1. Spirit Fanfics >
  2. As lendas são reais >
  3. Isso só pode ser brincadeira

História As lendas são reais - Capítulo 22


Escrita por:


Capítulo 22 - Isso só pode ser brincadeira


Fanfic / Fanfiction As lendas são reais - Capítulo 22 - Isso só pode ser brincadeira

As vezes o silêncio nos revela muito mais do que o barulho, aquele silêncio que por meio dele já adquirimos nossas respostas, é mundo as vezes o seu silêncio de indiferença com a gente nos abala.
Estou parada de frente a uma imensa cabana no meio da floresta, sinto que agora sim a lua está chateada, ela nunca me chamou para conversa que não fosse entre a água e a sua imensa luz, mas não encontro justificativa para ter desmaiado.
__ Isso é simples, você estava de resguardo e a Rose te assustou por isso o desmaio __ Minha mãe biológica me falou  abrindo a porta da cabana para que eu pudesse entrar na mesma.
__ Então a senhora sabe sobre meus bebês? __ Eu perguntei retirando meu sapato para pisar no piso de cerâmica branca o que é estranho por ser uma cabana.
__ Eu acompanhei toda a sua trajetória meu amor, desde seus primeiros babulhos até seu desmaio, eu nunca estive distante, nunca longe __ Ela falou pegando um bule de chá e colocando no fogão par a poder esquentar.
__ A senhora acha errado o que eu estou vivendo? Tipo, se a senhora sabe tudo então sabe que eu durmo com dois homens que geralmente manipulou um pouco os dois __ Eu falei me sentando em uma das cadeiras, ela coloca biscoitos em minha frente.
__ Eu olho para você e me vejo, você é exatamente como eu era, quero dizer como eu era antes da Bella aparecer, eu tinha essa sua verdade, respeito pelas pessoas e essa verdade como lema, você tem sorte de ter conhecido Edward e se completar, eu não tivesse essa chance __ Minha mãe falou tocando minha bochecha com carinho, eu sinto seu beijo em minha testa.
__ Eu sempre soube que sou idêntica à senhora, acho que é por isso que muitos me detestam __ Eu falei segurando um dos biscoitos, minha mãe sorriu de lado para minha afirmação.
__ Eu nunca me incomodei com o que os outros dizem, sempre fui muito sincera e não ligava para mais nada, diferente de Bella que sempre escondeu sua verdadeira personalidade atrás de uma compreensão inexistente __ Ela falou tirando a chaleira do fogo para nos serviu um pouco de chá.
__ Como assim? __ Eu perguntei me arrumando na cadeira para poder olhar em seus olhos, olhos que são idênticos aos meus.
Ela pegou duas xícaras para colocar nosso chá, me servindo de uma boa contia para nossa conversa proceguir.
__ Bella nunca te quis de verdade, Paul sempre foi completamente cego com relação a isso, mas eu sempre estava lá, te tratar bem não significa te amar, eu posso tratar Bella bem se amar a mesma __ Ela falou pegando um biscoito, é assustado como eu sou idêntica à ela.
Agora temos a mesma aparência, mais ou mesma idade física e o temperamento idêntico.
__ Está me dizendo que Bella não me ama? __ Eu perguntei espantada com sua afirmação com tanta segurança.
__ Você amaria o filho que Fred iria ter com Sarah, seja sincera Sofia, amaria? __ Minha mãe me perguntou com a voz firme.
Eu fecho meus olhos sabendo da verdade selada no fundo da minha alma, não eu não amaria como eu amo meus filhos, mas cuidaria para que o bebê não ficasse com Sarah. Porra será que é isso que Bella queria dizer naquele dia antes da minha vergonha ser tão grande a ponto de me fazer correr.
__ Mas não acha que isso é diferente, tipo a senhora morreu e eu fui criada por ela como um filha, ela sempre me teve ao seu lado, como mãe e filha __ Eu falei me arrumando para levar minha xícara ao meus lábios __ Eu seria somente a madrasta afinal o bebê ficaria com Sarah.
__ Minha querida, você não respondeu a minha pergunta você amaria? Amaria o filho da outra como seu filho? __ Minha mãe falou com um sorrisinho de lado meio triste e solene.
Eu sempre soube que se caso eles não ficassem comigo eu iria ser criada pelos meus avós, Bella ficou comigo somente para manter meu pai longe da minha mãe ou as lembrança delas? Não Sofia, você está surtando atoa.
