História As I Was Before You - Katnic - Capítulo 14


Escrita por:

Postado
Categorias As Peças Infernais, Kristen Stewart, Os Artifícios Das Trevas (The Dark Artifices), Os Instrumentos Mortais, Shadowhunters
Personagens Céline Herondale, Imogen Herondale, James "Jem" Carstairs, Jocelyn Fairchild, Jonathan Christopher Morgenstern, Julian Blackthorn, Kristen Stewart, Mark Blackthorn, Personagens Originais, Stephen Herondale, Tessa Gray, Will Herondale
Tags Emeberto, Ficnova, Katnic, Krisnathan, Marry, Shadowhunters
Visualizações 104
Palavras 2.223
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Ficção, Ficção Adolescente, LGBT, Mistério, Musical (Songfic), Romance e Novela, Saga, Shoujo (Romântico), Suspense, Universo Alternativo, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


HELLOUUU ANGELS!!
ENTÃO, TENHO UMA NOTÍCIA RUIM...
INFELIZMENTE NÃO CONSEGUI
TERMINAR DE ESCREVER A
MARATONA COMPLETA.
ENTÃO, VÃO SER TRÊS CAPS HJ
E OS OUTROS TRÊS TENTAREI
POSTAR NO DOMINGO
ESPERO QUE COMPREENDAM ANGELS,
FOI UM MALDITO BLOQUEIO CRIATIVO :(
MAS ESPERO QUE GOSTEM!

Capítulo 14 - You Know I Hate Relationshipp!


Fanfic / Fanfiction As I Was Before You - Katnic - Capítulo 14 - You Know I Hate Relationshipp!

“She tells him: Ooh love

No one’s ever gonna hurt you, love

I’m gonna give you all of my love

Nobody matters like you

(Stay up there, stay up there)” Rockabye –Clean Bandit ft. Sean Paul & Anne-Marie

 

No capítulo anterior…

{Ponto de vista Dominic}

A vida me ensinou uma coisa depois que abri meu coração. O amor não presta, o amor que não é fraternal, maternal, não existe. Nunca mais abrirei meu coração, ele já não é mais como antes. E ela, a vida, me ensinou, da forma mais dura, que AMAR É DESTRUIR, E SER AMADO É SER DESTRUÍDO...

Fiquem agora com o capítulo de hoje...

 

{Ponto de vista Dominic}

Joguei-me na cama e meti o travesseiro no meu rosto. Merda! Porque eu tenho que ser tão... Medroso? Eu sou um covarde mesmo. Tudo bem que eu feri meu coração, e fiquei muito magoado. Eu quase cheguei a me suicidar por isso. Mas a desilusão que passei com a maldita da Sarah não deveria me afetar mais tanto assim. Não mais. Kat é uma pessoa incrível, fofa, carinhosa, gentil, linda... Eu sei que ela nunca seria capaz de fazer o que a Sarah fez comigo. Ela também tem seus demônios interiores, como o que ela passou com o tal do Will.  Ela é uma mulher forte, e eu a admiro muito por isso. E confesso, estou com muita vontade de matar com as minhas próprias mãos o desgraçado que fez isso com ela.

Falando nela, a voz doce e angelical dela ecoou na minha cabeça: Quando chegar em casa, me liga avisando tá bom?

Peguei o celular e disquei o número dela.

{Ligação On}

-Oii, loirinho!

-Oi, pequena!

-Tudo bem?

-Tá sim, só estou ligando como você pediu pra avisar que cheguei.

-Ah, rsrs, certo.

-Você está bem?

-Uhum. Por quê?

-Nada, só perguntando...

-Hmm... E Imogen? Continua rindo pela casa sorridente?

-Na verdade, eu não a vi quando cheguei. Ela deve estar tirando um cochilo rsrs.

-Ah... Tá bom. Até amanhã, loirinho!

-Até, pequena!

{Ligação Off}

Ah Kat, o que você está fazendo comigo?

 

{Ponto de vista Katherine}

Ah Dom, o que você está fazendo comigo...?

