História As Melhores Coisas do Mundo - Capítulo 1


Escrita por: e mooochi

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Min Yoongi (Suga)
Tags Colegial, Mapamundirapperlinepjct, Namseok, Romance
Visualizações 87
Palavras 5.172
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ficção, Fluffy, LGBT, Romance e Novela, Universo Alternativo
Avisos: Homossexualidade, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Agradecimentos para @xisaacx e para @_dark_storm_ pela capa e betagem respectivamente.

Deem muito amor para esse projeto!

Capítulo 1 - Quase Sem Querer


O dia já havia começado não muito agradável para Kim Namjoon. Além de acordar atrasado, perdeu o ônibus das sete e, provavelmente, chegaria depois do horário permitido para entrar no meio do primeiro tempo, correndo o risco de ter que ficar sentado no corredor até o sinal tocar.

Enquanto estava espremido no metrô, se pegou pensando que na verdade não era uma cena tão fora do comum, ainda mais quando ele e Hoseok ficavam conversando até tarde. Isso se repetia mais vezes do que ele podia contar em uma mão. Então quando chegou na escola, nem fez questão de correr tanto, afinal, iria dar de cara com a porta fechado e um corredor com um ou dois alunos esperando o mesmo destino que ele.

Assim que desceu do metrô sabia que ira chegar atrasado, nada melhor do que aceitar essa realidade. O lado bom era que morava apenas algumas estações de metrô da escola e, se ele tivesse que pegar mais alguma coisa além do metrô, com certeza já estaria reprovando nas matérias por falta.

Dormir tarde e ter que acordar muito cedo nunca era uma combinação muito boa.

No entanto, seu coração se acelerou quando viu o melhor amigo sentado ao lado da porta lendo um livro qualquer, provavelmente para alguma aula que teriam. Hoseok sempre com seus bons hábitos de estudo. Logo o loiro se fez confortável ao lado do rapaz.

— Hope, Hope, atrasado de novo? — Disse, já tirando o livro que o rapaz lia para que ele pudesse lhe dar atenção.

— Ei! — Ele tentou pegar, falhando miseravelmente quando o outro escondeu o objeto atrás das costas. Às vezes, os dois realmente não pareciam estudantes do terceiro ano do ensino médio e sim jovens que acabaram de entrar no fundamental. — Joon, devolve, vai.

Lógico que quando o outro usava aquele tom Namjoon não tinha como continuar com sua brincadeira. Ele tinha um penhasco por Jung Hoseok e sua voz pidona, males de conhecer o rapaz a um tempo… Ou na verdade, benefícios? Namjoon não sabia interpretar o que seria direito. Quando Hoseok pegou o livro de volta, fez questão de bater de leve no braço do outro.

— Mas você ainda não me disse, por que chegou atrasado? Ainda mais no meio da semana, quando temos uma prova difícil chegando e tal...

O moreno o encarou, como se quisesse bater nele com vontade dessa vez.

— Por que será? Alguém ontem ficou jogando até tarde e atrasou nossa série… Mas tudo bem, porque a nova temporada compensou ir dormir depois das duas da manhã. E outra: nossa prova é só daqui a duas semanas, eu tenho tempo para estudar. Você não presta atenção no que o professor fala não?

O maior apenas ignorou a última parte e começou a se defender.

— Quando você me ligou eu estava no meio de uma partida com o Kook. Você sabe, jogos online não tem como pausar e estávamos ganhando, não podia parar naquele minuto… — O maior sorriu ladino — Mas no fim ainda acabamos vendo a série, não vimos?

Hoseok não respondeu, mas assentiu com o comentário sorrindo de leve, para então os dois voltarem ao silêncio que estava antes do loiro chegar.

