1. Spirit Fanfics >
  2. As flores do nosso casamento >
  3. Hermione

História As flores do nosso casamento - Capítulo 14


Escrita por:


Capítulo 14 - Hermione


Fanfic / Fanfiction As flores do nosso casamento - Capítulo 14 - Hermione

— Como foi que eu fui aceitar isso? –Pansy perguntou enquanto encarava a entrada da boate com desaprovação

— Simples: Blás e Gina se uniram, Luna aceitou por que não nega nada a você-sabe-quem e eu apenas fui na onda, então o resultado foi quatro contra um –Hermione explicou apenas para a morena ouvir

— Não sei se devíamos mesmo fazer isso –Pansy comentou –Quer dizer, fomos convidadas por um cliente! Isso não é antiético?

— Fomos convidadas por um velho amigo de Blás, que coincidentemente é nosso cliente -Gina corrigiu – Parem de querer estragar esta festa. Nós vamos entrar, vamos arrasar e nós vamos nos divertir!

— Arrasar? Ginevra Weasley é bom você se comportar –Pansy ameaçou – Mantenha esta língua dentro da boca!

— E onde mais eu iria colocá-la? –Gina insinuou causando um engasgo em Blás

—Por favor, não quero ouvir você falando sacanagem, Ginny –Blás reclamou –Não antes de tomar uma boa dose de tequila, talvez misturada com vodka e uma garrafa de Whisky!

— Dramático –Gina cantarolou –Agora, vamos entrar por que é lá que a festa está!

Pansy implorou por uma ajudinha vindo de Hermione, mas até a Granger queria ir –mesmo que não admitisse verbalmente.

Quando Blás as convidou para a festa, Pansy e Hermione negaram de cara; Pansy por que estava concentrada demais no trabalho, tinha feito uma tabela da qual não podia fugir e uma festa de ultima hora não estava nos planos, já Hermione negou por causa do detalhe que Blás deu: Foram convidadas por Draco Malfoy. Se em local publico, Hermione já achava difícil disfarçar a “pequena” atração, colocá-la num lugar com meia luz e muito álcool acompanhada de Draco era a formula química para o caos!

Mas, por muita insistência de Draco e Gina, elas tiveram que ceder; Afinal, Hermione era bem grandinha e sabia se comportar –pelo menos era o que ela tentava se convencer!

Dois dias de ansiedade e espera, lá estavam na porta do Clube; Gina já tinha vindo ali algumas vezes, e tinha muitas coisas boas pra falar do lugar, e claro de cada canto escuro para “conversas particulares”. As quatro mulheres demoraram algumas horas para se arrumar, entre cabelo, maquiagem, sapatos, tiveram muita indecisão com as roupas;

Pansy assim como Hermione gostava do clássico, e do discreto. Mas, como Gina afirmou veementemente, estavam indo a uma boate e não a um concerto. E com a ajuda da ruiva, Pansy escolheu um vestido preto simples mais que caia perfeitamente bem em suas curvas. Luna sempre gostou de cores de destaque por isso escolheu um vestido dourado, com paetê e tule. Gina tinha vido para arrasar, como tinha deixado claro, usava um vestido vermelho justo e com um belo decote – estranhamente ele era um vestido até comportado se levasse em conta todos os outros vestidos do guarda-roupa da Weasley.  Hermione tinha escolhido um vestido preto, afinal preto é clássico, que na frente era discreto e recatado, mas deixava suas costas parcialmente exposta.

— Damas –Blás ofereceu seu braço a Pansy e Luna com um sorriso charmoso

— Ele a está secando desde que a viu na escada de casa –Gina cochichou para Hermione seguindo logo atrás dos três

—Por favor, não faça nada. Sabe como Luna fica encabulada quando você faz algo –Hermione alertou

— E nem se eu for sutil?

— Você não é sutil, Gina –Hermione respondeu

— Nomes? –O segurança perguntou assim que o grupo de aproximou da porta

— Blásio Zabini –O moreno avisou – E acompanhantes.

