História As escolhas se tornam suas consequências... - Capítulo 9


Escrita por:

Postado
Categorias 5 Seconds Of Summer, All Time Low
Personagens Alex Gaskarth, Ashton Irwin, Calum Hood, Jack Barakat, Luke Hemmings, Michael Clifford, Personagens Originais, Rian Dawson, Zack Merrick
Visualizações 9
Palavras 2.899
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Festa, Ficção, Ficção Adolescente, LGBT, Poesias, Romance e Novela, Violência
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Cross-dresser, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Suicídio, Tortura, Transsexualidade, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Boa leitura !

Capítulo 9 - Afterglow - All Time Low


Fanfic / Fanfiction As escolhas se tornam suas consequências... - Capítulo 9 - Afterglow - All Time Low

Abriu com violência a porta do sanitário e agarrou o braço de Letícia que logo ficou vermelho.

- Que história é essa de ficar atrás de mim com esse bicho ? - Ana perguntou sem perceber que sua voz estava se elevando.

- Ele veio atrás de mim, para ver o que estava acontecendo com você, cacete ! - Disse no mesmo tom. - O que é agora ? Ele não pode andar comigo ?!

- Não... É claro que pode. - A garota diminuiu o tom de voz e soltou o braço da mesma.

Ana fechou seus olhos e encostou a cabeça na quina da parede, deixando que as gotas de água, que saiam do cano da pia, caírem em sua pele.

- Não sei o que é o amor... - Ela começou. - Meu namorado está tentando me tocar, mas eu não aceito. Eu gosto dele e quero, mas meu corpo não deixa. - Esfregou seus olhos, logo retirando os óculos do rosto. - É complicado de entender...

