História As Cortes - Capítulo 4


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Personagens Personagens Originais
Visualizações 8
Palavras 1.418
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Fantasia, Festa, Ficção, Ficção Adolescente, Ficção Científica, Hentai, LGBT, Lírica, Literatura Feminina, Luta, Magia, Mistério, Misticismo, Romance e Novela, Saga, Shoujo (Romântico), Survival, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 4 - A união


Aquela corte era muito quente, pelo nome "Corte do Fogo" já dava para saber que seria um pouco quente, mas pareça que era verão todo dia.

A união foi uma coisa secreta, mas houve união, a única coisa que não aconteceu foi a consumação.

Mas estávamos dormindo no mesmo quarto, na mesma cama, e iríamos hoje com os dragões visitar a Corte Sombria.

Me levantei e comecei a vestir o traje de Gelo, era preto com detalhes em azul gelo, era como se fosse uma calça e blusa juntos.

Ainda não estava acostumada a ver alguém do outro lado da cama, ele acordou e suspirou, parecia uma mulher.

-Sabia que a união une nossas mentes?- ele resmungou.- Eu pareço uma mulher? Sério?

-Sim.- calçei as botas.

-Eu vou me vestir e vamos.- ele se levantou.

A porta abriu e vi o pai dele, que na minha opinião era uma pessoa muito intimidadora.

-Posso ver?- ele apontou para eu ombro.

-Claro.- eu abaixei a mangam.

Todo filho de gelo tinha uma marca no ombro, o meu era uma mandala que ia até o cotovelo, da cor prateada.

-Escolheu bem.- ele sorriu.- Rynan fez a pior marca de todas.

-Imagino.- eu sorri.

-Não é pior.- Rynan apareceu.

Ele estava sem camisa, era uma águia, do braço esquerdo, até o braço direito passando pelas costas, fechei a boca.

-Ainda está dolorida?- o pai dele perguntou sobre a marca da união.

-Não.- sorri.

Lembrei da marca que fiz no centro das costas, eu e Rynan escolhemos a marca, na verdade fizemos uma marca própria, um redemoinho com as quatro cortes, Rynan fez no pescoço em um tamanho diferente.

-Bom, tomem cuidado hoje.- ele me encarou.- Cuide dele.

Minha família nunca foi assim comigo, nunca me tratou como eles me tratavam, era só disciplina.

Rynan tocou meu ombro e eu me esquivei, ainda não conhecia ele o bastante, fomos até os dragões.

-Oi, Mika.- passei a mão pelas escamas dele.

Subi em cima dele, a Corte do Fogo colocava cela nos dragões, mas a de gelo não, pelo menos eu não gostava disso.

Começamos a voar, com os dragões não levava muito tempo para chegar no nosso destino.

Tinha esquecido de fazer a trança e agora meu cabelos ficavam voando com o vento, sentia meus poderes se remexendo, pedindo para ser soltos, mas eu precisava guardar, para o que encontrasse lá.

Olhei para Rynan e parecia que ouvia alguns pensamentos dele, muito longe, mas ainda sim eu os ouvia, como...

Está tentando ler minha mente. Esse pensamento veio mais claro. Como... Eu ensino a você.

Chegamos e decidimos deixar os dragões um pouco afastados do limite da corte, eu toquei o cabo da minha espada e respirei fundo.

❄️🔥💧🌱

Ela estava séria, tocando o cabo da espada com muita força, eu me coloquei mais perto dela na medida que avançamos.

Assim que chegamos na fronteira senti o cheiro de morte, ela também sentiu pois se remexeu.

-Parece que tudo está morto.- ela cochichou.- Não tem exército.

-Espere um pouco.- eu sussurei.

Ouvimos algo e ela começou a se tremer, sabia que tinha algo estranho, ela já tinha ido a batalhas piores... Syl desmaiou, segurei ela.

-Tire sua parceira daqui.- uma sombra negra apareceu.

-O que fez com ela?- eu rosnei.

-Ela é sensível ao que está no ar.- a sombra falou.- Tire ela daqui.

-Eles tem um exército?- eu perguntei.

-Milhões.- a sombra sussurou.- Vá, agora.

Eu não pensei duas vezes antes colocar ela no colo, mas antes de sair ele me olhou e pude ver que ele não queria nosso mal.

Ela estava quente, assim que entramos na fronteira da Corte de Água eu a despi e coloquei na água, as vezes eu ficava enfeitiçado naquela tatuagem no ombro dela.

-Syl.- eu dei batidinhas no rosto dela.

-Me deixa.- ela recobrou a consciência e voltou a dormir.

-Quem eu sou?- tentei manter ela acordada.

-Rynan.- ela se remexeu.

