1. Spirit Fanfics >
  2. As dinastias >
  3. Uma reunião peculiar

História As dinastias - Capítulo 7


Escrita por:


Notas do Autor


Olá meux amores. Eu realmente vi com mais um cap queimada. De tanta fumaça de saiu da minha cabeca esse capítulo deve ta queimada. Mas OK bjsss.

Capítulo 7 - Uma reunião peculiar


Fanfic / Fanfiction As dinastias - Capítulo 7 - Uma reunião peculiar

Carros da polícia, jornalistas e paparazzi circulavam a mansão Uzumaki ( a da foto).

- Bom ver você de novo – Hiashi diz o policial – se eu me lembro bem, você toma açúcar com só uma colher de café – ele diz e o policial ri pela brincadeira – vou providenciar isso.

- Stansfield? – Naruto diz descendo as escadas acompanhada de sua irmã – eu não vejo ele desde que ele te ajudou... com o que era? Dirigir embriagado?

- Isso foi você. E semana ele te livrou de exposição indecente – disse a Temari.

- E quando foi que eu não pareci indecente – disse orgulhoso – talvez agora o papai tenha a lua de mel dele, onde é que ele está?

- Lá dentro – disse ela se referindo ao escritório do pai – com os advogados.

Naruto e Temari se separam, Temari pegou uma água e foi para a sala onde interrogavam a Hana esposa do Soora (agora viúva kkkkk como eu sou má).

- Então você acusa Minato Uzumaki de matar o seu marido, mas se recusa a apresentar provas sobre isso – disse o policial que interrogava a Hana.

- Eu só sei que não foi um acidente – ela diz e Temari de a água para ela – a Temari trabalhou com o Soora.

- Só enquanto eu ainda estava na empresa – ela disse para o policial que anotava tudo.

- Ela sabe do que o pai é capaz. O Minato vai manter as pessoas caladas, por isso que eu ainda estou aqui.

- Estávamos preocupados que ela dirigisse até em casa na condição dela – Temari falou e fez um sinal com a cabeça para que o policial a seguisse – eu não sei o que ela disse, mas no ano passado, ela sofreu um acidente de carro. Ficou com a memória debilitada, paranoias, alucinações.

- Então está me dizendo para desconsiderar as alegações dela? – O policial perguntou.

- Só quero que as anotações reflitam toda a história – ela disse olhando para a Hanna – e ela também está tomando benzodiazepina* como se fosse bala – ela sai dali e dá de cara com o Shikamaru.

- Ei você está muito calma. Ou você não acha que foi o seu pai, ou minha tia acaba de entrar para uma família inteira de psicopatas – ele disse brincando.

- Fique aí para descobrir – disse ela – tem lugar para passar a noite?

- Seu empregado me colocou em um quarto, mas fico feliz em ir para o seu.

- Não chame o Hiashi de empregado ele prefere mordomo. E não vá no meu quarto, eu te chamo – ela disse e saiu dali. Naruto passa por Shikamaru, mas não o reconhece e vai até a sala de jantar ver Sakura e Sasori.

- E aí o que estão falando sobre o acidente? – Pergunta Sakura para o irmão que está como celular na mão.

- Sei que é falta de educação falar isso no velório, mas uma decapitação zinha não deveria estragar o acordo todo – ele diz com uma carinha fofa para Sasori.

- Esperem, vocês dois realmente compraram aquele lugar antes da explosão – ela pergunta para os dois.

- Nós começamos as negociações – Sasori responde para a irmã.

- Talvez não eu devesse ter pedido demissão e ter mandado meu pai se fuder – o loiro diz triste.

- Ei foi a coisa mais inteligente que fez – disse o ruivo tentando consolá-lo.

Nesse momento Gaara pigarreou chamando a atenção de todos para si.

- Precisa de mim? – Gaara perguntou a Naruto.

- Gaara poderia trazer o carro do Sasori e escoltá-lo até a saída? – Ele pergunta esperançoso – a propriedade está cheia de paparazzi – ele diz e Sasori entrega a chave do carro para Gaara.

- Eu vou tirar você daqui – ele responde com ódio e sai.

- Obrigada por estar aqui – Naruto diz abraçando a amiga.

- Está de brincadeira. Vim para um casamento e consegui um assassinato misterioso. É um Scape Run dos casamentos – a Sakura diz para o amigo.

- Só que não foi um assassinato – Sasori diz enquanto eles caminham em direção ao Minato.

- Sasori o que ainda faz na minha casa – ele pergunta irritado.

- Eu estou tentando sair – ele diz calmo.

- Eu avisei. Foi uma loucura ter comprado, aquela estação eólica. E agora veja para onde arrastou meu filho.

- Só para registrar eu arrastei ele – ele diz defendendo o outro. Naruto dá tchau para a amiga e dá um beijo na bochecha de Sasori.

