História As decepções de um formando - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga, V
Tags Gay, Hopega, Hopesuga, Hoseok, J-hope, Namorados, Otp, Shippe, Sobi, Sope, Sope Namora, Suga, Yaoi, Yoongi, Yoonseok
Visualizações 533
Palavras 947
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Lemon, LGBT, Romance e Novela, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Nunca estive tão nervosa postando uma fanfic, sério, eu estou quase desmaiando de nervosismo.
Queria agradecer a todos que me ajudaram na realização dessa fanfic, a arroba pyohani fez a capa, que está realmente muito bonita, puta que pariu, vão dar ibope para essa mulher.
A equipe do seauniverse me ajudaram na betagem, queria agradecer por o quanto eles foram atenciosos.
Mas enfim, boa leitura, e até as notas finais.

♥ Correção de dicção e erros gerais; 11/02/17

Capítulo 1 - Iniciando a lista de decepções.


Fanfic / Fanfiction As decepções de um formando - Capítulo 1 - Iniciando a lista de decepções.

Inicio da lista de decepções.

por; Min Yoongi.

 

Eu não quero que você se desiluda com tudo que possa ser lido aqui.

Mas (infelizmente) acho que isso não vai ser possível.

A partir de hoje, se você estiver disposto; vai acompanhar a minha pequena lista de decepções, que acredite, ficou maior do que eu esperava (crying).

Então, sabe todo esse seu sonho de sair do colégio, ter um apartamento maneiro de frente para a praia, um namorado legal, um emprego no qual você ganhe bem e um gato chamado Rodolfo?

É tudo ilusão.

Mas calma, não é o fim do mundo.

Antes, eu pensava o mesmo que você: finalmente liberdade, independência.

Formei-me no colegial recentemente, minhas notas não foram das melhores, porém essa não foi a maior decepção.

A maior decepção foi quando joguei o chapéu de formando para cima, e não ter entrado o Troy Bolton cantando “we’re all in this together” junto com a Gabriella. Foi apenas um discurso monótono do diretor – o qual, como de costume, não prestei atenção alguma – parabenizando os alunos.

— Ei, Yoongi! — Acenou Namjoon com Jungkook logo atrás, ambos num canto do auditório, que já estava se esvaziando, após o fim da cerimonia.

— O que foi? — Respondi, aproximando-me com meu típico olhar de tédio.

— O Jungkook vai lá para a casa, vamos comemorar e encher a cara! Quer ir também? — Convidou, animado.

Não sou muito de socializar, sinceramente, prefiro ficar trancado no meu quarto assistindo algum filme do Tarantino para pagar de cult. Mas, dessa vez, pude concluir que não seria uma má ideia tomar algo forte para esquecer toda a decepção que sofri nesta formatura.

— Sério? Ok, eu vou, você comprou o que para beber?

— Compramos muita Pepsi e um jogo novo para o ps4 do Jungkook. — Sorriu, orgulhoso, com o mencionado assentindo freneticamente.

Mais uma decepção para a minha lista.

Fala sério, Pepsi? Nem para ser no mínimo uma coca-cola?

— Ah... Nossa, Nam, eu tô cheio de dever... Não vai dar.

— Dever? Yoongi, a gente se formou! — Podemos concluir que Min Yoongi é inútil até para inventar desculpas.

— Eu disse dever? Quis dizer... Minha avó, ela tá doente. Tadinha! Conjuntivite.

— Ah, que pena... — Namjoon tombou a cabeça para o lado.

— Tem certeza que não vai, Yoon? — perguntou Jungkook —, eu ia comprar algumas balas de gelatina para ver quem consegue colocar mais na boca.

Tive uma visão maliciosa dessa cena, e acabei por rir, internamente. Queria dar uma resposta irônica e com uma conotação um tanto sexual, mas resolvi manter a classe para não ofender a orientação sexual dos meus amigos.

— Eu queria tanto poder ir, mas sabe, não da. Tenho que cuidar da pobrezinha. — Forcei uma cara de desapontamento.

— Tudo bem, cara, a gente te entende. — Namjoon deu alguns tapinhas em meu ombro, sussurrando um “vai ficar tudo bem” na tentativa de me consolar.

Confesso que quase comecei a rir, mas vi que essa não seria uma boa reação para a minha atual situação, então resolvi prosseguir com a brincadeira; limpei lágrimas (inexistentes) dos meus olhos. Nesse momento Namjoon não prestava atenção em mim, apenas me indicava com a cabeça, olhando para Jeon com um olhar de pena. Essa era minha chance de ir embora.

— Mas, Namjoon... A avó do Yoongi não tinha morrido ano passado de AVC? — Escutei Jungkook questionar enquanto eu me afastava.

Antes que eles viessem atrás de mim, corri como nunca em minha vida, em direção ao estacionamento dos alunos.

Sentei-me, ofegante, encostado no muro da minha escola, e peguei meu celular. Me assustei ao visualizar cerca de 20 mensagens da Yang – uma garota que fazia aula de animação comigo, e que acabou por me dar carona todos os dias depois da escola. – e que já se passava das nove horas.

Resumindo, Yang já havia passado e perdi a minha carona.

Eu até poderia ir a pé, mas minha casa é muito longe e a probabilidade de me assassinarem, ou pior, roubarem meu celular; nessas horas é enorme. Sem recursos, acabei ligando para o meu pai, que atendeu enfurecido por eu ter me esquecido do horário que minha querida amiga iria me buscar.

Exatamente, os meus pais não foram na minha formatura, eles deram desculpas falando que iriam trabalhar em plantão, mas eu sabia que na verdade iam ficar em casa praticando a arte do coito, pois nosso apartamento é pequeno e se você derrubar uma agulha na cozinha alguém no quarto pode escutar e ainda por cima reclamar.

Apesar de tudo não desaprovei a falta deles, pois provavelmente minha mãe ia chorar a cada palavra que alguém dissesse e iria aplaudir de pé, escandalizando mais do que eu quando sai um episódio novo de Game Of Thrones.

— Entra, Yoongi – Mandou meu pai, abrindo a porta do carro depois de eu ter ficado quase uma hora esperando o bonito chegar.

— Oi, pai. — Sentei no banco ao seu lado, com uma cara de descontentamento.

—  Você nem pra conseguir pegar a carona, heim, garoto?! – Reclamou.

— Uhum. — Deitei minha cabeça no vidro, para falar a verdade o que eu mais queria agora era dormir.

Fiquei o caminho todo observando as ruas vazias e escuras. Durante esse tempo pude concluir: meu bairro é praticamente um buraco na crosta terrestre. Quando desencostei a bochecha do vidro notei que havíamos chegado, saí do carro e peguei o elevador com a maior pressa do mundo.

Adentrei no meu apartamento com o meu pai na cola. Fui para o meu quarto, jogando-me na cama, afinal, Lee Jong-suk estava me esperando nos meus sonhos.


Notas Finais


Chegamos nas notas finais (AAAAAAAAA)
Espero que tenham gostado do prólogo, olha, demorou para sair, puta merda!
É a minha primeira tentativa de fanfic mais voltada para algo cotidiano e simplista, então estou com certo receio em falhar com a unida missão dessa história: fazer o leitor rir até chorar.
Enfim, se você chegou até aqui, tem direito a uma barra de toblerone, mas se você tem tolerância a lactose uma caixinha de lingue de gato (se você não gosta de toblerone SE RETIRE)
Ok ok chega de enrolações, beijos estrelados, e não esquece de deixar um comentário para eu chorar até desidratar.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...