— Acompanhantes? Por favor, parecemos prostitutas acompanhando-o –Gina reclamou

— Não seja chata –Hermione pediu –Demoraria até falarmos nossos nomes e ele procurar na maldita lista!

— Entrem – O segurança liberou a passagem assim que encontrou o nome de Blás

Assim que passaram pelos dois enormes seguranças, Hermione já sentiu o ar mudar;A musica eletrônica explodia das caixas de som, fazendo todo o lugar vibrar, a pouca luz vinha de refletores de neon de todas as cores e havia até mesmo uma neblina artificial cobrindo parcialmente o chão do lugar, e claro, o cheiro de bebida impreguinava o ar.

— É disso que eu gosto –Gina exclamou animada

— Tente não fazer loucuras, Ginny –Pansy pediu porém foi completamente ignorada pela ruiva

— Vamos beber –Gina chamou e eles seguiram para o bar – Quatro Manhattan e uma dose de Whisky.

—Obrigada por perguntar o que queremos –Hermione exclamou revirando os olhos

— Ah, qual é Mione –Gina riu –Você e Luna iam pedir algo tão leve que ia parecer água. Estou dando a chance de vocês beberem algo de verdade.

— Sabe o que acontece quando fico bêbada –Luna exclamou – Passo vergonha.

— Ah sim –Gina estralou a língua divertida –Eu me lembro de uma loira muito bêbada na formatura.. Doces recordações.

— Vocês nunca me disseram o que Luna fez –Blás comentou recebendo seu Whisky

— E nunca vai saber –Luna afirmou – Pan, se eu beber de mais..

— Eu cuido de você –Pansy afirmou e Luna sorriu grata

— Vamos lá –Gina sorriu erguendo seu copo – A diversão!

Hermione ergueu brevemente seu copo antes de ingerir um gole do Manhattan. Gina foi a primeira a sumir, correndo em direção a pista de dança louca pra se soltar, Blás e Luna decidiram sentar-se deixando apenas Pansy e Hermione para trás;

— Sinto que vou me arrepender de ter vindo –Hermione comentou com a amiga

— Eu espero que Gina tenha uma puta recassa –Pansy desejou maldosamente

— Não seja má –Hermione riu

Por alguns minutos, as duas ficaram conversando e bebendo até um homem se aproximar delas;

— Aceita dança? –O desconhecido perguntou a Pansy,que  lançou um olhar para Hermione

— É claro que ela aceita –Hermione garantiu dando um leve empurrão em Pansy

Assim que a amiga se misturou aos outros corpos na pista, Hermione virou-se para o barman e pediu uma dose de tequila, mal tinha levado a bebida aos lábios quando teve “aquela” sensação; Um frio na barriga, um arrepio delicioso se instalando na sua coluna, o coração disparado. Hermione havia apelidado de sensor Draco, ou seja, o corpo de Hermione parecia prever sempre que o Malfoy estava por perto –mesmo que os olhos da Granger não o captassem.

— Boa noite, senhorita Granger –A voz rouca de Draco aumentou o ritmo cardíaco de Hermione assim como fez seu sangue ferver

Ela se virou lentamente, torcendo para que tivesse tendo uma alucinação, mais lá estava Draco. Ele estava vestido de modo informal, sem terno ou gravata, porém incrivelmente bonito. O Malfoy abriu um sorriso que causou um alvoroço nas borboletas que habitavam o estomago de Hermione;

— Olá, Draco –Hermione respondeu tentando não tremer a voz

— Fico feliz que tenha vindo –Draco comentou com a voz baixa o que, de modo inconsciente, fez Hermione se aproximar para ouvir já que a musica estava bem alta

— Bem, Blás não queria aceitar um não –Hermione respondeu com os olhos fixos nos olhos de Draco, que pareciam brilhar naquela meia luz, enquanto o ar a volta deles era preenchido com o perfume do Malfoy

— Eu pedi para que ele não aceitasse um não –Draco confidenciou abrindo um sorriso galanteador  – A queria nesta festa.

