1. Spirit Fanfics >
  2. As Filhas da Supergirl >
  3. Tais Mães, Tais Filhas

História As Filhas da Supergirl - Capítulo 2


Escrita por:


Capítulo 2 - Tais Mães, Tais Filhas


Fanfic / Fanfiction As Filhas da Supergirl - Capítulo 2 - Tais Mães, Tais Filhas

Lena abriu um sorriso quando observou a esposa abrindo os olhos naquela manhã de sábado. Kara sorriu de volta, beijando bem de leve a boca da morena, antes de se levantar, colocando roupas casuais de ficar em casa, enquanto a morena ainda a observava curiosamente, completamente nua por baixo da capa vermelha que sua mulher usava como parte de seu uniforme da Supergirl, que estava guardado dentro do armário-cofre que tinham nos quartos:

"Tem certeza que não é perigoso deixar as meninas saírem sozinhas? Não que eu tema pela segurança delas, a gente meio que já sabe que a Willow é indestrutível e tudo mais, mas e a Winter? Elas são alvos fáceis lá fora, Lena, e se usarem algo pra ferí-las? Se usarem uma arma contendo pedaços de kryptonita? E se.." - Mas Kara parou de falar quando sentiu a boca dela tampar a sua, um beijo violento, sentindo a língua de Lena invadir sua boca de uma forma bruta, a obrigando a chupá-la, por longos minutos, até que ela se acalmasse. Lena recolheu a língua lentamente e sorriu para Kara, alisando o seu cabelo dourado:

"Perigoso? Amor, você se esqueceu que a Willow tem um pouco de dna humano no sangue? A kryptonita verde ou seja lá qual for não afeta ela como afeta você, é por isso que, embora ela tenha herdado o seu poder, não herdou suas fraquezas. Eu disse e repito: não se preocupe com elas, já são adultas e sabem se virar. Agora me ajuda a preparar o café da manhã, senão não vai ter força pra me comer mais tarde SuperGostosa" - Brincava a morena, rindo ao ver as bochechas da loira corarem sob suas palavras, enquanto Kara sorria e lhe obedecia, a ajudando a se trocar antes de irem juntas até a cozinha, de mãos dadas.

Com as irmãs Luthor/Zor El, não era algo tão diferente assim. Elas se sentavam na borda do prédio mais alto de National City mais uma vez, de mãos dadas, com suas pernas balançando no ar enquanto riam e comiam alguns sanduíches que haviam feito em casa e trazido com elas naquela viagem pela cidade. Willow terminara de comer um dos sanduíches, corando logo em seguida, quando sentiu o polegar da irmã alisar com firmeza os seus lábios, lhe encarando com os seus olhos azuis frios:

"Estava sujinha de mostarda aqui, eu só limpei..." - Dizia a morena, embora o seu dedo ainda estivesse tocando na boca da irmã, que lhe encarava envergonhada. As duas haviam se beijado no dia anterior, a justificativa era apenas imitar um ato que as mães faziam, mas suas mães agora já não estavam ali. A morena mantinha seus olhos na boca rosada da loira, perfeita, os traços, a pele, tudo nela era perfeito, era exatamente igual à Kara. Willow sorriu pra irmã gêmea e colocou um pedaço do seu sanduíche na boca dela, mas a morena não mordeu o sanduíche, e sim mordeu de leve o polegar da loira, sentiu uma dor nos dentes terrível, era como morder um aço indestrutível, mas quando viu que a irmã começou a rir, Winter chupou o dedo dela:

"Maninha..." - A loira começou, corando, mas não disse mais nada. Apenas sentia a irmã chupando seu polegar, passando a língua ao redor de seu dedo, o que a fez morder o próprio lábio e desejá-la mais do que tudo. No entanto, Willow virou o rosto para a esquerda, sua super audição tinha captado algo. A loira olhou para a morena à sua frente, que cruzou os braços e fez o sinal com a cabeça para que ela pudesse ir lá salvar o dia. A loira sorriu e foi voando ver o que era, o impacto do vôo era algo tão extraordinariamente forte que criara uma ventania e uma onda super-sônica que fez os pés de Winter se arrastarem no chão do topo do prédio por longos metros seguidos, a deixando descabelada ou até paralisada de medo devido à tanto poder:

