História As estrelas - Capítulo 23


Escrita por:

Postado
Categorias Seraph of the End (Owari no Seraph)
Personagens Krul Tepes, Lacus Welt, Mikaela Hyakuya, Shihou Kimizuki, Shinoa Hiiragi, Shuusaku Iwasaki, Yoichi Saotome
Tags Kimiyoi, Mikayuu, Mitsunoa
Visualizações 60
Palavras 2.679
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Hentai, Lemon, LGBT, Mistério, Romance e Novela, Shonen-Ai, Shoujo (Romântico), Shounen, Suspense, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Olá Olá
Boa leitura e desculpem os erros :v

Capítulo 23 - XXIII


      Mikaela se encontrava em frente ao espelho tentando dar um nó em sua gravata, mas sem sucesso. A imagem de Yuichiro vomitando, invadia frequentemente sua mente. Se questionava veementemente qual alimento havia causado tamanho mal ao moreno. Não conseguia encontrar, pois mais que estivesse se esforçando. Yuichiro havia o convencido a ir trabalhar, mesmo seus argumentos não sendo nada plausíveis. Queria ficar em sua casa e cuidar do moreno, mas o mesmo era muito orgulhoso, então para evitar discussões apenas fingiu estar completamente convencido e cedeu aos caprichos do namorado. Suspirou. Não estava disposto a frequentar a empresa hoje, sentia o peso de cuidar de uma grande companhia, Shiho fazia extremamente falta, mas não queria que seu melhor amigo continuasse com tais atitudes. Cogitou na ideia de chama-lo novamente, mas somente chamaria para trabalhar consigo se o mesmo tivesse mudado de opinião.

      Se encarava no espelho, não gostava nem um pouco do reflexo a sua frente. Parecia um homem de negócios e não Mikaela Shindo. Leves batidas soaram na porta, Mikaela desperta de seus devaneios. Era Yuichiro. O moreno se aproxima de si e rir. Começa a ajeitar sua gravata. O mesmo possuía uma aparência cansada. Tinha olheiras, sua fisionomia aparentava estar fraca, estava pálido, seus lábios estavam levemente brancos e pela expressão que o moreno fazia novamente, aparentava estar enjoado. Yuichiro terminou de ajeitar sua grava e depositou um leve selinho em seus lábios. Os lábios de Yuichiro tremiam. Para Mikaela aquilo era um péssimo sinal, daria um basta naquilo. O levaria ao hospital, o cuidaria e ficaria a seu lado.

- Mika, o café da manhã está pronto! Não demore para comer. – Disse Yuichiro, em meio ao selinho.

- Yuu-chan, não tenho certeza se é seguro deixa-lo só e se você passar mal, acabar desmaiando ou coisa pior. – Disse Mikaela, extremamente preocupado. Yuichiro esboça um meio sorriso.

- Você é um marido muito fofo, Mika! Não se preocupe, já liguei para a farmácia solicitando um remédio. Deve ser apenas intoxicação alimentar, minha imunidade deve estar baixa. Vamos comer. – Disse Yuichiro, puxando Mikaela em direção a cozinha. O loiro para no meio do trajeto e puxa o moreno para seus braços bruscamente. Yuichiro se assusta a princípio.

- Yuu-chan... – Chama Mikaela, baixo. Se Yuichiro não estivesse tão perto de Mikaela não conseguiria ouvir suas palavras. – Você se referiu a mim como seu marido?

- Desculpa Mika.... Eu falei por impulso. Sei que somente somos namorados e nada mais que isso. Prometo que não vou confundir mais. – Disse Yuichiro corado e frustrado, escondendo seu rosto no peito de Mikaela. O loiro se encontrava estonteante por escutar tais palavras. Yuichiro o considerava como seu marido. Sentia que seu sorriso rasgava fortemente suas bochechas.

- Não se preocupe com isso, Yuu-chan. Sabe que pode contar-me qualquer coisa. Afinal sou seu marido. – Disse Mikaela, se afastando de Yuichiro e tirando as madeixas negras daqueles magníficos olhos verdes. Ambos sorriam um para o outro.

- Mika desculpe estragar esse clima espetacular que se formou, mas você deve fazer sua refeição e ir trabalhar. – Disse Yuichiro, depositando um selinho rápido em Mikaela.

