas na sacada e fiquei tomando o ar, ainda assustada com a situação toda.

"O Armin não fez por maldade." eu pude ouvir a voz do meu pai vindo da porta.

". . . Eu acho que sei disso mas . . . Não consigo lidar com esse jeito apático dele."

"Você ficou com ele sabendo que ele tinha desses picos de apatia com as situações." meu pai então se aproximou da sacada comigo.

"Sim eu sei . . . Mas . . . É um pouco diferente . . . 

O Armin do futuro tá sempre tão afastado e cheio de segredos . . . Eu não consigo lidar com isso . . . " 

"Talvez seja porque você não tá pronta ainda pro futuro.

Ele é o seu futuro, porque ao invés de tentar entender o Armin do futuro não vai atrás do Armin do presente ajudar ele ? Ele sim parecia bem abalado com  a situação toda. . . " meu pai não fala muito sabe . . .  Mas quando ele fala sempre parece saber o que falar.

Mesmo ele não sendo quem me criou, eu me sentia fortemente conectada com ele . . . 

Dei um abraço do meu pai e fiquei ali por uns minutos antes de entrar de volta e ir falar com o Armin.

Ele me deu um beijo na testa antes de eu entrar.

Passei direto pelo Armin do futuro o ignorando completamente.

Ele também não havia mudado de posição, ainda estava jogando . . . 

Fui direto pro quarto, lá estava o Armin, sentado no pé da cama com o notebook.

Ele parecia concentrado em algo.

Havia muitos fios espalhados e várias extensões com aparelhos conectados.

". . . Tá fazendo o que ?" perguntei me sentando ao seu lado.

"Adiantando as coisas do colégio enquanto a guarda deles está baixa . . . 

Preciso me distrair e essa foi a forma que achei . . . " é ótimo ver que ele não inventou uma desculpa esfarrapada ou mentiu, ele foi transparente e sincero quanto suas intenções.

". . . Tem algo que eu posso ajudar ?" perguntei.

". . . Não. Só quero me distrair . . . Nada mais." ele continuava com o olhar concentrado na tela.

Eu então puxei o celular e fiquei sentada ao seu lado em silêncio.

Só se ouvia ele teclando, eu fiquei ali mexendo na internet do meu celular.

"Armin do futuro tá bem ?" ele perguntou repentinamente.

"Eu não sei . . . Ele tá jogando na sala como se não houvesse amanhã . . ." falei um pouco emburrada.

Armin pausou uns segundos e logo voltou a digitar.

". . . Armin . . . O que é força pensamento ?" perguntei repentinamente.

"Força pensamento é canalizar a mente a pensar muito em algo até que aquilo aconteça. 

Basicamente se você pensar muito que vai conseguir uma coisa, você consegue por conta da força do pensamento. 

Se pensar que tudo vai dar errado, vai dar errado por conta da força do seu pensamento.

Essa teoria diz que tudo que você envia pro universo em forma de pensamento retorna, como se fosse criptografia mental.

Você precisa de palavras chaves. Pensar algo como "não vou ter que me preocupar em procurar um emprego" pode funcionar de forma negativa por conta do "não" então o certo é "vou encontrar um emprego".  Ele funciona como criptografia como eu disse. Em modo geral e falando por alto. Mas porque essa pergunta do nada ?" ele então parou e ficou me encarando.

". . . Sempre que pergunto qual o plano do Armin e porque ele está tão tranquilo com tudo que tem acontecido, ele me responde isso. "Força pensamento". Nada mais que isso."

". . . Ah sim . . . Esse é o plano dele . . ." Armin parecia pensativo.

"Tem ideia do que seja ?"

"Um pouco . . . Mas deve ser algo genial já que vem de mim." ele falou.

Eu só dei um leve empurrão nele que deu um riso muito, muito discreto.

Ele ainda estava mal, mas tentava se sentir melhor, claramente.

 

Ficamos a noite toda sentados ali.

Trocamos poucas palavras, e confesso que me lembrou um pouco as noites que passamos fazendo nada juntos.

Na manhã seguinte, eu acordei do lado dele.

Ele estava deitado de frente pra mim dormindo com um cobertor, e eu estava deitada de frente pra ele com outro cobertor.

Aquele amaranhado de fios espalhados, e ele literalmente com a cabeça colada na minha.

Não sei bem se ele mesmo pegou duas cobertas e usou uma enquanto me cobria com outra, ou se alguém entrou no quarto e fez esse favor pra gente, só sei que minhas costas doíam um pouco por conta da posição em que dormi e o chão duro.

 

Assim que me levantei Armin acordou também.

É bem raro eu ver ele dormir.

Armin não gosta que vejam ele dormindo e sempre que ele vai dormir espera todos pegarem no sono e sempre tenta acordar antes de todo mundo . . .É uma mania sem muito motivo por trás, confesso que é interessante notar isso.

