1. Spirit Fanfics >
  2. As Crônicas de um Namjoon passivo >
  3. Do céu ao Inferno

História As Crônicas de um Namjoon passivo - Capítulo 7


Escrita por: Suoflya

Notas do Autor


Olá, aqui estou com mais um capítulo e vindo avisar que essa história já está em sua reta final, talvez ela tenha mais uns três ou quatro capítulos a vir. Hoje eu realmente não tenho muito o que falar por aqui, então só peço que aproveitem o cap!!!!!

Capítulo 7 - Do céu ao Inferno


Fanfic / Fanfiction As Crônicas de um Namjoon passivo - Capítulo 7 - Do céu ao Inferno

26 de fevereiro de 2021.

— Querido — E definitivamente não tão querido assim. Diário! — Às vezes acredito que na maioria das vezes sequer consigo entender o que as pessoas a minha volta estão pensando, sei que o estranho seria se eu conseguisse, mas só foi um desabafo idiota de alguém tapado. Enfim, sei que parece que o abandonei, mas em minha defesa, eu estava bem ocupado como de todo o sempre, uma correria aqui e ali, sem falar no pouco tempo para dormir que essas últimas semanas me proporcionaram.

Mas hoje é um dia diferente, consegui tirar um bom tempo da minha rotina bizarra ‘pra fofocar sobre a minha e a vida de outras pessoas a meu redor. Acho mais do que justo, não é mesmo? O primeiro de tudo é que depois de uma semana inteira de Jin, ontem foi o último dia dele aqui, finalmente foi embora, mas como já conhecem a peça que ele é, não deixaria um lugar sem fazer um grande estrago antes ou uma “boa causa” como ele gosta de se referir as besteiras que faz ao se meter na vida alheia.

Pretendo começar bem do início, pois acredito eu que não há como omitir quase nada do que rolou nessa semana.  Ao longo desses dias passei alguns perrengues tanto nos estudos quanto no trabalho, aquela ladainha entediante de universitário que provavelmente se você fosse uma pessoa estaria revirando os olhos agora.

Não sei se isso era para ser uma notícia boa ou não, mas Hoseok resolveu dar o ar da graça dele em meu apê com mais frequência que o usual, podia sentir as faíscas entre ele e meu primo. Se você crer que eu não suporto o Jin — o que é uma opinião equivocada. —  isso é porque nunca ouviu o tanto que o Hoseok reclama dele, desde o que ele fez comigo, ao menos sente confiança de o manter por perto e eu compreendo na verdade.

Ainda não contei sobre o que rolou, peço só um pouco de paciência, pois foi bem difícil de digerir, perdoar e aprender a lidar como todo o problemão que se formou, toda vez que cogito escrever sobre tal fato eu travo e percebo que ainda não estou pronto para reviver tudo isso.

Agora mudando as marés, eu e Jungkook ficamos bons amigos, sabe aquela pessoa que você sente confiança de conversar sobre tudo e vocês só se conhecem por tão pouco tempo? Então, é exatamente dessa forma que me sinto, ainda não o revelei que sei sobre ele e a cada dia que passa percebo que ele tenta ao máximo para que eu não descubra, não o julgarei, afinal é plenamente normal temer a reação de alguém. Nós também nos tornamos parceiros de jogos online, sim isso mesmo, dois marmanjos que sempre viram as noites do final de semana em discussão com um bando de adolescentes que cismavam em tentar humilhar a gente, sei que jovem pode ser bicho ruim, mas eles ainda não desbloquearam o modo “foda-se tudo” no qual somente semestres e mais semestres em uma faculdade pode lhe proporcionar, impossível um de nós dois desistir sem vencer a discussão, sim, um nível altíssimo de infantilidade da nossa parte, mas mesmo que seja um pouco, todo mundo em algum momento o que mais quer é um período para ser bobo a vontade.

Bom, um dos acontecimentos memoráveis da semana foi que jungkook repentinamente me chamou para passar uma tarde em sua casa para vermos alguma série e jogarmos. Era um dia nublado, daqueles bem feios que você ao menos cogita em por o pé para fora de casa e somente o faz se for extremamente necessário, na minha cabeça ficaria de molho o dia inteiro, leria algum livro que tenho atolado tem um bom tempo de procrastinação, brincaria com o Safado e desperdiçaria minha tarde comendo pipoca e vendo comédia romântica gay onde me imagino plenamente no protagonista atrapalhado.

