1. Spirit Fanfics >
  2. As Marotas (em andamento) >
  3. Chapter 8 : Doninha vs Hipogrifo

História As Marotas (em andamento) - Capítulo 9


Escrita por:


Notas do Autor


Oii! Só pra avisar que eu não tenho data específica para postar os capítulos e se tiver algum erro ou algo assim me desculpem é minha primeira fanfic não sou nada experiente com isso mais OK! Essa fanfic é somente um meio de distração, só isso mesmo bjs!

Capítulo 9 - Chapter 8 : Doninha vs Hipogrifo


Fanfic / Fanfiction As Marotas (em andamento) - Capítulo 9 - Chapter 8 : Doninha vs Hipogrifo


Eu juro solenemente não fazer nada de bom!

━━━━━━━━━━━━━━━━━━━━━━━━♡


Lúpus e Feline, atrasadas após a aula de Aritmancia. O céu estava claro, cinza-pálido e a grama parecia elástica e úmida sob os pés das duas enquanto corriam rumo à  aula de Trato das Criaturas Mágicas, com o mais novo professor: Rúbeo Hagrid.


ー Parece que vamos dividir a aula com a Grifinoria. -Lúpus observou fazendo careta.


Draco falava animadamente com Crabbe e Goyle, que riam com gosto, ela olhou para o menino fazendo o mesmo lhe mandar um sorriso e uma piscadela para a menina que revirou os olhos.


ー Ah, chegaram. - Hagrid sorriu, animado, quando viu as duas, que logo se juntaram ao resto dos alunos. O homem gigante já estava à porta da cabana. Vestia um casaco de pele de toupeira, com Canino, o cão de caçar javalis, perto do mesmo, e parecia impaciente para começar.ー  Vamos, andem depressa! Tenho uma coisa ótima para vocês hoje! Vai ser uma grande aula! Estão todos aqui? Certo, então me acompanhem! - exclamou


O meio-gigante contornou as árvores e cinco minutos depois eles estavam diante de uma espécie de picadeiro. Não havia nada ali.


ーTodos se agrupem em volta dessa cerca! - mandou ーIsso... Procurem garantir uma boa visibilidade... Agora, a primeira coisa que vão precisar fazer é abrir os livros...


ー Como? -Perguntou a voz fria e arrastada de Draco Malfoy, fazendo Lúpus e Feline se entreolharem.


ー A Doninha começou. -  a mais velha disse, baixando a cabeça e pondo a mão na testa, dramática. Feline riu do drama da amiga.


ー Que foi? -Perguntou Hagrid.


ー Como é que vamos abrir os livros? - Repetiu o menino.


Ele retirou da mochila seu exemplar de O Livro Monstruoso dos Monstros, amarrado com um pedaço de corda. Outros alunos fizeram o mesmo, alguns tinham fechado o livro com um cinto; outros os tinham enfiado em sacos justos ou fechado os livros com grampos, Lúpus e Feline tinham gastado todo o rolo de fita prendendo os seus.


ー Será... Será que ninguém conseguiu abrir o livro? -Perguntou Hagrid, com ar de desapontamento.


Todos os alunos sacudiram a cabeça negativamente as cabeças, exceto por Feline, que franziu a testa e olhou ao redor, parecendo procurar por alguém


ー Eu consegui! -Anunciou com um sorriso, erguendo o livro aberto dois segundos depois. A decepção desapareceu da expressão de Hagrid instantaneamente, dando-lhe um sorriso radiante de orgulho, antes de voltar a atenção à turma. Harry encarava Feline, espantado, com certeza passava pela sua cabeça que ela tivesse usado algum tipo de magia negra para conseguir.


ー Vocês têm que fazer carinho neles. - Explicou Hagrid como se isso fosse a coisa mais óbvia do mundo. 


ー Olhem aqui...- Ele apanhou o livro de Hermione e rasgou a fita adesiva que o prendia. O livro tentou morder, mas Hagrid passou seu gigantesco dedo indicador pela lombada, o livro estremeceu, se abriu e permaneceu quieto em sua mão.


