1. Spirit Fanfics >
  2. As flores do nosso casamento >
  3. Hermione

História As flores do nosso casamento - Capítulo 6


Escrita por:


Notas do Autor


Começa agora: 01/14

Capítulo 6 - Hermione


Fanfic / Fanfiction As flores do nosso casamento - Capítulo 6 - Hermione

Hermione mal conseguiu dormir a noite; sua mente criava diversos cenários com o casamento de Draco Malfoy, e com o curto prazo delas. Podia dar certo? Elas iam conseguir? E se fosse um fracasso? Aquilo podia ser o final da Felizes para Sempre!

Mas, ela mentiria se disse-se que aquilo tinha sido a única coisa que não a fez dormir. O noivo também lhe roubou o sono. Hermione achava muito injusto o quanto ele tinha mexido com ela, eles nem se conheciam e ele já foi capaz de roubar seu sono!

Depois de tomar um banho demorado, onde obrigou a água a lavar todos os seus pensamentos com o noivo, ela colocou sua roupa de trabalho e se maquiou –para esconder os olhos cansados.

Hermione entrou, pela porta dos fundos da casa, e caminhou até a cozinha, de onde vinha o cheiro maravilhoso de bolo e café fresco. Isso era algo habitual da casa, tudo por causa da excelente mão de Luna. Assim que entrou no lugar, notou Gina sentada sob o banco e debruçada sobre a ilha da cozinha enquanto Luna estava ao lado do fogão trabalhando em algum bolo.

—Olá meninas –Hermione cumprimentou as duas

—Oi, Mione –Luna sorriu gentil e acenou com a colher lambuzada de chocolate

—Oi –Gina respondeu num resmungo irritado

—Não deixa a Pansy te vê assim. Ela te mata se souber que esta de ressaca –Hermione alertou

—Pansy precisa aprender que existe uma vida lá fora –Gina apontou, teatralmente, para fora –Uma vida que vivemos apenas uma vez.

—E a sua vai acabar muito rápido se não controlar a quantidade absurda de álcool que você ingere –Hermione respondeu –Ou a sua farra durante a semana, principalmente numa semana onde temos três casamentos para organizar. E Draco Malfoy!

— Draco Malfoy –Luna repetiu – Eu ainda não acredito que vamos fazer o casamento dele!

—Eu sai para comemorar exatamente isso –Gina apontou –Vamos ficar ricas e famosas com esse casamento! Além do mais, era open bar. Não posso perder um open bar.

— Eu ainda não sei como você aguenta –Luna comentou –Juro que não entendo como seu fígado aguenta.

—Você que é fraca para o álcool, Luninha –Gina rebateu – Duas taças e esta bêbada.

—Infelizmente, não posso negar –Luna riu

—E você,Hermione? –Gina questionou de repente e erguendo a cabeça –Quando vai aprender a viver?

—Eu sei viver –Hermione rebateu servindo-se de uma xícara de café

—Ata, claro que sabe –Gina revirou os olhos –Eu to falando de vida de verdade. Sabe,sair, beber, beija, transa.

—Ah, por deus –Hermione bufou –É muito cedo para falarmos disso.

—O que? Bebe ou transa? –Gina provocou e recebeu um olhar de atravessado da amiga –Eu só to preocupada, amiga.

—Com a minha vida social ou sexual? –Hermione ergueu as sobrancelhas

—As duas.. Mais com a ultima, na verdade –Gina comentou –Quando foi a ultima vez que transou?

—Eu não vou te responder isso –Hermione reclamou

—Faz tempo, não é? –Gina comentou – Precisa aliviar-se amiga.

—Eu faço isso, obrigada.

—Sozinha? Deprimente –Gina riu –Posso te apresentar alguns amigos.

—Não, obrigada. Se é seu amigo, significa que já transaram e eu não vou transa com alguém que já transou com você!

—Vaca –Gina exclamou dando um tapa na amiga

 -Eu consegui –Pansy afirmou entrando na cozinha animada, como de costume, estava com os olhos fixos em seu iPad, em sua orelha direita estava o fone preto que ela usava para atender as ligações sem pegar no celular.

—Olá, Pan –Luna respondeu sorrindo divertida ao ver Gina se ajeitar no banco tentando melhorar a imagem de bebedeira que tinha

—Gina, quer um remédio para ressaca?

—Ah, por favor –Gina jogou as mãos para o alto –Você sequer ergueu os olhos desse iPad, como sabe que estou de ressaca?

Pansy ergueu os olhos, de forma lenta, e sorriu marota.

—Eu sou ótima, eu sei –Ela comentou orgulhosa

—Pan, você disse que conseguiu. O que exatamente você conseguiu? –Hermione perguntou

—Eu consegui fazer nossa agenda se encaixar nos quatro casamentos que estamos organizando.

