História As Consequências de dar Ré no Quibe - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Black Pink, EXO, Got7
Personagens Baekhyun, BamBam, Chanyeol, Chen, D.O, Jackson, JB, Jennie, Jinyoung, Jisoo, Kai, Lay, Lisa, Mark, Rosé, Sehun, Suho, Xiumin, Youngjae, Yugyeom
Tags Baekhyun, Bambam, Blackpink, Chanyeol, Chen, Exo, Got7, Jackson, Jaebum, Jennie, Jinyoung, Jisoo, Kai, Lay, Lisa, Mark, Markjae, Rose, Sebaek, Sehun, Suho, Xiumin, Youngjae, Yugyeom
Visualizações 12
Palavras 2.595
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção Adolescente, Fluffy, Hentai, Lemon, LGBT, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Slash, Universo Alternativo, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Gravidez Masculina (MPreg), Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oi, boa noite, como estão? Bom, essa é a primeira vez que escrevo uma historia tendo conteúdo Mpreg, sei que podem haver muitos que não gostam, mas aqui estou e isso é culpa da Naah, @mtcyj. No momento que comentei da ideia dessa fic ela quis que eu postasse.

Espero realmente que gostem da minha tentativa (ainda mais com o Jaebum sendo aquele que esta gravido) ^-^

Ah, uma dendo, a historia vai se girar na gravides de Jaebum, mas os capítulos vão ser no "ponto de vista" de terceira pessoa mais inclinado para os amigos que vão estar em volta dele, principalmente de Youngjae e Mark. LEIAM AS NOTAS FINAIS POIS VOU FAZER UMA PERGUNTA MUITO IMPORTANTE ^-^

Capítulo 1 - Surpresa


Por mais que quisesse muito não rir em respeito ao seu hyung, Youngjae estava falhando miseravelmente nesta tarefa. Era impossível ele conseguir se segurar, assim que recebeu a notícia do médico, por dois segundos ele processou a informação em descrença, conseguiu se segurar por um segundo antes de gargalhar com gosto.

– Meu Pai amado! – resmungou Jaebum, o som de sua voz saindo como um fio agudo de tom, uma expressão cômica de incredulidade tomou conta de seu rosto, olhos arregalados, boca aberta, sobrancelhas franzidas e a cabeça inclinada um pouco para o lado com a notícia, nem se importava com o amigo rindo de si.

Ver essa reação de Jaebum só fez Youngjae rir ainda mais, segurando a barriga com uma mão e com a outra apoiando na escrivaninha do médico a sua frente. Ainda bem que ele estava sentado e havia a escrivaninha bem perto dele se não ele já estaria no chão se contorcendo de tanto rir.

– Há uma primeira vez para tudo. – disse o médico que nunca tinha visto reações como aquelas ao mesmo tempo quando dava esse tipo de notícia estendendo uma caixa de lenços para Youngjae, o pobre coitado já estava chorando de tanto rir.

Jaebum começou a resmungar em uma língua estranha e Youngjae se viu obrigado a reunir mais força de vontade para parar de rir, apesar dele ter vindo acompanhar Jaebum para uma consulta normal e não para o que ela se tornou, de um jeito ou de outro estava ali como um ombro amigo e agora que estava se acabando de rir na parte que lhe classificava como amigo, ele precisava ser o ‘ombro’ logo.

Afinal, qualquer um que esteja se sentindo um pouco doente, ou fora de como ele é normalmente, precisa de uma atenção extra e uma companhia que vai lhe deixar melhor.

E sinceramente, naquele momento, Jaebum precisava muito de um ombro amigo, afinal, ele estava gravido. Im Jaebeom estava esperando um filho, ou filha. IM JAEBEOM GRAVIDO.

Era um pouco irrealista e muito irônico que isso tenha acontecido com ele porque Jaebum foi sempre o ativo das relações que ele teve, nunca quis ser o passivo, a maioria de seus relacionamentos anteriores terminou porque ele não quis ninguém entrando naquela bunda branca dele.

Por mais que Jaebum tivesse se relacionado com passivos, mesmo os passivos, uma hora ou outra, iriam querer ser ativos na relação, não todas as vezes, mas mudar de posições sempre se mostrou algo incrivelmente bom em uma relação entre quatro paredes.

Foi no dia seguinte depois de uma conversa entre amigos em que esse assunto veio à tona novamente, após Jaebum reclamar bêbado sobre o fim de mais um relacionamento, que o proprio bêbado se pôs a pensar “nesse lance de variar”, palavras dele.