"Calma, não precisa chorar, eu tô aqui pra te ajudar. Qual é o nome do gato, ele parece gostar muito de você" - Dizia ela, Willow, se abaixando para uma garotinha que chorava de mãos dadas com a mãe, após seu gato subir no topo da árvore, se recusando a descer. A loira então voava com mais cuidado, pairando no ar ao lado do topo da copa da árvore, seus braços já envolvendo o gato cinzento enquanto ela descia lentamente no ar, pousando sobre o chão, devolvendo o gato à garotinha, já dando pulinhos de alegria e agradecendo à Willow, que ficou sem jeito por realizar a sua primeira boa ação com seus poderes:

"Obrigada, Supergirl-mirim! Obrigada de verdade, se eu fosse esperar bombeiros salvarem meu gatinho da árvore, eu iria é ficar aqui pra sempre! Olha mamãe, essa supergirl-mirim salvou o nosso gatinho da árvore!" - Gritava a menininha, andando até onde estaria a mãe, enquanto Willow coçava a cabeça, sem jeito. A morena lhe observava do telhado, e não pôde deixar de sorrir enquanto observava a sua irmã assumir os passos (ou vôos) de sua mãe. Por fim, Willow foi voando até o telhado do prédio, sendo recebida pelo abraço da gêmea morena, antes daquele selinho:

"Está vendo só? Logo você vai assumir o manto da mamãe, estou orgulhosa do que você fez hoje, Willow. Sério mesmo" - Sua voz expressava aquilo, e, banhadas pela luz do sol que pairava na borda do prédio onde estavam, a morena envolveu a sua irmã pelo pescoço, a beijando na boca de uma forma possessiva, erguendo um dos seus pés para trás e o deixando parado no ar enquanto a beijava, enfiando a sua língua dentro da boca dela, gemendo de leve enquanto iniciavam uma guerra em suas bocas, encostando e chupando as línguas úmidas e os lábios uma da outra. Por fim, a loira puxou a morena para seu colo e saiu voando de volta para sua casa luxuosa, enquanto a morena ria sobre seu corpo, se aconchegando e encaixando-se sobre a gêmea, sentindo o vento sobre os cabelos e os arrepios no corpo devido ao frio. Winter começou a beijar o pescoço da loira enquanto esta voava, lambendo a sua pele e esfregando o nariz quente ali, o que pegou a loira de surpresa e a fez dar um gemido manhoso, antes de gritar ao perder o equilíbrio em seu vôo, caindo no gramado de um campo de futebol vazio, já que voavam alto no ar. Por sorte, a sua irmã humana caiu em cima do seu corpo, e não sofreu nenhum tipo de ferimento ou fratura. Ambas começaram a rir, todas já descabeladas devido ao vôo e sua queda:

"Não pode fazer isso enquanto eu estou voando, Winter! É perigoso, eu poderia ter matado você se caísse em cima desse seu corpo, sua doida!" - Repreendia ela, a gêmea super-poderosa, esperando a sua irmã se levantar de cima dela. Mas Winter não se levantou, ela apenas riu, ainda em cima da irmã loira, segurando os pulsos dela contra a grama possessivamente. É claro que a loira poderia se desvencilhar daquele toque com facilidade, mas algo dentro dela a fez prender a respiração e não reagir à aquilo. Os olhos azuis delas se encontraram tão profundamente, seus rostos estavam tão próximos um do outro, suas respirações pelos narizes colados encostavam na pele uma da outra, e isso parecia fazer nenhuma delas se levantar:

"Acho que agora entendo como nossas mães acabaram se apaixonando, quando são tão diferentes uma da outra" - Dizia a voz da morena, enquanto a loira a fitava, boquiaberta, o coração acelerado, a sua super-audição não focalizava mais nada ao seu redor, tamanho o silêncio entre as duas que se prosseguiu após aquela fala da irmã. Winter. A cópia de Lena. Willow. A cópia de Kara. A morena levantava a saia da loira, esfregando a calcinha dela antes de invadir sua boca com a língua em um beijo sedento e desesperado, já a loira lhe puxava pela gola da camiseta, a sua super-força dominando-a de um jeito que fizera a morena gemer durante o seu beijo incestuoso, ambas rolando sobre a grama do campo abandonado, unindo os seus dedos uns sobre os outros, enquanto arfavam sobre a sensação que tanto Kara quanto Lena, as suas mães, conheciam tão bem. A incapacidade de resistirem uma à outra. Seja aquilo certo, ou seja aquilo errado.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...