1. Spirit Fanfics >
  2. As faces da morte >
  3. Aokigahara II.

História As faces da morte - Capítulo 32


Escrita por:


Notas do Autor


Bom...aqui vai mais um e espero que a fic esteja compreensível para vocês e interessante rsrs...bem vamos começar...
♤♡♢♧

Capítulo 32 - Aokigahara II.


Fanfic / Fanfiction As faces da morte - Capítulo 32 - Aokigahara II.

Acordei assim que o sol raiou,incomodando meus olhos...

Levei minha mão a frente do meu rosto,reduzir os raios em meu rosto,tomei consciência de onde estava e mesmo sonolento olho para a floresta,nem um canto de um pássaro ou sequer um mísero ruído...

O silêncio tomava conta daquele lugar...chega a ser ensurdecedor...

Tiro os cipós da minha cintura,hoje o dia será cheio...

Amarro meu cabelo em um rabo de cavalo.

Desço da árvore exatamente como subi...Um pé de cada vez.

Chego ao chão...agacho e esculto se há algum movimento na mata...nada.

Olho atentamente cada pedacinho da floresta é descido ir embora,ficar ali mais uma noite concerteza seria meu fim.

Tenho que achar um bom abrigo e também aqueles Bakas que fizeram o favor de me deixar sozinha.

Suspiro.

Subo em outra árvore e vejo o horizonte...

Ah algumas montanhas ali...concerteza há cavernas subterrâneas perto dos lagos...mas é um local bem movimentado tenho certeza....terei de ser cuidadosa.

Chego rente a campina...observo o lugar para decorar o caminho...o vento sopra meus cabelos e estes voam para trás...o que sei é que estou no norte desta floresta,ao norte do portão A.

Observo o Rio...cada folha...tudo.

Não tem ninguém...passo mais cinco minutos para ter certeza.

Não,não há ninguém por enquanto....tenho que ser rápida,tenho exatamente três tentativas de encontrar uma caverna ou ser encontrada pelo primeiro idiota que aparecer...estou correndo contra o tempo e quem pagará o preço será meu corpo...terei que mergulhar.

Suspiro.

Puxo o ar calmamente pelas minhas vias nasais.

Chegou a hora.

Saiu do arbusto correndo e mergulho no rio...nado até grandes paredes feitas de uma grande montanha logo ali em cima...procuro tateando elas para encontrar algum orifício...nada.

Sinto falta de ar e Subo para buscar mais oxigênio.

Lá se vai minha primeira chance.

Não tenho tempo a perder,mergulho novamente indo cada vez mais rápida e desesperada...tem que ter uma caverna aqui.

Meus pulmões queimam...sou forçada a voltar novamente para a superfície...

Será minha última tentativa, eu preciso de uma caverna.

Mergulho mais desesperadamente e procuro novamente...

Dois minutos se passam e eu estou mais fundo do que antes...

Sinto a água invadir minhas narinas e o desconforto em minha garganta e em meus pulmões que nessecitavam mais do que nunca senti o ar correr em meu corpo...mas ainda não...não vou desistir assim.

Me forço ao máximo...pensei que apagaria ali sentindo meu corpo entrar em alerta...mas então minha mão alcançou um buraco que passaria suficiente uma pessoa...sem pensar duas vezes no que poderia acontecer,entro nele e vejo que conseguir.

Ao puxar o ar da caverna,acabo engasgando...

Esqueci que este ar é mais puro que o que está lá fora...

Bom pelo menos estou em um lugar de difícil acesso...

Um abrigo já tenho...agora preciso encontrar aqueles idiotas antes que morram nessa floresta maldita...

Porém...não posso sair a procura deles nesta floresta,eu não a conheço e seria fácil de me perder...preciso fazer um reconhecimento nessa área primeiro.

Sair do meu abrigo de forma discreta e caminhei até uma árvore...arranquei um pedaço de sua casca e peguei um pedregulho.

Coloquei a casca na boca sem pressão e o pedregulho na minha roupa,na coxa.

Então comecei a escalar uma montanha mediana,que me daria uma boa visão do local.

Em meio ao caminho ao qual eu não gostava nada de escalar com as mãos nuas,acabo escorregando...seguro com força na montanha...bato a lateral do quadril na montanha,gemo com a dor que senti nas mãos...puxei meu corpo novamente para continuar.

Enfim chego lá em cima...olho por toda a extensão disponível...vejo algumas pessoas no rio...mas não me interessa no momento...