Seus amigos não acreditaram muito nisso, nem Jaebum acreditou nisso, até que conheceu alguém, meses depois, em uma boate e em sua mente de pessoa bêbada, obviamente influenciada pelas brincadeiras de Yugyeom e BamBam que sempre o lembrava que ele nunca ia desvirginar sua bunda, que ele resolveu que seria com aquele cara que ele perderia sua virgindade da parte de trás.

Ouve muitas risadas dos amigos quando ele afirmou que faria isso quando, antes de sair acompanhado do cara, avisou eles que estaria indo embora e o que planejava fazer naquela noite.

A diversão com esse assunto acabou quando Jaebum chegou mancando no apartamento que dividia com Jinyoung, mas BamBam e Yugyeom também estavam lá naquela manhã do dia seguinte, os dois moravam no apartamento ao lado e sempre iam tomar café da manhã com os mais velhos, eles traziam comida então Jaebum não se importava realmente, só fingia que sim.

Por pelo menos dois minutos inteiros Jaebum foi encarado descaradamente por seu colega de apartamento e seus dois vizinhos em absoluto choque de descrença que ele realmente havia dado a bunda – a única coisa que eles podiam pensar, ligando os pontos da noite anterior, do motivo dele estar andando daquele jeito, já haviam visto um amigo gay andar assim antes de contar sobre uma excelente foda que teve.

Cansado de ser encarado pelos amigos e com muitas dores na parte de trás, Jaebum resolveu sentar – ele queria ir para o seu quarto e deitar na cama e só acordar quando não sentisse dor nem uma, mas suas pernas não pareciam querer muito ser utilizadas para ir “tão longe”.

Sentar foi um grande, imenso, erro já que uma dor aguda irradiou por sua bunda indo por todo o seu corpo e seu gemido de dor despertou seus amigos do completo estupor que eles estavam graças a sua manca entrada.

– Puta que pariu. – Yugyeom respirou profundamente olhando Jaebum de cima a baixo e novamente encarou o amigo nos olhos. Um sorriso, ainda incrédulo, começou a se formar em seus lábios. – Você realmente deu Ré no Quibe?!

Jaebum soltou resmungos caindo de cara no sofá, a dor estava bem mais chata agora – para dizer no mínimo – e ele não estava com vontade de compartilhar sobre suas novas experiências, ele ainda estava indeciso sobre elas.

Com um olhar nada amigável, Jaebum impediu seus amigos de lhe perguntarem mais alguma coisa, o que devastou Yugyeom e BamBam que estavam sedentos por novidades – apesar de implicarem com o mais velho, tudo era puro amor e queriam o bem dele – mas os dois mais novos presavam por suas vidas e o deixaram em paz.

Jinyoung foi mais prestativo, ligou para Youngjae para contar a novidade e também para perguntar se podia dar alguma coisa para ajudar na dor que o mais velho entre eles estava sentindo – como Jinyoung, BamBam e Yugyeom são héteros, não sabia como ajudar alguém nessa situação em particular.

Independente de tudo, foi somente dias depois que Jaebum contou sobre sua experiencia em ser passivo. Ele foi muito contraditório em contar sobre ela, ele dizia que gostou ao mesmo tempo que dizia que não gostou.

– É normal ficar assim confuso, foi sua primeira experiencia como passivo. – disse Youngjae de forma diplomática muito confortável sentado no colo de seu namorado Mark enquanto todos os outros estavam esparramados sentados no chão duro em volta da mesinha de centro que comportava as varias pizzas e bebidas sobre ela.

Pelo menos, uma vez por semana, os seis amigos – que eram sete, mas Jackson estava na China para resolver alguns assuntos familiares – se reunião para conversar, dessa vez optaram por ficaram na casa de um deles.

– Sim, mas lembre-se que se você trancar o cu por muito tempo, essa dor vai se repetir por muitas vezes. – emendou BamBam com uma expressão seria olhando para o homem que era três anos mais velho que si.

No fim, após ser alvo de muitas brincadeiras de seus amigos que foram fortemente responsáveis pelo rosto dele ter ficado completamente vermelho de vergonha e raiva, Jaebum disse que pensaria se iria novamente dar “Ré no Quibe”.

Passou um longo mês desde essa conversa, Jaebum acabou não ficando com ninguém, nem como ativo muito menos como passivo, passou seu tempo livre com os amigos planejando uma viagem em grupo que eles queriam já algum tempo e finalmente eles teriam férias compatíveis em alguns meses.