- Você nos avisou sobre aquela compra mesmo não foi. Quase como se soubesse que algo ia acontecer – ele disse praticamente acusando o pai.

- Vai para o escritório – ele diz um chateado com o filho.

- Aí está ela – diz Hiashi sobre Kurenai que estava muito abalada. Minato corre para a esposa – chefe de polícia de Tóquio Hank Stansfield está é Kurenai Yuuhi.

- É Uzumaki agora não é – ele diz se referindo ao sobrenome de Kurenai.

- Eu mal consigo acompanhar – Hiashi diz e sai.

- O chefe Stansfield vai nos ajudar a resolver isso – Minato diz para a esposa.

- Entendo – ela diz meio seco.

- E a maioria das noivas se preocupam que chova no dia do casamento – ele ironiza e sai.

- Vamos – pergunta Minato para a sua esposa – nós iremos passar por isso juntos. Sei que você sabe disse mais quanto menos falar sobre o Soora melhor. Ele disse se dirigindo a seu escritório juntamente de Kurenai.

- O que eu posso dizer é que os detetives no local acham que houve algum defeito com o caminhão. A explosão feriu seriamente o Soora, e um fragmento atingiu a turbina eólica que selava o acordo, mas caminhão defeituoso pertencia e estava sendo operado pela Uzumaki Tokyo – Stansfield explica a situação para todos.

 - O jurídico garantiu que eu estou coberto, é para isso que eu tenho seguro – ele diz friamente cruzando os braços.

- Seguro? – Kurenai pergunta indignada – Minato um homem morreu!

- E se eu não deixar minhas emoções de lado essa família vai perder bilhões. Tenho responsabilidade com nossos investimentos.

- E também tem um monte de repórteres lá fora esperando sua declaração – Naruto falou sentado no e apoio de braço na poltrona onde se encontrava sua irmã – por sorte sua chefe de relações públicas (RP) está aqui e quem melhor para anunciar a vítima – ele diz com cara de nojo.

- Eu cuido da declaração – Minato diz.

- É péssima ideia – diz Naruto revirando os olhos.

- Concordo com ele, a Kurenai cuida disso – disse um advogado. 

- Posso ter um minuto com minha família? – Minato pergunta e todos saem dali com exceção de Naruto, Temari e Kurenai. Assim que todos saíram Naruto começa com as provocações.

- Kurenai, tenho pena de você. É sério eu tenho pena, você deve estar exausta. Ter que assumir tantos papéis em um dia. Chefe de operações (COO), esposa, amante... viúva? Ou essa parte você vai deixar para a Hana.

- Desculpa eu perdi alguma coisa? – Temari perguntou confusa.

- Ah, a Kurenai estava transando com o cara que morreu – ele diz explicando a situação para Temari, que ficou chocada com a revelação.

- Como pode falar isso a esposa dele está lá fora –ela o repreende.

- Mas isso não te impediu antes – Naruto continua as provocações.

- Quando foi isso? – Temari pergunta.

- Foi antes de ficarmos juntos – Minato respondeu ríspido.

- E eu presumo que a Hana não saiba? Se não ela teria começado por aí – ela diz bebendo seu whisky.

- Parabéns Kurenai...-o pai o interrompeu.

- Naruto.

- Parece que se safou dessa – ele continua a falar. E assim que termina Minato joga um copo do lado de Naruto que manteve a calma o tempo todo. O copo bate na parede atrás de Naruto e faz um tremendo barulho que foi ouvido por todos do lado de fora da sala.

- Ah, papai, você errou – Naruto falou com um rostinho inocente.

- nós não vamos fazer isso agora – ele diz visivelmente estressado – todo mundo vai tentar nos separar com isso, então temos que nos unir para proteger a família.

- Quer dizer a empresa? - Kurenai diz.

- Dá na mesmo - Naruto e Minato dizem em uníssono. Naruto revira os olhos se levantando.

- Hum, queria que ela fosse sua chefe de operações. Vamos ver como ela se sai - ele diz e sai do escritório com um sorriso debochado no rosto. Após isso todos saem da sala e vão para o lado de fora da casa falar com os repórteres.

- Em nome da Uzumaki Tokyo é com muita tristeza que anunciamos que hoje num trágico acidente ainda sendo investigado perdemos nosso principal geólogo e respeitado engenheiro de campo Soora. Enquanto Kurenai falava flashes de momentos com Sonora vieram a mente dela - toda a nossa empresa lamenta essa perda, e nossos pensamentos e orações estão com a esposa dele Hanna.

- Apesar de estar sendo uma investigação de assassinato? - Uma repórter pergunta.

- Minha fonte diz que estão tratando isso como homicídio - outro repórter afirma.

Com todos falando ao mesmo tempo e as acusações de homicídio Kurenai fica perdida com tudo aquilo e acaba desmaiando...


Notas Finais


Bye até o próximo. E comentem se gostaram.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...