1. Spirit Fanfics >
  2. As cores do invisível >
  3. Pérola

História As cores do invisível - Capítulo 19


Escrita por:


Notas do Autor


Olá meus amores! Passei aqui para dar um recado rápido.

Já é volta às aulas, e agora estou estudando no período integral das 2 horas da tarde às 9 horas da noite.
Por isso irei demorar um pouquinho mais para postar os capítulos, mas tentarei manter a fanfic atualizada!

Bjs e boa leitura!

Capítulo 19 - Pérola




Alguns dias se passaram sem que Viktor tivesse notícias de Yuuri, e durante esse meio tempo, parecia que todos da mansão evitavam comentar sobre o assunto. Após sua ida ao hospital, toda a propriedade se encontrou em um estado de apatia generalizada. Como se, de alguma forma, a ausência temporária de Yuuri na mansão houvesse roubado dela toda a luz e vida. E isso também se aplicava a Viktor, que há dias agia de maneira diferente, ficando mais calado do que o habitual. E como era de se esperar, Yurio não foi o único a notar a mudança repentina de comportamento por parte do platinado. Mas por ora não decidiu comentar nada a respeito com ele.

Era início da noite de sábado, Viktor já estava em casa quando recebeu a ligação de sua amiga Mila, perguntando se ela poderia dar uma passadinha por lá para conversarem e, talvez, jantarem juntos, o que ele aceitou alegremente. Precisava por os pensamentos em ordem e se distrair um pouco, caso contrário iria perder o rumo de vez. Não se esforçaria em tentar disfarçar sua preocupação quando ela chegasse, pois Mila o conhecia muito bem e não demoraria mais do que alguns instantes para descobrir tudo. 

Já passava das dez e meia da noite quando a campainha tocou. Nikiforov se apressou em abrir a porta, se deparando com o rosto sorridente e ruborizado pelo frio de sua querida amiga, que tremia debaixo do suéter de lã bege claro que usava, agradecendo brevemente quando o russo lhe convidou para entrar. Ela o encarou animada, enquanto pendurava o cachecol no cabideiro do vestíbulo, o seguindo até a sala, sentando-se em um dos cantos do sofá.

- por quê devo a honra dessa visita, madame Babicheva? - Viktor riu, sem se preocupar em fazer uma piada para descontrair e amenizar o clima esquisito que se estendia entre eles. Mas, no fundo, ele sabia que aquilo fora somente um motivo para tentar desviar a atenção de Mila para longe de sua preocupação.

- estava saindo do escritório e decidi dar uma volta por aqui, já que não tinha muita coisa para fazer lá no hotel - Ela respondeu, se lembrando brevemente da terrível montanha de arquivos que teria que assinar no dia seguinte - Pensei que você fosse me chamar pra ir em algum lugar nesses últimos dias. Sei lá sabe? Só para conversar e passarmos o tempo juntos...

- sobre isso eu realmente sinto muito, não tive muito tempo livre no trabalho, e anda sendo bem estressante nessa semana, entende? - Viktor deu um sorriso fraco, deixando quase que aparente que alguma coisa estava errada consigo. E era óbvio que Mila não ia ignorar aquele sinal.

- percebi! Você anda com um ar de cansaço, aconteceu alguma coisa? - Mila perguntou, começando a ficar preocupada com o amigo. Ele raramente ficava abatido como daquela vez, o que lhe fez despertar um alerta de que algo sério tinha ocorrido.

- não é nada demais, eu dou conta! Sei que todas essas reuniões e viagens andam te deixando exausta, e não quero que se preocupe comigo!- O platinado sorriu, pousando a mão sobre o ombro da colega, que suspirou profundamente, não sendo totalmente convencida por ele. Se Viktor não ia lhe contar, teria que descobrir com seus próprios métodos.

Pediram comida chinesa de um restaurante alí perto, e devoraram a refeição enquanto discutiam sobre como seria a próxima viagem de Mila para Toulouse, que estava marcada para acontecer ainda naquele mesmo mês. Enquanto conversavam, ela notava uma ligeira mudança no modo de agir e falar de Viktor, apesar de ele sempre reforçar de que estava tudo bem e que não havia nada com que se preocupar. Mas ela não se enganava tão fácil assim, se Nikiforov realmente quisesse afastar as suspeitas de si, teria que se esforçar um pouco mais.

Ela respirou fundo, apoiando a cabeça em uma das mãos, enquanto tomava um longo gole de refrigerante que havia pedido junto com a porção de Yakisoba. Encarou Viktor de maneira astuta, inibindo um sorriso ao dizer quase melodicamente:

- e como vai Yuuri? Você não me falou mais nada sobre ele - Mila perguntou curiosa, vendo a expressão do platinado transmutar-se para algo nervoso e, quem dirá, surpreso. Como se não soubesse o quê dizer para uma pergunta tão aparentemente simples.

- ele está bem, apesar de não ter visto muito ele nesses últimos dias na mansão, deve estar ocupado - Viktor se limitou em responder, desviando o olhar e tentando fugir do assunto.

- o que aconteceu? Deixe de ser teimoso e diga logo de uma vez, o quê pode ser tão ruim assim?- Ela insistiu já bastante irritada, se levantando num repente e espalmando as mãos sobre a mesa. Estava cansada da teimosia dele em tentar encobrir o que já era óbvio, tentando afastar seus problemas de alguém que iria fazer o impossível para o ajudar. Ela não compreendia. Mas com certeza não estava pronta para o quê viria a seguir.

- ele está doente, ok? Se quer tanto saber! Faz quase três dias que não o vejo ou tenho notícias dele! Você por acaso tem idéia de como me sinto culpado?! - Viktor bradou com a voz embargada pela angústia que vinha engolindo constantemente. Seus olhos marejados denunciavam sua tristeza, e sua alma parecia desabar junto com ele - No dia anterior de ele ter adoecido, notei que Yuuri já tossia e não se sentia bem! Eu devia ter feito algo, poderia ter evitado! Mas eu não fiz porra nenhuma!

- e-eu não sabia, eu sinto muito!- Mila rapidamente correu para perto dele, se arrependendo profundamente por ter sido tão insensível e rude. Viktor deitou a cabeça sobre os braços, apoiados em cima da mesa, impedindo que ela visse seu rosto.

- assim que eu entrei naquele quarto e olhei nos olhos dele, de alguma forma eu pude sentir o que Yuuri sentia. Quando o levaram a força para o hospital, eu vi o quanto ele estava assustado... e eu não pude fazer nada! - Nikiforov murmurou baixo entre soluços, deixando com que toda a mágoa que vinha se acumulando fosse liberada de uma só vez - Fiquei com medo de ser demitido por Toshiya caso tentasse intervir. Se eu não tivesse sido tão covarde, as coisas poderiam ter sido diferentes...

- não, se você tivesse se metido provavelmente seria mandado embora do emprego, e talvez nunca mais o visse! Você fez certo ao não intervir!- Mila sorriu fraco, tentando amenizar a situação tensa que havia se instalado - Você o quis proteger desde o início, mas você ainda não quis aceitar o real motivo para isso.

- do quê você está falando?- Viktor ergueu a vista para a amiga, que estava ao seu lado, oferecendo todo seu apoio. Não entendia exatamente o que ela queria dizer, mas parte de si já sabia, só não havia admitido ainda.

- Mas por quanto tempo você quer se enganar?!- Mila suspirou suavemente, deixando escapar um riso alegre ao ver o olhar incrédulo do colega - Viktor, você o ama...



Notas Finais


E então meus amores, espero que tenham gostado!
Nos vemos no próximo capítulo ♥️

Bjs


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...