__ Eu não o amaria, não como se fosse meu verdadeiro filho __ Eu falei colocando a mão em minha boca segundos depois.
Eu disse isso mesmo? Quer dizer, eu amaria por ser filho de Fred o homem que eu amo, mas somente isso, se ele se parecesse com a mãe? Deus e se o bebê fosse a cara da mãe?
__ Não se recriminar por dizer a verdade é o primeiro passo para se conhecer querida, se conhecer __ Minha pegou minha mão sobre a mesma e apertou com carinho __ Bella não tem culpa por não te amar como ama seus próprios filhos, você é a cópia mais fiel que eu tenho de mim mesma, o amor que Paul devota somente para você machuca um pouco Bella.
__ Eu sei disso ela me falou, apesar de ouvir agora isso da minha mãe eu já sabia, afinal ela mesma me disse isso naquela discussão.
__ Isso é muito mais do que cruel sabia, você morreu me deixou sozinha, o que queria que acontecesse? __ Eu questiono olhando para ela seriamente, minha mãe abaixou a cabeça um pouco triste.
__ Eu não te deixei porque desejei, foi consequência de uma penitência da Lua, ela acho que estava certa ao deixar você sem mim, mas ela achou então eu não pude fazer nada para impedir __ Minha mãe falou com a voz tranquila banhada em calmaria como se não estivesse mentindo.
__ Você poderia ter mudado, tentado suportar Bella e seguir com sua vida, eu teria feito isso por um dos meus filhos __ Eu avisei apontando o dedo para ela que me olhou indignada como se eu tivesse batido nela.
__ Vamos Sofia, não seja mimada como seu pai te fez, Bella não gostaria disso __ Ela falou em um tom debochado, eu aperto minha mão no balcão da mesa.
Eu fecho meus olhos novamente, eu sei que ser chamada de princesa, ter minhas vontades atendidas a todo momento incomodava Bella, eu era a mais querida das meninas, Charlotte e Lúcia sempre disse isso e eu sempre ignorei, mas a verdade está selada no fundo de um baú, eu sempre fui a filha perfeita do meu pai, a mais bonita, mais alegre, mais inteligente. Isso não era agradável na minha infância, afinal minhas irmãs implicaram comigo como no caso da Lúcia, mas quando Lotte cresceu ela queria ser igual a mim, eu me senti honrada e ensinei a ela tudo, se maquiar, se pentear e comporta, combinar looks e desfilar com sua beleza, eu a transformei em uma mulher forte e emponderada.
__ A senhora poderia ter ficado comigo, ter desistido de perseguir Bella __ Eu gritei apontando o dedo para ela que está sentada a minha frente.
__ Eu não poderia meu amor, jamais trai minha própria essência por nada na minha vida, fingir suportar Bella seria somente isso fingir, eu detestei cada segundo da minha vida aquela mulher, irei detestar pelo resto de minha imortalidade, a morte não me fez Santa querida __ Minha mãe começou a falar com um tom alterado e depois diminui o tom.
__ Eu não acredito que você fez isso comigo, tipo você me deixou porque não podia voltar atrás de algo, eu já voltei atrás de tantas __ Eu falei tocando minha testa com com força para fazer uma pressão no local.
__ Não acreditar não torna mais fácil, eu tive uma morte trágica de fato, mas não foi uma opção negar meus sentimentos e meus ideias __ Ela falou abraçando seu próprio corpo, ela tinha um sorriso doce.
__ Do que adianta ter tido uma morte trágica se sempre será lembrada por ser uma péssima pessoa? __ Eu questiono parando de frente a seu corpo.
__ Isso é imortalidade minha querida, eu sou imortal na memória de cada um deles __ Ela falou pegando um biscoito de cima de um prato e levou a boca.
__ Há tantas coisas por vir, e as pessoas preferem se prender a algo que nunca existiu __ Eu falei me jogando em uma poltrona do lado de seu corpo, ela negou com a cabeça.
__ Acho que a única razão de sermos tão apegados em memórias, é que elas não mudam, mesmo que as pessoas tenham mudado __ Ela falou colocando a mão em meu ombro com carinho, eu olhei para mesma __ Você é apegada aquela minha imagem que sempre colocaram para você, suas lembranças minhas seram eternamente boas, não importe o que falem de mim.
__ Você está fugindo porque é mais fácil ir embora do que lutar pelo que você realmente quer __ Eu falei para ela me referindo a sua eterna fuga da nossa conversa.
