História As Long As You Love Me Criminal - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias Justin Bieber
Personagens Justin Bieber
Visualizações 16
Palavras 1.077
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Festa, Ficção, Romance e Novela, Terror e Horror, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 2 - Plan in action pt.1


Fanfic / Fanfiction As Long As You Love Me Criminal - Capítulo 2 - Plan in action pt.1

Scarlet.

Miami.

19:47.


— Filha !. — Senti o abraço caloroso da minha mãe e ri.

— Que saudade. — Falei retribuindo o abraço e logo foi a vez do meu pai. 

— Como foi lá ? Se divertiu em Porto Rico ?. — Perguntou me abraçando.

— Muito. — Falei sorrindo. — Sem dúvida o melhor verão da minha vida.

— Deixa eu te ajudar. — Meu pai pegou minhas malas e nós fomos para fora do aeroporto, ele colocou as malas no porta-malas e nós entramos no carro.

— O que pretende fazer aqui filha ?. — Minha mãe perguntou e eu respirei fundo.

— Faculdade mas ainda não sei qual. — Falei.

— O que acha de ser modelo ?. — Meu pai perguntou me olhando pelo retrovisor.

— Não sei, acho que seria bom mas eu penso na faculdade e depois em fazer minha própria grife. — Falei fazendo um coque em meus cabelos longos.

— Sabe como sou influente nesse mundo então, o que quiser é só pedir. — Falou e eu ri.

Meu pai é Carter Baizen, muito conhecido por ter várias empresas famosas em vários ramos, grifes, carros, entre outros aqui em Miami.

— Chegamos. — apertou o botão no teto do carro abrindo o portão e logo o fechando depois de entrar com o carro.

— Saudades de casa. — Falei descendo do carro. — Será que Lily está em casa ?. — Me perguntei e ouvi minha mãe responder.

— Tá sim, disseram que quando chegasse era pra você ir lá. — Falou.

Lily Johnson é minha melhor amiga que sempre esteve comigo quando precisei desde a infância.

— Estou indo. — Corri até o portão apertando o botão que o abria e corro até a casa da frente e apertei a campainha que logo foi aberta por Lily que me abraçou com força.

— AHHHHHH ! QUE SAUDADE. — Gritou e eu ri retribuindo o abraço.

— Eu também estava com saudades mas não me deixa surda. — Falo soltando ela.

— Então, nós vamos sair hoje ?. — Lily perguntou.

— Claro, vamos na Clark's mas eu tenho que me arrumar. — Falei.

— Então corre lá que eu vou me arrumar, nós encontramos aqui na frente em uma hora.

— Tá bom. — Corri pra casa e entrei indo para o meu quarto, quando entrei tirei minha roupa correndo para o banheiro, liguei o chuveiro e sai uns dez minutos depois.

Fui até meu closet e coloquei um sutiã sem alças preto, o par do sutiã que era um calcinha de renda preta e peguei minha roupa, um vestido de alças finas cor de vinho que ia um pouco a cima do meu joelho, coloquei meu salto preto que era de amarrar e fui arrumar meu cabelo, alisei ele mais um pouco com a escova que é igual chapinha e quando terminei reparti no meio e passei perfume, um batom nude e estava pronta.

Sai do meu quarto descendo as escadas e encontrei meus pais na sala.

— Eu vou sair com a Lily, tudo bem ?. — Perguntei.

— Nosso bebê cresceu. — Minha mãe falou com voz de choro me olhando de cima a baixo e eu ri.

— Isso é um sim filha, tome cuidado e pega. — Meu pai falou e jogou pra mim minha jaqueta que estava no sofá, antes de ir eu dei um abraço neles. — Vou pedir pra um dos seguranças ficar de olho no portão pra quando você chegar. —

— Tudo bem, não volto muito tarde e estou levando o celular, tchau. — Sai batendo a porta e fui até o portão, abri e sai vendo Lily lá na frente. — Vamos ?. — Perguntei.

— Já chamei o táxi. — Lily falou.

Sempre que saiamos nunca dirigiamos por que a gente sabia que ia beber até praticamente cair e ninguém queria morrer.

O táxi chegou e nós entramos, demos o endereço e logo chegamos, descemos e o lugar estava lotado, cconseguimos passar pela fila e entrar, nossos pais são amigos e sócios o que facilita nossa entrada em vários lugares.


want you forever even when we are not together, scars on my body. 


Tocava Bad Things da Camila Cabello Ft o Machine Gun e era uma música incrível, fomos até o bar e pedimos duas tequilas.

— Tá cheio aqui. — Lily falou ao redor olhando uns garotos que dançavam.

— Você não presta. — Falei rindo enquanto virava minha tequila que tinha acabado de chegar e logo outra dose.

— Vamos dançar por favor. — Lily me puxou para a pista e nós começamos a dançar.

Começou a tocar Everyday da Ariana Grande e a tequila começou a fazer um pouco de efeito.

— Him give me the good shit. — Cantarolei junto com da música enquanto dançava com Lily.

— Lá lá lá lá. — Essa era a única parte que Ana sabia cantar e eu ri. — Scar, tem alguém te encarando. — Falou sorrindo apontando com a cabeça para trás e eu olhei vendo um garoto com um topete maravilhoso e ele usava uma camisa branca de mangas compridas, uma calça jeans preta e supras brancos.

Sorri pra ele e vi ele retribuir mordendo os lábios.

— Deixa ele olhar um pouco. — Falei enquanto dançava novamente.

— Vai pegar ?. — Perguntou.

— Depende, se ele vim falar comigo e souber dançar quem sabe. — Falei mordendo meu lábio inferior enquanto sorria.


Justin.

21:04.


— Tem certeza que é aqui ?. — Perguntei olhando o lugar que Chris disse que Scarlet estaria.

— Tenho Bro, a melhor amiga de infância postou e eu já falhei alguma vez ?. — Perguntou e Christian nunca falhou mesmo.

Passamos pela fila de idiotas plantados ali e eu falei com o segurança que deixou a gente entrar. Varri o lugar com meu olhar até achar Scarlet de costas, como eu sabia ? Além de identificar o corpo e cabelo a garota na frente dela era Lily, a melhor amiga de infância de 19 anos que nasceu em Oklahoma, Chris era realmente bom.

— Achei. — Falei apontando com a cabeça para Scarlet.

— É melhor ainda pessoalmente. — Chaz falou.

— Concordo. — Ryan deu um tapinha no ombro do Chaz.

Acho que a amiga dela falou que eu estava olhando por que ela virou e me olhou, deu um sorriso e eu retribui mordendo o lábio inferior.

Resolvi ir até elas e fui.

— Oi. — Falei e ela me olhou.

— Oi. — Sorri.

— Me chamo Justin. — Falei só o primeiro nome, ela não precisa do meu sobrenome.

— Scarlet. — Falou.

— Quer tomar algo Scarlet. ?. — Perguntei sorrindo.

— Claro. — Plano e ação.


Notas Finais


Espero que tenham gostado anjos e me digam o que acharam 💖. Logo logo continua.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...