Não me sinto assim desde que comecei a namorar o Will. Na verdade, Will é terrível comparado ao Dom, que tem sido tão gentil, tão protetor... Ele tem sido incrível essas últimas semanas. Eu sei que não devia, até porque talvez nunca sejamos mais que bons amigos, mas eu estou apaixonada por ele. Pelo anjo, na verdade, eu acho que o amo...

Segunda-feira, 2 de julho de 2020, na Empresa Style’s, 08:03...

Eu estava checando alguns e-mails da empresa, até que a porta é aberta e sorrio ao ver quem é.

-Oi, pequena! –ele exclamou fechando a porta.

Levantei-me lentamente e encostei na minha mesa, vendo-o vir na minha direção.

-Oi, loirinho! –o abracei quando ele chegou perto o suficiente, deslizando meus dedos sobre seus fios loiros.

-Tudo bem? –ele perguntou retribuindo, com o rosto no meu pescoço e afagando minhas costas.

-Uhum. –sorri mais separando o abraço e deixei um beijinho na ponta do seu nariz. –E você?

-Que bom. –ele deixou um beijo na minha testa. –Estou bem também. Melhor agora.

-Hmm, mesmo? –coloquei meus braços em seu ombro.

-Mesmo. –ele sorriu e me roubou um selinho.

-Ei! –exclamei rindo com falsa cara de indignação. –Seu ladrãozinho!

-Quê?! –ele ri se fingindo de inocente. –Vai dizer que se eu pedisse você deixaria?

-Iria. –digo fazendo bico.

-Então tá. –ele ri. –Posso te dar um beijinho?

-Por que não pensa grande? Detesto palavras no diminutivo. –sorrio acariciando seus cabelos.

-Tá bom, deixa eu pensar. –ele franze o cenho fingindo pensar. –Posso te dar um beijão? Não, esqueça isso. Posso te dar o melhor beijo da sua vida?

-Você pode tentar. –digo convencida.

Ele riu selando nossos lábios num beijo lento e sensual, onde nossas línguas travaram uma batalha épica e sexy. Ele agarrou minha cintura com as mãos e me puxou mais pra perto, deixando nossos corpos totalmente colados. Desci minhas mãos do seu pescoço, indo até seu rosto e fazendo um rápido carinho, e logo descendo para o seu peitoral, onde espalmei minhas mãos e, ao tocar na região torácica, consegui sentir seu coração. Rápido. Pulsava dentro do peito, e parecia disparar ainda mais com nossa proximidade. Ele subiu as mãos pela minha coluna, afagando a mesma, e logo desceu de volta para a cintura, onde segurou com possessão. Eu queria que tivesse sido, mas não foi à falta de ar a nos separar.

-Kat, amiga você não... –ouço a porta se escancarar e ouço a voz de Kristen, separando o beijo no mesmo instante. –Ai meu Deus, me desculpem! Eu não queira...

-Tudo bem, Kris. –sorri sem graça e Dominic me soltou, indo até sua mesa.

-Podemos conversar? Ou está... –eu a interrompo.

-Podemos. Vamos. –apontei para a porta e ela assentiu, logo já estávamos do lado de fora da sala.

-Peguei no flagra! Pelo anjo, você e Dominic...?! –ela exclamou empolgada.

-Fala baixo! –tapei boca dela a levando para o canto. –Não tem nada entre eu e Dominic, não começa com suas paranoias!

-Mas vocês estavam se beijando! –ela disse cruzando os braços. –É claro que tem algo entre vocês! –ela sorriu largamente. –Vocês estão juntos? Namorando?!

-Quê?! Não! –exclamei franzindo o cenho. –Você sabe que eu detesto relacionamentos!

-Por quê? Você ainda não me contou. –ela pediu com os olhos brilhando de curiosidade.

-Isso não é algo pra se falar em ambiente de trabalho. –digo afetada. –Outro dia eu te conto.

-Você não pode simplesmente me dizer uma coisa dessas e querer continuar depois! Eu sofro de ansiedade, sabia?! –ela resmungou indignada.

