História As cores do invisível - Capítulo 3


Escrita por:

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Amor, Casal, Drama, Hentai, Mistério, Romance, Sexo
Visualizações 30
Palavras 1.791
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Hentai, Mistério, Misticismo, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Suicídio, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Parece que há oceanos
Entre mim e você mais uma vez
Nós escondemos nossas emoções
Sob a superfície e tentamos fingir
Mas parece que há oceanos
Entre você e eu

Capítulo 3 - Vermelho


 O banheiro estava uma lama.

Foi o que mais incomodou Kyle quando o mesmo estava fazendo uma varredura no apartamento de Anne. A mulher estava segurando a mão de Ethan na cozinha enquanto Kyle olhava ao redor.

Uma semana se passou desde que Ethan resolveu aparecer na vida de Anne. Uma semana que Ethan poderia ter abandonado tudo e simplesmente desaparecido novamente, mas não o fez. Foi o tempo necessário para que Kyle conseguisse uma folga no seu trabalho e viajasse para outra cidade apenas para vê-lo, a pedido de Anne.

Ethan já estava começando a se acostumar com a presença da mulher, mesmo que ele fosse, e se sentisse, como um parasita a mulher fazia de tudo para que ele ficasse bem. Ela lhe dava espaço, não o repreendia, mas também não limpava sua bagunça, isso ela deixou implicito que ele deveria fazer, e ainda o alimentava quando podia.

A saúde do garoto era o que mais a preocupava. Ele tinha ganhado mais cor e as olheiras tinham diminuído, porém ainda parecia desnutrido e de certa forma fraco.

Agora, Anne se perguntava se trazer Kyle para seu apartamento tinha sido a melhor escolha. Demorou para que Ethan, de fato, confiasse em Anne o bastante para que ela pudesse tocá-lo, porém agora com Kyle lá... Ethan mais parecia um filhote encurralado do que um homem.

Os olhos da mulher não deixaram de se estreitar, o que tinha acontecido com a trajetória de Ethan até aquele momento era uma incógnita para a mesma, o fato de outro humano estar naquele ambiente estava deixando Ethan no mínimo mais tenso, o que a fez tentar protegê-lo.

Ela segurou sua mão de forma automática.

Ambos estavam na cozinha, sentados em cadeiras distantes, porém Ethan tinha os braços sobre a mesa e a posição tensa, assustada, os olhos perdidos em memórias do passado. Anne estava apreensiva, mas de certa forma tentava parecer relaxada. Os braços da mulher também estavam sobre a mesma, mas ela colocou sua mão em cima da mão gelada do garoto, o dando certo conforto.

Kyle ainda analisava tudo. Sua mente pensando no pior cenário possível.

E se Ethan fosse alguém envolvido com o crime? E se o pior acontecesse com a amiga? Seria Anna sua amiga de fato? Por quê o homem sequer estava lá? Kyle deveria estar em casa jogando videogame e aproveitando a sexta livre, não naquele lugar com aquelas pessoas.

O apartamento estava uma bagunça, ele não sabia se era costume de Anne deixá-lo assim, mas se tivesse que adivinhar apostaria que tudo aquilo era responsabilidade de Ethan. Que o intruso se aproveitava da mulher e ainda bagunçava sua casa.

O que Kyle não sabia era que Ethan tentava arrumar as coisas o melhor possível, porém o rapaz estava tanto tempo longe de uma casa... Ele ia pelas memórias do que sua mãe ensinou. Sabia dobrar os lençóis e lavar a louça, porém o banheiro e o resto eram coisas complexas para a mente de uma pessoa como ele.

Para piorar a situação Kyle achou as diversas garrafas vazias de álcool e os restos de cigarro no carro de Ethan. Não precisou nem abrir a porta, a sujeira poderia ser vista do lado de fora. Ethan era um viciado, e Kyle não tinha dúvidas nisso.

Ao sair do banheiro o mesmo viu o casal na cozinha. Franziu a testa ao notar a proximidade dos dois, porém nada disse.

Quando Anne notou sua presença ela se levantou e forçou um sorriso. Kyle apenas olhou para a porta de saída e Anne assentiu.

- Ethan... - Ela começou a falar. - Voltarei logo. - Disse e foi em direção da porta.

Kyle caminhou até a mulher, não sem antes encarar Ethan, e fechou a porta quando ambos estavam do lado de fora.

- Ficou louca?! - Kyle gritou, sem se importar com quem estivesse ouvindo.

Anne moveu os ombros e andou um pouco para trás, em susto. Os olhos arregalados olhando para Kyle, a voz grossa do homem a fazendo ficar assustada. Kyle notou aquilo e tentou diminuir o tom de voz, limpando a garganta e cruzando os braços. Ethan pôde ouvir aquilo de dentro do apartamento, ele ficou olhando para a porta e tentou aguçar a audição.

- Por? - Anne perguntou, se fazendo de desentendida.

Kyle odiava isso dela, como se ela testasse sua raiva e a de todos. Porém aquilo não deixou de lhe causar nostalgia.

Quando eram crianças o grupo era formado por cinco pessoas. Kyle era o estranho do grupo, gordinho, pele morena e cabelo entre um estranho tom de ruivo e castanho, que mais parecia ferrugem. O mesmo adorava coisas nerds quando criança, e normalmente todos iam para sua casa quando ele ganhava um jogo novo.

Kyle era um ano mais velho do que Anne, sendo o segundo mais velho do antigo grupo. Ele olhou para ela e teve a sensação de que estava voltando a ser criança novamente. Não notou quando um esboço de sorriso começou a ser formado em seus lábios.

Anne percebeu.

A garota abriu um sorriso nostálgico antes de olhar para o chão. Ela tinha saudades daquele tempo, o tempo em que não sabiam o quanto eram felizes.