— Queria? –Hermione perguntou bem surpresa e tentou disfarçar bebendo toda a tequila que tinha em seu copo

— Todos merecem um pouco de diversão, não é mesmo? –Draco respondeu e fez sinal para o barman servi-los – Suas amigas vieram?

—Sim –Hermione assentiu – Gina e Pansy estão dançando, Luna e Blás estão por ai..

— E por que você não esta dançando? –Draco questionou curioso pegando um copo de Whisky enquanto entregava o copo de Hermione cheio de volta para ela

— Eu não danço –Hermione negou soltando uma risada nervosa

— Todos dançam –Draco rebateu curioso

— Eu não danço bem –Hermione confidenciou bebendo mais uma dose de tequila recém servida – E quando danço, eu tenho que estar bêbada.

— Bêbada, hum?

 - Nem pense nisso, senhor Malfoy –Hermione pediu reconhecendo aquele sorriso, o mesmo sorriso que Gina dava quando planejava lhe embebedar para vê o quanto de vergonha ela passaria 

— Senhor Malfoy? –Draco se aproximou um passo deixando os corpos bem colados, tão perto que Hermione conseguia sentir o halito do homem lhe acariciando e a fazendo perder o fôlego – Você é petulante, senhorita Granger.

— Você me chama de senhorita Granger, eu lhe chamo de senhor Malfoy –Hermione respondeu com uma coragem recém-descoberta – Formalidade por formalidade. Paro de chamá-lo deste modo se começar a me chamar de Hermione, que tal?

— Está mesmo barganhando comigo? –Draco perguntou dando um sorriso de lado e avançando mais um passo, o que prendeu Hermione entre o corpo dele e o balcão do bar as suas costas – Eu gosto de chamá-la de senhorita Granger, soa sexy.

— Soa? –Hermione balbuciou chocada

— Sim –Draco concordou com lentidão, os olhos disparando dos olhos dela até os lábios como se estivesse calculando se já era aceitável beijá-la 

Assim que o pensamento de ser beijada por Draco Malfoy assentou-se na mente dela, Hermione pareceu tomar noção do que estava acontecendo a sua volta; Ela não falava da festa, e sim, do corpo de Draco a poucos centímetros do seu, do modo como ele a prendia sensualmente com o seu corpo, dos olhos famintos dele lhe devorando e de como ela desejava que ele terminasse os cálculos e a beija-se como se não houvesse amanhã. 

— Eu vou... –Hermione balbuciou largando seu copo no balcão e afastando-se de Draco –Eu vou..

Ela sequer terminou a sentença antes de se afastar totalmente de Draco. Contrariando seus instintos, Hermione espiou por cima do ombro, depois de ter colocado uma boa distancia entre eles, e o encontrou a fitando como um predador fitava a presa. Era como se fosse ele que tivesse permitido que ela se afastasse, como se ele esperasse por aquilo, como se estivessem brincando de caça. Hermione, com um frio dolorosamente bom na boca do estomago, notou que ela era a presa de Draco. Tarde demais ela notou qual era o jogo de Draco, agora tinha dado o play, não podia voltar atrás!

— Hermione?

A Granger se virou encontrando Harry a poucos passos de si. Assim como Draco, Harry também ficava bonito em roupas casuais; Ele tinha um charme a mais devido ao cabelo revirado e sua jaqueta de couro, parecia muito um motoqueiro sexy.

— Fico feliz que você tenha vindo –Harry exclamou depois de dar um beijo estralado em sua bochecha

— Todas viemos –Hermione explicou

— Todas, hum? –Harry questionou com um interesse mal disfarçado

— É, todas –Hermione repetiu achando graça

— Olha, Draco e eu estamos lá trás com alguns amigos –Harry apontou para a área vip –Por que não se junta a nós?