A amizade dos dois era algo estranho em sua totalidade. Estavam na mesma sala, mas não eram do mesmo grupo de amigos. Namjoon andava com a galera mais alternativa, às vezes matava aula apenas para tocar violão no pátio ou fazer nada perto da sala de arte abandonada no quinto andar - fora que ele não tinha as melhores notas - ; enquanto Hoseok ficava com a turma dos inteligentes da sala, gostava de ajudar na biblioteca quando tinha um tempo livre e seus resultados eram os melhores da turma, quiçá da escola inteira.

Namjoon nunca chegou a realmente perguntar, mas vindo do melhor amigo não duvidava.

Às vezes o loiro se pegava pensando em como os dois passaram de estranhos para amigos que veem séries juntos até tarde ou que fazem questão de conversar todo dia seja por mensagem ou por ligação. Talvez não tivesse um ponto chave, na verdade, mas talvez por eles serem quase vizinhos e pegarem o mesmo metrô todo dia, algo aflorou e permaneceu entre os dois.

Era interessante.

O Kim se fez confortável no ombro do menor, enquanto Hoseok voltava a ler seu livro. A cena era estranhamente doméstica, mas nem um pouco desconfortável.

(...)

Namjoon havia um planejamento para o dia. Iria aparecer nos quatro primeiros tempos e depois iria ficar com seus amigos na sala de artes, treinando uma nova música que certamente estava lhe dando dor de cabeça.

Pode-se pensar que eles iriam tomar algum tipo de punição por não estarem na aula, mas o colégio que estudava era um dos mais tradicionais da cidade, e por consequência um dos mais caros. E infelizmente, famílias como as daqueles estudantes tinham muito poder e influencia, várias coisas que aconteciam naquele colégio eram ignoradas apenas por solicitações dos pais.

E algo mais importante, Namjoon sabia que a única pessoa que iria se prejudicar caso ele não fosse as aulas, ou até mesmo não recuperasse suas notas no fim do ano ele seria a única pessoa que sofreria as consequências.

Por isso ele focou nas notas que insistiam em sair erradas no violão.

Nenhum das notas que tentava fazer para que algo que soasse como Something dos Beatles realmente parecia que ele estava tentando algo. Ele sabia tocar, céus, fazia aula desde os onze anos, mas parecia que hoje não era realmente seu dia.

— Nossa cara, não mata o violão não! — Yoongi disse ao abrir a porta encarando o rapaz no chão. — De todos os três anos que eu te conheço, essa foi a pior música que você tocou, mano. Foi mal, mas 'tá uma merda.

Namjoon o encarou.

— Não fode, Yoon — Depois que o rapaz se aproximou sentando-se na cadeira a frente da sua, o loiro continuou — Não sei o que está realmente acontecendo, nada que eu toco parece funcionar. Para você ter noção já tentei tocar até Capital Inicial, nem isso saiu.

A risada do menor tomou conta do lugar. Yoongi era uma pessoa que não gostava de chamar a atenção - por mais que seus cabelos brancos e atitude de encrenqueiro gritasse ao contrário. Ele se contentava em ficar no fundo da sala escutando suas músicas indies demais para qualquer outro adolescente entender, mas era social o suficiente para ser amigo de Namjoon e sua dificuldade de controlar o corpo em lugares apertados.

— Deixa isso um pouco de lado, daqui a pouco tenta de novo. — Yoongi puxou do bolso do moletom um pirulito, assim que colocou na boca encarou o amigo de novo — Vai ficar para a aula de reforço hoje?

O loiro havia deixado o violão de lado em uma das cadeiras, porém não se levantou de onde estava em cima da mesa.

— Vou, vou esperar o Hope hoje.

Yoongi o encarou com uma cara que ele conhecia muito bem.

— Hm… Você e o Hope, hein? Quando você vai assumir as coisas para mim de uma vez? Você sabe que não vou julgar, somos amigos.

— De novo você com essa história?! Que inferno! Somos amigos, nada demais.

Yoongi discordou com um som alto, tirando o pirulito da boca apontando para o amigo de modo acusatório.