A amiga demorou alguns segundos para dizer algo. - Olha Ana, você não deve gostar de verdade desse garoto. Estou certa ? - Sem resposta a garota continuou. - Não deve ser seu corpo que não deixa. - Completou.

~~~~ 00:46 ~~~~

Depois de borrar a maquiagem inteira, por causa da merda de suas lágrimas, que sempre existiram mágoa e dor de si mesma, Ana se encontra no enorme portão de metal, do evento.

Ela observava seu relógio de pulso com nervosismo, enquanto mastigava um chiclete velho encontrado no bolso.

Todos haviam combinado de se encontrarem naquele local, nas exatas 00:20, mas aparentemente a azulada foi a única cordial.

Ela vasculhava sua roupa a procura de algum entretenimento, até tatear um cigarro, perdido em meio a multidão de fiapos.

Sorriu de forma escândalosa e depositou-o em seus lábios, que estavam pintados de roxo, pelo frio da madrugada.

Em sua segunda tragada avistou Luana caminhando em sua direção, sozinha. A azulada abriu a boca, mostrando sua emoção e sem intensão deixou o cigarro cair em meio às pedrinhas espalhadas ao chão.

- Nunca fiquei tão feliz ! - A colorida grita saltitando e rodopiando em direção a amiga. - E nunca fiquei tão psicopata ! - Pulou nas costas da mesma, que logo caiu por não estar esperando aquele ato.

- Vai me matar ? - Indaga a garota com ironia.

- Se eu tivesse uma faca ou uma metralhadora, sim.

No momento em que a garota se levanta por cima da morena, dá um grito e cai de costas sobre o chão.

Michael, Letícia, Ashton e Calum estavam com as roupas sujas de algo vermelho, como sangue, todos com uma dentadura de vampiro encaixada nos dentes.

Como os postes de luz refletiam sobre eles, a garota não consegue identificar quem era.

- Caralho, é um chupa cabra ! - Grita a azulada, dando passos para trás até esbarrar em uma moto que permanecia atrás dela.

Rolou junto com a moto, até um pequeno matagal.

A mesma escutou a crise de risos por alguns segundos, e começa a contar quantas e de em eram aquelas risadas.

Fechou os olhos, prestando atenção. - Calum... Lua ... Ash ... e Michael. - Decifrava em seus pensamentos. - Mas e Luke ?

Abre os olhos, mas logo desejou que não tivesse feito isso, pois Alexander estava a encarando, com uma expressão engraçada.

- Oi geleia ! - Ele disse estendendo a mão direita, para ajudá-la a levantar.

- Oi. - Sorriu tímida.

Assim que levanta Alex a envolve num firme abraço, por algum motivo evitando aperta-la. A garota conseguiu sentir o coração do mesmo batendo rápido, e por um segundo perguntou para si mesma se ele também sentia o seu. Eles se desvencilharam e ele murmurou algo do tipo: "Seu cheio é bom" ou "Seu cheiro é de chulé".

- Já vai embora ? - Ele pergunta pausadamente, controlando o incontrolável sorriso grudado entre os lábios.

- S-sim. - Diz a colorida, percebendo o pequeno momento de fraqueza na voz.

Alex alterna o olhar entre a garota e a moto.

A moto era de uma coloração esverdeada, de porte grande e um capacete enorme com um adesivo decorativo escrito: "Anna".

Sorriu risonho e a fitou. Com a melhor forma possível de aconchegar alguém apenas com o olhar, ele conseguiu enxergar que a mesma correspondeu. Como o olhar dela estava distante daquele mundo, apenas com um sorriso sincero.

- Não vai me perguntar se quero uma carona até em casa, com seu... cavalo verde ? - Riu, contornando com a ponta dos dedos os próprios lábios.

An arregalou os olhos, e mudou ligeiramente a expressão, agora assentindo e cruzando os braços com a expressão séria. - Claro, quando você quiser, cara de joelho.

Antes mesmo de ela terminar sua fala que apresentava sarcasmo, ele rosou a garganta a enterrompendo. - Agora. - Disse.

- Eita ! O que eu falo ?! - Nervosa, Ana pensava em milhões de desculpas, que ela estava há julgar "merdas".

Ele encarou o chão e suspirou impaciente

Observando a impaciência do rapaz, tentou manter sua postura. - Vou pegar as chaves. - A garota caminhava sem destino, chutando os pedregulhos e lançando-os para longe.

A morena mais chamativa da festa, que estava envolvida pelo tecido fino, um vestido preto tomará que caia. Seus cabelos tão compridos que cobriam quase toda a extensão de suas costas nus. Luana dará passos curtos por estar causando um sapato de salto alto, que a deixava mais alta que o normal, andava ao encontro da azulada.

An revela uma expressão de desespero, que acabou fazendo com que a amiga mudasse o sorriso para um olhar confuso.

- O que aconteceu ? - Perguntou Lua de frente com a colorida.

- O cara está achando que aquela coisa verde é minha, e quer uma carona ! - Imediatamente diz quase cortando a fala da garota.

Lua enclinou a cabeça, tentando identificar o tal sujeito que quer uma carona.

- Ah, é o Alex. Gostaria de saber o porquê ele não usa o dinheiro dele para seus motoristas particulares. O Frederico tá ali pra que ?

An assente e vira as costas pálidas para a morena, a deixando sozinha.

Agora encarando o rosto de Alexander com um sorrisinho forçado, ela dubla as palavras: "O que foi ?".

- Acho que levaram seu anfíbio. - Anúnciou, logo que a mesma para em sua frente.

Ela suspira alto e nega com a cabeça. - Não era minha. Só te falei que era, porque achei que seria mais legal. - Denuncio-se e encarou o chão.

- Cara... Como não vou te achar legal ? Você é quase uma mutante ! - Fala com animação, tentando controlar os risos. - Putz, você é uma veterinária, fotógrafa, baterista, uma modelo de colorações para cabelo... Meu, até onde vejo você é de mais.

Escutando o rapaz falar sem parar, sorri tímida, mas não se esconde em momento algum, como se estivesse em casa com sua cadela.

XXXX Luana XXXX

Contudo que havia ocorrido naquela festa a morena tinha conseguido se divertir bastante com os meninos e principalmente com Ana, enquanto permaneciam juntas.

A jovem teve a oportunidade que sempre esperou, em conhecer o lado que apenas ela enxergava em cada em deles. Muitas vezes percebia coisas que nunca imaginou que fariam. Muitas coisas que ela esperava deles, não acontecia e nem era verídico.

Depois de Ashton ser um babaca com Lua, por algumas horas remoia o passado recente, mas depois de um tempo percebeu a perda de tempo que era pensar nisso. Apesar de apresentar ser um cara tarado, ele era uma pessoa muito legal e maravilhosa para se conversar de tudo.

Quando Jack decidiu ir embora todos resolveram ir também.

Sem dar explicações Michael a empurrou para dentro da van preta, que estava sobre o gramado e disse que estava responsável por levar ela para casa.

A garota sentada no banco de couro do lado da janela, observava do lado de fora a colorida correndo para todos os lados, enquanto estava com o celular encaixado no orelha. "Com certeza procurando o problemático irmão dela." pensou revirando os olhos.

No veículo, Luana fitava o asfalto pintado de branco, formando a faixa dupla da estrada, assim que acreditava estar chegando a sua casa.

O silêncio estava sendo desejado a algum tempo, por Calum que continha a expressão fechada.

Todos gargalhavam e riam com se não ouvesse amanhã. Até Dave, o segurança e motorista dos rapazes chamar Ashton.

- Sim ? - O enrolado fala em tom de pergunta.

- Você e a moreninha combinam. Eu estava dando um checada na área até ver vocês dois. Parecem estar felizes. - Disse Dave com um sorriso espontâneo, sem tirar os olhos da estrada.

O comentário do segurança fez todos, até mesmo Calum ficarem quietos. Clifford prestou atenção em cada palavra de Dave, alterando seu sorriso para um olhar fuzilante.

Cinco minutos depois chegam no destino, casa dos meninos.

- Uni, não era para me deixar em casa ? - Luana pergunta, com receio da resposta.

Michael suspira e olha bem fundo nos olhos vulneráveis da moça. - Deveria ? Talvez sua casa seja no pau do Ash ou na casinha da cachorra. - Soltou um barulho de indiferença.

A garota se sente ofendida com a declaração, mas tentou não mostrar reações, enquanto sentia seu coração apertado só com a possibilidade de seu "Unicórnio" achar que era isso o que ela realmente estava fazendo.

- Eu não quero o Ashton. - Ela se pronuncia, segurando as lágrimas.

- Vai se danar ! - Gritou.

Antes que pudesse dizer algo, ela se afasta na tentativa de não chorar na frente dele. Corre em direção a rua, decidida a voltar a pé para casa. Sem perceber que havia passado por Luke e Calum. Eles a seguiram até a faixa de pedestres, onde a morena estava parada apenas deixando escapar algumas lágrimas.

Ao ouvir os passos dos rapazes, ela continuou a caminhar.

- Porque me seguem ? - Soluça.

- Porque evita nós olhar ? - Calum diz.

- Porque está indo embora do destino ? - Agora Luke diz.

- Vai começar uma batalha de "Porque" ? - Virou. Agora de frente para eles, já irritada com a voz que eles tentavam fazer de: "O sábio".

Calum encarou o loiro que também aparentava não saber o que fazer.

- Olha... O Mike tá nervoso. - Suspira, a envolvendo em um abraço. - Não tiro a razão dele. Porém ele precisa entender o que aconteceu.

Luke a observa chorar e enxuga suas lágrimas, usando o tecido de seu moletom.

- Com um sorriso sincero, com a verdade garantida em uma voz, com a sua personalidade Michael vai entender, eu sei. - Falou o loiro com um meio sorriso. - Eu também vi e estou de prova.

