1. Spirit Fanfics >
  2. As duas versões de uma popstar >
  3. Ele vai conseguir

História As duas versões de uma popstar - Capítulo 44


Escrita por:


Capítulo 44 - Ele vai conseguir


- O que está te incomodando? - perguntou Ellie assim que o garçom trouxe os nossos pedidos.

Olhei para ela e vi os três olhando para mim e só então percebi que ela estava falando comigo. Eu estava tão distraída que nem havia reparado.

- Desculpa, não prestei atenção - falei e ela assentiu.

- Percebemos isso, pois qualquer pergunta que te fizemos na última meia hora você respondeu que "sim" - falou ela e eu acabei sorrindo.

Eu tinha o costume se responder sim para tudo quando não estava prestando atenção.

- Eu perguntei o que está te incomodando? - perguntou ela novamente e eu apenas suspirei.

- Prefiro não falar disso até saber dos detalhes - respondi sinceramente e minha irmã suspirou, mas foi Ethan que respondeu.

- Tem algo haver com o Nicolas? - ele perguntou e eu o olhei, surpresa.

- Por que? - perguntei, sem coragem de negar ou afirmar.

- Pelo olhar que estava no seu rosto quando nos despediamos dele. Parecia que você queria falar algo importante pra ele - falou Ethan e eu fiquei ainda mais surpresa pela quanto ele me conhecia, mesmo com pouco tempo ao meu lado.

- Escutei uma conversa estranha dele com a Rayssa e preciso falar com ele sobre isso, mas com a ela bem longe - falei, me ajeitando na cadeira, desconfortável com o foco da conversa em mim.

- Vocês formam um casal lindo - falou Ellie e eu forcei um sorriso.

Podíamos até ser um casal bonito, mas parecia que nunca íamos dar certo. No entanto, se Nicolas realmente estava com ela para me proteger…

- E como anda o seu coração, maninha? - perguntei pra desviar a atenção da conversa e, graças a Deus, Ellie começou a falar sobre o seu possível futuro namorado que ela havia conhecido durante um festival de música italiano.

Foi uma tarde bem tranquila e, em muito tempo, não me sentia tão bem. Passar a tarde com o Marcelo e meus irmãos era algo que eu precisava, mas não sabia. 

Ri muito com eles, principalmente quando eu caí no meio da nossa partida de boliche, pois consegui prender o meu dedo na bola e quando tentava soltar, não vi que meu tênis dessamarrado. Conclusão: caí de cara no chão e o bagulho foi tão alto que todos olharam na minha direção e caíram na gargalhada. Eu não pude deixar de fazer o mesmo.

Quando percebi, já passava das sete da noite.

- Você vai ir jantar conosco? - falou Ethan e eu suspirei.

- Não, a sra. Campbell me odeia e eu não quero estragar o meu bom humor com ela - falei e então percebi que eu estava falando mal da mãe deles. - Desculpem por falar assim, mas a mãe de vocês realmente é grossa comigo.

- Não precisa se desculpar, sabemos que ela não é fácil - falou Ellie com Ethan assentindo, mas o Marcelo apenas deu um sorriso de canto.

Acho que ele, de todos nós, era o que mais sabia como sua esposa era difícil.

-Vamos te levar até em casa, então. Estou louca para conhecer o filho do Evan e rever ele e a Lorena - falou Ellie e eu odiei cortar sua animação.

- Na verdade… eu não estou indo pra casa. Quero passar em um lugar antes - falei, sem contar que pretendia ver o Nicolas ainda naquele dia.

- Você quer que a gente vá junto? - perguntou Ellie e eu neguei.

- Não, eu não sei se vai demorar - respondi.

- Então você vá com o motorista. Ele vai ficar responsável por te levar para casa depois - falou o Marcelo e eu comecei a falar que não precisava, mas ele não deixou que eu prosseguisse - Não está em discussão, Eliza. Você não vai ficar andando por aí, sozinha, de noite com aquele cara solto por aí.

Eu suspirei. Como eu passei a tarde toda com o eles, Marcelo dispensou o meu guarda costas, então, mesmo não gostando, aceitei ir com o motorista sabendo que ele estava certo em se preocupar. 

Eu me despedi deles logo depois, então entrei no carro e pedi que o motorista me levasse até a casa do Nicolas, que ficava apenas alguns minutos dali.

Quando finalmente cheguei lá, respirei fundo e toquei a campanhia. 

- O que você quer? - perguntou uma voz feminina soando bem irritada pelo interfone.

- Eu quero falar com o Nicolas, é importante - falei e a pessoa (que supus ser a mãe do Nicolas) bufou.

- Ele não está - respondeu, então desligou.

Fiquei me perguntando se ela realmente tinha dito a verdade, mas Zoe apareceu naquele instante, saindo de uma ferrari com um homem bem gato ao volante.

- Eliza, que bom vê-la! O que te trás aqui essa hora? - perguntou ela, me abraçando rapidamente.

- Vim ver o Nicolas, mas me falaram que ele não está - respondi e ela deu um sorriso irônico.

