1. Spirit Fanfics >
  2. As crônicas do Olimpo - (malec) >
  3. É hora da Verdade - parte 2

História As crônicas do Olimpo - (malec) - Capítulo 6


Escrita por:


Notas do Autor


Voltei kk

Capítulo 6 - É hora da Verdade - parte 2


Eu e Ragnor estamos indo bastante agitados, havia dias que eu estava pensando nisso,e finalmente vou falar com Sr. Yang sobre tudo que está acontecendo,ouvi várias histórias e rumores aqui,mas algum tempo que eu tinha me declarado filho de Poseidon,um dos três grandes deuses que não deveriam ter filhos, imaginei que o simples fato de que eu estar vivo já fosse um crime.

Acima do estreito de long Island, o céu parecia uma sopa de tinta em ponto de fervura.uma cortina brumosa de chuva vinha em nossa direção. Perguntei a ragnor se precisavamos de alguma proteção

- não - disse ele - aqui nunca chove, anão ser que queiramos .

Apontei pra tempestade

- então me diz,que droga e aquela?

Ele olhou, preocupado,para o céu

- vai passar em volta de nós.o mau tempo sempre faz isso

Percebi que ele estava certo. Fazia uma semana que estava ali e nunca vira o tempo fechado. As poucas nunvens de chuva que tinha notado contornavam o vale

Mas aquela tempestade.....Aquela era imensa

Na arena do lado deu pra notar que vários jovens do chalé de Apolo jogavam uma partida a noite contra os Sátiros,todos pareciam estar cuidando de suas tarefas normais,mas pareciam tensos.estavam de olho na tempestade

Ragnor e eu caminhamos até a varanda dá casa grande,Luke estava sentado a uma mesa de pinoche,usando uma jaqueta preta, exatamente como no meu primeiro dia aqui,Sr. Yang estava do outro lado da mesa.

- bem, bem - disse Luke - sem erguer os olhos - nossa pequena celebridade.

Eu aguardei

- chegue mais perto - disse luke - e não espere que vá me prostre diante de você,mortal, só porque Poseidon e seu pai.

Uma rede de raios brilhou através das nunvens.um trovão fez tremerem as janelas da casa.

Sr. yang fingiu interesse em suas cartas de pinoche,ragnor se encolheu junto ao gradil

- se as coisas fossem do meu jeito - disse Luke -,eu faria suas moléculas irroperem em chamas. Nós varreriamos as cinzas e estaríamos livres de um monte de problemas.mas o yang parece achar que isso seria contra a minha missão neste acampamento maldito: manter vocês,moleques,a salvo do mal - falava olhando pra mim com um brilho verde nos olhos,mas não me intimidou...nem um pouco..

- combustão espontânea é uma forma de mal, Lucian - interveio Sr. Yang.

- bobagem - disse luke - ele não sentiria nada. No entanto,eu concordei em me conter.

- Lucian.... - advertiu o Sr.yang

- ora, está bem - cedeu Luke - há mais uma opção.mas é uma insensatez descomunal - Luke se levantou, - estou indo ao Olímpo para uma reunião de emergência. Se o garoto ainda estiver aqui quando eu voltar, vou fazer dele pó entendeu? É Magnus Bane,se você for mesmo esperto, verá que se trata de uma escolha muito mais sensata do que aquela que o yang imagina

Luke pegou uma carta,torceu ela e se transformou em retângulo de plástico. Cartão de crédito?

Não. Um passe de segurança

Ele estalou os dedos

O ar pareceu se dobrar e se curvar em volta dele.ele se transformou - se em holograma, depois em vento e depois desapareceu

Sr. Yang sorriu pra mim,mas parecia cansando é tenso

- sente - se,Magnus, por favor. Ragnor também.

