História As mas Línguas dizem - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin)
Tags Namjin
Visualizações 15
Palavras 1.117
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Fluffy, LGBT, Shoujo (Romântico), Yaoi (Gay)
Avisos: Homossexualidade
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 1 - As mas Línguas


O universo só pode estar de brincadeira com minha cara!?

De todos, todos os 25 alunos daquela maldita sala, eu tive que pegar Kim Namjoon como parceiro?!
.
.
.
.
.
.
Kim Namjoon era o típico jogador de basquete pegador, sempre se achando a última bolacha do pacote.

E eu? Kim Seokjin? Um menino totalmente normal que não é lindo nem interessante até para parede.

Eu acordei feliz, comi bem, estava tendo um dia bom, mas sempre tem algo para arruinar tudo. Senhor Lee acabou que tivera que dar um trabalho para o fim de semestre, porque toda a sala precisa de nota,bom...eu não preciso...não sou vagabundo, mas né? Se todos iram fazer eu tenho que fazer.

- Não pense que vou fazer seu trabalho Kim Namjoon, não sou essas meninas com fogo no rabo que troca uma foda para fazer seus trabalhos.- Disse enquanto saia da sala com raiva.

- Que isso Seok é claro e que vou fazer o trabalho com você. Que tal hoje na minha casa as duas?
- É...eu...eu...Te vejo as duas- Sai em passos firmes. 
.
.
.
.
.

- Entra- Namjoon me deu passagem para entrar em sua casa.

Até que a cada era...arrumada.

- Bom recebemos o tema línguas africanas, temos que pesquisar sua origem, alfabeto, composição e falar algumas palavras, então vamos começar logo para que não tenha mais que olhar para sua cara.

- O que você tem contra mim Jin?

Esse desgraça tem coragem de me chamar informalmente?!

- Primeiro: Pra você é Seokjin não sou mais uma de suas vadias. Segundo: Você não passa de um babaca pegador, que se acha a última bolacha do pacote.

- Não deveria acreditar em boastos Seok, não sou nada disso.

- Tá até parece- Debochei.

Namjoon me empurrou me fazendo cair no sofá sentando em seguida ao meu lado.

- O que você...?

- Me chamo Kim Namjoon tenho 16 anos, moro com mãe e irmã, meu pai morreu quando era menor. Sou capitão do time de basquete que sempre banca o durão, mas sou mais mole que maria mole. Gosto de ouvir música e escrever Rap, nunca namorei uma menina em toda minha vida, porque sou muito tímido. Só porque sou capitão do time de basquete não quer dizer que sou pegador.

- Eu...eu...não sei o que dizer....é...você escreve? - Estava um pouco estático com tanta revelação.

- É o melhor jeito que tenho de falar dos meu sentimentos. 

- Eu...eu posso ver?

- Pode

Namjoon subiu correndo para o segundo andar e logo voltou.

Comecei a folhar os papéis completamente fascinado.
.
.
Quando eu abri meus olhos um dia
Eu desejei estar morto
Eu queria que alguém me matasse
Neste silêncio barulhento

Estou vivendo para entender o mundo
Mas por que este mundo não tentou me entender?
Mesmo se for a metade ainda não é o bastante
Está tentando me machucar

Eu sinto minha falta, sinto minha falta baby
Eu sinto minha falta, sinto minha falta baby
Eu me desejo, me desejo baby
Queria poder me escolher

Por que não consigo alcançar isso quando estou tão desesperado assim?

Sempre, sempre, sempre, sempre
Sempre (eu perdi todos os meus caminhos)
Sempre (eu perdi todos os meus caminhos)
Sempre (eu perdi todos os meus caminhos)
Sempre (eu perdi todos os meus caminhos)
Sempre

Eu diria a Deus se eu o conhecesse
Que esta vida é um café que eu nunca pedi
Eu seguraria seu colarinho e diria a ele
Que a morte é como um americano que não pode ser reenchido

Você tem certeza que está vivo?
Se isso é verdade, como você poderia provar isso?
Eu posso ver minha respiração no ar quando eu respiro
Eu vejo a respiração gelada na janela

Você está morto
Você é pai, mas você está morto
Pai morto, você não me escuta
Pai, por favor, me escute

Por que não consigo alcançar isso quando estou tão desesperado assim?

Sempre, sempre, sempre, sempre
Sempre (eu perdi todos os meus caminhos)
Sempre (eu perdi todos os meus caminhos)
Sempre (eu perdi todos os meus caminhos)
Sempre (eu perdi todos os meus caminhos)
Sempre

.
.

- Você está chorando?

- Ah...- fiquei tão emocionado com suas letras que nem percebi que tinha começado a chorar- Desculpe...Namjoon isso...isso é muito lindo e sentimental...você nem aparenta sentir isso tudo.

- Eu não gosto de transparecer os sentimentos  para os outros, eu penso que não precisam de mais um atrapalhando suas vidas.

- Eu... fico feliz que você tenha mostrado isso pra mim.

- Vamos...vamos  começar.

.

.

.

.

- Finalmente! - Gritei.

- Minha mão está doendo de tantô escrever. - Reclamou Namjoon.

Nunca pensei que levaríamos o dia todo para fazer esse trabalho.

- Está com fome? - Namjoon perguntou.

- Um pouco.

- Vem eu vou fazer algo para comermos - Nos levantamos e fomos a cozinha.

Me encostei no balcão enquanto Namjoon fazia - tentava - fazer um lanche.

- Deixa comigo - Disse vendo que ele não estva conseguindo nem cortar o pão.

- Eu soh péssimo na cozinha.

- Percebi.

Não pude deixar de notar que Namjoon não parava de olhar para mim.

- Namjoon?!

- Sim?

- Eu não pude deixar de notar...que na sua letra você falava que sentia falta de alguém...quem...quem é essa pessoa?

- Acho que você não vai querer saber

- Eu quero por favor.

- Promete...promete não me odiar? - Percebi que ele estava tenso.

- Prometo!

- Você!

- Desculpa?

- Você! Eu sinto sua falta.

- Eu não estou entendo Namjoon. - Larguei a faca me virando para o mesmo.

- Eu gosto de você Jin! Desde do primeiro dia de aula que você estrou por aquela porta, eu sabia, sabia que você era a pessoa que ia ter meu coração nas mãos. Você me dá inspiração para escrever cada mísera letra presente nas folhas de papel em branco.

Eu não sabia o que dizer, eu estava surpreso e feliz. Eu nunca neguei que Namjoon era um cara bonito, mas sempre me distanciava por causa dos boatos, mas ele não era nada do que falavam. Ele era doce e muito sentimental.

Eu percebi que Namjoon estava com vergonha e nervoso por tudo que falou, então tomei iniciativa me aproximando de seu rosto até sentir sua respiração e alito amentolado bater contra meu rosto, porém Namjoon puxou minha boca finalmente encostando nossos lábios. Ele movia sua boca - grossa - sobre a minha apenas aproveitando o contato. Aprofundei o beijo entrelaçando meus braços sobre seus ombros, nossas língua se enrrolavam aproveitando o gosto uma da outra. Nos separamos ofegantes e vermelhos, sorrindo um para o outro.

- Você não é nada, nada! Do que os outros dizem, você é tão doce e tão sentimental e eu admiro isso.

- Eu te amo Seok.

- Eu também te amo

Nunca acredite nas mas línguas.


Notas Finais


Aí gente eu sinceramente acho que isso fico uma droga.
Mas vocês me digam eu não sei.
Dem pelo menos uma favoritinho e comentem isso me anima muito.
Obrigada por ler.
Vejo vocês em breve.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...