— Eu não sei.. –Hermione negou

Não queria parecer rude, mas ficar perto de Draco ia contra os alertas mentais dela.

— Por favor, vamos –Harry implora segurando na sua mão e a levando para a área vip, havia algumas pessoas ali, mas Harry apresentou apenas os dois homens sentados no sofá de couro –Hermione, esses são Remo Lupin e Sirius Black. Homens, está é Hermione Granger.

O jeito que Harry disse seu nome, dando tanta ênfase, parecia que eles sabiam bem quem ela era. Foi estranho. Remo sorriu educadamente enquanto Sirius abria um sorriso avassalador – aquele tipo de sorriso “arranca calcinha”.

— Prazer –Hermione cumprimentou ambos com carisma  -Lupin? Como o restaurante?

— Sim –Remo concordou com um sorrisinho –É o meu restaurante.

— Eu almocei lá uma vez, com Harry e Draco, é um ótimo lugar –Hermione comentou

— Obrigado –Remo agradeceu com timidez

— Moony é tímido quando se trata do trabalho dele –Sirius comentou divertido – Eu não tenho um restaurante, mas posso ser conhecido como o homem que criou Harry.

— Ele é o meu padrinho –Harry explicou

— Certo. Harry tem uma ótima educação, um belo cavalheiro, acredito que o mérito é todo seu –Hermione comentou

— Ah, não vou negar –Sirius respondeu – Draco nos falou bastante da Felizes para Sempre. Fiquei bem impressionado.

— Jura? Bem, garanto que se algum dia quiser casar, cuidaremos com amor de cada detalhe –Hermione garantiu

—Por que não se senta? –Remo indicou o divã

— Vou buscar algo para você –Sirius avisou indo para o bar antes que Hermione pedi-se algo leve

Com a ajuda de Harry, Hermione e Remo encontraram um assunto para conversarem enquanto aguardavam o retorno do Black.

— Voltei –Sirius avisou e entregou um copo para cada um

Hermione ergueu com cuidado o copo e deu um pequeno gole. A bebida era forte, e desceu queimando, mas estranhamente Hermione gostou.

Entre conversas aqui e ali, goles e mais goles, Hermione foi sentindo-se mais leve –não bêbada. Ela interagia com Remo e Sirius como se os conhecesse a vida toda, parecia tão natural, e os dois homens pareciam sentir-se bem à vontade com ela.

— Draco –Sirius, que parecia bem animado e levemente alterado, exclamou quando avistou Draco

— Sirius, já esta bêbado? –Draco questionou e então sua atenção voltou-se totalmente para Hermione – Senhorita Granger.

— Senhor Malfoy – Hermione respondeu apreciando, de modo incomum, a brincadeira

Hermione engoliu em seco quando Draco sentou-se ao seu lado, tão perto que ela conseguia sentir o calor do corpo dele assim como o perfume, sua perna tocando na dele.

—Onde está Harry? –Draco perguntou a Sirius

— Acho que disse que ia procurar pelas amigas de Hermione –Sirius respondeu

— O que é ao equivalente de: Ele foi atrás da Gina –Hermione comentou terminando sua bebida e depositando o copo na mesinha de vidro a sua frente, mal recuou a mão quando Sirius encheu seu copo de novo e lhe entregou outra vez 

— Sirius, aqueles não são.. –Remo comentou atraindo a atenção de Sirius para um grupo de pessoas –Já voltamos. Vem Sirius, vamos cumprimentá-los.

Hermione franziu a testa ao ver Remo e Sirius saírem da área vip, ela quis chamá-los de volta ou até mesmo segui-los, queria tudo menos ficar sentada ao lado de Draco. Para disfarçar os sentimentos conflitantes, Hermione bebeu um longo gole do seu drink;

— Se divertindo, senhorita Granger? –Draco perguntou com a voz arrastada o que causou um alvoroço nos sentidos de Hermione

— Muito, senhor Malfoy –Hermione respondeu vendo os olhos de Draco faiscarem

— Eu notei algo, senhorita Granger –Draco sussurrou tão baixo que Hermione teve que se inclinar para perto para ouvi-lo

— O que? –Hermione perguntou

— Eu me esqueci de elogiá-la –Draco respondeu –Você está muito bonita. 