Todavia, como Yoongi teria uns lances bem sérios na biblioteca para resolver, dado as circunstâncias só seria eu e Jin no apê, com isso soquei toda a minha preguiça naquele lugar bem conhecido, tomei um banho, me arrumei que nem gente, catei alguns trocados e fui até o ponto de ônibus, porém advinha? Isso mesmo, esqueci o guarda-chuva e só lembrei quando o transporte já estava em trânsito, me xinguei te todos os nomes possíveis e arrisquei uns nem exigentes também, minha falta de atenção me põe em cada situação...

Cheguei no endereço que ele me deu todo encharcado, pois nos dois minutos de caminhada do ponto até a residência o tempo me inventou de chover, apertei a campainha meio sem graça do estado em que me encontrava, ele abriu a porta e só faltou rir da minha cara. — Anotado aqui para sempre me lembrar de nunca mais dar confiança as pessoas e também de ter um guarda-chuva reserva dentro da bolsa.

— O que aconteceu com você? — tão descarado que mal escondia o sorrisinho bonito dele, e aquele Jungkook tímido e preocupado? Bem, desapareceu. Ele me pediu para entrar e foi pegar uma toalha para mim, disse também que estaríamos sozinhos porque seus colegas saíram para um jogo importante do time da universidade e só voltariam de manhã. — O banheiro é logo ali — ele me guiou. — Vou pegar umas roupas minhas para você, temos quase o mesmo tamanho, acho que irá servir. — não demorou muito para voltar e me entregá-las. As vesti e fui ao seu encontro, e ele não parava de me encarar, logo pensei de estar horrível, afinal ele é todo bonitão, malhado e a única atividade física que faço é levantamento de garfo, não que o meu corpo me incomode, longe disso, mas não me acho tão atraente assim, somente alguém de aparência comum.

— Que cara é essa? — o questionei, usava a toalha que ele tinha me emprestado para secar os meus cabelos. — Ficou tão ruim assim? — ele negou com a cabeça e seguiu para onde julguei ser a cozinha, fiquei lá o esperando e ele voltou com uma xícara de café e me entregou alegando que eu precisava me esquentar ou sei lá o que, não entendi muito bem pois me perdi em seu sorriso, sou muito bobo eu sei!

Não tardou para que nosso programa finalmente começasse, ele tinha pedido pizza, metade era de abacaxi e a outra de quatro queijos, eu mal pude acreditar que ele gostava de uma aberração como aquela, pra minha sorte não era a pizza inteira. Tá certo que é errado julgar algo como ruim sem ao menos provar, mas dada a situação quem nunca fez isso? Ainda mais com uma estranha combinação como essa, desde que isso se tornou bem aceito, o mundo entrou em declínio, só preciso fazer a métrica certinha dos dados para comprovar. —Me aguardem!

— Não é possível que eles serão tão burros pra entrar aí dentro. — comentei sobre o filme de terror que estávamos vendo, me encontrava relaxado, enrolado uma manta que ele tinha pego conforme tinha esfriado e escurecido, com umas caixas de pizza vazia em minha frente, somente focava na televisão. — Isso mesmo cara, achou algo suspeito dentro do quarto e continuou ai como se nada tivesse rolando, parabéns! — sei que eu sou muito chato, mas é impossível não se indignar com a burrice dos personagens de filmes assim.

— Você fica fofo quando reclama assim... — ele falou sem medir o que tinha acabado de dizer, não bastou alguns segundos para ele consertar o que fora dito. — Quer dizer... — coçava a nuca sem graça. — Tu fica engraçado reclamando das coisas mais obvias em um filme como esse. — tentou sair da enrascada que jurava ter se metido, mas minha mente é tão boa para elogio que eu jamais me permitirei esquecer essa cena. Perdeu Jungkook, você sabe que perdeu...

Preferi não comentar e continuei tagarelando o filme inteiro que era bem chato por sinal, no final apenas o ignoramos e ficamos a conversar, parecia que iria chover a noite inteira, então ele meio que pediu para que eu dormisse lá, concordei, pois não ‘tava afim de enfrentar outro dilúvio e mandei mensagem para Yoongi avisando para quando ele chegasse trancar a porta, porque eu só voltaria pela manhã, assim que ele visualizou mandou um simples e indiferente “ok”.  ‘Tá certo que não temos tal afinidade para perguntamos certas coisas uns sobre o outro, mas fiquei chateado com o descaso, vai que eu estivesse preso em um lugar alagado, ou num ônibus atolado em meio da estrada? Se tem algo que me estressa nele atualmente não são mais suas manias e sim esse seu jeito impassível de agir. — eu sei e continuo me achando um tremendo de um idiota por escrever essas coisas.