~~~~

Assim que viu Lua se afastar, o aroxeado sentiu uma grande culpa, talvez tivesse exagerado. Mas precisava saber o que aconteceu para Dave falar aquele absurdo.

Olhou ao seu redor procurando alguém que pudesse descarregar tudo que estava sentindo e arrancar a verdade dessa pessoa. Até avistar Ashton sentado em frente a televisão jogando GTA, marchou até o rapaz.

- Você já está cansado de saber que nós temos nossas vidas individuais. Felizmente temos que tocar todos juntos e ir quase em todos os lugares juntos, mas não compartilhar namoradas. - Fala sem perceber que seu tom estava alto de mais.

- Talvez possamos. - Sorriu irônico.

- É incrível como você pode ser tantas coisas ruins juntas. - O colorido diz, se sentando.

- Garotas gostam de caras maus. - Falou. - Como a gostosa da Luana. - Fala pausadamente o nome da garota, fazendo o colorido voar nele.

- Quero ver quem vai foder ela primeiro. - Soltou uma risada. - Luke ? Eu ? Ou você ?

- Você é um babaca ! - Grita Michael.

- Que peninha o próprio namorado não vai ser o primeiro. - Ash se diverte com o endurecimento o amigo.

- Vai se fuder, Ashton. - Disse o rapaz, saindo de cima de Ash.

- Eu vou e com alguém muito especial. - O enrolado sabia o turbilhão de coisas que o amigo iria sentir com cada palavra que soltava, e com cada frase se sentia vitoriso.

- Q-Quer saber ? Você é um pobre coitado que foi estuprado quando criança e agora se sente no poder de fazer isso com os outros. - Gritou, fitando a tristeza invadindo o rosto do mesmo. - Pena que ninguém gosta de você, para fazer sexo. Tem que pagar para prostitutas fazerem isso. Talvez tenha uma rola que não funciona muito bem, estupradinho. - Completou.