(Windy: MEU DEUS EU PENSEI MERDA----) 


ー Ah, mas que bobeira a nossa! - Caçoou Draco. ーDevíamos ter feito carinho no livro! Como foi que não adivinhamos!- Terminou fazendo a menina de olhos ônix revirar os olhos


ー Eu... eu achei que eles eram engraçados -Disse Hagrid, inseguro, para Hermione.


ー Ah, engraçadíssimos! -Comentou Draco, sarcástico. ー Uma ideia realmente espirituosa, nos dar livros que tentam arrancar nossa mão.


ー Cala a boca, Malfoy -Advertiu-o Harry baixinho, fazendo Draco fechar a cara


ー Certo, então - continuou Hagrid, que pelo jeito perdera o fio do pensamento ーEntão vocês já têm os livros e...e...agora faltam as criaturas mágicas é, então vou buscá-las. Esperem um pouco - se afastou na direção da floresta e desapareceu de vista.


ーNossa, essa escola está indo para o brejo! -Falou Draco em voz alta. ー Esse pateta dando aulas, meu pai vai ter um acesso quando eu contar...


ー Cala a boca, Malfoy! -Repetiu Feline, em afronta fazendo o loiro a olhar indignado


ー Sabe, Draco, se você não sabe abrir o livro a culpa não é dele. -Lúpus falou chamando sua atenção havia um pingo de ironia e seu tom de voz.


Draco olhou indignado para as duas, e cruzou  os braços lhe dando a imagem superior de que ele tanto gostava.


Trotavam em direção aos garotos mais ou menos uma dezena de um dos bichos mais fascinantes que Lúpus e Feline já viram na vida. Tinham os corpos, as pernas traseiras e as caudas de cavalo, mas as pernas dianteiras, as asas e a cabeça de uma coisa que lembrava águias gigantescas, com bicos cruéis cinza metálico e enormes olhos laranja vivo. As garras das pernas dianteiras tinham uns quinze centímetros de um aspecto letal. Cada um dos bichos trazia uma grossa coleira de couro ao pescoço engatada em uma longa corrente, cujas pontas estavam presas nas imensas mãos de Hagrid, que entrou correndo no picadeiro atrás dos bichos.


ー Upa! Upa! AÍ! - bradou ele, sacudindo as correntes e incitando os bichos na direção da cerca onde se agrupavam os alunos.


Todos recuaram, instintivamente, quando Hagrid chegou bem perto e amarrou os bichos na cerca.


ー Hipogrifos! - falou Hagrid alegremente, acenando para eles. ー Lindos, não acham?-perguntou vendo todos admirarem cada animal de uma cor diferente cinza-chuva, bronze, rosado, castanho brilhante e nanquim. ー Então - suplicou, esfregando as mãos e sorrindo para todos ー Se vocês quiserem chegar mais perto...


Ninguém pareceu querer, Lúpus se aproximou cautelosamente vendo que a amiga faziam o mesmo.


ーAgora, a primeira coisa que vocês precisam saber sobre os hipogrifos é que são orgulhosos -Explicou Hagrid. ーSe ofendem com facilidade, os hipogrifos. Nunca insultem um bicho desses, porque pode ser a última coisa que vão fazer na vida, vocês sempre esperam o hipogrifo fazer o primeiro movimento - Continuou Hagrid 


"É uma questão de cortesia, entendem? Vocês vão até ele fazem uma reverência Se o bicho retribuir o cumprimento, vocês podem tocar nele. Se não retribuir, então saiam de perto bem depressa, porque essas garras machucam feio. Certo, quem quer ser o primeiro?" perguntou olhando a turma, a maioria dos alunos recuou mais um pouco. Lúpus e Feline se sentiram apreensivas, mas tentadas, os bichos balançavam as cabeças de aspecto feroz e flexionavam as fortes asas; não pareciam gostar de estar presos daquele jeito.


ー Ninguém? - pergunta Hagrid, com um olhar suplicante.


