História As histórias de uma vida ou apenas outro Cliché - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Boku no Hero Academia (My Hero Academia)
Tags Kamishin, Kiribaku, Tododeku, Tsuchaco
Visualizações 35
Palavras 1.491
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Fantasia, Hentai, Lemon, LGBT, Luta, Magia, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Slash, Universo Alternativo, Violência, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Bissexualidade, Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 1 - O menino eo dragão parte 1


Fanfic / Fanfiction As histórias de uma vida ou apenas outro Cliché - Capítulo 1 - O menino eo dragão parte 1

Bakugou era um garoto órfão de 13 anos ele vivia como um caçador vivendo das recompensas que ele via pelas ruas da cidade 

Pov's Bakugou 

Andava pelas ruas da maldita cidade a procura de alguma recompensa para correr atrás já que precisava de dinheiro.

Enquanto andava ouvi alguns velhotes falando de uma espécie de recompensa,e parecia ser das grandes.

-fiquei sabendo da besta da floresta-o homem de cablos laranjas diz 

-dizem que a besta devora todos que chegam perto da floresta-outro homem que usava máscara diz 

-fiquei sabendo que quem trouxer a cabeça da fera ganha uma recompensa e é das grandes-um loiro diz rindo 

-ei-falo chamando a atenção dos homens-de quanto é essa maldita recompensa? 

-o que foi pirralho o papai não te da mesada não-o alaranjado diz debochado

-você é só um pirralho nem os mais bravos guerreiros voltaram vivos da "floresta maldita"-o mascarado diz com um sorriso debochado 

-vai pra casa nanico-o loiro diz rindo com seus três amigos 

-vão se fuder e me digam quanto é a porra da recompensa seus merdas-digo rosnando as palavras 

-e de duas mil libras-o mascarado diz irritado 

-obrigado otarrios-Digo dando as costas para os idiotas 

-se você voltar vivo eu te pago quinhentas libras-o loiro diz em deboche 

Pov's Autor 

Bakugou virou as costas e andou até à tão falada "floresta maldita".

(...)

Três horas andando e Katsuki finalmente havia chegado a floresta,ele tinha uma espada em sua bainha,e não vistia nada além de uma calça de couro justo e uma capa vermelha com pelos na gola.

Katsuki andava a procura da "besta" da floresta

Pov's Bakugou 

Estava procurando a maldita besta mais não havia nada,absolutamente nada era só a porra de uma floresta comun inabitada por seres humanos.

-não é possível que aqueles merdas tenham inventado essa porra de história-rosno para mim mesmo com raiva-espera....-ouço ao longe um barulho de água e vou na direção do som.

(...)

Pov's Narrador 

Assim que Katsuki chega ao local do barulho ele sobe em uma árvore para ver a criatura.

Assim que ele vê a enorme criatura de escamas vermelhas na água todo aquele instinto e ganância pela recompensa somem ele apenas ficava olhando a criatura que brincava na água como uma criança.

Os olhos de Katsuki não se desviavam da criatura nem por um milésimoele não era o monstro cruel de qual todos falavam quando Katsuki o olhava tudo que ele via era uma criatura solitária que atacava por pura alto defesa.

Talvez o que Katsuki tenha pensado ou visto naquele momento seja um sinal de que ele não era tão diferente da criatura,pois assim como aquele animal ele caçava e matava para sobreviver. 

Em pouco tem Katsuki já se encontrava na beira do lago muito próximo da criatura que se aproximava cada vez mais dele.

E quanto mais próximo mais Katsuki podia ver o quão bela era a criatura,suas escamas vermelhas que reluziam na luz do sol e seus olhos azuis que o encararam com curiosidade e inocência.

Talvez todas as crenças que as pessoas tinham sobre essas belas criaturas estivessem erradas,elas não eram bestas sanguinárias que todos diziam,eles apenas se defendiam pois as pessoas atacavam sem mais nem menos.

Em pouco tempo a criatura já estava fora da água e encarava Katsuki nos olhos sem nenhuma intenção assassina sem crueldade tudo que se refletia nos olhos daquela bela criatura era a curiosidade e inocência era como se para aquele animal Katsuki fosse a criatura mais fascinante que ele já havia visto.

Katsuki então larga sua espada e os olhos da criatura acompanham até a espada tocar o chão e então volta seu olhar para o homem a sua frente que agora tinha a mão esticada como se quisesse tocá-lo,A criatura cheira Katsuki como se quisesse saber o que era aquela criatura a sua frente.

A criatura então aproxima sua cabeça das mãos de Katsuki que o acaricia sem parar de lhe encarar,a criatura então se aproxima mais e cola sua testa na de Katsuki que se surpreende mais fecha seus olhos assim como a criatura havia feito.

Talvez ali algum tipo de ligação tenha surgid eles não tinham certeza disso mas eles tinham certeza de que nunca mais iriam se separar eles tinham certeza que dali uma amizade havia nascido.

-qual seu nome?-Katsuki pergunta ao se afastar para olhar o animal nos olhos.