 

Aquele dia foi um desanimo só . . . 

Não recebi ligações o dia todo e estava um clima bem triste.

Remy havia saído bem cedo de acordo com o Azriel, ele não avisou onde ia, simplesmente saiu.

Me preocupava depois de vê-lo no dia anterior como ficou . . . Mas quero confiar nele.

Quero confiar que ele vai ficar bem. . . 

 

Fui tomar o café da manhã desanimada e muito pra baixo.

Não queria comer de verdade . . . Mas eu preciso me alimentar principalmente tendo um pacto como eu tenho atualmente . . . 

Meu pai se aproximou de mim.

"O que acha de sair um pouco ? Esfriar a cabeça." ele dizia gentilmente.

"Uma boa ideia . . . " falei ainda desanimada.

Meu pai chegou a chamar o Armin, mas como sempre, quando ele tá mal, ele quer se isolar.

Eu pensei em não sair com meu pai, entretanto, no final, o próprio Armin insistiu que eu saísse.

Apesar de tudo ele realmente parecia dedicado com suas pesquisas . . . 

 

Eu me arrumei e logo meu pai já estava esperando lá fora.

Voltei a pedir pro Armin sair conosco, porem, ele não iria, não tem jeito.

No fim ele mesmo bagunçou meu cabelo e falou que eu não precisava me preocupar que ele não tava mal desse jeito só assustado mesmo.

E bem, ele realmente pareceu sincero.

Eu simplesmente sai.

 

Meu pai estava arrumado . . .

Era engraçado porque ele parecia sempre ter um estilo parecido com o do Castiel sendo que mais requintado, talvez fosse por tantos anos de convivência, ou somente coincidência, talvez até fosse seu estilo mesmo, muitas possibilidades.

 

Saímos pelas redondezas.

Ele conhecia bem por conta de seu habito de andar por ai.

E eu conhecia porque o Nath me levava muito pra sair por Saint Malo quando namorávamos.

 

Caminhamos e fomos em parques, ruas bonitas, e foi literalmente apenas um passeio casual pra esfriar a cabeça.

Então decidimos ir no mercado comprar algumas besteiras.

Fomos em um pequeno mercadinho e lá eu comprei algumas bobeiras.

Enquanto meu pai . . . comprou ração pra cachorro como sempre.

Nos sentamos ali perto do mercado mesmo e por ai ficamos comendo.

Os cenarios de St malo são muito bonitos e reconfortantes.

Meu pai então assim que se sentou se tocou que deixou a carteira no mercado, e assim, ele voltou correndo.

 

Fiquei sentada lá, esperando meu pai voltar. . . E então, o incrível e inesperado aconteceu: minha mãe.

Sim, minha mãe.

Aquela que eu não estava pronta ainda pra ver.

Desde que chegamos eu estava me preparando pra ver minha mãe afinal, ela tem uma filha aqui . . . Não posso simplesmente aparecer pra ela.

"Filha ?" ela falou.

Eu estava sem palavras, e confesso, emotiva, muito emotiva em ver ela.

". . . M-Mãe . . . " falei espantada.

"O que faz aqui tão longe de casa ?! O que houve com seu cabelo ?!" ela falava espantada com o cumprimento e logo voltando a visão pro meu corpo . . .Eu sei que ele cresceu bastante, principalmente em relação aos seios . . .

"Ah . . . Mãe . . . É que eu . . . " eu realmente estava sem reação.

Então . . . Eu só abracei ela.

Ela provavelmente não entendeu nada, mas foi a primeira coisa que me veio em mente como resposta.

"Filha . . . Tá tudo bem ? Você tá . . . chorando ?!" ela notou que eu estava chorando, e pareceu ainda mais preocupada.

"Não é nada mãe . . . Não liga pra isso." falei enxugando as lagrimas.

"Não ! Antes de saber o que faz longe de casa preciso saber porque está assim !"

Assim que ela falou isso, eu notei meu pai vindo.

Eu tentei mandar ele voltar, mas ele não entendeu e se aproximou . . . Pra que . . . 

Assim que minha mãe virou, pude ver ele se engasgando com a ração de cachorro . . . 

"ELIOTT ?!" minha mãe falou alto quase me ensurdecendo.

". . . Fodeu . . . " meu pai falou num tom que me lembrou MUITO o Castiel.

"Porque você não foi embora !? Você já viu minha mãe antes !" eu falei sem pensar que minha mãe estava perto.

"Sim ! Mas ela estava de costas !  Como eu ia saber que era ela ?! Não tenho mais faro sabe ?? Além do mais eu não via certas cores quando era cachorro . . . Não sabia que ela estava ruiva ! E OUTRA ! EU NÃO ENTENDI SUA MIMICA !"