__ As pessoas querem te ver bem, mas nunca melhor do que elas, seu pai foi uma dessas pessoas, dizia quer me ver bem, mas todas as vezes que eu tentava ele vinha e estragava tudo __ Minha mãe falou se sentando no chão ao meu lado, eu fechei meus olhos.
__ Eu não entendo porque isso está acontece sabe, eu estou aqui falando com a senhora discutindo sobre o passado que não pode ser mudado sendo que tem um futuro macabro pela frente me esperando, não sei se sairei dessa viva e não entendo por que Maria está fazendo isso, nos deixando relaxar? __ Eu me encolho contra a cama suspirando com força.
__ O gato brinca com o rato horas antes de comê-lo, quando o rato morre a diversão acaba __ Ela falou sorrindo de lado, eu fechei meus olhos para sua afirmação sabendo da verdade por trás dela.
__ Isso é ridículo, ela deveria saber que vamos matar ela __ Eu falei me erguendo da poltrona indo em direção a cadeira, mas minha mãe me segurou com força, eu me viro para mesma.
__ Você tem que voltar, sua amiga Flora precisa imediatamente de você __ Minha mãe falou beijando minha testa com todo carinho, eu segurei sua mão abraçando ela com força.
__ Eu amo muito você, muito mais do que achei ser possível __ Eu falei abraçada a minha mãe que carinhosamente tocou minhas costas.
__ Durante os últimos meses da minha vida, sentir você foi o que me impediu de ser como Victoria __ Ela falou beijando meu rosto com carinho, eu fiquei abraçada um segundo antes dela segurar minha mão indo em direção a porta __ Não importa o que aquelas pessoas lá embaixo diga para você, Sofia você é o amor da minha vida.
Ela me colocou para fora da casa antes de fechar a porta, não fiquei mais do que 5 segundos encarando a porta antes de ser puxada para casa novamente, sinto algo macio tocar minha pele, toques suaves e delicados.
Eu abro meus olhos encarando o rosto de Carlisle que está sobre meu corpo com um algodão que parece banhado em álcool pelo cheio bem junto ao meu nariz, tentativa tola de me acordar. Eu mexo meu corpo para o lado tocando minha cabeça que parece estar preste a explodir de tanta dor.
__ Urg, Rose maldita __ Eu resmungo me virando para o lado, Edward tocou minha mão com a sua gelada.
__ O que você disse sobre Rose? __ Ele questionou com a voz suave.
__ Ela entrou gritando, eu estou de resguardo ainda a dois atrás eu estava em trabalho de parto e ela vem r grita me assustando, eu desmaiei por culpa dela __ Eu falei tocando minha cabeça, foi então que eu notei que estávamos somente não três no quarto de adultos.
__ Cadê Flora? __ Perguntei me erguendo da cama, ele me olhou com olhar perdido.
__ Foi até seu quarto, por que a pergunta? __ Edward falou me ajudando a me erguer da cama.
Eu estou preocupada com ela não sei porque, mas eu estou sentindo que algo ruim está para acontecer com ela.
__ Eu preciso ver ela, quanto tempo eu estou desmaiada? __ Perguntei me movendo pela sala do quarto até chegar na porta.
__ Quase quatro horas, temos sorte de você ter tirado bastante leite ontem, pudemos dar de mamar para nossos filhos __ Edward começou a falar enquanto eu passo pelas portas no corredor.
__ Onde está Trevor e Rose? __ Perguntei indo para frente para pegar alguma coisa eu sei que estou na beira de deixar ambos surtados, mas nada justifica minha incrível capacidade de saber que alguém está mal.
__ Eles foram buscar Hope no hospital, a Victoria já está sendo preparada para seu velório __ Fred comentou quando eu acansei a maçaneta do quarto de Flora virando a mesma.
Eu entro correndo pelo sala do quarto até chegar na porta do banheiro, onde tem uma imensa banheira cheia com um vulto no fundo da mesma, eu caminho lentamente até a porta sentindo meus pulmões não respirando, quando por fim chego na porta do banheiro um grito escapa por meus lábios e minhas mãos correm para puxar o corpo de Flora, eu toco seu pulso para logo em seguida sentir meu mundo desabar, ela está morta.
__ Carlisle? __ Eu entrei em pânico chamando meu teoricamente avó.
__ Charlie chamou Carlisle, parece que nosso avô bateu o carro e acabou se machucando um pouco, Carlisle saiu como um doido __ Fred comentou vindo em minha direção __ Foda-se o que tá acontecendo aqui?