ー Eu vou - disseram duas vozes em uníssono, Feline virou a cabeça para Harry, que também a encarava, ele havia se oferecido também.


ーAaah, não, Harry, lembra das folhas de chá! - diziam em súplica Lilá Brown e Parvati Patil.


 ー É, Harry, lembra das folhas de chá. - concorda Feline em deboche, se aproveitando da situação com o Sinistro na aula de adivinhação.


ー Nem pensar. - Negou ele, sorrindo. ーPedra, papel ou tesoura? - ela riu pelo fato de ele sugerir a brincadeira trouxa, mas logo se preparou. ー 1, 2, 3 e...Já!


Os dois estenderam as mãos ao mesmo tempo, Harry sorriu vitorioso ao cortar o papel imaginário da irmã com sua tesoura imaginária, fazendo a revirar os olhos.


ー Você vai na próxima...olha ele fez a reverência! -Ouviu Lúpus falar 


ー Muito bem, Harry! - aplaudia Hagrid, extasiado. ーCerto... Pode tocá-lo! Acaricie o bico dele, vamos!


Harry avançou devagarinho para o hipogrifo e estendeu a mão. Acariciou seu bico várias vezes e o bicho fechou os olhos demoradamente, como se estivesse gostando.


A turma vibrou em aplausos, a exceção de Draco e seus gorilas de estimação, que pareciam profundamente desapontados com o fato de ele não ter recebido uma ao fato de ele não ter recebido uma cabeçada um arranhão dos grandes.


ー Então Harry, acho que ele até deixaria você montar nele!- falou Hagrid


Feline sentiu o sangue fugir de seu rosto novamente.


ー Por que eu acho que o mundo conspira para que o Harry morra? -  sussurrou para Lúpus que estava ao seu lado.


ー Ele vai se sair bem, ele sabe voar muito bem - murmurou Lúpus confortando a menina.


ー Isso, suba ali, logo atrás da articulação das asas - mandou o professor ーE cuidado para não arrancar nenhuma pena, ele não vai gostar nem um pouco...- alertou para o garoto 


Harry pisou no alto da asa de Bicuço e pulou para cima das costas do bicho que se ergueu.


Feline não piscou e apertou a mão de Lúpus, nervosa.


ー Pode ir, então! - bradou, dando uma palmada nos quadrios do hipogrifo.


Sem aviso, as asas de quase quatro metros se abriram a cada lado de Harry, ele só teve tempo de se agarrar ao pescoço do hipogrifo e logo estava voando para o alto. Bicuço deu uma volta por cima do picadeiro e em seguida embicou para o chão. 


ー Bom trabalho, Harry! -Berrou Hagrid enquanto todos apaludiam e gritavam, exceto Draco, Crabbe e Goyle.ー  Muito bem, quem mais quer experimentar?


Feline e Lúpus foram junto a vários outros alunos e sorriu, quando Hagrid entregou a elas  o hipogrifo nanquim.


ー Boa sorte, Feline.


ー Obrigada, Lúpus. - disse, fazendo a menina sorrir apreensiva.


Ela encarou o Hipogrifo, evitando piscar para que ele não desconfiasse ou atacasse, então se curvou totalmente em uma reverência e, segundos após se erguer, o animal fez o mesmo, dobrando os escamosos joelhos dianteiros e afundando o corpo em uma inconfundível reverência.


ーCerto, agora eu me aproximo... - começou a andar devagarinho enquanto ele a observava com a expressão pacífica, avançou devagarinho e estendeu a mão. Acariciou seu bico várias vezes e o bicho fechou os olhos demoradamente, como se estivesse gostando ーAh, gostei de você, garoto - murmurou, ainda acariciando-o.  ー Vamos apenas garantir que não vai me machucar 


Neville fugia várias vezes do dele, pois o bicho não estava com jeito de querer dobrar os joelhos. Rony e Hermione praticaram no hipogrifo castanho, Lúpus estava alimentando um deles ao lado de Hagrid, os dois conversavam animados, Harry apenas observava. Draco, Crabbe e Goyle ficaram com Bicuço. Ele acabara de retribuir a reverência de Draco, que agora lhe acariciava o bico, com um ar desdenhoso.