A floresta é muito fechada não dá para ver a localização de qualquer equipe....olho mais adiante,no leste...vejo uma outra montanha,dessa vez mais alta do que a que estou...forço mais minha visão e vejo uma fita vermelha no local,a qual eu reconhecia tão bem...

Dou um sorriso satisfeito e aliviado...

_Achei vocês-sususurro para mim mesmo.

Rabisco a casca da árvore com o pedregulho formando assim umaespécie de mapa.

Olho para o céu...o tempo está passando depressa...coloco a casca da árvore na boca e me posiciono para descer..

Desço da montanha já conformada que não poderei encontrar com aqueles Bakas hoje...infelizmente.

Enquanto desço,vejo um ninho de pássaros...com quatro ovos.

Pego um e coloco entre meus seios pequenos. 

Continuo meu percusso até chegar novamente ao chão.

Olho em volta e vou na direção oposta do abrigo,adentrando a floresta mais uma vez...sigo em frente.

Com mais alguns passos a frente me deparo com vestígios de que alguém esteve ali...pelas restos conserteza um adulto.

Restos de uma tartaruga e de fogueira se fazem presentes ali,quem quer que seja é experiente e habilidadoso...só pode ser um Nukenin...diria que isso é idéia do Kazekage.

Pego o casco da tartaruga e levo comigo...apresso meus passos em direção a algumas pedras...vou pegando gravetos pelo meio do caminho e duas pedras para fazer o fogo.

Junto os gravetos e em movimentos rápidos acendo o fogo...abro o ovo na casca da pequena tartaruga...antes que ele cozinho acabo comendo,tinha passado o dia todo sem comer...meu estômago estava doendo já.

Vejo o sol se esvair do outro lado da floresta.

Descido voltar para minha nova e temporária "casa".

Chego na caverna e observo sua iluminação dada em pequenos buracos na parede.

Deito sobre o gélido e úmido chão da caverna e ali tento dormir...teria um dia cheio amanhã e precisaria arquitetar uma boa bronca para aqueles Bakas...

Acabo pegando no sono.

Acabo acordando com o frio em meu rosto e espalhado pelo meu corpo todo...tinha esquecido como no interior das cavernas é frio.

Mas nada se compara aos treinos com o Chichi nas noites de inverno...as trilhas nas madrugadas sem agasalho algum,apenas roupas finas...com os pés descalços. ..aprendi que não importa o conforto que temos...em momentos de nessecidade fazemos qualquer coisa...temos que nos adaptar ou morrer tentando.

Fecho os olhos e dou um sorriso pequeno.

Durmonovamente.


Terceiro dia:

Os raios do sol raiam na superfície do rio...

Abro os olhos e vejo que estes pequenos raios chegaram até a caverna e estes são os únicos que trazem alguma iluminação.

Hoje meu objetivo é encontra Sasuke e Mitsuki.

Tomara que estejam bem...

Sem pensar duas vezes,me jogo na água fria do  rio,sentindo uma corrente eletrizante passar em meu corpo,a água estava fria o suficiente para me despertar...

Sair rapidamente dali...entro na floresta é observo cada lugar com atenção...

Por cima das árvores dessa vez,tento visualizar a floresta conforme o mapa,enquanto concentro chakra o suficiente no meus pés,chego perto de algumas pedras...de acordo com minha logística,o caminho é por ali.

Indico o oeste para mim mesma...

Depois de alguns metros dali,encontro a cadeia de montanhas do oeste...começo a escalar enquanto meus olhos procuram uma montanha mediana,a qual eu tinha visto ontem...Eu então a vejo...escalo rapidamente e penso em arquitetar uma estratégia caso seja outra equipe que esteja ali, uma ótima estratégia...

Conforme subo,sinto o cheiro forte de Mitsuki no ar...mas não sinto com tanta intensidade o de Sasuke...

Espero que ele esteja bem.

Chego logo no bico da montanha e me deparo com algo parecido com uma cabana feita de galhos...

_Aí! -digo sentindo ser atingida na cabeça.

Levo a mão para minha nuca...e olho para trás para ver quem foi o azarado que eu iria esganar agora.

_Kyuu?é você?-Perguntava Mitsuki com uma expressão de surpresa.

_É né...a propósito,que "senti saudades" mais forte.-digo esfregando o lugar atingido.

_É...o Sasuke foi bem exigente quanto a segurança-sorria sem graça o albino levando o bambu para suas costas,na intenção de esconde-lo.