Já estava bem tarde e devido as minhas contas — na verdade a do relógio. — deveria ser entre duas ou três da manhã, e eu não conseguia mais olhar a luz da televisão que ficava mais brilhante pelo contraste dado por causa da luz apagada, havíamos passado horas jogando, comendo e papeando como o de costume, mas o meu pobre espirito de idoso praticamente implorava para uma bela e relaxante noite de sono e Jungkook? Aquele ali xingava algum adolescente que tinha apelado e ofendido a mãe dele.

Eu tinha parado de jogar, no momento eu ao menos entendia o que se passava na televisão, tentava o meu máximo para não apagar ali, porém fraquejei e o sono me venceu. Acordei no dia seguinte em uma cama e logo encasquetei no por que ele se deu o trabalho de me ajudar a ir deitar, mas depois preferir ignorar esse fato e seguir com a minha vida, analisei o quarto minuciosamente e estava mais que comprovado que era o seu, alguns livros de economia sobre a escrivaninha e roupas que pareciam ser totalmente seu estilo em um cabideiro ao lado da mesma, também percebi que me encontrava sozinho e como não queria abusar muito de sua boa vontade procurei sair o mais rápido que pude. Ao colocar meus pés na sala eu o vi dormir no sofá, me senti mal sabe, uma cama grande daquela cabia nós dois, por mais que sejamos bem altos era bem melhor do que se espremer em um sofá desconfortável.

As grandes janelas da casa faziam com que todo o local parecesse arejado e aconchegante pela manhã, por mais que o dia estivesse bem cinza e nublado. Caminhei até o sofá um tanto desatento, afinal normalmente ando bem desligado nesse horário do dia, pois bem, como já esperado a minha falta de atenção me fez refém de outra cena vergonhosa, a qual inegavelmente me atormentaria em looping no HD da minha mente. Escorreguei na ponta de uma manta que estava entre o chão e o sofá, acabei indo com tudo ‘pra cima de Jungkook que acordou assustado e sem entender uma vírgula de toda a situação, nossos rostos ficaram frente a frente, seus e meus olhos arregalados demonstravam a surpresa que fora tal ocorrido, mas como pouca merda e bobagem, não tardou para a porta fosse aberta e entrar um grupo de caras mega animados comemorando uma vitória e logo em seguida Taehyung que tinha ido com eles seja lá o porquê, nos desvencilhamos o mais rápido que conseguimos, porém tarde demais, o mal entendido já fora feito e nada que nós dois falássemos iria evitar as insinuações idiotas de seus amigos que pareciam contentes com a nova oportunidade de amolar o colega de dormitório.

Cheguei em casa trajado com roupas bem fora do meu usual, nunca que um dia me veria usando blusa de gola alta e um jeans de lavagem clara. Não preciso nem explicar que o rei das suposições infundadas me bombardeou de perguntas, as quais eu ‘tava tão sem saco de responder que só o mandei ir à merda.

Um outro e último fato memorável é que fui chamado para ir na festa da universidade de Jungkook e Taehyung, eles me contaram que toda a renda dos ingressos e bebidas seriam exclusivas para um projeto dos estudantes de pedagogia para melhoria de algumas escolas não tão abastadas da região, achei a atitude nobre e me dispus a participar, mesmo tendo total aversão a ambientes como esse. A festa foi ontem e tudo o que eu posso dizer de spoiler é apenas quatro letras: CAOS.

Já tinha praticamente passado alguns dias desde o programa para assistir e jogar algo na casa de Jungkook, continuávamos nos falando por mensagens e ele até então ainda não se livrou dos pentelhos dos amigos dele que ainda revivem o meu trágico momento de vergonha matinal, mas estranhamente ele não parece se incomodar com as zoações, o quão mente evoluída esse garoto pode ser, hm? Nossas saídas com o Hoseok aos finais de semana haviam diminuído gradualmente, pois nós três estávamos meio que enrolados com esse lance de ser jovem adulto.

Meu professor falava sem parar e eu mentiria se dissesse que prestava atenção em alguma coisa, olhava para qualquer canto da sala buscando um ponto de fuga para descansar a minha visão e não ter mais que encará-lo, de forma inesperada o meu celular vibra em meu bolso e eu me rendi a curiosidade e me propus a ver o que era, tinha algumas mensagens de Jin pedindo para que eu passasse na farmácia e comprasse o seu shampoo favorito, pois segundo ele o que eu tinha em casa era de péssima linha — total suas palavras aqui, sem tirar nem por. E a outra era de Jungkook me lembrando da festa que teria de noite no armazém da universidade — já aviso aqui que foi autorizada, okay?