"PERA VOCÊS SE CONHECEM ?! BOREAL ! ESTÁ ME ESCONDENDO ALGO ?!" minha mãe falou.

Eu e meu pai nos encaramos entretanto . . . nada mudou.

"Agora temos que contar tudo pra ela . . . "falei encarando ele.

"Tudo ?!" ela falou ainda mais espantada.

"Podemos explicar outro dia ?!" meu pai dizia.

"ELIOTT ! VOCÊS VÃO ME CONTAR O QUE ESTÁ ACONTECENDO AGORA !

"VAMOS PRA CASA MOCINHA !" minha mãe dizia.

"Mas mãe eu--"

"SEM MAIS ! VENHA ELIOTT !" minha mãe então arrastou nós dois até o carro.

O caminho inteiro pra casa ela não parava de reclamar, e meu pai ficava debochando dela em silêncio.

"Não pense que eu não notei o que está fazendo ! Você não muda nunca . . . Meu Deus . . ." Minha mãe dizia.

Confesso que ver os dois interagindo me deu curiosidade de como seria minha vida com os dois.

E confesso que era chocante ver a reação da minha mãe.

Sou cercada de gente estabilizada com noticias impactantes, isso é incrível.

Assim que chegamos em casa ela nos sentou no sofá e começou com os "gritos de mãe"

"QUERO QUE EXPLIQUEM TUDO AGORA ! 

COMO ASSIM VOCÊS SE CONHECEM E COMO ASSIM VOCÊ ESTÁ . . . AQUI ?! VIVO ?!" minha mãe gritava numa mistura de espanto e raiva.

"Então . . . Na realidade nem eu sei como estou vivo e aqui nesse corpo. Mas como vocês duas são imã de coisas sobrenaturais, não é estranho né ?" meu pai ria.

"Como sabe desse magnetismo ?! ISSO É ALGO QUE ADQUIRI AQUI NA TERRA !!" ela falava espantada.

"Sim . . . E nossa filha tem. Além de eu ter convivido contigo e ela aqui na Terra . . . " ele falava naturalmente.

"Pai ! Ela não vai entender nada assim !" gritei;

". . . Pera tá tudo muito confuso ! Minha filha tem isso também ?! Você conviveu com a gente ?? Do que tá falando !!?"

". . . Viemos do futuro mãe. Eu não sou a sua filha atual . . . " respondi tímida.

"É inacreditável eu sei. Mas pra quem veio de outra dimensão, é um extraterrestre e um imã de coisas sobrenaturais, tá de bom tamanho." meu pai falava rindo.

"NÃO RIA ENQUANTO FALA ESSAS COISAS ! DO FUTURO ?!"

"Sim mãe . . . Assim . . . Meu cabelo não é aplique sabe . . . Nem coloquei silicone por exemplo." falei timidamente.

"Não foi silicone, foi Remy." meu pai dizia rindo mais uma vez.

"Remy ?" minha mãe perguntou.

". . . É . . . A senhora é avó no futuro de onde vim . . . " falei timidamente.

"Pera . ..  QUANTOS ANOS VOCÊ TEM ?!" minha mãe questionava

Sinceramente eu tinha vergonha de falar que tinha 20 anos sabendo como minha mãe reagiria a isso . . . Como o tempo passou rápido. . .

Por fim eu falei timidamente minha idade atual.

"VOCÊ NÃO TEM NEM IDADE NEM PRA EXISTIR DIREITO E JÁ TEM FILHO ?!" minha mãe gritava.

"Se soubesse do rolo que tem por trás desse filho . . ." meu pai ria.

"OBRIGADA ! VOCÊ ME AJUDA MUITO PAI !" falei enquanto ele ria da minha cara.

"ME EXPLIQUEM TUDO AGORA !" ela gritava ainda mais alterada.

". . . Sobre o filho ?" perguntei.

"TUDO ! SOBRE TUDO ! FILHO ! FUTURO ! TUDO !!" ela gritava.

"Então, em resumo, somos avós.

O filho dela é dela com o Nathaniel, sabe ? Da família de Cristo ? Então . . . Mas ela tá praticamente casada a um bom tempo com o melhor amigo dele."

". . . Isso é tudo inacreditável demais . . ."

"Com o tempo você se acostuma !" ele dizia rindo.

"NÃO VENHA RIR PRA MIM ! VOCÊ SUMIU POR ANOS E AGORA SURGE RINDO E DEBOCHANDO COMO SE FOSSE NADA ?!"

"MULHER EU NÃO SUMI ! EU MORRI !! SABE ? PARAR DE RESPIRAR ? ENTÃO !" que legal ver uma discussão de seu pai e sua mãe mortos . . . 

Nossa que deprimente Boreal.