ー Isso é moleza - diz o Malfoy com a voz arrastada, propositalmente alta. ー Só podia ser, se o Potter conseguiu fazer... aposto que você não tem nada de perigoso, tem? - perguntou ao Hipogrifo. ー Tem, seu brutamontes feioso?


ー Draco! -Lúpus exclamou quando viu o garoto se aproximar do hipogrifo sem o menor cuidado. Aconteceu que num breve movimento das garras de aço bicuço o acertou; Draco soltou um berro agudo e no momento seguinte, Hagrid estava pelejando para enfiar a coleira em Bicuço, enquanto o bicho fazia força para avançar no garoto, que caíra dobrado na relva, o sangue aflorando em suas vestes.


(Windy: Eu sou o bicuço, vontade de dar uma voadora no Draco toda vez que ele aparece) 


ー Draco! - Feline gritou, deixando o seu hipogrifo de lado para se juntar à multidão que se formara ao redor dele.


ー Estou morrendo! - gritou Malfoy enquanto a turma entrava em pânico. ーEstou morrendo, olhem só para mim! Ele me matou! - faz drama fazendo com que Lúpus revirasse os olhos


ーVocê não está morrendo! - disse Hagrid, que ficara muito pálido. ー Alguém me ajude... Preciso tirar ele daqui...- pediu um pouco desesperado


Lúpus correu para abrir o portão enquanto Hagrid erguia Draco nos braços, sem esforço. Havia um corte grande e fundo no braço de Draco; o sangue pingava no gramado e o guarda-caça, com o garoto ao colo, subiu correndo a encosta em direção ao castelo. Muito abalados, os alunos da aula de Trato das Criaturas Mágicas os seguiram caminhando normalmente. 


ー Deviam impedir ele, imediatamente! - exclama Pansy Parkinson, que estava às lágrimas.


ー Por quê?  -Lúpus indagou, com a voz firme que a fez se calar. ーPor acaso o Hagrid tem garras e eu não estou sabendo?


ー Foi irresponsabilidade da parte dele, eu quis dizer. - rebateu a sonserina, ríspida.


ー Foi irresponsabilidade do Draco, isso sim! - replicou Lúpus com rispidez fazendo a menina engolir seco


Crabbe e Goyle flexionavam os braços, ameaçadores. Os garotos subiram os degraus de pedra para o saguão deserto.


ー Vou ver se ele está bem! - falou a Snape passando por Pansy que ia para a enfermaria mais mudou de idéia quando viu a mais velha indo para lá,  os outros ficaram observando-a subir de corrida a escadaria de mármore. Alguns alunos  murmurando contra Hagrid, rumaram para suas salas comunais, Feline ,Harry e os outros se entre olharam e seguiram o caminho até a torre da Grifinória.


ー Poxa...eu disse que não ia acabar bem. - Rony lembrou.


ー Tomara que Hagrid não perca o emprego, eu gosto tanto dele. -Feline indo deixar os mais novos na torre da grifinoria.


ー Também - concordaram


ー Vocês acham que o Malfoy vai ficar bem? - Perguntou Harry.


ー Claro que vai, Madame Pomfrey cura cortes em um segundo. - diz Feline 


ー Foi realmente ruim acontecer isso na  aula de Hagrid, vocês não acham? - comentou Rony, parecendo preocupado.


ー Sempre se pode contar com o Draco para estragar as coisas  -Hermione resmungou.


ー Acha que ele fez de propósito pra prejudicar o Hagrid? -Harry perguntou.


ー Não, mas o pai dele vai se aproveitar disso, com certeza conheço Draco ele não é mal mas o tio Lúcius não vai perder essa chance  - Feline se pronunciou ー Se cuide Harry - profere beijando a testa do mesmo e seguindo para as masmorras


━━━━━━━━━━━🐍━━━━━━━━━━━━


Malfeito feito!





Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...