Ele também pediu para chamar mais algumas pessoas, de primeira pensei logo em Hoseok, mas o loirinho amante de óculos aviador fora mais rápido, sabia que iria me arrepender amargamente — o que de fato ocorreu — falei com o Jin que me pareceu exageradamente animado, tal reação esperada por mim e começou a falar sobre look que iria usar, porém preferi o ignorar, conversei com Yoongi também que me encarou incrédulo afinal nem eu ou ele estamos acostumados com esses ambientes, no final ele concordou em ir para ajudar a causa e eu achei bem legal da parte dele.

— “Já está pronto? Daqui há uns vinte minutos eu e o Tae passaremos aí para buscar vocês.” — meu celular vibrou e vi na barra de notificações que se tratava de uma mensagem de Jungkook para meu desespero. Nesse instante, tanto eu quanto Yoongi e Hoseok nos encontrávamos devidamente arrumados, mas infelizmente sequer podia dizer o mesmo de Jin, quem insistia em torrar a paciência de todos ali com o jeito indeciso dele de ser, experimentou mais de dez combinações, para por fim perceber que realmente gostava mais da primeira.

Acho que nem preciso pontuar o quão do sério ele nos tirou após essa escolha né? Todavia, não demorou muito para que os dois chegassem — e minha nossa, mas que entrada! — Jungkook estava lindo como de costume, trajava uma blusa preta com frase “kiss the boys and make them cry”, achei sugestivo não vou negar, uma jogger cargo e coturno, tenho a certeza se eu tivesse a oportunidade de  ter uma visão em terceira pessoa da minha cara provavelmente eu cogitaria em me dar um murro, pois tenho quase a certeza que me encontrava babando. Fiquei tão fascinado que nem me lembro mais de como o Taehyung estava, sinto muito, mas minha memória também falha as vezes, mas com o rosto e carisma daquele dali até usando um saco de batatas ficaria atraente.

Os apresentei né, chegou até dar pena de ver os dois super animados indo falar com o desanimo em forma de ser humano que era Yoongi, Taehyun já o conhecia, mas creio eu que preferiu fingir costume, sei lá.

— Finalmente pude conhecer o colega de apartamento de Namjoon. — sorriu e estendeu a mão para que ele apertasse, mas o mais baixo sequer se mexeu, o cutuquei ‘pra ver se agia que nem gente, porém esse mal educado preferiu me ignorar. — Ele me contou que mesmo alérgico concordou com que o Safado ficasse morando com vocês, atitude legal essa sua.

— Estava chovendo naquele dia e meio que não sou insensível para largar um animal sozinho pelas ruas com um tempo daquele. Nada demais. — deu ombros. — Pensei que logo iria arranjar uma solução para isso, mas acabei esquecendo também — demonstrou um falso desinteresse. Se eu quisesse, poderia refutá-lo com êxito, ele realmente pensa que eu não notei a forma melosa que ele vem tratado o Safado, sem falar que suas roupas cheias de pelo de gato o denunciavam e sua alergia tem ficado cada vez mais frequente esses dias.  — E também qualquer um faria isso. — Yoongi sempre teve um jeito mais direto de se comunicar, sem rodeios ou adulações por meio das suas conversas.

— Olá eu sou o Jin! — intrometeu-se na conversa e do jeito que eu conheço a peça, utilizou de todo o seu carisma para passar uma boa impressão. — E nossa! Namjoon nunca me disse que tinha um amigo gato desses. — atirado como o esperado, nada dele me surpreende mais, juro! — Solteiro, enrolado, namorando? — o encheu de perguntas pessoais como se fosse uma entrevista de emprego e a vaga fosse para ser seu namorado. — Já deixo um conselho que burro amarrado também pasta. — sorriu sacana, um sem vergonha mesmo. Tal comentário foi responsável por arrancar boas gargalhadas dos demais presentes e sim, ele admitiu ser solteiro, confesso que meu primo serviu para algo de certa forma.

No caminho a conversa estava ótima, algumas piadas descontraídas de Hoseok, quem se mantinha diferente do usual, arrumado, gentil e falante demais, possivelmente queria impressionar alguém e esse comentário aqui não é um julgamento, okay? Jin novamente compartilhou suas inexplicáveis vivencias e peripécias em seu trabalho, eu meio sem graça por não ter o que acrescentar e também arrancaram algumas informações sobre Yoongi, agora além de conhecer todo a sua ficha médica, sei que na adolescência foi da banda do colégio — evolução hein! — sim, eu estou sendo irônico.