Nós obedecemos

Sr. Yang pôs suas cartas na mesa

- diga - me, Magnus - disse ele - o que quer falar comigo,se bem que,eu tenho um leve entendimento do que seja

Estremeci um pouco,acho que chegou o momento de colocar algumas verdades na mesa,

- como assim você tem um,"leve entendimento sobre o que vim falar sobre com você" - disse fazendo Aspas com os dedos,me encostando mais na cadeira de braços cruzados

Ele deu um leve sorriso de canto

- sua missão, é claro. Você vai aceita - lá? - disse erguendo uma das sombracelias,com um olhar sério

Dei uma olhada para ragnor, que mantia a mesma expressão,como se já soubesse do assunto

- ahh, senhor , ainda não me contou qual será - disse com um sorriso sarcástico - até porque ninguém me conta nada por aqui não é mesmo?

Sr. yang fez uma careta

- bem, essa é a parte difícil, os detalhes

Um trovão irrompeu o vale.as nunvens de tempestade haviam agora chegado ao limite,até onde eu podia ver,o céu é o mar fervendo juntos.

- Poseidon e Zeus - disse eu - eles estão lutando por algo valioso....Algo que foi roubado, não estão?

Sr. Yang e Ragnor trocaram olhares

- como você sabe disso?

Senti meu rosto esquentar, não era exatamente isso que eu pretendia dizer,mas foi até onde me levou,desejei não ter aberto minha boca

- desde o Natal o tempo está esquisito,como se mar e o céu estivessem brigando, então falei com Alec,que com toda normalidade,disse que eu era culpado por coisas estarem assim,alem do mais ouvi rumores sobre um roubo é....Andei sonhando com algumas coisas - suspirei

- eu sabia! - disse ragnor

- quieto, sátiro - ordenou O sr. yang

- mas é a missão dele! - os olhos de ragnor brilhavam de excitação - tem de ser!

- só o oráculo pode determinar - yang passou a mão pelo cabelo - no entanto,Magnus, você está correto.

Seu pai e Zeus estão tendo a pior disputa em séculos. Estão lutando por uma coisa valiosa que foi roubado. Para ser preciso: um relâmpago

Eu rir nervoso

- um o que?

- não vem me fazer seus comentários sarcásticos - advertiu o Sr.yang - não estou falando de um ziguezague recoberto de papel - alumínio como você vê por ai, estou falando de um cilindro de bronze celestial de alto grau, com sessenta centímetros de comprimento, arrematado em ambos os lados com explosivos de nível deíficio

- hum - falei sem muito interesse

- o raio - mestre de Zeus - disse yang - o símbolo do seu poder, conforme a qual todos os outros são moldados, a primeira arma feitos pelos ciclopes na guerra contra os Titãs, o mesmo que arremessou Cronos para as profundezas do tártaro

- e ele desapareceu? - perguntei

- roubaram - disse o Sr. Yang

- quem roubaram?

- quem roubou? - corrigiu yang. Uma vez professor, sempre professor, pensei - você - diz ele apontando para mim

- eu? - disse indignado - mas que merda, como assim eu? - falei com raiva.

- pelo menos - yang ergueu uma das mãos - , é o que Zeus pensa. Durante o solticio de inverno,na última assembléia dos deuses, Zeus e Poseidon tiveram uma discussão. ...Mais tarde zeus se deu conta de que seu raio - mestre havia desaparecido levado da sala do trono bem debaixo do seu nariz.no mesmo instante culpou Poseidon. Agora, um Deus não pode Não pode pegar diretamente o poder de outro Deus - isso é proibido pela mais antiga das leis divinas. Mas Zeus acredita que seu pai convenceu um herói humano a pega - lo

- mas eu não......

- paciência, e escute - disse yang - zeus tem boas razões pra suspeitar,agora que Poseidon declarou abertamente que você é filho dele. Você estava em nova York nas férias de inverno, poderia ter facilmente ter se infiltrado no Olimpo. Zeus acredita que encontrou seu ladrão.

- mas eu nunca estive no Olimpo!, Nem sabia que existia essa droga toda de deuses,Zeus tem problemas sérios de cabeça!