Nos últimos dias, sempre que se reunião para decidir algo sobre a viagem, Youngjae e os outros começaram a reparar em como Jaebum estava se comportando diferente, estava mais pálido, parecia sempre cansado e estava fazendo careta para a comida e a evitando – o que foi o limite da paciência deles porque Jaebum era aquilo que chamavam de ter um buraco negro no estomago, ele comia muito e principalmente, não recusava comida.

Apesar de ter afirmado varias vezes que estava bem, percebendo como todos estavam mostrando suas preocupações com seu estado, Jaebum acabou concordando em ir ao médico – ele nunca diria que havia aceitado ir ao médico porque Jinyoung havia o ameaçado para ir.

Como queriam provas de que ele realmente foi e também para ele ter um apoio amigo dependendo do resultado da avaliação do médico, Youngjae acabou indo acompanha-lo.

Jaebum e Youngjae estavam esperando os resultados dos exames preliminares com certa curiosidade e um pouco de preocupação, mas em hipótese nem uma imaginaram aquele resultado.

Youngjae respirou fundo e se controlou, seu amigo estava mortificado ao seu lado e os pensamentos dele definitivamente estavam perdidos em um lugar que não era o consultório em que estavam, precisava ser forte por ele, e pediu para o médico prosseguir.

– Bom... – o médico explicou algumas coisas, passou algumas recomendações olhando para Youngjae, sabendo que o mais novo o estava ouvindo atentamente, antes de se virar para Jaebum ainda perdido em pensamentos e se voltar para Youngjae. – ... Assumindo que isso é uma surpresa completa e ele não tem um obstetra para acompanhar a gravidez, eu preciso fazer um exame de ultrassom para saber como está o feto.

“Por mais que possa sim esperar um pouco e ele ir em um obstetra de confiança, como a gravidez em homens é um pouco diferente das mulheres, os exames têm que ser feitos mais rápidos para total segurança do pai e da criança.”

– Entendo. – assentiu Youngjae pensativo.

Ele já tinha alguém em mente que podia acompanhar a gravidez de Jaebum e poderiam ir imediatamente, mas já que estava ali, não custava nada fazer um ultrassom para saber se estava tudo bem.

O mais novo se virou para o amigo e sentiu um pouco de empatia ao ver como Jaebum parecia perdido com essa novidade. Ele nunca tinha se mostrado interessado em ter filhos, na verdade, se tinha uma coisa que Jaebum não queria era ter filhos, simplesmente não se via sendo pai ainda, talvez em uns dez anos ele pensasse nisso, mas definitivamente não naquele momento em sua vida, tanto que se cuidava e cuidava de seus parceiros para que nem uma surpresa assim acontecesse.

Claro que tudo foi carregado de muitas coincidências, mas naquilo que Jaebum tomou tanto cuidado, foi aonde o levou onde estava agora. A primeira e única vez que ele “dá” e acaba ficando gravido.

A ironia batendo na porta de Jaebum novamente.

– Vou providenciar o aparelho de ultrassom, volto em alguns minutos. – anunciou o medico e deixou os dois amigos a sós, fechando a porta em um clic suave.

– Hyung... – Youngjae tocou no ombro do mais velho.

– A gente usou camisinha. – disse Jaebum desoladamente, seu olhar perdido dando lugar a uma conflituosa confusão. – Por mais bêbado que eu estava eu me lembro de ter pegado a que eu sempre carrego na carteira e ele a ter usado, eu coloquei nele.

– Eu acredito, hyung. – falou Youngjae calmamente, pelos sinais que o outro homem estava demostrando, ele podia ter um ataque de pânico se palavras erradas fossem usadas. E Youngjae também percebeu o pequeno erro que seu amigo cometeu, um erro bem comum na verdade. – Mas você também bem sabe que camisinhas não são 100% seguras.

– Sim, mas... – os olhos de Jaebum ficaram maiores, como se desse conta de uma coisa muito importante, a mesma que Youngjae havia captado com o que ele falara anteriormente. – Merda. – praguejou levando as mãos a cabeça.

– Pois é. – Youngjae levou uma mão ao ombro do outro em forma de conforto. – Por você sempre ser o ativo, você não se ligou nesse pequeno detalhe.

Contraceptivos. Em especial, aquelas pílulas amigas que sempre foram responsáveis por diminuir ainda mais as chances de se engravidar, sejam aquelas diárias ou a do dia seguinte.

Mesmo em noites loucas que ficava com alguém somente por aquele momento usando camisinha, Jaebum questionava seus parceiros se eles tomavam elas ou estava disposto a tomar a do dia seguinte para maior segurança antes de mandar ver.

A taxa de gravides masculina é a mesma que a feminina então, mesmo que a eficácia da camisinha seja estimada cientificamente em 86%, todo o cuidado era pouco e muito bem-vindo.