-Tá, tudo bem, então vamos tomar um café. –digo revirando os olhos. –Vou pegar minha bolsa.

Ela assentiu e entrei de volta na sala, indo na direção da minha mesa.

-Está tudo bem? –Dom perguntou quando peguei minha bolsa.

-Está sim. –sorri forçadamente indo na direção da porta, mas fui impedida quando os braços fortes de Dominic me puxaram pra si.

-Está mesmo? Você parece... Nervosa. –ele afagou meus braços.

-Está tudo bem Dom, sério. –eu lhe dei um selinho e saí de seus braços, saindo pela porta e indo pra onde Kristen está. –Vamos.

Eu e Kristen pegamos o elevador e descemos até a recepção, logo indo até a área da cafeteria. Pegamos uma mesa e fizemos nossos pedidos, eu um café extraforte com chantilly e ela um cappuccino.

-Comece a contar enquanto os pedidos não chegam. –ela pediu cruzando os braços sobre a mesa.

-Melhor esperar pelos pedidos, vou precisar de cafeína enquanto estiver contando isso. –digo mordendo o lábio inferior, já me preparando emocionalmente.

-Ah, meu Deus... –ela ri aflita.

Depois de alguns poucos minutos, nossos pedidos chegam e, após eu dar o meu primeiro gole, começo a contar...

Contei tudo, do início ao fim, e sempre que eu começava a chorar, ela segurava minhas mãos fortemente e eu dava um gole no meu café. Depois de contar tudo, de ter enxugado as lágrimas e me acalmado, ela disse.

-Amiga, eu sinto muito! –ela sentou do meu lado e me abraçou forte. –Eu estou com tanta raiva desse desgraçado!

-Você conhece ele? –perguntei  surpresa.

-Sim! –ela massageou as têmporas. –Quando eu fui na sua sala, foi pra te falar dele. Estamos saindo desde a noite do dia em que você foi pra Londres com o Sr. Herondale.

-Pelo anjo! –exclamei horrorizada. –Você tem certeza de que é o mesmo Will? Will Tudor?

-Ele mesmo! –ela disse irritada. –Aquele... Filho da laela. Aposto que só está se aproximando de mim pra chegar em você!

-Kris, termina tudo o que você tem com ele, o mais rápido possível! –digo nervosa. –Ele é perigoso, e não quero que você se machuque.

-Tudo bem, eu vou sim. –ela sorri fraco. –Vamos voltar?

-Uhum. –sorri chamando o garçom.

Pedimos a conta e dividimos. Depois de pagar, voltamos para dentro da empresa, onde ela ficou na recepção e peguei o elevador, voltando pra minha sala.

-Sim. É, isso mesmo. Não, não! Isso, o endereço você já sabe. Tudo bem, estou aguardando. –ouvi Dominic falar ao telefone. Ele sorri ao me ver e logo desliga. –Oi, ruivinha.

-Oi... –sorri fraco sentando na minha mesa.

Ele arqueou uma sobrancelha me olhando.

-Que carinha é essa? –ele perguntou se aproximando.

-Não foi nada, tá tudo bem. –sorri fraco colocando minha bolsa na mesa.

-Ei. –ele me virou e percebi seu olhar preocupado.  Ele tocou meu rosto com as mãos e fez carinho nas maças das minhas bochechas. –Me conta o que aconteceu.

-Nada de mais loirinho, foi só que... –engoli a seco e ele assentiu pra que eu continuasse. –Eu contei pra Kristen sobre o Will.

-Ah, pequena... –ele me abraçou e já comecei a sentir lágrimas queimando atrás dos olhos. Retribui afogando meu rosto em seu peitoral e me permiti deixar rolar algumas lágrimas.

-É tão difícil falar sobre isso, Dom... –eu disse fungando.

-Eu entendo, também é difícil falar sobre a Sarah, mas alivia um peso de certa forma. –ele disse afagando minhas costas.

Ficamos alguns segundos assim, abraçados fortemente, até que começo a ouvir ele cantar, na verdade, cantarolar. Era uma melodia doce, e familiar...

