História As Desventuras de Jung Hoseok - Capítulo 13


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), Black Pink, EXO
Personagens Jeon Jungkook (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin), Personagens Originais
Tags Longfic, Menção!chanbaek, Menção!jensoo, Menção!namjin, Menção!yoonkookmin, Taeseok, Tentativa!comédia, Vhope
Visualizações 104
Palavras 1.702
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Famí­lia, Ficção Adolescente, LGBT, Romance e Novela, Shonen-Ai, Shoujo (Romântico), Shoujo-Ai, Universo Alternativo, Yaoi (Gay)
Avisos: Homossexualidade, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oi, oi


Desculpa a demora pra atualizar ADJH, mas eh porque eu não tava me sentindo bem com ela... na verdade, ainda tem algo que me deixa incomodada com essa fanfic, mas vou tentar deixar isso de lado e continuar atualizando ela

(A foto de capa do capítulo eh a foto que o Taehyung tira, assim que vocês lerem, vão entender :3)

Então, boa leitura

Capítulo 13 - Você venceu Kim Taehyung!


Fanfic / Fanfiction As Desventuras de Jung Hoseok - Capítulo 13 - Você venceu Kim Taehyung!

Domingo


O domingo tinha chegado, e eu finalmente ia poder ver quem era o rapaz que Jimin tinha arranjado para mim.

Confesso que eu realmente não estava afim de ir, iria ir a muito contragosto, porém minha curiosidade estava me matando. O Park fez questão de manter segredo durante quinta, sexta e sábado. 

Confesso também  que estou com um pouco de medo em relação ao rapaz, já devo ter mencionado que nunca saí coisa boa quando o Jimin se mete no meio. 

Caminhei relutante até o cinema e entrei na sala, me sentando na última cadeira da última fileira. O Park tinha se certificado de que eu iria e até comprou o ingresso para mim, eu apenas tinha que ir e me sentar nas cadeiras do cinema. 

Já começava a passar os trailers de outros filmes e nada do meu acompanhante chegar. Cogitei a ideia de ir embora e fingir que nada aconteceu, porém eis que surgi um rapaz adentrando a fila de cadeiras da última fileira.

Ele segura um pote de pipoca e um copo de refrigerante enormes. Não consigo ver seu rosto, pois o mesmo está abaixado e com a aba do boné o cobrindo, sem contar a escuridão do ambiente. 

Fico o observando se aproximar e sentar ao meu lado. Ele se vira para mim e retira o boné dando um enorme sorriso quadrado. 

— Oi, Hoseokie. — ele diz animado.

— Não, não e não! O que você está fazendo aqui? Eu estou em um encontro, licença. 

— Que coincidência! Eu também estou em um encontro, acredita? — ele diz ainda feliz.

— Então vai procurar seu par e me deixa em paz. — digo, ficando nervoso. 

— Já encontrei, e é você! 


O filme era ótimo, porém eu não conseguia me concentrar nele com Taehyung ao meu lado comendo pipoca, bebendo refrigerante, se assustando e logo depois rindo de si próprio. Sem contar os momentos que ele começava a xingar os personagens. 

Tudo isso era demais para mim, e a única coisa que eu queria era ir embora. Bem, por que eu não fui ainda? Porque Taehyung me ameaçou, dizendo que ia contar tudo ao Jimin e que todo o plano dele de nos aproximar foi perca de tempo.

Eu, apesar de odiar quando o Park fazia isso comigo, não queria decepcioná-lo. Ele sempre fazia isso com as melhores das intenções, não era por mal, eu sabia disso. 

Quando eu percebi, o filme tinha acabado e metade das pessoas já haviam saído da sala de cinema. Taehyung me esperava já nas frentes das escadas, e eu tive que controlar minha vontade de empurrá-lo escada a baixo.

— Finalmente livre! — disse feliz e ergui os braços. 