- Não ria Anne... - Kyle falou com o tom mais baixo. - Pelo o que vimos no carro ele é ser um viciado agora, pode estar devendo dinheiro, pode até estar te roubando sem que você perceba. - Disse.- Por quê você não liga pra polícia? Ou pra família dele...

Anne o olhou, e seus olhos saíram de angelicais para adagas em segundos. A raiva se formando em seu interior, a expressão deixando claro seu descontamento com aquela conversa. Anne sempre fora assim com Kyle, expressiva, sem medo de mostrar suas emoções.

A mulher respirou fundo antes de começar a falar, sua mente e coração já estavam decididos. Ela encarava aquela situação como uma oportunidade, algo que faria com que Ethan saísse daquele munto e apenas... Apenas voltasse a ser ele mesmo. Ela não queria imaginá-lo perdido no mundo, solto e sem carinho, sem ter para onde ir.

- De todos você sempre foi o mais equilibrado do grupo Kyle. - Anne começou a dizer. - Sempre foi o que me fez pensar ao invés de simplesmente agir, e foi o que ficou mais tempo... - Ela o olhou no fundo de seus olhos castanhos e sorriu. - Mas se você me trair e contar para a família dele, ou para a polícia, depois de tudo o que vimos e presenciamos eu juro que irei te caçar eu mesma.

Aquilo era claramente o defeito de Anne que Kyle mais temia. A meretriz. Anne sempre teve o péssimo hábito de super proteção e manipulação, ela colocava suas ideias na cabeça e não se importava com as ideias do próximo. Mesmo que não fizesse por mal. Ela tinha razão, no entanto. Kyle realmente era a razão dela e provavelmente de todo o grupo antigo, ele sempre a fez enxergar as melhores decisões, enquanto ela focava nas emoções.

Com o que estava ocorrendo, com toda a nostalgia e a visão de um membro antigo do grupo, era natural que Anne combatesse o passado com o próprio passado, e procurasse ajuda do amigo. Kyle a entendia, não mais do que Ethan, porém o suficiente.

O problema, era que a distância desequilibrou tudo. Kyle se sentia distante de Anne e de todos, e parecia ter esquecido o quanto a família de Ethan foi justamente o motivo para o mesmo querer fugir.

- Você tem razão... Seria pior. - Kyle disse, após refletir um pouco. - Mas o homem ali dentro não é o Ethan, é uma pessoa totalmente diferente que não conhecemos, alguém que mudou Anne. - Disse apreensivo. - Você ao menos perguntou se ele deseja mudar?

A garganta da mulher doía um pouco, ela fechou os olhos antes de assentir. Kyle tinha razão, aquele rapaz poderia ser Ethan, mas não o mesmo que conheciam.

- Quando foi que a vida ficou tão difícil? - Anne disse, olhando novamente para Kyle. - Se eu o perguntasse é óbvio que ele diria não, mas estaria mentindo. Eu posso não conhecê-lo totalmente, mas conheço essa parte dele. Eu sei. - Ela estava confiante quanto a isso. - Assim como eu sei que você não deseja mal à ele e nem a mim.

- Eu nunca desejaria isso... - Kyle disse, sua voz estava mais baixa. - Mas eu conheço você mais do que a ele, e o assustador é que eu não conheço mais você Anne. - Disse. - Quanto mais ele. Isso é perigoso de diversas formas, ele é um imundo, não é o Ethan.

- Você pensa demais Kyle... - Falou Anne. - Deixe a parte de sentir para mim, aquele ali pode não ser o Ethan, mas o Ethan está lá.

- Vocês podem por favor parar de falar de mim pelas minhas costas? - A voz de Ethan quebrou a conversa.

Anne e Kyle olharam para a porta e lá estava o garoto. Ethan os olhava apreensivo, não sabia como reagir, mas estava incomodado.

- Desculpe... - Anne sussurrou e olhou para o chão.

Aquele vício de postura era novo para Ethan, ele não tinha lembranças de Anne olhando para o chão... Nem mesmo quando Anne passou por situações ruins no passado. Ela era forte e confiante, mas nestes dias o rapaz notou que a confiança dela estava tão baixa quanto as dele, mesmo que suas atitudes fossem contra isso.

- Kyle tem razão... - Ethan começou a dizer, as palavras apunhalando Anne que o olhou em um misto de emoções. - Eu não sou o Ethan, sou um viciado de merda que tem uma vida de merda. Se eu pudesse voltar no tempo talvez eu mudasse tudo, só que não posso voltar no tempo e não posso mudar, então Anne, desiste.

Mesmo que Ethan falasse aquilo com frieza e sendo o mais direto possível, Anne olhou para sua boca, notando a linha de tensão que se formava nas laterais, um tique que aparecia quando o mesmo estava estressado ou mentindo. Então Anne decidiu encarar seus olhos, o tom cinza estava um pouco mais escuro, mas ainda assim...

- Mentiroso. - Ela disse e cruzou os braços, fazendo uma careta.

Kyle suspirou. Ele gostaria de estar errado naquele ponto, gostaria que Ethan realmente não estivesse naquela vida, mas para o homem aquilo já era absurdo. Se ele não queria ser ajudado não teria ninguém no mundo que o mudasse, nem mesmo à força. Porém quando Anne mostrou que estava determinada aquilo o fez olhar novamente para Ethan e o que ele viu nos olhos do rapaz não era repúdio e nem irritação.

Era alívio.


Notas Finais


Eu quero você
E eu sempre vou querer
Eu gostaria de valer a pena
Mas eu sei o que você merece
Você sabe que eu prefiro afogar
Do que continuar sem você
Mas você está me puxando para baixo


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...