História As Crônicas do mago tolo. - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Personagens Personagens Originais
Visualizações 12
Palavras 1.708
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Fantasia, Ficção, Ficção Adolescente, Ficção Científica, Luta, Magia, Mistério, Misticismo, Romance e Novela, Saga, Sci-Fi, Seinen, Shounen
Avisos: Linguagem Imprópria, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


• As falas estão em negrito.
() Pensamentos das personagens estão entre parenteses.
— Travessões são utilizados para detalhe extra em falas e afins.

Capítulo 2 - Quem?, Quando?, Onde? - Parte 2



Ifrit: Entendo...no fim das contas, você não lembra de nada. — Diz ele, enquanto suspira e relaxa os músculos com um ar de decepção.

???: Desculpa, eu realmente não esperava que minha amnésia fosse tão forte a esse ponto... mas tem um nome que não sai da minha cabeça. — Digo, enquanto boto a mão na cara denovo.

Ifrit: hmm...qual nome senhor?

???: Be..Behemo-AAAAAARGH!!! — Digo eu, sendo interrompido por aquela dor aguda de antes.

Ifrit: Dores?, Hmm...o senhor ia falar Behemoth, talvez...

Começo a cair para o lado de tanta dor e curvo o corpo de forma que pareça estar me contorcendo, por algum motivo algo parece estar querendo sair do meu estômago.

Ifrit: Talvez minha teoria esteja certa, estamos quase no palácio senhor.

Consigo ver o palácio da distância em que estou, mas essa dor aguda não passa...como se minha barriga estivesse rasgando, por algum motivo Ifrit acha normal e vive agindo como se me conhecesse.

Após um pouco de dor aguda, chegamos a frente do palácio e Ifrit desce com o tapete mágico, pousando a frente do portão.

Ifrit: RÁPIDO, TEMOS UM SELO SE ROMPENDO AQUI. — Grita Ifrit, chamando os guardas que pareciam estar esperando nossa vinda.

???: Essa...do-.........

Eu desmaiei.

Percebo que comecei a sonhar, mas não consigo ver nada, apenas a escuridão.

Voz monstruosa: hmm...pelo visto está de volta, atingiu seu objetivo?, o lendário “mago tolo”, fazendo isso consigo mesmo...HAHAHAHA, parece até que faz jus ao nome.

???: Eu sou...o mago tolo?

Mago tolo: Eu não consigo te ver...MAS CONSIGO TE OUVIR, APAREÇA.

Meu olhos se abrem e consigo ver, estou acorrentado no nada de frente para um olho.

Olho: HAHAHAHAHA, VEJO QUE ACORDOU, ISSO SIGNIFICA QUE PODE LEMBRAR...talvez?

Mago tolo: Qu...QUEM É VOCÊ?, ME SOLTA DAQ-AAAARGH.

Começo a me debater tentando soltar as correntes e percebo uma espécie de dormência.

Olho: Que pena...parece que já vai voltar...pena que não tivemos tempo de nos conhecer, afinal...vamos estar juntos por um booom tempo.....HAHAHAHAHAHA. — Disse aquela voz que parecia vinda daquele olho, que ao poucos...ia se fechando.

Minha visão foi diminuindo e a risada daquela criatura foi diminuindo e desaparecendo, percebo uma dormência total do meu corpo e começo a me sentir asfixiado, porém, dormente.

Após um tempo indefinido, eu acordo.

Mago tolo: *Respira muito fundo como se tivesse acabado de sair da água*

Mago tolo: MAS O QU-. — Eu gritava, porém, fui interrompido, ainda ofegante.

Maga com Roupas brancas: Acalme-se senhor, já cuidamos do seu selo. — Disse ela, sorrindo e me soltando

Mago tolo: hã?, Meu selo? — Digo eu, confuso.

Maga com roupas brancas: Sim, sim, esse na sua barriga, hehe. — Diz ela, enquanto tira suas luvas.

Respiro por alguns segundos Pois fiquei literalmente quase sem ar.

Mago tolo: Oh... vocês “tiraram” ele ou algo do tipo?, E aliás...quem é você? e onde estou? — Pergunto eu, olhando em volta e percebendo que estou em um quarto cheio de marcas parecidas com a da minha barriga desenhadas nas paredes.

