1. Spirit Fanfics >
  2. As Crônicas da Legião >
  3. Sementes da Destruição - Algo errado

História As Crônicas da Legião - Capítulo 134


Escrita por:


Capítulo 134 - Sementes da Destruição - Algo errado


-Vem logo! A gente vai se atrasar!

-Ah namoral, mais 5 minutos, por favor. - ele dizia se revirando de um lado pro outro na cama.

-Não é só porque você conseguiu quase resolver o problema que ele esteja resolvido por completo.

-...

-Vem logo caralho! Senão ele vai…

-Eu vou o que?

 

À porta do quarto, estava Heiwyer de pé, olhando com certa decepção para os dois.

-Olha só, garoto - ele começou em um tom de quem tenta ensinar uma lição - não é só porque você é bom que você pode ser desleixado.

-Eu não sou desleixado. - Luk respondeu colocando o travesseiro sobre os olhos para não ter que encarar a expressão furiosa do “chefe”.

-Então por que age como um? - o outro garoto, parceiro de Luk, rebate.

-Me mama vai Charlie. - Luk respondeu.

O garoto não pode ver, mas Heiwyer olhou para ele com uma expressão ácida. O transmorfo então puxou o cobertor de Luk para o chão, e alguns gemidos se ouviram. Segundos depois, o garoto se sentou na cama, com uma expressão sonolenta de quem não queria acordar para trabalhar.

-Vamos logo. O time está esperando. - Heiwyer disse, por fim, saindo do quarto. Charlie o acompanhou.

Luk então se levantou. Ele se espreguiçou, trocou de roupa e calçou suas botas. Na saída do quarto, pegou as luvas. E, após caminhar pelos largos corredores da instalação, chegou na sala iluminada onde todos o esperavam.

-Finalmente… - Ariane suspirou, já cansada de esperar.

-Certo, podemos começar. - Heiwyer, ao centro, começou - Como todos vocês bem sabem, os eventos causados pela aparição do Caçador Eterno de preto ainda não foram completamente resolvidos. Então, eu sugi…

-É, é Heiwyer, todos nós lembramos. - uma garota negra de cabelos rosa raspados de um lado da cabeça o interrompeu - Você esqueceu que estamos nesse caso há uma semana?

A expressão do transmorfo era uma de irritação.

-Okay, mas pra recapitular. - Charlie tomou a fala - Ari, por favor, coloca aqui pra gente.

Ariane colocou no ar uma fumaça verde, que logo se tornou negra e tomou uma forma de um homem. Uau, ela realmente estava evoluindo com aquele negócio de feitiçaria vodu.

-Ainda não sabemos nada sobre ele. - Luk constatou.

-Só que ele é um Caçador Eterno. E que ele adora aparecer por aí. - Charlie.

-Não só aparecer por aí. - Heiwyer completou - Aparecer em todos os momentos cruciais do universo.

-Quase todos. - Luk corrigiu - E é exatamente isso que eu estou falando. A gente precisa analisar direitinho qual é a ligação entre os momentos históricos que esse cara aparece.

-Mas não faz nenhum sentido! - Charlie rebateu - Estamos nisso há uma semana, se houvesse uma ligação, nós já teríamos descoberto.

Isso fez Luk ficar quieto.

Realmente, Charlie tinha um ponto. Ariane era muito inteligente, e tinha muita experiência com análise de eventos e linhas do tempo. Heiwyer, o dobro. Dos dois. Já ele e Charlie podiam ser mais novos naquilo tudo, mas o pensamento lógico deles era muito acentuado, muito acima da média. Até mesmo Mary era boa para ajudar nas análises. E mesmo com todos os 5 batendo nisso há uma semana, nada haviam descoberto.

-Não tem jeito, é um beco sem saída. - Ariane parecia prestes a desistir - Seja quem for que tenha contratado esse cara, não parece ter um padrão muito lógico.

-A menos que esse seja o modus operandus dele. - Heiwyer sugeriu.

-Mas isso não é muito comum… - Charlie logo discordou.

-É, Caçadores Eternos geralmente cobram preços muito altos. Não é viável que alguém pague tanto dinheiro só para ter um representante em vários momentos históricos.

-Touché. - Mary, que estava quieta há certo tempo, finalmente falou. Todos olharam para ela com expressões desentendidas.

-Perdão, como? - Ariane, como todos os outros, não entendera.

-Vamos trabalhar com o que temos. - Mary recapitulou - Não é viável alguém pagar um Caçador Eterno para apenas estar presente em vários momentos históricos cruciais. Então, estamos falando de alguém rico.

-Todos os que contratam Caçadores Eternos são ricos. - Heiwyer rebateu com uma expressão levemente desapontada.

-Muuuito rico. - Mary corrigiu.

-Ou - a mente de Luk já voltava a funcionar, à mil - Talvez estejamos falando de alguém agindo por conta própria.