-Especificamente.- eu sentei em uma pedra no lago e coloquei ela no meu colo.

-Meu parceiro.- ela balbuciou.- O que...

Ela abriu os olhos e piscou várias vezes antes de perceber tudo o que estava acontecendo.

-O que aconteceu?- ela olhou envolta.

-Você desmaiou, estava com muita febre então coloquei você no lago.- eu falei antes dela me bater, por que estava com a cara de quem ia me bater por ter despido ela.

-Eu estava me sentindo muito mal.- ela explicou.- De repente apaguei.

-Eu te segurei.- tirei o cabelo do rosto dela.

-Obrigada.- ela saiu do meu colo e alcançou as roupas.

Estava de costas pra mim, vi a marca da união, de repente aquele lago esquentou muito.

-O que está fazendo?- ela se virou.

-Nada.- sorri.

-Está esquentando o lago.- ela tocou com a pintados dedos e resfriou.

-Não gosta do calor?- me levantei.

-Não é meu preferido.- ela me encarou.

-É mesmo?- fui até ela.

-Não faça isso.- ela falou rindo.

-Ou o que?- toquei o queixo dela.

-Ou...

Eu não quis esperar, levei minha mão até o ponto entre as pernas dela, senti ela tremer ao meu toque.

Ela estava molhada, e sabia que não era por causa do lago, sorri e aproximei meu rosto do dela.

-Não quero interromper vocês.- ouvi o ruído do metal.- Mas já interrompendo.

Olhei para o lado e vi guardas da Corte de Água, coloquei Syl atrás de mim, o guarda jogou a roupa dela em mim e dei a ela para se vestir.

-Os dois, fora do lago. Agora.

❄️🔥💧🌱

Estávamos amarrados em cadeiras, costa a costa, eu estava esperando Rynan acordar da surra que ele tinha levado.

-Eu já acordei.- ele avisou.- E não fou uma surra, eu estava amarrado.

-Pare de ler minha mente.- eu resmunguei.

-Os dois acordaram.- eu conhecia ele, já tinha visto ele...

-Erin.- Rynan sorriu, eu senti na voz dele.- Por que não nos solta, amigo.

-Acha que pode invadir minha corte e ainda me chamar de amigo?- Erin rosnou.

-Precisamos falar sobre algo importante.- eu me intrometi.- Sobre...

-Essa é sua nova vadia, Rynan?- ele riu.- Bonita, até.

Deixe ele pensar isso, não queremos que ninguém saiba ainda. Rynan falou na minha mente, eu assenti mesmo ele não vendo.

-O que ela tem de tão interessante?- Erin tocou meu rosto.

Já sei de onde eu puxei aquela pele bronzeada e os cabelos prateados, quem quer dos meus pais que fossem da Corte de Água.

-Ela é bem interessante.- Rynan tirou a atenção de mim e Erin foi até ele.

-O que estava fazendo aqui?- ouvi um estalar de dedos.

-Vivendo loucamente.- Rynan suspirou.

-Sabe que não posso matar você.- Erin soltou as cordas de Rynan.- Então terei que matar ela.

Me alertei, Rynan se levantou e liberou energia até minhas cordas, fazendo elas queimarem.

Quando os guardas se aproximaram eu apaguei cada um, me levantei e vi Erin nós olhando.

-Ela não é qualquer uma, é?- Erin prestou mais atenção em mim.

-Não, não é.- Rynan assobiou.

Os dragões apareceram em um piscar de olhos, destruindo as paredes do palácio e nos tirando de lá.

Na pressa eu subi no dragão de Rynan, Hail, ela não parecia ser um doce, mas pelo menos eu estava melhor que Rynan com Mika.

-De mulher pra mulher.- eu toquei a cabeça dela e ela acalmou.- Obrigada.

Ele ainda estava com dificuldade para controlar Mika, eu sorri de lado e fiz Hail se aproximar.

-Vamos trocar.- eu gritei por cima do vento.

Ele assentou e eu me preparei para pular e ele também, assim que pulamos Mika me segurou com o fucinho e me ajeitou.

-Bom garoto.- beijei ele.

Chegamos no palácio e o rei já estava esperando onde os dragões ficavam, tirei a parte de cima da minha roupa e fiquei do com camisa sem mangas.

-Como foi lá?

-Soube por alguém que tem milhões.- Rynan se aproximou de mim.

-Mas você está muito ruim.- o pai dele encarou.

-Ele levou uma surra.- eu peguei um pano.

-O que vai fazer com isso?- Rynan me encarou.

Congelei o pano na frente dele e Rynan sorriu, coloquei o pano no rosto dele e o levei para o quarto.

-Milhões?- eu sussurei.

-Vamos dar um jeito.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...