O mesmo apenas vira a cabeça de lado como um cachorrinho que tenta entender 

-eu sou Katsuki Bakugou-Katsuki diz apontando para si próprio.

O animal finalmente pareceu ter entendido pois ele abanava a cauda com alegria 

-sua vez-Katsuki diz apontando para a criatura-qual seu nome?

O animal se levanta e pega um galho...ou melhor,um tronco e começa a escrever no chão e assim que termina ele joga o tronco para o lado e se senta sorrindo enquanto balançava a cauda 

-Kirishima Eijiro-Katsuki fala e olha para o animal que afirma com a cabeça-eu tenho treze anos-Katsuki fala olhando para o animal que vira a cabeça mais uma vez-quantos anos você tem Eijiro?-Katsuki pergunta eo animal se levanta e sorri ao ouvir seu próprio nome sendo dito por alguém.

Eijiro então mais uma vez pega o tronco e escreve no chão e logo se senta com um sorriso e o tronco na boca 

-legal você tem a minha idade-Katsuki diz ao ler o que Eijiro havia escrito-quer caminhar um pouco?-Assim que Katsuki pergunta Eijiro se levanta largando o tronco no chão-vou tomar como um sim-Katsuki diz andando e sendo acompanhado por Eijiro 

(...)

Eijiro e Katsuki haviam andado até um pico que dava para ver toda a cidade então ambos se sentaram e ficaram vendo a cidade e as pessoas,a luz da lua era a única iluminação que Katsuki e Eijiro tinham e ra o que os deixavam impossível de serem vistos da cidade.

-eu moro lá-Katsuki aponta para cidade e Eijiro olha para a cidade cheia de luzes com curiosidade e ao mesmo tempo puro desejo de poder ir até lá-quer diz-Katsuki diz e Eijiro o olha-eu não tenho casa eu vivo por ai sozinho sem nenhuma moradia fixa

Eijiro olhava Katsuki e pensava em como ambos tinham tanto em comum,Eijiro também não tinha uma casa e nem uma família ele vivia sozinho assim como o loiro.

-ei Eijiro-Katsuki o chama e Eijiro se vira o olhando nos olhos-sabe eu não tenho ninguém e pelo que to vendo você também tá sozinho-ele diz olhando para os lados e logo voltando a encarar Eijiro-então que tal se ficarmos juntos 

Assim que Katsuki diz isso Eijiro concordo com a cabeça enquanto balançava a calda com um sorriso.

-então faremos uma promessa-Katsuki diz olhando para a lua e Eijiro senta ao seu lado o olhando-nunca mais estaremos sozinhos pois sempre estaremos juntos não importa a distância e não importa quem tente nos separar vamos estar juntos até na morte-Katsuki fala ainda com seu olhar sobre a lua.

Eijiro então chega mais perto de Katsuki e se deita com a cabeça em seu colo ainda olhando para o mesmo que mantinha seu olhar fixo na lua,Eijiro então olha para a lua e quase como mágica uma marca aparece no ombro dos dois e rapidamente Eijiro olha para Katsuki que agora tinha seu olhar focado na criatura 

-agora está feito-Katsuki diz sorrindo-essa marca e a prova de que somos Unidos por um laço muito maior do que o laço de sangue essa marca e um laço de união que nem mesmo a morte rompe-ele diz olhando para lua-ou pelo menos foi o que minha mãe disse-Katsuki diz com um olhar triste.

Eijiro então lambe o rosto do loiro para tentar anima-lo,e consegue Katsuki ri e cola sua testa com a de Eijiro que assim como ele fecha os olhos.

-eu vou ter que voltar amanhã para resolver umas coisas-Eijiro olha para Katsuki com receio-eu vou voltar ao meio dia-Katsuki olha para lua e pareceu pensar-não,eu vou voltar quando o sol estiver naquela posição-ele diz apontando para a lua e Eijiro pareceu entender.

-caso eu não volte-Katsuki olha para Eijiro sério-fuja-Eijiro balança a cabeça negativamente-se eu não voltar e porque eles me pegaram então você deve fugir-Eijiro mesmo que a contra gosto acente concordando.

Katsuki acaricia o animal que se aproxima se aconchegando em seu colo,Katsuki então deita para trás e olha para as estrelas e Eijiro fazia o mesmo.

-amanhã iremos fugir para longe vamos viver e morrer comk lendas Eijiro-Katsuki diz e Eijiro sorri com o pensamento-mas vamos ter que nos manter escondidos até a poeira abaixar-Katsuki diz olhando para Eijiro que o encara com dúvida-não se precupe-ele diz voltando a olhar as estrelas-vamos estar juntos.

Katsuki diz apenas isso e dorme assim como Eijiro que continuava a pensar em como ambos haviam chegado aquele ponto.

Talvez o futuro fosse uma caixinha de surpresas onde uma hora você não tem nada e em outra você ganha tudo,e talvez Eijiro e Katsuki tenham ganhado tudo que precisavam apenas com a presença um do outro.




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...