 

We found each other

I helped you out of a broken place

You gave me comfort

But falling for you was my mistake

 

I put you on top, I put you on top

I claimed you so proud and openly

And when times were rough, when times were rough

I made sure I held you close to me

 

So call out my name (call out my name)

Call out my name when I kiss you so gently

I want you to stay (I want you to stay)

I want you to stay even though you don’t want me

 

Girl, why can’t you wait? (Why can’t you wait, baby?)

Girl, why can’t you wait ‘til I fall out of love?

Won’t you call out my name? (Call out my name)

Girl, call out my name, and I’ll be on my way and I’ll be on my

 

I said I didn’t feel nothing,  baby, but I lied

I almost cut a piece of myself for your life

Guess I was just another pit stop

‘Til you made up your mind, you just wasted my time

 

You’re on top, I put you on top

I claimed you so proud and openly, babe

And when times were rough, when times were rough

I made sure I held you close to me

 

So call out my name (call out my name, baby)

So call out my name when I kiss you so gently

I want you to stay (I want you to stay)

I want you to stay even though you don’t want me

 

Girl, why can’t you wait? (Girl, why can’t you wait ‘til i)

Girl, why can’t you wait ‘til I fall out of love?

Babe, call out my name (say you’ll call out my name, baby)

Just call out my name and I’ll be on my way

Girl, I’ll be on my

 

On my way, on my way

On my way, on my way, ooh

On my way, on my way, on my way

On my way, on my way, on my way

(On my)

Senti meus olhos pesarem, mas me forcei a ficar de pé.

 

{Ponto de vista Dominic}

Percebi que ela ficou um pouco mole e sonolenta, parece que foi uma canção de ninar para um bebê. Deixei um beijo no alto de sua cabeça e coloquei ela no sofá no canto da sala. Alguns minutos depois, alguém bate na porta, e quando eu abro, é o entregador. Paguei a entrega e peguei a pizza, colocando em cima da minha mesa e abri, pegando uma fatia.

Alguns minutos depois, 09:12...

-Dom? –ouço Kat chamar, virei a cadeira e a olhei, sorrindo ao ver seu rostinho amassado. –Eu dormi?

-Uhum. –mordi um pedaço da fatia da pizza e ri.

-E você deixou?! –ela parecia quase brava.

-Deixei. Por quê? –perguntei depois de engolir.

-Pelo anjo, eu devia estar trabalhando! –ela levantou e rumou até mim, sentando na minha mesa de frente pra mim. –Por que cantou aquela música?

-Sei lá, deu vontade. –dou de ombros mordendo um pedaço e abro a caixa. –Pode pegar uma fatia.

Ela olha pra dentro e pega uma fatia, logo dando uma mordida.

-Não teve nenhum sentido, ou... Significado? –ela perguntou mastigando.

-Você acha que teve? –arqueei uma sobrancelha e sorri travesso.

-Não sei. –ela franziu o cenho dando outra mordida.

-Então fica a seu critério pensar se teve ou não. –dou a última mordida e lambo meus dedos.

-Certo. –ela sorri e dá outra mordida. –Hoje à noite você tá ocupado?

-Não que eu me lembre, por quê? –pergunto a olhando.

-Estou com muita vontade de ir numa balada. Pra descontrair, sabe? –ela dá uma risadinha gostosa. –Topa?

-Claro. Vamos só nós dois ou chamamos mais gente? –pergunto cruzando os braços.

-Podemos chamar o Matt, a Eme, o Harry... Ah, e também a Kristen. –ela sorriu empolgada e deu outra mordida.

-Combinado. Quer que eu te busque ou nos encontramos lá? –alisei suas coxas.

-Que cavalheiro! –ela riu. –Aceito a carona.

-Então eu passo lá as... 19:00? –perguntei.

-Pode ser. –ela sorriu e deu outra mordida.

À noite, 18:58...

 

Continua....


Notas Finais


ESPERO QUE TENHAM GOSTADO, AMORES!
ATÉ O PRÓXIMO! 1-3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...