      Mikaela o puxa antes do mesmo se afastar o suficiente de si. Saber que Yuichiro o considerava de tal forma o deixava completamente extasiado e eloquente. Tinha plena certeza que o moreno era a sua alma gêmea apesar de não acreditar em tais fatos. Queria senti-lo, queria ama-lo, queria o fazer somente seu e que principalmente queria que todos soubessem disso. Se sentia capaz de enfrentar qualquer coisa se o mesmo estivesse ao seu lado, talvez futuramente adotassem uma criança, afinal o moreno não poderia ter filhos, mas mesmo se tivessem um, queria que a criança fosse igual ao seu marido. Seus rostos estavam próximos o suficiente para que sentisse perfeitamente a respiração descompassada de Yuichiro. Ambos os corações batiam aceleradamente. Mikaela fechou os olhos e o beijou. O beijo era cheio de ternura, o beijo soava mais como um agradecimento de sua parte. Um agradecimento por deixa-lo ama-lo. Aprofundou o beijo. Já estava excitado, as mãos de Yuichiro em seu cabelo os bagunçando e o puxando levemente lhe tirava completamente de sua sanidade. Levou suas mãos as nádegas do mesmo e as apertou fortemente, escutando o moreno arfar. Mikaela depositava beijos e mordidas no pescoço do moreno. Quando estava pensando em tirar a blusa de Yuichiro, o mesmo lhe afasta bruscamente e corre em direção ao quarto.

      Sua respiração estava ofegante, seu cabelo bagunçado, o rosto completamente corado e seu pequeno brinquedo visível dentro de sua calça. Amaldiçoou aqueles enjoos do moreno, mas logo ficou preocupado. Primeiro iria alivia-se, para verificar como o mesmo se encontrava. Quando estava abrindo sua calça, escutou um barulho do quarto e correu imediatamente para o local. Adentrou ao banheiro e reparou que Yuichiro estava sentado no chão ao lado do sanitário. Parecia mais pálido. Mikaela abaixou-se e levou a mão ao rosto do moreno, mas foi recebido por um leve tapa em sua mão. O mesmo chorava, deveria estar envergonhado por Mikaela tê-lo visto naquele estado. O loiro ligou para a secretária avisando que se atrasaria. Informou alguns recados. O mais alto tirou seu colete, ajustou as mangas de sua blusa social até seus cotovelos e afrouxou a gravata. Pegou Yuichiro no modo noiva e o depositou na banheira. Mikaela começou a tirar as peças de roupa do mesmo lentamente e delicadamente. Yuichiro demonstrava bastante fragilidade. Estava preocupado.

      Yuichiro se encontrava somente de cueca boxe dentro da banheira. Mikaela estava para retirar a peça íntima, mas o mesmo insistiu que tiraria sozinho. O loiro assentiu. A campainha tocou, Mikaela avisou a Yuichiro que verificaria quem seria. Caminhou apressadamente em direção a porta, abriu a porta e deparou-se com o entregador da farmácia. Lembrou-se que o moreno havia comprado os remédios. Pegou os objetos e pagou o entregador que agradeceu. Mikaela fechou a porta, direcionou a cozinha. Pegou um comprimido e um copo com água, levou para o quarto. Adentrou ao cômodo e depositou os objetos na mesinha ao lado da cama. O loiro caminhou para o banheiro, a porta estava aberta. Adentou ao local e reparou que Yuichiro parecia dormir na banheira. Mikaela o chama, o moreno lhe olha. Seus olhos transpareciam vergonha e dor. Yuichiro sorriu tentando lhe convencer que estava bem, uma prova muito, mas muito falha para si. O loiro começou a banha-lo lentamente. Não poderia negar que tocá-lo daquela forma lhe trazia desejos pecaminosos, queria fazer amor com o mesmo dentro da banheira, mas o estado de seu marido não era dos melhores. Esperaria o tempo que fosse necessário para estar dentro do moreno novamente. Afinal era seu lugar preferido.

      Mikaela se encontrava vestindo Yuichiro. O moreno já estava sentado na cama, assim que terminou de realizar tal ato, o mesmo deitou-se e se cobriu. Yuichiro pediu seus fones e seu celular, pediu desculpas ao loiro por lhe fazer se atrasar. Mikaela sentou-se ao seu lado, lhe fez um leve carinho em seus cabelos o fazendo fechar os olhos. Entregou-lhe seu fone e seu celular, pediu que ligasse para si, se o mesmo sentisse pior. Avisou que o remédio estava ao lado de Yuichiro. O beijou delicadamente. Tinha medo que Yuichiro desaparecesse da sua frente, que tudo o que estavam vivendo era apenas uma alucinação sua ou um sonho. Disse ao moreno que nada mais importava além do mesmo, que nunca deixaria de cuidar de seu marido. Nem que se um meteoro caísse do céu obliterando toda a humanidade ou alienígenas invadissem o planeta, o protegeria de tudo e o cuidaria como se fosse seu próprio ar. Ao ouvir tais palavras Yuichiro fica rubro. Mikaela rir. O loiro se deixa mais apresentável, se despede do moreno e retira-se do prédio.