- Claro que falaram. Minha mãe odeia… bem, ela é bem preconceituosa. Ela te ver como uma aproveitadora e te quer longe do Nicolas - ela falou, revirando os olhos.

- Como se eu, alguma vez na vida, vou me permitir viver as custas de um homem - respondi, também revirando os olhos e Zoe sorriu.

- Vamos, vou te levar até o Nicolas - falou abrindo o portão.

Acompanhei ela pelo enorme jardim da frente, até a entrada da casa, mas não queria entrar, então pedi para que ela falasse pro Nicolas que eu estava o esperando ali fora. Ela entrou e eu fiquei ali, apoiada na parede da casa e olhando para o céu.

- Liz, o que faz aqui? - perguntou Nicolas, me olhando de cima a baixo em busca de algo de errado.

- Preciso conversar com você - falei, olhando para os seus olhos e perguntando porque eu tive que me apaixonar por ele se nós dois nos machucamos tanto.

- Sobre o que? 

- Sobre sua conversa com a Rayssa hoje, logo depois da nossa aula de música - falei e ele arregalou os olhos.

- Você… ouviu?

- Eu ouvi que seu relacionamento com ela é falso e que, de alguma forma, ela descobriu, o que eu suponho ser, o segredo da Anne. Estou certa? - perguntei e ele suspirou.

- Ela sabe e pretendia revelar se eu não ficasse com ela - respondeu ele, enquanto eu tentava controlar a raiva que eu sentia dela.

- Como ela descobriu?

- Ela descobriu no dia em que foi te visitar no hospital. Ela viu o celular da Anne onde tinha algumas mensagens sobre shows e juntou um mais um - falou ele e eu quase me bati pela minha idiotice.

Eu tinha percebido que ela tinha mexido em algo, mas nem lembrei que ela podia ver as mensagens mesmo com o celular bloqueado.

- Esse tempo todo… Você estava com ela para me proteger? Por que, Nicolas? - perguntei e ele forçou um sorriso.

- Eu te falei mil vezes que vou te proteger e vou fazer o que precisar para cumprir essa promessa, Liz. Não me importa que eu tenha que abrir mão da minha felicidade se em troca em obtiver a sua - ele respondeu e, com lágrimas nos olhos, o abracei com força. 

- Eu não quero isso, Nicolas. Quero que você seja feliz - sussurrei ao seu ouvido e ele devolveu o abraço com força também.

- Eu te amo, Liz, e vou fazer o que for necessário para te ver feliz - respondeu ele no meu ouvido, fazendo eu me arrepiar dos pés à cabeça.

- Eu prometo te tirar dessa, Nick - falei.

- Liz…

- Você me protegeu quando eu nem sabia que precisava ser protegida. Esteve do meu lado em alguns dos momentos mais difíceis da minha vida. Você me apoio em mais momentos do que consigo contar, então me deixe te tirar dessa com o mínimo de estragos possíveis, pode ser? - perguntei, finalmente me afastando dele. Do conforto de seus braços.

- Me promete que não vai fazer nada de idiota? - pediu ele e eu neguei.

- Não, eu farei o que for necessário, assim como você fez - falei e ele ficou me olhando, fazendo eu me arrepiar te excitação.

Eu queria tanto beija-lo, mas eu não podia. Querendo ou não, o namoro sendo falso ou não, eu não queria fazer o jogo sujo de beijar alguém que "namorava" e fazê-la passar com a vítima da história.

Bem naquele momento, o meu celular começou a vibrar. Várias vezes. Pensei que algo pudesse ter acontecido com alguém, então peguei para ver.

Mensagem de um número desconhecido.

Meu coração disparou de medo e abri as mensagens. Cinco delas.

A primeira era uma foto. Minha e do Nicolas nos abraçando. Alguns minutos atrás.

"Acho q a namorada dele não vai gostar".

"Imagina se isso for parar nas mãos da imprensa?".

"Nunca pensei q vc era do tipo q faz a amante".

"Isso só me deixa mais ansioso…"

-O que houve? - perguntou o Nicolas, mas eu estava parada olhando para o celular.

Como?

Como ele tinha tirado aquela foto? Parecia ser do jardim do vizinho, mas o muro tinha mais de dois metros de altura! E como ele me seguiu sem ninguém perceber? Desde que ele passou a me mandar aquelas mensagens, nunca mais consegui andar sem ficar olhando para trás, mesmo dentro do carro.

-Liz, o que houve? - perguntou o Nicolas novamente, então mostrei o celular para ele que arregalou os olhos e virou na direção do muro atrás dele. - Espere aqui.

Então correu na direção do muro, mas eu sabia que ele não estava lá. Rodrigo estava jogando comigo. Ele queria que eu ficasse neurótica para que eu me protegesse para ter uma falsa sensação de segurança para só então ele vir atrás de mim.

Ele queria que eu soubesse que nada vai detê-lo até ele conseguir me pegar.

Mas eu já suspeitava disso.

Não importa quantos seguranças o meu pai contrate. Não importa se eu consiga um ordem de restrição contra ele. Nada vai importar.

Ele vai conseguir me alcançar.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...