Sr. Yang e Ragnor olharam nervosamente para o céu noturno,as nunvens não pareciam estar se separando a nossa volta,como ragnor disse, estavam vindo para cima do nosso vale, fechando - nos dentro dele como uma tampa de caixão

- ahh,.... Magnus? - disse ragnor - nós não usaríamos esse falatório para descrever o senhor do céu

Revirei os olhos

- paranóico, quem sabe - sugeriu yang - mas, por outro lado Poseidon já tentou derrubar Zeus antes,desde então ele não confia mais em Poseidon,mas claro que ele nega ter roubado o raio - mestre. Ele se ofendeu com a acusação. Os dois vem discutindo o tempo todo a meses. Com ameças de guerra. É agora você apareceu - a famosa gota d'água

- qualé, eu só tenho dezessete anos

- mas pra um garoto de dezessete anos você já aprontou muita coisa né,Magnus - Ragnor disse com um leve sarcasmo na voz

- mas que droga,eu não roubei nada, Poseidon - meu pai, ele realmente não mandou roubar o raio mestre, mandou?

Yang suspirou

- a maioria dos observadores concordariam que o roubo não faz o estilo de Poseidon mas o Deus do mar e orgulhoso demais pra tentar convencer Zeus disso , Zeus exigiu que o raio fosse devolvido ate o solticio de verão.isso será em 21 de julho,dez dias a contar de hoje, Poseidon quer um pedido de desculpas por ser chamado de ladrão,mas a sua chegada que inflamou o gênio de Zeus.agora nenhum dos deuses que recuar. A não ser que alguém intervenha, não ser que o raio- mestre seja encontrado e devolvido a Zeus antes do solticio, haverá guerra. E você sabe como poderia ser uma guerra total, Magnus?

- ruim - adivinhei

- imagine o mundo em caos. A natureza em guerra consigo mesma. Os olimpianos forçados a escolher lados entre Zeus e Poseidon. Destruição. Carnificina,milhões de mortos, A civilização ocidental transformada em um campo de batalha tão grande que fará a guerra de Tróia parecer uma luta de balões d'água​

- bem ruim - repeti

- e você, Magnus Bane,será o primeiro a sentir a irá de Zeus

Começou a chover. Os jogadores de vôlei interroperam o jogo é olhavam perplexos para o céu

Eu havia trazido a tempestade para a colina meio - sangue, Zeus estava punindo o acampamento inteiro por minha causa,isso me deixava furioso

- então eu tenho que encontrar a droga daquele raio - disse - e devolve - lo para zeus, assim provando minha inocência

- que melhor oferenda de paz - yang disse - que o filho de Poseidon devolver aquilo que é de Zeus

- certo, se não foi Poseidon que roubou,onde encontro essa coisa? - perguntei, cruzando os braços

Ragnor olhou pra mim apressivo

- eu creio que sei - a expressão de yang era soturna - parte da profecia que recebi a anos atrás....Bem, algumas frases fazem sentido pra mim,agora. Mas, antes que possa dizer você precisa aceita a missão,você precisa procurar o conselho do oráculo

(....)

- por que você não fala logo,onde está o raio ?

- por que, se eu fizer isso, você ficará assustado demais para aceitar o desafio.

- boa razão,mas acho que nada me faria desistir assim tão fácil, não costumo ter medo das coisas - disse com segurança

Sr. Yang deu um sorriso de canto e disse:

- sabe Magnus,foi isso que eu sempre admirei em você,sua coragem - ele falou com os braços cruzados, me olhando com orgulho - não esperava menos vindo de você , então você concorda?

- sim - suspirei - acho que está na hora de esclarecer algumas coisas

- então é hora de você consultar o oráculo - disse yang - vá pra cima,Magnus para o sótão.

Olhei para ragnor,que assentiu me encorajando

- quando descer de novo, conversaremos mais, presumindo que ainda esteja lúcido

(....)