"Se eu pudesse pode ter certeza que iria ter ficado vivo, não foi agradável ser um cachorro por anos . . . E ainda por cima ver nossa filha dando pra 3 caras." quando meu pai falou isso eu pude senti meu rosto esquentar MUITO de vergonha.

"COMO ASSIM DANDO PRA 3 CARAS ?! CACHORRO ?!"

"Eram meu namorados mãe !!" gritei tímida.

"VOCÊ NAMORAVA 3 CARAS AO MESMO TEMPO !?" ela gritou.

"Não ! Isso deixa pro Alexy. Nossa filha namorou um por vez.

Mas como eu era um cachorro acabei vendo o que não queria . . . Fizeram um ritual pra trazer um cachorro de volta a vida e eu acabei entrando no cachorro . . . Engraçado né ?"

Naquela hora tudo que eu consegui pensar foi "meu Deus, me mata, se é pra me levar me leva agora" Mas . . . ele não me matou e eu continuei passando vergonha com a conversa dos meus pais.

Minha mãe chocada com tudo e enchendo de perguntas e meu pai rindo de tudo e achando tudo lindo.

 

Então a porta abriu.

Era meu pai conversando comigo . . . Sim, minha eu do passado.

Os dois entraram distraidamente conversando, se me lembro bem, ele havia e buscado no colégio aquele dia.

Os dois pararam na porta e ficaram me encarando e encarando meu pai em silêncio.

Após o extenso silêncio que pairou no local, meu pai abriu um sorriso de orelha a orelha e falou "OLÁ PHILIPPE !".

 

ME MATA...

 

 


Notas Finais


Armin x Boreal - E Se eu fica: https://spiritfanfics.com/historia/e-se-eu-ficar-10920741

Azriel x Bia - Don't Stop Now: https://spiritfanfics.com/historia/dont-stop-now-10920962

Imagem bonus: http://asaventurasdeumadoceteciclope.kazumitakashi.com/post/167124722623/bonus159

Postagem explicando metaforas dos personagens na capa da fic: http://aminoapps.com/p/2u7z4u
(mesmo link de cima no meu blog: http://blog.kazumitakashi.com/post/164380379162/significado-das-imagens-da-capa)

Pasta com todos os dialogos exclusivos do amino: http://aminoapps.com/p/5szbl

Style do social [Boreal]: http://socialspir.it/8764501
Style do social [Armin]: http://socialspir.it/8804126
Style do social [Jade]: http://socialspir.it/9079477
Style do social [Alexy]: http://socialspir.it/9824931
Style do social [Nathaniel]: http://socialspir.it/9903999
Style do social [Dakota]: http://socialspir.it/9957173
Style do social [Castiel]: http://socialspir.it/10005294
Style do social [Kentin]: http://socialspir.it/10030992
Style do social [Lysandre]: http://socialspir.it/10036582
Amino: http://aminoapps.com/c/as-aventuras-da-docete-ciclope/

Grupo de discussão no Discord: https://discord.gg/KzEj485

Askblog: http://askdoceteciclope.kazumitakashi.com/

Grupo da fic no facebook
https://www.facebook.com/groups/338241216529957/

Webcomic do Planet Boy:
https://tapastic.com/series/Planetboy
E NO WEBTOONS !!
https://goo.gl/KPZDjh

[fanfic spinoff do Armin]
Link direto: http://socialspir.it/7479230

[post com toda as fics baseadas na fic e reações]
http://asaventurasdeumadoceteciclope.kazumitakashi.com/post/155224108653/fanfics

Processo de como é feita as imagens da fic:
https://youtu.be/NIwbgsfiLG4

Faça sua pergunta referente a fic ou leia perguntas frequentes com suas devidas respostas no link abaixo:
http://asaventurasdeumadoceteciclope.kazumitakashi.com/pergunta

Video Bonus: https://youtu.be/4kEMGSWb8qU

Fic no tumblr + todas as imagens bonus:
http://asaventurasdeumadoceteciclope.kazumitakashi.com

Style baseado na fic: http://socialspir.it/4814905

Youtube: http://youtube.com/kazumitakashi

informações de ultima hora no twitter
http://twitter.com/kazumitakashi

Blog (possui coisas relacionadas a fic)
http://blog.kazumitakashi.com

Tumblr
http://kazumitakashi.com
--------------------------------------------------------------------------------------

Essa historia é postada somente no facebook, nyah, wattpad, tumblr e aqui.
Por favor ! Se vir em outro lugar me avise !

Álbum da historia no facebook:
http://tinyurl.com/knbb8mn
No Nyah:
http://fanfiction.com.br/historia/600249/As_aventuras_de_uma_Docete_Ciclope/
Wattpad:
https://embed.wattpad.com/story/65603520-as-aventuras-de-uma-docete-ciclope

Minha conta no amor doce:
http://amordoce.com/profil/KazumiTakashi


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...