—Isso é possível? Pensei que teríamos que adiar dois, pelo menos –Hermione comentou

—Não, nada de adiar –Pansy negou –Vamos mantê-los. Mas, precisamos nos dedicar totalmente a eles.

—Lá vem.. –Gina sussurrou baixinho

—Gina, sem festa durante a semana até que o casamento do Malfoy ocorra –Pansy avisou

—Eu sabia –Gina suspirou – Certo, faço esse sacrifício.

—Você sobrevivi –Hermione garantiu dando um tapinha no ombro da amiga, que bufou

—Eu chamei uma assistente para mim, já que vou ter que me dedicar totalmente a Astória. Ela é nossa prioridade, ok? Se precisarem de ajuda, contratem, nem hesitem,ok? –As três assentiram em concordância e Pansy explicou sua planilha onde ela detalhou cada dia delas com obrigações com os quatro casamentos

—Alguém, por favor, me lembra de nunca duvidar de Pansy –Gina pediu

— Eu vou colar essa planilha na geladeira, e também já enviei uma copia a cada uma de vocês. Temos que nos decida a ela, esta bem? Se seguirmos o cronograma, vamos conseguir! A partir de hoje temos 14 dias até o casamento de Draco Malfoy, então mãos a obra!

—Espera –Hermione pediu –Aqui diz que eu tenho que a Malfoy Corporation  hoje, por que?

—Lembra que o senhor Malfoy disse que devíamos procurá-lo na Malfoy, já que ele não tem tempo para vir até aqui? –Pansy questionou e ganhou um aceno de concordância –Seu passe livre chegou, ao que parece o senhor Malfoy esqueceu-se dos nossos nomes.

—Espera –Gina pediu –Ele só lembrou-se do nome da Hermione? Interessante..

—Cala a boca, Gina –Hermione pediu –Mas, o que eu vou fazer lá?

—Preciso que leve isso a ele –Pansy entregou a Hermione um portfólio detalhado

—Pan, quando você teve tempo para isso tudo? –Hermione perguntou e então reparou no ar cansado da amiga - Pansy Parkinson,você não dormiu?

—Eu precisava achar um jeito de fazer tudo. Não podemos perder clientes –Pansy explicou

— Você vai ir para a cama. Agora!

—Não posso, eu tenho que.. –Pansy começou

—Nada disso –Hermione tirou o iPad  e o fone da amiga e entregou a Luna –Luninha, cuide de tudo até que Pansy acorde. E você Parkinson, cama agora!

—Vai levar o portfólio ao senhor Malfoy? –Pansy perguntou

—Claro. Gina, leve essa marrenta para a cama –Hermione pediu 

—Pode deixar.

—Por que a Gina? Ela precisa de um banho, eu estava sentindo o cheiro de tequila do meu escritório.

—Vaca –Gina resmungou e empurrou a amiga para a saída –Vamos para a cama, Pansy!

—Consegue cuidar de tudo? –Hermione perguntou e Luna assentiu –Certo, qualquer coisa me liga. Vou para a Malfoy Corporation.

No caminho até a empresa, Hermione pensou em como devia se portar na presença de Draco Malfoy. Mesmo que ele mexesse com ela, de uma forma estranha, ela não devia demonstrar. Ele ia casar!

— Posso ajudar? –O segurança interceptou Hermione assim que ela entrou na Malfoy

—Eu vim falar com o senhor Malfoy –Hermione mostrou seu passe

—Ultimo andar –O homem apontou na direção do elevador e Hermione agradeceu

—Mantenha a calma –Hermione sussurrou para si enquanto caminhava na direção do elevador –É apenas um cliente!

Hermione apertou o botão, chamando o elevador, e aproveitou esse momento para dar uma conferida em tudo que Pansy preparou para o Malfoy. Ela não viu quando as portas abriram, apenas ouviu e entrou ainda com os olhos fixos nos papeis.

—Bom dia, senhorita Granger –Aquela voz fez Hermione erguer os olhos de modo rápido

Parado ao seu lado, com toda a sua gloria, estava Draco Malfoy. E, mesmo Hermione achando injusto, ele estava mais bonito do que no dia anterior.

—Bom dia, senhor Malfoy –Hermione respondeu sentindo as bochechas avermelharem com a intensidade do olhar do homem

—Devo supor que esta aqui por mim.

—Sim, como fui a única que recebi o passe, tive que trazer algumas coisas para o senhor –Hermione explicou

— Seu nome foi o único que gravei –A confissão dele fez Hermione ficar ainda mais ruborizada

Hermione tentou lembrar a si mesma que ele era seu cliente. Cliente da Felizes para Sempre. Ele era noivo.Mas, ficava difícil quando ele dizia aquilo, sorria e parecia satisfeito por tê-la deixando constrangida.