Quatro lances acima, a escada terminava embaixo de alçapão verde

Puxei o cordão. A porta se abriu e uma escada de madeira caiu no lugar, o ar morno que vinha de cima cheirava a mofo, madeira podre e mais alguma coisa...Um cheiro que me lembrou répteis. O cheiro de serpentes

Suspirei e subi

O sótão estava entulhado de sucata de heróis gregos: suportes de armaduras coberto de teias de aranha ,sobre uma mesa comprida estavam amontoados potes de vidro cheios de coisas em conserva,um troféu impoeirado na parede parecia ser de uma serpente gigante,mas com chifres e uma arcada completa de dentes de tubarão. Uma placa dizia: CABEÇA N. 1 DA HIDRA , WOOSSTOCK, N. Y., 1969

Junto a janela, sentado em uma baqueta de madeira de três pernas,estava a suvenir mais bizarro de todos: uma múmia. Não do tipo enfaixado em panos,mas com um corpo feminino, ressecado até ficar só a casca.com uma porção de colares de contas,uma bandana por cima de longos cabelos pretos. A pele do rosto era fina e parecia couro por cima do crânio,e os olhos eram fendas brancas,devia estar morta a muito tempo

Olhar pra ela,tinha me arrepiado na verdade. É isso antes dela se indireitar na banqueta e abrir a boca.

- uma névoa verde jorrou da garganta dá múmia, serpenteando pelo chão, fiquei parado apenas observando,dentro da minha cabeça ouvi uma voz

- eu sou espírito de Delfos,porta - voz das profecias de Febo e Apolo, assassino dá poderosa píton,aproxima - se, você que busca e pergunte - a voz disse

A múmia não estava mais viva,era apenas algum tipo de receptáculo para uma outra coisa, mas sua presença não me parceria maligna

Então simplesmente perguntei:

- qual é o meu destino?

A névoa rodopiou,mais densa,juntando - se bem na minha frente,tudo escureceu,era como se passear diantes dos meus olhos

Pessoas iam e vinham diante de mim,mas me concentrei no que a voz rouca do oráculo dizia: você irá para oeste,e irá enfrentar o Deus que se tornou desleal, você irá encontrar o que foi roubado é o verá devolvido em segurança, você será traído por aquele que chama de amigo, assim irar começar, a briga entre o ladrão de raios, é o filho do mar,e no fim,apenas uma escolha será feita,para salvação ou a causa de toda a destruição

A névoa começou a se dissolver, deslizando de volta para a dentro da boca dá múmia, então gritei - espere! O que quer dizer, que amigo?, Que escolha terei que fazer?

A boca fechou - se bem apertada,como se não tivesse aberta a cem anos,o sótão ficou silencioso de novo

Minha audiência com o oráculo estava encerrada

***************

- e então? - Sr. Yang me perguntou

Desabei na cadeira a mesa de pinoche - ela disse que eu devia recuperar o que foi roubado

Ragnor se inclinou pra frente e disse

- isso é ótimo!

- o que foi que o oráculo disse exatamente? - pressionou yang - isso é importante

- ela.... Ela disse que eu iria para oeste e enfrentaria um Deus que se tornou desleal,recuperaria o que foi roubado é o traria em segurança

- eu sabia - disse ragnor

Mas o Sr.yang não ficou satisfeito

- mas alguma coisa?

Eu não queria contar a ele ir resto,era um problema meu agora, não queria envolver mais alguém nisso, como poderia confessar aquilo?

- não - falei - isso é tudo

Ele estudou meu rosto

- okay, Magnus. Mas saiba disso as palavras do oráculo frequentemente tem dublo sentido, não se fixie demais nelas. A verdade nem sempre fica clara ate que os eventos aconteçam

Tive a sensação de que ele sabia que eu estava escondendo algo ruim, e tentava fazer com que eu me sentisse melhor

- certo - falei , ansioso pra mudar de assunto - então, pra onde vou ?, É quem é esse Deus no oeste?

- ah,pense, Magnus - disse yang - se Zeus e Poseidon enfraquecem um ao outro numa guerra,quem tem a ganhar com isso?