Os olhos dele percorreram ela de cima a baixo, dando uma olhada generosa em suas pernas.

—Ah.. obrigada –Hermione respondeu mordendo o lábio e ganhando toda a atenção de Draco para o ato

— Também notei que você não usou o numero que eu lhe dei –Draco comentou – Esperei por uma ligação sua.

— Esperou? –Hermione ficou realmente surpresa com isso

— Você não faz ideia do quanto –O loiro respondeu dando um sorriso de lado que facilmente arrancou um suspiro dela

— Eu não.. eu não tinha nenhuma questão para resolvermos –Hermione explicou

— Não precisa me ligar apenas para falar sobre trabalho –Draco respondeu

— E do que mais falaríamos se não trabalho?

—Posso pensar em uma ou duas coisas –Draco comentou maroto

O coração dela disparou. Merlin, o que aquele homem estava fazendo com ela?

— Eu vou procurar as garotas –Hermione sentenciou erguendo-se brutalmente

— Eu continuarei aqui –Draco respondeu achando graça na fuga dela

Hermione terminou de beber e devolveu o copo a mesa, sem olhar uma ultima vez, ela caminhou para a pista se esgueirando entre corpos suados e agitados. Não foi difícil achar Gina, afinal ela era um furacão ruivo dançando da forma mais sensual que conhecia o que acabava atraindo muita atenção.

— Hermione –Gina exclamou alegre quando Hermione conseguiu chegar até ela

— Você está bêbada, não é? –Hermione questionou com uma careta de reprovação

— Um pouco –Gina concordou risonha – Dança comigo, gata!

Hermione estava prestes a negar, ela não tinha bebido o suficiente para passar por esta vergonha, mas logo se lembrou de Draco e de como ele parecia vitorioso ao vê-la fugir, como se estivesse lhe dizendo que sabia que ela era afetada por ele. Hermione espiou por cima dos ombros, vendo Draco erguido na área vip, com os olhos totalmente fixos nela, e então voltou-se para Gina e concordou;

Dois podiam jogar aquele jogo!

Hermione começou a mexer o corpo de modo hesitante, sem saber direito o que estava fazendo, até Gina colocar as mãos em sua cintura e lhe instruir a imitar seus movimentos. Aos poucos ela foi pegando confiança, sentindo-se mais confiante para se soltar e deixar seu corpo seguir seu próprio ritmo. Ela não sabia dizer se era a bebida ou o olhar atento de Draco que lhe deu combustível para dançar daquele jeito, mas seja lá qual foi o motivo, a fez se sentir poderosa.

— Está arrebentando, garota –Gina cochichou para Hermione –Ele está mais que enfeitiçado!

Hermione sorriu satisfeita, apreciando com gosto sua pequena vitoria, e então olhou por cima do ombro; Draco continuava no mesmo local que Hermione o viu pela ultima vez, os olhos fixos de modo intenso nela, ele abriu um sorriso sacana quando os olhares se encontraram que foi retribuído por Hermione.

— Acho que vocês vão incendiar este lugar –Gina comentou marota

— Não, eu quero incendiá-lo  –Hermione respondeu e riu –Eu devo estar muito louca para brinca com ele desse modo.

— Continue, está fazendo um bom trabalho –Gina assegurou – Um ótimo trabalho, eu diria.

—Como assim?

—Ele esta vindo para cá. E parece pronto para devora-la aqui mesmo!

Hermione olhou para trás e notou que Draco não estava mais no lugar, em vez disso, avistou seu cabelo platinado perdido entre as pessoas na pista, abrindo caminho até ela.