Escolheu volta ao assunto que a trouxa até ali;

—Aqui esta um portfólio com tudo que o senhor precisa providenciar –Hermione estendeu ao homem a pasta

—Por que não vamos até minha sala? –Draco perguntou aproveitando que as portas abriram para colocar a mão quente e grande no meio da sua coluna e gentilmente a guiou para fora do elevador –Assim você tira minhas duvidas.

Hermione engoliu todas as recusas e deixou ser levada até a sala dele. Assim que entraram, Draco fechou a porta atrás dela e Hermione sentiu-se como uma presa na jaula de um predador.

—Sente-se, senhorita Granger –Draco pediu e o jeito que ele falou o “senhorita Granger” fez Hermione arrepiar

Por que ele tinha que ter a voz tão sexy?

Hermione sentou-se numa das pontas do sofá, segurando firmemente o portfólio sob o colo e tentando não transparecer o seu nervosismo. Era só um cliente, Hermione!

—Deseja algo para beber?

—Não, obrigada –Hermione deu um sorriso nervoso e ficou tensa quando Draco sentou-se bem ao seu lado, ignorando todo os outros espaços vagos naquele sofá

—Então, o que exatamente é isso tudo? –Draco perguntou depois de pegar, delicadamente, o portfólio dela

— É como um guia para noivos. Aqui contem informações do que precisamos do senhor..

—Draco.

—Como? –Hermione piscou confusa

—Me chame de Draco –O homem pediu

—Ah.. eu não acho que seja aceitável –Hermione murmurou

Sim, com outros clientes, ela os chamava pelo nome, pois desse modo criava uma conexão necessária para entender tudo que eles queriam do casamento. Mas, Draco, não era qualquer um. Tinha algo nele que mexia demais com ela, e torna-lo tão intimo assim complicaria ainda mais as coisas.

—Por favor, senhorita Granger –Draco pediu abrindo um sorriso que a fez prender a respiração

—Certo. Voltando ao portfólio, contem informações do que precisamos do senhor.. precisamos de você, Draco.

—Diz de novo –Draco pediu

—Contem infor..

—Não, meu nome –Draco interrompeu –Diz o meu nome.

—Draco –Hermione repetiu com o coração disparando no peito

O que aquele homem estava fazendo? Aquilo não era um flerte,era? Meu deus, isso estava ficando cada vez mais confuso.

—Meu nome soou bonito quando você fala –Draco comentou

—Seu nome é bonito –Hermione respondeu sem se conter –É o nome de uma constelação.

—Sim. Gosta de estrelas? –Draco perguntou

—Tenho uma quedinha –Hermione confessou e isso fez Draco sorrir,por alguns segundos ela se perdeu naquele sorriso, pigarreando ela voltou ao trabalho – Aqui tem também dicas de costureiros, mesmo o você já tendo um, também tem ofertas para a lua de mel e algumas outras coisas que disponibilizamos aos clientes.Algum problema, Draco?

Ele a estava observando fixamente, o que a deixava nervosa, e também a fazia pensar que havia algo de errado no seu rosto.

— Você tem a voz bonita. Eu poderia ouvi-la falar o dia todo –Draco respondeu

Certo, aquilo definitivamente era um flerte!

Tentando não ruborizar, e falhando, Hermione desviou o olhar engolindo em seco. Um alerta, quase como a sirene dos bombeiros, soou na mente dela. O que diabos ela estava fazendo? Ou melhor, o que diabos ele estava fazendo?

—O senhor tem alguma duvida? –Hermione perguntou e fingiu não perceber o desapontamento dele quando o chamou formalmente

—Não, eu irei ler tudo e te enviarei. Seu email esta junto disso tudo aqui? –Draco perguntou –Ou seu numero?

— O de Pansy esta –Hermione respondeu – É ela que precisa disso, eu cuido da decoração e só precisarei focar na cor do seu terno, flor, e nas roupas dos padrinhos e madrinhas e claro o vestido da sua noiva para combinar com a decoração.

— Ah –Novamente Hermione fingiu não ver o desapontamento dele

—Se esta tudo certo,eu vou indo –Hermione se levantou e estendeu a mão –Até mais senhor Malfoy.

Em vez de apertar a mão dela, Draco a segurou com a sua e virou o dorso para cima, onde depositou um demorado beijo. Hermione sentiu as pernas tremerem com os lábios macios e quentes de Draco em contato com sua pele, ela voltou a ruborizar ao perceber que Draco tinha os olhos fixos nela; Como se tivesse apreciando aquela reação.

—Até nosso próximo encontro, senhorita Granger.

Hermione se afastou, de modo atrapalhando, e saiu da sala sem olhar para trás. O que estava acontecendo ali? O cérebro dela, que sempre foi muito racional e inteligente, parecia ter parado de funcionar.

Um milhão de perguntas passava por sua mente: O que Draco Malfoy estava fazendo? Ele estava flertando com ela? Por quê? O que ele tinha na cabeça? Estava maluco? E principalmente: O que Hermione tinha na cabeça por se deixar abalar por ele?



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...