— Agora vamos lanchar e depois no fliperama, quem sabe comprar umas roupas mais tarde? — Taehyung disse, entrelaçando nossas mãos, e eu tentei a  puxar de volta, mas o infeliz apertou seus dedos entre os meus, assim prendendo nossas mãos. 

— Com que dinheiro tudo isso, Taehyung? — perguntei irritado e descendo as escadas com certa pressa. 

— Com o meu, oras. O que você quer lanchar, Hoseokie? 

— Eu só quero ir embora, Taehyung. Só isso e nada mais. 

— Aish! Bem que Jimin-hyung disse que você era chato. — ele disse e riu quando o olhei incrédulo. Ele havia acabado de me insultar! 

Fiquei bravo e não falei mais nada, enquanto ele me arrastava até a praça de alimentação e se sentava perto do Burger King, bem, até que o BK não é tão ruim assim. Mas eu não ia dizer isso para ele, e fazer com que aquele sorriso lindo, digo, quadrado, aumentasse mais. 

— Você fica lindo vermelhinho de raiva. Mas quero ver você vermelinho por causa de outra coisa que podemos fazer. — Taehyung disse e piscou para mim.

Tenho certeza que de "vermelhinhas" minhas bochechas passaram para "vermelhonas". Taehyung era um descarado que só me fazia passar vergonha.

Eu estaria rico se eu pedisse 1 real a cada vez que ele me envergonhava ou me irritava. Talvez ainda dê tempo de eu pôr esse plano em prática e até o fim do ano estar milionário.

— Olha, Taehyung, eu estou tentando não perder a paciência com você. Então colabora comigo, ok? — falei respirando fundo e fechando os olhos.

— Claro, Hoseokie. Vou comprar os lanches. 

Ele entrou na fila do fast food e durante uns dez minutos eu tive paz, mas que acabou quando o mesmo retornou para a mesa com os lanches, refrigerantes e milkshakes como sobremesa. 

Olhei aquele tanto de comida e depois para ele. Onde ia parar tudo aquilo sendo que ele é magro? 

A ciência precisa estudar esse tipo de pessoa que come um elefante inteiro e não engorda. 

— Hoseokie, com todo respeito, você é lindo. — Taehyung disse e pareceu sincero. Não havia aquela malícia na voz dele e nem os olhos insinuando segundas intenções. 

— Você também é, Taehyung. 

— Hum... isso é bom...  — ele disse alisando o queixo e depois sorriu quadrado de novo. Esse sorriso estava começando a virar tão conhecido que eu nem estranhava mais.


Assim que terminamos de comer, fomos ao fliperama e jogamos vários jogos. Não sei porque, mas Taehyung de uma hora para outra tinha se tornando suportável. Claro que continuava a falar besteiras, mas em um nível bem menor. 

Depois que saímos da parte de diversão do shopping, ele queria ir comprar roupas, mas eu não queria. 

Qual a graça de ir no shopping sem dinheiro e entrar em uma loja de roupa sem poder levar nada? Isso mesmo, nenhuma graça. 

O Kim se ofereceu a pagar as roupas para mim, mas eu não iria aceitar. Nem nos conhecíamos direito. Ele insistiu por um bom tempo e disse que não tinha problema já que era médico pediátrico e ganhava bem, mas eu conseguia ser mais teimoso que ele e, com muito custo, o convenci a não comprar nada.

Resolvemos, então, dar uma volta na praça que tinha ao lado do shopping. Ficamos conversando sobre várias coisas aleatórias e constatei que Taehyung não era tão chato assim. 

— Será que você poderia dançar igual aquela vez no parque?  — ele perguntou sorrindo. — Eu posso fazer o rap. 

— Ok. — dei de ombros e esperei ele começar, mas assim que ele começou a fazer alguma coisa indecifrável, porque aquilo lá não era rap nem aqui nem no Brasil, eu comecei a rir. 

Ele se embolava nas palavras e várias vezes saía fora do ritmo, até tentei ajudá-lo, mas, bem, ele não nasceu para fazer rap. 