Maga com roupas brancas: Bom...pra começar, meu nome é Wicca, uma maga de elite alta do conselho, me deixaram encarregada de tirar esse seu selo sem libertar essa criatura, mas o máximo que consegui foi por um selo de 4 Pontas. — Diz ela, enquanto mostra suas mãos machucadas.

Mago tolo: Um selo de 4 pontas?, O que seria isso?...e o que houve com suas mãos? — Digo eu, me levantando e reparando estar sem minhas roupas da parte superior.

Wicca: Um selo de 4 pontas é algo que consome 50% da mana do usuário, ele se faz em 4 estágios e...se olhar na sua barriga, você agora tem uma risca com 4 pequenos círculos pretos em volta dela, nas próximas 4 vezes que seu selo tentar ativar, essas marcas farão o trabalho de cancelar isso, porém, cada vez que seu selo se ativa, 1 marca é extinguida, assim, eles negarão 4 vezes que o selo for rompido. — Diz ela, enquanto se aproxima e encosta suas mãos em meu peitoral.

Mago tolo: Err...err...eu...é... — Digo eu, corando e indo levemente para trás, ainda na maca

Wicca: Você é forte...e atraente...essa mana emanando de você também...(O que é isso que estou sentindo...?). — Diz ela, enquanto afasta sua mão de novo e desvia seu olhar.

Wicca: Bom...seu selo está feito, tome cuidado nas próximas vezes garoto, sinto muito por não aproveitar esse encontro maravilhoso...bem, boa sorte. — Diz ela e logo após isso, manda um beijo e desaparece.

Mago tolo: Hã?, Ela su...miu? — Digo eu, enquanto levanto e olho em volta de forma afobada.

Após isso, fui colocar minhas roupas da parte superior, que inclusive, estavam espalhadas pelo quarto todo riscado que só tinha 1 espécie de maca preta toda bagunçada.

Ouço barulho de algo e do nada me sinto sonolento.

Mago tolo: Mas eu...eu acabei de...eu... — Digo eu, enquanto desmaio mais uma vez.

Acordo finalmente, dessa vez mais calmo, deitado em um círculo mágico, cheio de pessoas sentadas numa espécie de arquibancada.

Vozes diversas: Hã? Ele perdeu as memórias?

Vozes diversas: ACORDE SEU MALDITO!!!

Vozes diversas: Acha que vai se safar fingindo que está dormindo?, LEVANTE!!!

Resolvo me levantar e percebo que agora estou vestido...mas não entendo esse povo envolta, gritando e me xingando.

Voz Monstruosa e alta: SILÊNCIO DURANTE A CORTE.

A voz era alta e forte, fez o salão tremer...e todos ficaram em silêncio.

Velho com chapéu estranho: Mago...se apresente, Qual seu nome?, Por que veio para cá?

Eu então...de pé agora, olho para aquele velho que está em um lugar pouco mais alto a minha frente, um pilar gigante, atrás dele com riscas indo até o topo, 2 pessoas sentadas ao seu lado, mas apenas ele, segurando um martelo.

Suas vestimentas... não vejo muito bem, mas esse velho está com um chapéu estranho e Cinza, roupas feitas de pano extremamente grosso, ele parece uma espécie de mago de classe alta, ele parece ter roupas como as da garota do sonho, porém, cinza, cheia de riscas e selos escritos nela, do lado esquerdo, “Lunu”...e do direito “Mu”, por falar nisso...nem reparei que estava sonhando antes, será que é um sonho agora?, Parece tão real quanto antes, porém, preciso agir como se fosse real, não sei mais o que está acontecendo.

Mago tolo: Eu sou...bem...eu não sei quem sou, perdi minhas memórias e entrei em um coma de 5 anos, acordei a pouco tempo, acredito que não faz nem 1 dia...me disseram no hospital que eu tinha de vir para o conselho pois foram ordens diretas, “Ifrit”...acho que esse era seu nome, me deu carona até aqui, mas durante a viagem eu desmaiei. — Digo eu, levantando o tom de voz para que todos escutem e tomando coragem para ver se descubro o que está havendo.