Para ser sincero, eu devia ter ouvido o meu primo pelo menos uma única vez na minha vida... Agora lá estava eu vestido de forma tão simples e cercado de pessoas tão bonitas que em meio a alguns devaneios cheguei a cogitar se não contrataram modelos somente com a finalidade de me intimidar, besteira né? O local era divertido, bem decorado e de fundo tinha alguma música eletrônica padrão. Ao colocar meus pés dentro da tal festa, em questão de segundos Hoseok e Taehyun desapareceram magicamente, não me surpreenderia se um dia desses eles admitirem que estão juntos, Jungkook foi fazer a social com seus colegas e me arrastou para me apresentá-los, Jin disse que iria causar e curtir seu último dia pela região — ele de fato cumpriu o que prometera. — e acabei perdendo Yoongi de vista.

Me senti um pouco deslocado na conversa e resolvi ir até o bar pegar algo, pode ter a certeza que se arrependimento matasse, eu nem estaria aqui para contar todo o lance que rolou. Confesso que bebi mais do que o rotineiro, porém nada que me deixasse alheio a tudo ou fora de mim, mas mesmo você seja a mais segura e responsável das pessoas, ainda está sujeita a cometer erros e o meu foi ser simpático e acreditar em alguém.

A música de encontrava tão alta que dava para escutar os ruídos feitos pela caixa de som, a iluminação da área onde eu estava não era muito boa também, passei um tempinho ali enchendo o ouvido do barman de reclamações até que um cara se aproximou e sentou-se ao meu lado, seu rosto era comum, mas bonito, porém alguma coisa estranhamente me deixava desconfortável com sua presença, continuo sem saber dizer o que, se era seu sorriso ou olhar, apesar disso, agora sei que preciso ouvir mais a minha intuição. Sentado ao meu lado ele tentava puxar assunto e eu respondia somente o necessário, omiti ao máximo informações sobre mim também, contudo teve um instante que eu me descuidei, tenho quase a certeza que foi esse o momento que ele colocou alguma coisa na minha bebida, estava respondendo umas mensagens, dei uma espiadinha nos perfis de meus amigos no instagram, vi algumas fotos novas de Hoseok que tinham acabado de ser postadas e logo em seguida terminei de tomar a minha bebida que se encontrava no final. Não demorou muito para que eu pedisse licença e saísse dali, fui até o banheiro e minha cabeça incomumente girava, sentia o meu corpo mole, porém ignorei todas esses avisos e segui meu caminho.

Estava saindo da cabine quando de supetão fui puxado para entrar em outra, era o cara do bar, ele não me disse nada somente me colocou contra a porta na qual ele trancou e tentou me beijar, mas eu não permiti, entretanto, meu corpo estava adormecido demais para tentar empurrá-lo, nunca me senti tão incapaz na minha vida. É obvio que todos ao olharem a minha aparência esperam de mim uma posição mais imponente, eu sei disso, mas esse mal entendido faz com que vejam uma pessoa que nem cogito ser, uma expectativa infundada. Eu não o queria, minha expressão de desprezo respondia isso por mim, toda vez que eu pensava na possibilidade de pela primeira vez que não me colocaram em uma postura arrogante e “viril”, fora para me drogar e me catalogar como presa fácil uma angustia e raiva crescia bem dentro de meu peito, não sei se era o desespero ou não, mas assim que ouvi passos minha reação instantânea foi gritar por ajuda, ele levou sua mão a minha boca tentando me calar, porém eu a mordi com toda a força que ainda me restava, ele me soltou e minhas costas chocou-se contra a porta frágil da cabine e abriu, caí sentado e coincidência ou não atrás de mim estava Yoongi até agora ainda não consegui decifrar aquela sua expressão, a forma de como se movimentou com a agilidade e deferiu um soco na cara do homem que cambaleou em seguida, ouvi ele xingar alguma coisa, mas tudo estava tão confuso que eu ao menos saberei dizer agora o que foi, me sentia envergonhado, fraco e eu queria chorar, porém a parte lúcida que ainda restava da minha mente me pedia para ser forte só mais um pouquinho.

Yoongi bateria mais no cara se outras pessoas não tivessem entrado no local, assim que separaram a briga ele veio ao meu encontro, suas mão e rosto se encontravam machucados, ele se abaixou para ficar na minha altura já que eu estava sentado no chão, não falou nada e me abraçou, foi um ato tão inesperado que se alguma vez na vida me oferecerem dinheiro e pedissem para eu apostar em chover canivetes e ele me abraçar, eu até mandaria fazer um guarda-chuva de aço, convenhamos que tirar suposições sobre outras pessoas não necessariamente as faça reais, novamente ele me mostrando que eu tinha uma ideia errada sobre si.

 


Notas Finais


Espero que tenham gostado!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...