_Ah...acertamos isso mais tarde,agora onde está o Sasuke e...Como ele está? -falei corando e olhando para o aleatório para destaçar.

_Ele saiu para buscar o que comermos...-disse ele mudando sua expressão para desânimo e culpa.

Senti um certo desconforto em mim e...mesmo sabendo o que a sua resposta para minha seguinte pergunta iria significar para meu íntimo...a fiz assim mesmo.

_Ele tá ferido?-pergunto engolindo a saliva.

Mitsuki permanece em silêncio e desvia seus olhos dos meus...

_Ele tá ferido Mitsuki? -pergunto com a voz mais imperativa.

_Sim...entramos em uma briga...bem...Eu entrei...Ele foi me defender e...cravaram uma flecha na lateral da barriga dele...Por mais que ela tenha o atingido de raspão,é bastante doloroso para ele...e nessa floresta é complicado a recuperação da ferida...-diz ele em um tom de vergonha-foi tudo culpa minha...se eu tivesse...

Vi suas mãos trêmulas e seu rosto tão entristecido e culpado...

Soco a montanha.

Droga!será difícil passar mais quatro dias nesta maldita floresta...

Saiu dali e decido procurar Sasuke.

_Ouça Mitsuki,há uma montanha em volta de um rio ao Norte daqui...uns vinte e cinco metros...vá até lá e certifique-sede que ninguém o observa e me espere no bico da montanha...levarei Sasuke...nos encontramos lá.-digo o olhando uma última vez antes de voltar a escalar rapidamente...

Há alguns metros do chão sinto-me escorregar e pulo dali...

Sinto em meu joelho o impacto mas não me deixo concentrar na dor e desbravo novamente a floresta...

Procuro sem parar um vestígio qualquer dele...confesso que chego a me desesperar a cada passo...cada vez mais meu coração dispara...

Em meio a minha confusão metal sinto um odor no ar...Um odor que eu conheço a muito tempo...Sasuke.

Aquelas pequenas moléculas invadirem minhas narinas foi um grande gatilho para o resto de esperança que me restaram...

Mudo meu curso ao contrário do vento,buscando mais ainda sentir o cheiro dele...na esperança de o encontrá-lo bem...

Cada vez mais em meio a mata fechada sinto o cheiro se intensificar...

Em meio ao caminho sinto mais dois cheiros diferentes...dois homens...adultos..

Sinto meu coração parar e voltar com tudo...meus olhos lacrimejam...

Não posso me precipitar...mas sei que em uma situação importunia dessa...só a duas probabilidades...e de alguma forma não quero...não posso acreditar na segunda opção. 

Por que?

Porque me sinto assim?

O que é isso...que eu estou sentindo? 

Isso é...o sentimento de perder?

É...medo de perder?

Porque tantas perguntas? 

Não suporto a idéia de vê-lo ferido ou pior...jogado em um canto qualquer...sem vida.

Acabo parando bruscamente ao chegar em uma encruzilhada dentro da floresta.

Sou um sorriso aliviado.

_Te encontrei-digo me agachado ao sua frente e acaricio seu rosto machucado,repleto de arranhões por todo seu corpo.

Olhei seu ferimento e vi que ele estava pior do que eu tinha imaginado...

Vejo seus olhos trêmulos e o levanto devagar.

_Você...sumiu-diz ele em meio de gemidos de dor.

_Eu sei...mais estou aqui agora.-digo passando seu braço envolta do meu pescoço.

_Vamos...-digo suspendendo seu peso e o auxiliando a andar.

_Aquele baka...está na montanha...temos que ir buscá-lo...

_Estou mais preocupada com este baka-digo o apertando.

Ele dá um pequeno sorriso.

Mesmo naquela situação,ele ainda tem forças para sorrir...

Sinto um cheiro diferente impregnado em Sasuke.

Um cheiro que nunca senti antes...Um doce aroma...mas forte...sem dúvida uma mulher...

Seria muita inconveniência eu perguntar o que estava fazendo com uma mulher?

Bem...acho que deve ser bem impróprio...

Levo ele o mais rápido que posso para longe dali...

Vinte e cinco metros seria apenas a metade do trabalho que eu teria...







Notas Finais


Bom gente...estou complementando o capítulo,então sempre que der para dar uma relida eu aconselho viu...bom...vou terminar amanhã porque meu tempo tá corrido e queria colocar estas informações em um capítulo único...então é isso...Até amanhã?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...