- algum outro que queira tomar o poder? - tentei adivinhar

- sim, exatamente,alguém que guarde um ressentimento,alguém que está infeliz com a parte que lhe coube desde que o mundo foi dividido eras atrás, alguém que odeia os irmãos por força- lo a um juramento de não ter mais filhos,um juramento que ambos quebraram.

- Hades

Sr. Yang assentiu

- o senhor dos mortos e a única possibilidade

Ragnor desfez sua posição seria,pra uma preocupada

- opa, espera aí​, o - o que?

- uma das fúrias veio atrás de magnus - lembrou yang - ela observou o rapaz ate ter certeza de quem era, as fúrias só obedecem a um só senhor: Hades

- Hades dever ter um espião aqui, ele deve suspeitar que Poseidon tentará usar magnus para limpar seu nome. Hades gostaria muito de matar esse jovem meio - sangue antes que ele possa assumir a missão.

- boa - murmurei - são dos deuses mais importantes querendo me matar, o que eu posso pedir mais né - falei com um sorriso irônico

- você precisa ficar calmo agora, magnus, a muita coisa envolvida,a única de precisamos resolver agora é encontrar o raio - disse ragnor

- sabe não é por acaso que Poseidon resolveu o assumir agora,e uma jogada muita arriscada,mas ele está numa situação desesperadora,ele precisa de você - disse yang

Meu pai precisa de mim

As emoções giraram dentro de mim, eu não sabia se sentia ressentimento, gratidão, ou raiva, Poseidon me ingnorava por dezessete anos. Agora derrepente precisa de mim

Olhei para o sr. Yang

- e estranho o fato de você saber desde sempre que eu era filho de Poseidon.

- como te disse antes tinha minhas suspeitas....tambem falei com oráculo

Tive a sensação de que ele não estava me contando tudo sobre sua profecia,mas percebi que não poderia me preocupar com aquilo no momento,afinal eu estava escondendo informações também

- então deixe - me entender direito - falei - Preciso ir ao mundo inferior, e confrotar o senhor dos mortos

- isso - disse yang

- para encontrar a arma mais poderosa do universo

- confere

- e leva - lá de volta ao Olímpo antes do solticio de verão,daqui a dez dias, mesmo sabendo que tem vários por aí que me querem morto

- isso mesmo

Olhei pra ragnor,que engoliu a seco

- você não precisa ir - disse a ele - não posso lhe exigir isso.

- ah... - ele passou a mão pelo cabelo nervosamente - sou seu protetor,vou aonde você for,além disso sou seu melhor amigo não vou te abandonar nessa

Sorri em resposta

- certo, então pra onde vamos ? O oráculo só disse para ir ao oeste

- a entrenda para o mundo inferior fica em Los Angeles

- certo - disse determinado - vou viajar por terra

- certo - disse yang - três parceiros poderam acompanha - lo, ragnor e um. O outro já se apresentou como voluntário, se você aceitar a ajuda dele

- nossa - falei, fingindo supresa - quem mais seria tão idiota pra se apresentar numa missão como essa?

O ar tremulou atrás do Sr.yang

Alec se tornou visível, passando a mão por uma das suas tatuagens,o que me deixou levemente intrigado

- eu estava a muito tempo esperando por um missão, Bane - disse ele - Atena não é fã de Poseidon,mas se você vai salvar o mundo, sou a melhor pessoa para impedir que você não estrague tudo.

- se é você quem diz....,tem algum plano, pretty boy ? - disse com um sorriso malicioso

As bochechas dele coraram, sinceramente achei muito adoravel

- você quer a minha ajuda ou não?

A verdade é que eu queria,precisava de toda ajuda possível

- um quarteto - disse eu - isso vai dar certo.

- excelente - disse o Sr.yang - o quarto integrante vai encontrar - Los depois,amanhã vocês partem

  Um relâmpago. A chuva desabou sobre as Campinas ia ser um temporal violento


Notas Finais


É isso, até o próximo babys 🐻


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...