      Se encontrava dentro do carro, comendo o café da manhã que Yuichiro havia feito especificamente para si. Estava com pressa, o trânsito parecia saber disso e não colaborava consigo. Desejava fortemente abrir o caminho, igual quando o ator Jim Carrey fez tal feito no filme Todo Poderoso. Seu carro estava imundo por ter degustado seu café de manhã, no local. Finalmente havia conseguido chegar a empresa. Eram dez e meia. Suspirou. Ainda estava razoavelmente cedo. Assim que pôs os pés fora do carro, Shiho apareceu a sua frente. Mikaela revirou os olhos e pediu que o mesmo lhe acompanhasse. Já na empresa, cumprimentou todos, se dirigiu a sua sala silenciosamente. Adentrou ao local, Shiho o acompanhou e fechou a porta. Mikaela colocou sua pasta em cima de sua mesa e sentou-se. Pediu para que seu amigo se sentasse o mesmo agradeceu. Reparou melhor em Shiho. O mais alto usava uma camisa social azul-marinho com pequenos detalhes brancos, um blazer marrom, uma calça jeans azul e um tênis da adidas. Seu óculos destacava seus olhos, seu semblante parecia completamente sereno. Se perguntava fortemente o que havia acontecido com o mesmo, estava torcendo para que Shiho havia compreendido suas palavras, mesmo sendo duras. O contrataria novamente e poderia ir embora cuidar de Yuichiro.

- O que deseja comigo Shiho? – Pergunta Mikaela, em um tom frio.

- Vim pedir desculpas, Mika. – Disse Shiho. – Estava agindo como um completo idiota, mas agora compreendo perfeitamente a sua situação e o apoiarei em qualquer uma de suas decisões. – Disse Shiho.

- Obrigado Shiho, você não sabe o quanto fico feliz em ouvir tais palavras. – Disse Mikaela, sorrindo. Seu telefone toca, retira imediatamente do bolso. Era Lacus. Revira os olhos. Coloca o aparelho na mesa e olha para o amigo. – Deseja trabalha comigo novamente?

- Sim, é tudo o que mais quero. – Disse Shiho, sorrindo.

- Ótimo, bem-vindo de volta a sua empresa meu amigo. – Disse Mikaela, levantando-se e estendendo a mão para Shiho. O mesmo repetiu o mesmo gesto. Apertaram a mão um do outro.

      Mikaela se encontrava em seu restaurante preferido com Shiho, o mesmo havia lhe contado as novidades. Ficou completamente surpreso por saber que Shiho estava namorando Yoichi, o melhor amigo de Yuichiro. Parece que o menor que havia lhe explicado a situação com mais calma e o persuadi-lo com argumentos que era praticamente impossível de rebater. Assim convenceu ao mesmo a pedir desculpas a Mikaela. Shiho sentia-se completamente realizado quando estava ao lado de Yoichi, sabia que tinha sido rápido demais, mas pediu o mesmo para que fosse seu namorado, o que mais lhe surpreendeu foi Yoichi aceitar. Mikaela realmente estava feliz por Shiho, mas seus pensamentos estavam associados a Yuichiro naquele estado em sua casa, o deixando completamente apreensivo e nervoso. Tal agitação não passou despercebida por seu amigo. Seus pedidos chegaram. Não tardaram a comer.

- O que tanto lhe aflige Mika? – Pergunta Shiho.

- Deixei Yuu-chan em casa, sozinho. Ele estava muito frágil e debilitado, vomitava quase que frequentemente. – Disse Mikaela, comendo.

- Você tem relações íntimas frequentemente? – Pergunta Shiho. Mikaela fica rubro. Porque Shiho havia lhe feito uma pergunta tão constrangedora?

- Talvez sim. – Disse Mikaela, ainda rubro. – O que isso tem a ver com o fato de Yuu-chan estar enjoado?

- Vocês usam alguma proteção na hora de você sabe.... – Disse Shiho, corando.

- Não. – Disse Mikaela.

- Compreendo. – Disse Shiho, analisando a situação. – Mika você sabia que alguns homens podem engravidar?

- Homens podem engravidar? – Pergunta Mikaela, surpreso.

- Alguns sim, é um caso muito raro e se eu não me engano somente o Dr. Makoto, é um médico especialista nesse assunto. – Disse Shiho, chamando o garçom.

- Você está insinuando que Yuu-chan pode estar grávido? – Pergunta Mikaela, completamente surpreso por tal insinuação do amigo.

- É uma suposição. Ele lhe contou algo relacionado a isso? – Pergunta Shiho, pagando a conta. Mikaela havia perdido a fome.

- Não. – Disse Mikaela.

- Talvez eu esteja enganado, afinal acho que ele dever ser bem ciente de seu próprio corpo. Acho que ele não deixaria que vocês tivessem relações sem proteção, se realmente pudesse engravidar. – Disse Shiho, dando de ombros.