Velho com chapéu estranho: Hmm... — Diz ele, levantando mais o rosto e me fazendo ver que ele tem barba média... O mesmo olha para seus companheiros e começa a cochichar...por incrível que pareça, mesmo naquele salão gigante, eu não conseguia ouvir ele, como se houvesse uma “barreira” Ante-som.

Durante o cochicho, reparo que não consigo ver o rosto do mago da direita, mas ele tem roupas iguais ao Velho do chapéu estranho, porém, suas roupas são pretas.

Do lado esquerda vejo uma maga branca, jovem e bonita, não consigo ver seus cabelos, mas sua pele é completamente branca, ela é tão clara que parece estar morta ou congelada, parece estar alegre, com uma expressão de felicidade no rosto, sua boca... lábios rachados, rosto redondo que dá a impressão de ela não ser nem muito magra ou gorda, cílios longos e seus olhos de cor Azul marinho...ela parece ter sido congelada...

Todos eles viram e olham para mim após o cochicho.

Velho do chapéu estranho: Declaramos que sua perda de memória é de fato, real, és considerado, culpado.

Mago tolo: Mas eu?, Culpado por que?, Eu mal sei quem sou, mal tenho memórias e nem sequer fiz mal há alguém.

Garota branca demais: Você não entendeu garoto, você é culpado sim...e nós que decidimos isso, essa corte era para comprovar se você matou ou não, Elizabeth a maga do Tarot.

Mago tolo: Es-espera...como eu mataria alguém se eu nem tenho memórias ou conhecimento em magia?

Mago de roupas pretas: PARE DE MANCHAR SEU PRÓPRIO NOME, VOCÊ ERA O MAIOR ORGULHO DE TODOS... E AGORA...agora... você é responsável pela morte de uma das maiores magas.

Mago tolo: Como eu disse, eu nem sei meu no-. — Prestes a reforçar que não tenho memorias, sou interrompido com um susto.

Ouço barulho de vidro quebrando.

Todos se chocam com aquele barulho, que ecoa dentro daquele salão gigante.

Do meio dos cacos de vidro, sai um mago com roupas cinzas e um chapéu pontiagudo.

Mago de roupas pretas: COMO VOCÊ OUSA INTERROMP-. — Dizia ele, pouco antes de ser interrompido por aquele mago.

Percebo que ele está voando em minha direção junto aos cacos de vidro.

Eu congelo, sem reação.

Mago dos vidros: Então é isso?, fácil assim?, HAHAHAHA, MATAR O MAGO TOLO VAI SER O MEU MAIOR SERVIÇO, MORRA “GHADES”.

WINUS!!!

Ao citar “Winus”, aquele mago fez ventos fortes soprarem, tão fortes que cortavam como uma lâmina, porém...percebi que seu objetivo não era me cortar com aqueles ventos...e sim, fazer os cacos de vidro voarem em mim.

Sem reação e totalmente exposto, não tive tempo de correr, vi apenas meu chapéu voando, até tentei...mas, era muito medo para me mover.

Mago tolo: ( Eu amei esse mundo, achei ele lindo, fiquei impressionado e...pelo visto, é só isso, assim que os cacos de vidro me acertarem, vou morrer e isso tudo vai acabar, sem mais medo, sem mais dúvidas, sem mais calor...e sem mais memórias, Adeus, mundo lindo que amei tanto. )

INGNITUS!!!!

Ao ouvir “IGNITUS”, vi aqueles cacos de vidro queimando e uma “Rajada de fogo” passar perto de mim, derreter aqueles cacos e abrir um buraco no peito daquele mago que tentou me matar.

Mago com o buraco no peito: Não...é Possiv-. — Saiu de sua boca, antes de ouvir:

HELLIGNITIUS!!!

Com “HELLIGNITIUS, diversas chamas se formaram em torno do corpo daquele mago, extinguindo ele em meio segundo e depois...desaparecendo.

Porém, diferente daquelas chamas naturais, laranjas e parcialmente avermelhadas...essas eram roxas.


Notas Finais


Iaeee rapaize, dêem sua avaliação, dicas e etc ( Feedback no geral) para me ajudar a melhorar, obrigado aos leitores, tmj :3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...