__ Eu acho que ela está morta!

Narrado por Flora

Vazio, seria com certeza a palavra que me definiria nesse momento, um vazio de corpo e de alma, nunca me senti tão vazia por dentro de minha vida inteira.
Todos que me cercam tentam me entender, compreender e se colocarem em meu lugar para me aconselhar, mas ninguém sofreu como eu estou sofrendo, nem mesmo Emily, os bebês que Emily perdeu foi por causa de seu corpo, de não desenvolverem corretamente, mas o meu bebê era diferente, ele estava bem, tínhamos muitas coisas para viver juntos e então ele foi brutalmente assassinado.
Rose acha que eu estou exagerando, que era um feto e que provalvemte nem deve ter sofrido para morrer, Trevor compartilha dos pensamentos de Rose sempre me falando que isso foi uma fatalidade e que em breve teremos mais filhos.
Mas eu não quero outro filho, eu queria o meu filho que ela me arrancou antes mesmo de poder segurar ele, sentir seus chutes, ninguém entende que eu não perdi meu filho, me tiraram ele de uma forma brutal.
Eu tento todos os dias da minha vida levantar da minha cama e ficar bem, acordo já com um mantra em minha cabeça que o dia de hoje será melhor do que foi ontem, mas nunca acontece é sempre pior é massacrante.
Deus como minha cabeça martela somente de pensar em como minha vida deu um revira volta em poucos segundos de distração, eu estava feliz, tinha acabado de descobrir que iria ser mãe, uma coisa que durante alguns meses relutei em desejar e praticar, mas então Sofia disse que o fato de Trevor ter sua filha com a vadia não iria atrapalhar nada. No fim minha amiga se mostrou estar equivocada, ela passou com a merda do carro por cima de uma calçada e me matou, não em um sentindo real, mas sinto que naquele momento eu meio que morri.
Nunca fui a mais amada dos filhos, a mais bonita da matilha ou a mais inteligente da tribo, todas essas caracteriza já estavam preenchidas de alguma forma, Miguel sempre foi o mais preferido dos filhos, inteligente e esperto sabia exatamente o que fazer o que deixa meus pais orgulhosos, a mais bonita sempre foi a Sarah, como competir com uma quase perfeição, a mais inteligente sempre foi Sofia que se demonstrou ao longo dos meses muito carinhosa e maternal. Então o que me sobrava era lutar pelo amor de Trevor que demorou para chegar mais foi meu por um curto prazo até uma versão mais loura e sexy que eu chegar, Rose, mas uma vez me sentir a preterida dentro de algo. Quando engravidei pensei que seria diferente, que finamente alguém me amaria acima de tudo e de todos, que eu seria a pessoa mais amada pelo meu filho e eu o amaria infinitamente, mas tudo que me restou foi uma lápide em nosso cemitério colocando como se ele tivesse sido nada, mas foi.
Agora estou aqui do lado de uma janela olhando Trevor arrumar o carro para poder buscar sua filha que nasceu, hoje ela poderá vir com o pai para casa, ou seja, para essa casa. Eu tento com todas as forças não pensar no bebê como algo que representa ela, mas eu não consigo, me sinto sufocada cada vez que penso que aquele bebê que está chegando é filha daquela mulher que desgraçou a minha vida.
Limpo uma lágrima que desce pelo meu rosto, sinto um grande aperto no meu peito, me ergo da minha cadeira indo em direção ao meu banho, Rose tinha preparado para mim antes de se arrumar, hoje estou especialmente desanimada e regressando muito no meu processo de reabilitação da vida, Carlisle achou que seria melhor enfrentar minha depressão com um especialista que começou a me reabilitar para pequenas coisas da vida.
Eu retiro minha roupa de frente ao espelho onde posso ver algumas cicatrizes do acidente marcando minha pele, desço minha mão para tocar ela, esse ato me trás lembranças não muito agradável.
Eu limpei mais uma lágrima antes de sentar na banheira de água quente que estava a minha espera, dentro da água eu me deixei ficar, coloco minha cabeça na borda da banheira e fecho meus olhos sentindo uma solidão de massacra meu peito.
Com o nascer de Hope trouxe novamente o sentimento de perda, ver a felicidade de Trevor a alegria de Rose a me falar sobre a menina me despedaçou, eu não me sinto mais querida por eles, a única coisa que realmente me fazia útil nessa relação não tenho mais, agora eles tem um filho que para me incluir nisso batizaram da forma que eu desejei, mas o bebê será Hope Hale Cameron, ou seja, batizada como filha de Rosalie Hale e Trevor Cameron.