      Mikaela estava em seu escritório observando atentamente a cidade abaixo de si. Havia solicitado que seu escritório fosse completamente moldado por janelas. Amava a vista da cidade. As perguntas de Shiho, haviam invadido completamente sua mente, não estava conseguindo se focar em seu trabalho. Tinha pesquisado na internet a respeito do Dr. Makoto. Estava inseguro. Será que realmente Yuichiro estava grávido de si? Porque o mesmo não lhe informou que poderia realizar tal feito? O que seria de ambos agora? Definitivamente não estava preparado para ser pai, mas aceitaria o desafio, afinal era seu filho. Sorriu. Um filho mesmo não sendo planejado, representava o fruto do amor de ambos. Mesmo se fosse apenas uma suposição, queria saber realmente a verdade. Caminhou em direção a sua mesa, discou o ramal de sua secretária e pediu para que a mesma entrasse em contato com o Dr. Makoto. Não demorou muito, Mikaela já se encontrava ao telefone com o francês. Que assim como si, possuía uma parte japonesa. Seu pai era russo e sua  mãe japonesa. Ambos conversaram sobre o estado de Yuichiro.

      Dr. Makoto informou-lhe que teria que verificar Yuichiro pessoalmente antes de lhe confirmar qualquer coisa. Mas que talvez o mesmo estivesse dando indícios de que realmente estivesse grávido. Dr. Makoto explicou-lhe que as manifestações são semelhantes à de uma mulher grávida. Tais semelhanças seriam: Ganho de peso, enjoos, manifestação de desejos, dor de cabeça, dor nas costas, alterações intestinais, vontade de urinar com muita frequência e oscilações de humor. Mikaela escutava tudo atentamente, pediu para que Dr. Makoto visse lhe visitar o mais breve possível, o mesmo lhe informou que no momento não poderia, afinal estava acompanhando um paciente em Barcelona. O loiro perguntou se o mesmo aceitaria que seu jatinho pudesse busca-lo em Barcelona, para trazer a Shinjuku. Estava ansioso demais. A ideia de que Yuichiro carregasse um filho seu lhe enchia de expectativas apesar de não estar nem um pouco preparado. Sempre sonhou em construir uma família, mas depois da forte decepção que sentiu pensava que isso não passava de um sonho idiota e que expectativas eram uma grande perca de tempo, pois somente eram sentimentos sem objetivo nenhum, além de lhe iludi com algo que não aconteceria. Mais agora Yuichiro havia lhe dado essa possibilidade novamente.

      Dr. Makoto afirmou que para si estava tudo bem. Mikaela agradeceu, encerrou a ligação. Entrou em contato com o piloto e pediu que o mesmo viajasse imediatamente para Barcelona, na Espanha. Informou que o mesmo iria para o local na intenção de buscar Makoto Narumi, para traze-lo a Shinjuku. Enviou a foto de Makoto para o piloto, o mesmo confirmou e desligou. O loiro havia decidido, levaria o moreno para morar em seu apartamento. Seu apartamento era mais “adequado” para ambos, afinal era mais espaçoso e de certa forma mais aconchegante para o ambos. Pediu para que a secretária solicitasse imediatamente Yoichi e Shinoa em sua sala. Ambos se encontravam a sua frente temerosos. Mikaela informou aos seus novos amigos sua decisão, mas não mencionou a suposição do moreno estar grávido. Ambos ficaram confuso a princípio mais aceitaram ajudar o mesmo a levar as coisas de Yuichiro para seu antigo apartamento. Mikaela agradeceu.

      O loiro pediu que Shiho acompanhasse ambos a sua nova residência. Shiho aceitou de bom grado e levou Shinoa e Yoichi em seu carro, se direcionando ao apartamento de Yuichiro. Mikaela demorou um curto tempo em seu escritório, saiu do prédio radiante. Caminhou tranquilamente em direção ao seu carro, destrancou e adentrou ao veículo. Dirigia calmamente, mas uma joalheria chamou-lhe atenção. Estacionou o carro em frente, desceu. Se direcionou a loja. Adentrou ao local, era bastante elegante e aconchegante. Caminhou até o balcão e analisou as alianças, ficou completamente extasiado com uma. Era completamente revestida a ouro e possuía umas ondulações como detalhes. Uma aliança específica, era coberta de esmeraldas nas pontas. Eram tão encantadoras. Mikaela perguntou a atendente se não possuía uma outra aliança igual àquela, sendo revertida de safira. A atendente verificou e lhe informou que havia. O loiro automaticamente após ouvir a confirmação, comprou as alianças. Colocou a caixinha vermelha de veludo em seu bolso, agradeceu e retirou-se do local. Estava muito, mas muito radiante.


Notas Finais


Sério o que vocês estão achando da história? '-'


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...