-Você diz um Caçador Eterno que faz o que bem entende? - Ariane acompanhou o raciocínio.

-Sim, talvez seja isso. - Charlie comprou a ideia - Um Caçador que não está sendo pago.

-Se for isso, ele tem algum objetivo. Que não sabemos qual é. Voltando à estaca zero. - Mary constatou.

Isso fez o grupo se calar completamente. Pois ela tinha razão.

O silêncio era incômodo, e mostrava bem o clima pra baixo da equipe quanto àquele caso.

-Exceto por uma coisa. - Heiwyer finalmente quebrou o silêncio - Se temos ações isoladas e pessoais, com certeza temos motivos pessoais.

-Sim, mas não sabemos nem quem é esse cara. - Charlie rebateu - O que quer dizer que não temos por onde começar.

-Na verdade, temos. - Heiwyer bateu nessa tecla - Esse é o mesmo cara que queria destruir e tomar o Tempo.

-Pera, o que nós matamos? - Ariane estranhou.

-Sim. E isso qu…

-Quer dizer que ele não morreu. - Luk completou com o óbvio - Ou…

Mas dessa vez Luk não completou. Ele começou a sentir uma leve pontada nas costas, se inclinando pra frente e gemendo um pouco. Charlie se aproximou, mas não pode fazer nada. No instante seguinte, o garoto perdeu toda a sua compostura, caindo no chão com espasmos musculares e com as mãos nas costas. Luk gritava, agoniado, enquanto todos olhavam para ele, assustados e sem entender.

Após mais alguns segundos, ele parou de ter os espasmos. Um pouco assustado e envergonhado. Ele se sentou no chão.

-O que foi isso? - Charlie, completamente assustado, foi o primeiro a reagir.

-Luk, o que foi isso? - Ariane parecia bem assustada também.

Heiwyer e Mary não se manifestaram. Cada um por seus próprios motivos. Luk enfim se levantou, ainda envergonhado e também assustado. Heiwyer foi se aproximando dele, e, num movimento rápido, colocou seus dedos sobre a testa do garoto. Mas, diferente do que geralmente acontecia, ele foi breve. E quando tirou os dedos da testa do colega, parecia assustado. O que será que ele teria visto? Afinal, para assustar Heiwyer era preciso algo bem sério e medonho…

-Você tem - o transmorfo começou.

-Um parasita. - Mary completou - Nas costas.

Eles olharam para a garota, em tom de surpresa. Ela realmente estava ficando boa com o uso de seus poderes…

-Você não se lembra porque foi colocado enquanto você estava desmaiado, com métodos não cirúrgicos. - Heiwyer terminou.

Lembrando-se do que poderia ter acontecido, Luk ficou assustado. Se aquele tal parasita fosse obra de Heawyer, ele estava com problemas. Muitos problemas. Ele já sabia o que fazer, mas para isso precisaria se afastar da equipe e do caso, algo que ele não queria. Infelizmente, não tinha outro jeito.

-Senhor, - ele começou num tom pesado e visivelmente abalado - permissão para me retirar e ir tratar do parasita.

-Concedida. - Heiwyer respondeu, num tom quase fúnebre. Se fosse o que ele estava pensando, o tom fúnebre era de bom tamanho.

Luk então caminhou para seu quarto para se preparar para voltar ao seu universo. Heiwyer então chamou Ariane para conversar. Ele não poderia correr nenhum risco de perder o garoto, ele era crucial na equipe, e tinha certeza que iria ser uma peça muito importante para desvendar o caso do Caçador de preto. Mas, ao mesmo tempo, não poderia deixar correr a notícia, deixar vazar o que Luk tinha. Apenas ele sabia, e gostaria que continuasse assim, para evitar pânico. Ariane era provavelmente a mais confiável e poderosa entre os outros. E era por isso que havia sido escolhida.

-Você precisa acompanhar Luk. - ele disse após se afastarem bastante.

-Com todo respeito, estou preocupada com ele e tudo o mais, mas ele é muito bom, pode se cuidar sozinho. Sem contar que terá apoio de qualidade em seu universo, como nós dois bem lembramos.

-É. Mas não vai ser o suficiente.

-Você diz como quem sabe o que vai acontecer.

-É.



 

Após algum tempo, Luk voltou. Ariane e Heiwyer terminaram a conversa. As expressões dos dois demonstravam sentimentos divergentes. O transmorfo parecia contrariado, assustado e ansioso, enquanto a garota tinha um ar mais preocupado e desesperado. O que será que haviam conversado?

-Não façam besteira até nós voltarmos. - Luk brincou, mas ainda em um tom meio assustado.

-Digo o mesmo. - Charlie o respondeu.

E assim, Luk e Ariane desapareceram em um vórtice laranja e negro.

-Boa sorte. - Heiwyer sussurrou.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...