Eles nem chegaram a me perguntar somente decidiram assim, que na certidão de nascimento da filha deles teriam que ter o nome de alguém bondosa e que amasse a menina, não uma falecida como tinha a de Sofia.
Eu mais um vez fui jogada de lado como se não tivesse valor algum, eles estaram melhor sem mim com toda certeza, Fred e Edward provocaram esse pensamento em minha mente afinal estavam lá festando, dançando, bebendo e se casando enquanto Sofia estava aqui sofrendo em trabalho de parto. Seres sobrenaturais estão pouco somando com os seus humanos.
Sinto meu corpo escorregar para dentro da banheira mergulhando minha cabeça na mesma, mas a dor que isso provocou em meus pulmões parecia ser mais forte e afastar a dor na minha alma, isso parceria de certa forma me deixar mais calma, uma dor física em troca da dor da alma. Me deixei ficar mergulhada dentro da água sentindo a dor e o desespero por ar sumirem, meu cérebro começou a apagar e pela primeira vez me sinto tranquila, durante mais de dois meses me sinto verdadeiramente em paz.
__ Flora? Flora você está me ouvindo? Flora pelo amor de Deus volte a respirar __ Ouço a voz de Fred no meio da névoa dos meus sentimentos, sinto uma coisa apertando meu peito.
Meu corpo parece estar em alguma coisa dura e seca com uma espécie de tecido cobrindo meu corpo, uma mão pressiona meu peito e lábios se encostam no meu para forçar ar para meus pulmões que estão reclamando.
__ Fred, faça alguma coisa ela não está voltando __ A voz desesperada de Sofia berrou ao meu lado, ela parecia em pânico.
__ Eu estou tentando, liga para Carlisle, peça para ele correr para cá __ Fred gritou enquanto tenta reanimar meu corpo, foi somente então que eu pude ver meu corpo, pude ver a cena como se estivesse realmente morta.
Meu corpo está no chão em uma posição não muito confortável, uma toalha está cobrindo meu corpo, mas não existe dor e eu me sinto bem. Meus cabelos ainda úmidos, minha pele parece enrugada da água e meus lábios roxos, parecia que eu estava com muito frio, muiro frio mesmo. Sofia estava do outro lado do cômodo ligando para Carlisle, ela tem um desespero na voz que me fez perceber que eu estou fora do meu corpo.
Eu olhei para meus braços tentando controlar meu choro, porra eu estou morta, morta, acabou, acabou tudo, acabou sofrimento, solidão, o vazio que eu sentia, mas também acabou os beijos de Trevor e Rose, os abraços acolhedores de Rose e as pegadas intensas de Trevor, as mãos bobas do mesmo e os dedos maravilhosos de Rose. Tudo acabou.
Foi então que pela porta do quarto Rose entrou com um pacotinho cor de rosa em seus braços com um sorriso brilhante que logo morreu ao ver meu corpo. Trevor vinha logo atrás dela com algumas maletas de Hope. Suas mãos automáticamente derrubou tudo que estava segurando.
__ Flora volte, Flora você está me escutando? __ Fred está de costas para Trevor por isso não estava vendo e continuava a falar comigo.
__ Amor? __ Trevor me chamou com a voz um pouco apagada, seus passos começou em um lentidão horrível até meu corpo.
__ Ela está morta, não conseguimos trazer ela de volta, ela entrou no banho, viemos com Sofia que estava desesperada para encontrar com Flora, com certeza ela estava sentindo alguma coisa, mas quando chegamos aqui ela estava na banheira seu coração não estava batendo, ela não respira __ Edward fala encostando os lábios nos meus forçando ar para dentro dos mesmo.
Então é isso? Eu morri para não voltar? Por isso a dor sumiu e eu me sinto bem?
Não ouço ou vejo mais nada depois que Edward trocou de posição com Fred apertando meu peito, somente vejo um enorme clarão a minha volta, sinto uma tranquilidade envolver minha alma, eu aceno em despedida para todos, talvez eu nunca mais os veja. Realmente acho que é a última vez que eu olho para as pessoas que eu mais amei em toda a minha vida, Trevor que sempre foi como uma brisa em um dia de calor, sempre protetor e calmo, Rose sempre agressiva e muito protetora, ela tinha uma vida perfeita como humana, ela viveu bem, mas enquanto a mim, que nunca fui perfeita e minha vida passou anos luz disso.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...