— Primeiro, ele terá que me pegar –Hermione cochichou e então seguiu na direção oposta de Draco

Hermione riu sozinha ao encostar-se num dos cantos escuros do clube. Ela podia imaginar Draco procurando-a na pista, talvez notando qual era o jogo que ela estava jogando agora. Mesmo com uma voz na sua cabeça sussurrando que era errado o que ambos estavam fazendo, Hermione não conseguia –e nem queira –parar. Ela tinha se esquecido da sensação de ter alguém atraindo por ela, de como era bom sentir-se desejada, de como seu corpo queimava a cada segundo. Ela também tinha consciência de que, estranhamente, cada sensação que tinha era nova; Nunca tinha sentindo-se deste modo, não tão intensamente assim, por ninguém.

— Peguei você –Draco anunciou surgindo das sombras e prendendo-a contra a parede

Em vez de gritar de susto, Hermione soltou uma risadinha. Draco aproximou ainda mais, as mãos dele aconchegaram-se na sua cintura puxando-a de encontro a ele, seu rosto próximo do dela. De modo audacioso, ela deixou que as próprias mãos subissem pelo braço de Draco, arranhando-lhe levemente os músculos e parando em seus ombros.

Hermione viu uma pequena brecha surgir, apenas o suficiente para ela sair dali antes de se arrepender, antes de cometer uma loucura, porém ela não conseguia. Ela não queria. Algo nela gritava para continuar, para ver onde daria, mesmo sabendo que no final podia acabar machucada.

Com lentidão, Draco ergueu uma das mãos e tocou-lhe o rosto, a caricia delicada a fez suspirar. Era tão bom ter a mão dele tocando seu rosto, pele contra a pele, sentindo-o explorar sua bochecha, queixo, nariz e lábios. Hermione podia sentir cada célula do seu corpo vibrando em ansiedade, esperando afoita pelo beijo. Porém, Draco parecia querer adicionar ainda mais fogo ao incêndio, indo devagar e aumentando a ansiedade.

Hermione sempre se orgulhou der ser muito paciente; Esperava, aguardava, ia com calma. Mas, dessa vez, ela não conseguia esperar mais nem um segundo.

— Beije-me –Hermione pediu ávida

Draco abriu um sorriso sacana, que apenas causou uma onde de sentimentos realmente grande em Hermione, e então chocou sua boca contra a dela. Não, não foi um beijo carinhoso. Foi desesperado. Era como se estivessem ansiosos por isso por um longo tempo. Era como se suas vidas dependessem daquele beijo. As bocas se encaixavam-se, as línguas dançavam uma dança só delas, os corpos tão colados como se quisessem se tornar um só. Uma das mãos dela estava perdida no cabelo dele, puxando os fios com um pouco mais de pressão, querendo realmente fundir-se a ele. Draco tinha descido a mão, aquela que estava na bocheche dela, para a nuca onde a trazia sempre mais para perto, enquanto a outra descia maliciosamente pelo quadril dela tocando a lateral da coxa e então partindo para as costas sentindo a maciez do tecido e também o calor da pele de Hermione que estava a mostra.

Eles estavam queimando.

Eles estavam perdidos.

Eles estavam se entregando.

— Respira –Hermione murmurou afastando as bocas, mas não os corpos –Preciso respira. Eu.. Ah.. Nossa.

Ela sentia todo o seu corpo mole, como se tivesse virado gelatina, seu cérebro parecia ter dito um curto o que a fazia balbuciar coisas sem sentido. Ela estava se sentindo um caos. Mais acima disso, estava sentindo-se extasiada.

— Eu... –Tentou novamente formular uma frase, porém não conseguia pensar direito, não quando Draco continuava com os lábios tão perto do dela, ameaçando beijá-la de novo, causando arrepios com o breve contato, outra vez a fazendo ansiar pelo beijo, e quando novamente ela estava prestes a pedir, foram interrompidos

— Draco?



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...