Correu escada a cima em direção ao seu quarto e trancou a porta.

~~~~ 53 minutos depois ~~~~

Observando atentamente os posters, que possuía em sua porta. Escuta passos largos e leves vindos da escada. Mesmo sabendo que alguém estará a caminho do cômodo, ele permanecia a observar sua porta.

A barulhenta pessoa, cuja os seus passos leves quebravam o total silêncio, abrindo bruscamente a azulada porta do cômodo, fazendo o rapaz alienado instintivamente se assustar.

- Michael, você está bem ? - A garota pergunta, na tentativa de esquecer o que aconteceu e tentando levá-lo na mesma vibe. Cada passo mais próxima do mesmo e sentando-se ao seu lado.

Em tom frio respira fundo, fecha seus olhos afundando suas mãos no rosto pálido.

- Michael ?

- Sim - Murmura voltando a sua posição inicial.

A morena movia sua mão cada vez mais perto de Michael, assim agarrando seu voluptuoso polegar e trazendo-o para si.

- Ashton te contou ?- Ele fala virando lentamente a cabeça em direção a jovem.

- Sim... - Encosta a face no ombro do colorido, falando em tom baixo.

Devolve o polegar do garoto e deixa o silêncio permanecer no ambiente, esperando o mesmo dizer algo depois de tudo que havia dito para ela.

- Não tá afim de sair amanhã ? - Interroga-o permanecendo em seu mesmo lugar. - No cinema ?

- Já assisti todos os filmes. - Fala friamente.

- Por isso é bom ser rico ... - Pensa ela.

- Hum... Shopping ? - Continua.

- Não preciso comprar nada, já tenho tudo.

- Cafeteria ?

- Não estou com fome.

- Amanhã vai estar. - Força uma risadinha.

Lua respira fundo, passando suas mãos geladas em seus cabelos na tentativa de recuperar a paciência.

- Você não quer ir a lugar nenhum ? - Diz em um tom irritada.

- Que bom que percebeu. - Continua em tom calmo e grosseiro.

Já irritada, a morena levanta-se, dando um passo a direita, encontrando-se na frente de Michael.

- Não fica assim. - Disfarça sua vontade de mata-lo.

O garoto assenti, abaixando seus olhos.

- Não fica me falando isso, ok ? - Diz amargo.

- Então, o que você quer ? Estou tentando te animar, minhas tentativas estão falhando, pois você não ajuda !

Luana caminha em destino para fora do quarto, até sentir seu braço ser envolvido.

Apesar de não olhar para trás, ela já imaginou ser Michael. Se mantinha firme, sem falar nenhuma palavra.

- Eu quero você. - Diz ele, fitando o braço bronzeado da jovem.

Olha para trás paralisanda, apenas aguardando o próximo passo do rapaz.

- Eu só quero você. - Ele puxa-a contra si, envolvendo- a em seus braços. - Espero a resposta. - Sorriu levemente de lado.

Mergulhando nos esverdeados olhos de Michael, afogada em sua paixão.

Observando o olhar da garota para si, sentiu-se descontrolado pelo desejo de beijar ela urgentemente.

Grudando seus lábios ardentes nos da morena, segura forte sua nuca.

Beijo intenso e apaixonado, fazendo Lua invontáriamente enroscar suas pernas em volta da larga cintura de Michael.

Indicando que tomou o controle da situação, preciona a garota contra a gélida parede, segurando seus braços a cima da cabeça com apenas uma mão, enquanto a outra segurava seu rosto rosado, de Lua com força.

Descendo beijos ao redor do pescoço dela, enquanto fazia uma pequena trilha de mordidas gentis.

Sem conseguir expressar o que sentia em exatos movimentos, ela acariciava os fios de cabelos do garoto.

Mudando a situação ela levanta a blusa do garoto, retirando-a.

Esse movimento faz Michael dar uma risadinha.

- O que foi ? - Ela pergunta rindo também.

- Perece que o jogo virou. Não ? - Fala sorrindo.

- Bobinho. - Sorri de uma forma contagiante.

- Bobinha linda. - Retribui o sorriso, dessa vez a beijando.

Lentamente ele levantava o moletom da morena o retirando, e o jogando ao piso frio.

Encostando-a lentamente sobre a cama macia, retira sua calça jeans junto com sua calcinha arroxeada.

Dando beijos firmes e carinhoso na intimidade da garota, ele a olha dando um sorrisinho perverso.

Lua gemia baixinho ao sentir os lábios do rapaz em sua intimidade.

Voltando sua atenção aos lábios da jovem, os cela abafando os quase silênciosos gemidos.

Michael rapidamente desabotoa os botões de sua calça.

- Michael... - Diz a morena. - Eu... nunca...

Ele acaricia-a, passando seus dedos na cabeça da garota e dando um sorriso. - Tudo bem, vou com calma.

Dando beijos lentos e suaves na tentativa de acalmar a garota, ele a puxa contra si. A penetrando suavemente, evitando os insurdecedores gemidos.

Com movimentos lentos e cuidadosos. Aos poucos tornando-os mais rápidos.

Até um ponto em que ambos chegaram no mesmo nível do êxtase.


Notas Finais


É meus leitores, acho que a noite da Luana e do Michael não foi tão ruim.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...