— Taehyung, para ou eu vou morrer de tanto rir. — disse, tentando controlar minhas risadas, mas a cara dele de decepção foi impagável. 

— Aish! Não quero mais. — ele cruzou os braços e formou um biquinho fofo. 

— Eu vou colocar uma música no celular. — quando eu peguei o aparelho para colocar alguma música, eu fui interrompido pelo Kim cantando e não fazendo rap.

E, meu Santo Alado, que voz era aquela cantando? 

Ele não prestava para fazer rap, mas cantando era outra história. Seu timbre de voz era grosso e forte. 

— Dança, Hoseokie! Não fica me olhando com essa cara de espantado! — Taehyung interrompeu a música para me chamar de volta à Terra. 

Mais uma vez ele começou a cantar, e eu dessa vez comecei a dançar. Deixei meu corpo ser guiado pela sua voz assim como eu fazia com Yoongi. 

Mas dessa vez era diferente. 

Com Yoon eu sentia profissionalismo, mas com Taehyung era algo diferente. Era como se nós completasse um ao outro. 

Eu parei de súbito ao pensar isso o que acabou assustando Taehyung, que também parou de cantar e me olhar confuso. 

— Está bem? — ele perguntou ainda confuso. 

— Sim, só errei o passo... — menti e dei um sorriso forçado. 

Não sei o que tá dando na minha cabeça para eu pensar algo do tipo com esse ser insuportável, realmente não sei. 

Tentei afastar os pensamentos da minha cabeça e voltar a dançar, por longos minutos funcionou, mas assim que em alguma rodopiada que eu dei, eu vi Taehyung me olhando com um sorriso bobo no rosto. 

Parei de súbito de novo, mas dessa vez ele não se assustou já que estava me olhando. 

— Por que está me olhando assim? — perguntei me aproximando de si.

— Porque você brilha assim como o sol está brilhando no momento. — ele sorriu mais abertamente, e eu senti minhas bochechas queimarem.

Mas eu não fiquei com raiva como eu ficaria, dessa vez eu me senti um bobo por ter gostado do elogio. 

— Volta ali e abra os braços, vou tirar uma foto! — Taehyung disse e me empurrou para onde eu estava. — O pôr do sol atrás de você está lindo. 

E assim ficamos tirando fotos até anoitecer e voltarmos para casa. Eu me sentia bem e feliz, sensações que pensei que nunca sentiria com ele. 

— Eu me diverti, apesar de não ter gostado da ideia de princípio. — admiti quando ele estacionou o carro em frente da minha casa. 

— Você é difícil, mas não vou desistir de você, Hoseokie. 

— E o que você pretende ganhar com tudo isso? 

— Um beijo de despedida? 

Eu ri, mas não por achar engraçado, e sim por estar envergonhado. Estava sendo totalmente clichê e coisa de filme de adolescentes, mas eu não me importava. 

Aproximei meu rosto lentamente do seu e ele fez o mesmo, nossas respirações se misturando...

— Jung Hoseok sai desse carro agora! — eu e Taehyung nos assustamos e olhamos para frente, vendo Yoongi batendo com a mão no capô do carro. 

— Desculpa... — sorri sem graça e me afastei do mesmo. — Obrigado pelo passeio. 

— Eu que agradeço. — ele sorriu sem graça também, e eu sai do carro indo em direção à porta de casa, sendo seguido por Yoongi. 

Taehyung foi embora, me deixando as sós com o meu "novo pai". 

— Você disse que ele era um cara de pau! O que queria beijando ele?! — Yoon perguntou atrás de mim, visivelmente irritado. 

— Talvez eu tenha mudado de ideia. — eu disse sorrindo bobo e segui para meu quarto, deixando um Min Yoongi irritado para trás.


Notas Finais


KKKKKKKKKKKKKK só quero dizer que na vida eu sou muito o taehyung assistindo filme, as pessoas sempre reclamam da minha companhia "barulhenta" :'v


Nos vemos nos próximos?
Kissus *3*


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...