Os 14% que muitos nem ligavam foi o que bastou para ele na sua primeira vez. Jaebum estava gravido. Esperando um filho inesperado.

– Agora não é o momento para se martirizar por isso. Pensar nisso não vai mudar seu teste de gravidez. – Youngjae apertou de leve o ombro do amigo. – Não sei como está se sentindo agora, hyung, mas saiba que não vai estar sozinho.

As sobrancelhas de Youngjae franziram ao sentir os músculos de Jaebum ficarem tensos e o mais velho levantar a cabeça em espanto.

– Ohhh mil vezes merda. – Jaebum abaixou a cabeça novamente fechando os olhos com força, seus dedos se prenderam com forças em seus cabelos e ele ficou com muita vontade de chorar, seu corpo até sofreu espasmos de soluços o que deixou Youngjae muito preocupado.

– O que foi hyung? – perguntou o mais novo angustiado se abaixando ao lado do amigo.

A porta se abriu e o médico voltou acompanhado de uma enfermeira empurrando um tipo de carrinho com a maquina de ultrassom. Percebendo logo a situação, o medico pediu para a enfermeira colocar a maquina ao lado da maca que tinha em seu consultório e esperar para o caso de precisar dela.

– Aconteceu alguma coisa? – perguntou o medico usando seu tom profissional. – Ele está sentindo algo? – o homem no jaleco branco fez um sinal para enfermeira e já se preparava para ir até Jaebum para examina-lo.

– Eu não sei. Ele ficou assim de repente. – respondeu Youngjae, a voz baixa e os olhos cravados em Jaebum, este que mordia o lábio inferior com força. – Hyung, você está bem? Não me deixa preocupado e fala logo homem.

Por mais que quisesse sumir naquele momento tamanha as burrices que estava vendo que havia feito, Jaebum não podia deixar seu amigo preocupado por algo tão bobo quanto sua burrice, o que pelo andar da carruagem não seria mais novidade, só esperava que não fossem mais burrices de mudar completamente a vida.

– É que eu sou muito burro. – Jaebum cruzou os braços sobre as pernas e escondeu o rosto naquele pequeno espaço. Ele mandou o médico se afastar dizendo que estava bem. – Me desculpe o animal, mas eu fui muito, muito, muito burro mesmo. – sua voz saiu abafada pelo jeito que estava, mas as três pessoas que estavam no consultório com ele puderam o ouvir muito bem.

– Do que está falando, hyung? – Youngjae estava fincando muito preocupado agora se perguntando o que estava acontecendo com o amigo, talvez agora que sabia sobre sua gravidez os hormônios que vem com ela estava o afetando, ou algo assim, Youngjae estava definitivamente perdido. – Não diga isso de você mesmo, vamos...

– Eu não sei quem é ele. – Jaebum levantou a cabeça e encarou Youngjae diretamente nos olhos, o mais novo sentiu um aperto no peito ao ver os olhos do amigo vermelhos e as lagrimas acumuladas neles.

– Ele quem? – perguntou confuso.

– O cara com quem eu dormi. – rindo sem humor Jaebum se levantou enxugando os olhos das lagrimas teimosas que resolveram sair mesmo ele tendo se segurada bastante, ele queria muito descontar a sensação angustiante de raiva que estava sentindo em alguma coisa, mas se fizesse ali teria que pagar caro se quebrasse algo, então, optou por andar pelo consultório idiotamente. – Eu não sei quem é ele, não perguntei o nome, não peguei nem o número de seu telefone e a gente transou em um hotel perto da boate, há não ser sua fisionomia, eu não sei absolutamente nada dele.

Todos no consultório ficaram em absoluto silencio com a revelação.

– Então... – Youngjae engoliu em seco, fechou os olhos e massageou as têmporas, de alguma forma esperava que seu cérebro processasse mais rápido essa nova informação. – Oh Meu Deus... Hyung.

Jaebum riu amarguradamente voltando a se sentar se sentindo derrotado e totalmente perdido.


Notas Finais


Espero que tenham gostado ^-^ vou tentar não demorar muito para atualizar essa fic, como uma certa anjo me incentivou bastante para escrever essa historia, já tenho bastante ideias para ela.

AGORA A PARTE DA PERGUNTA, quem vocês querem que seja o pai do filho do Jaebum? Os outros membros do GOT7 estão obviamente de fora assim como os do EXO, já tenho ideias para eles. Podem ser de qualquer outro grupo.

Muito obrigada a todos que leram e até a próxima ^-^


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...