— Joon, quem você está enganando? Você espera ele sair da aula sendo que, até onde eu sei, você está bem foda-se para matemática… e pensa que eu não vejo ele usando seus moletons? E a maior de todas, vocês já ficaram quantas vezes?  Você engana só a si mesmo, com esse papo de somos apenas amigos.

O loiro o encarou, aquele discussão não era nova entre os dois. Yoongi não era próximo a Hoseok, mas ele sempre batia na mesma tecla que os dois tinham sentimentos um pelo outro, desde que viu os dois na peça da escola. Bom, Hoseok sendo um dos papéis principais e Namjoon uma das decorações de palco.

— Primeiro: ele mora perto de casa, qual o problema de esperar ele? Melhor do que voltar sozinho… E segundo: ele usa porque eu sempre tenho um na bolsa… Ele às vezes esquece em casa e eu calho de ter um sobrando, não é tão difícil entender. E a gente não fica com tanta frequência não... F-foram algumas vezes só.

Yoongi parecia disposto a levar aquilo além, tipico do rapaz.

— Olha ai, Joon! Você se faz de cego porque quer. Me diz: porque nenhuma menina, ou menino da nossa sala, te chama atenção? Já fiquei sabendo de umas duas meninas do primeiro ano vieram falar com você e você simplesmente desconversou. — Yoongi foi em direção ao violão — Você é o veterano misterioso nessa merda de escola, mas não aceita que está apaixonado pelo melhor amigo, que já beijou mais de uma vez, vale ressaltar… Mas quem sou eu para falar uma coisa dessas né?

Com um sorriso cínico, o menor tomou de volta seu lugar e logo a melodia suave do instrumento tomou conta do lugar. Namjoon não falou mais nada, apenas aproveitou o som que aos poucos fazia seus pensamentos desacelerarem, reconheceu de cara a melodia.

Quase sem querer.

Os sentimentos que tinha para com Jung Hoseok era algo complexo demais para Kim Namjoon. mesmo que Yoongi jogasse na sua cara tudo e ainda deixasse uma música como indireta, ele decidiu ignorar por hora.

(...)

As palavras de Yoongi o atingiram mais do que ele queria. Depois que os dois mataram a aula, após o intervalo Namjoon decidiu voltar para a sala, pelo menos não ficaria sozinho com seus pensamentos, por mais que o resto das aulas serviram justamente para ele pensar em cada coisa que ele e Hoseok faziam desde uns tempos para cá. Em específico, um episódio que poderia trazer todas as respostas que ele queria.

Agora, refletindo em algumas ocasiões, ele pode perceber que talvez tivesse algo a mais que ele estivesse ignorando, ou simplesmente distraído demais.

Quando os dois foram para a festa de debutante da representante de sala, o loiro foi com Yoongi e seu grupo de amigos, mas durante a festa ele ficou com Hoseok. Ainda mais quando ficou sabendo que alguns dos meninos tinham levado vodka para colocar junto com os refrigerantes. Não que ele fosse o careta da festa, ele havia se servido de um copo da mistura, ele só não soube explicar a necessidade de ficar do lado do outro pelo resto na noite.

Hoseok não era exatamente popular mas as pessoas gostavam bastante dele. O Kim até entendia, já que o sorriso do rapaz era a coisa mais linda que um ser humano poderia ter. E mesmo quando ele experimentou o conteúdo do copo do, na época ainda moreno, ele apenas sorriu e disse algo sobre continuar bebendo seu refrigerante.

A festa foi legal. Namjoon se lembra de ter apenas ficado com uma menina e depois ter ficado até a hora do parabéns sentado na varanda da casa com Hoseok, Yoongi e um rapaz que não tinham ideia do nome mas ele contava histórias engraçadas.

Yoongi estava ocupado demais apreciando seu cigarro, quando aconteceu, o que agora o loiro pode ver como um ato de ciúme talvez? Não iria colocar um nome, mas só de lembrar de Hoseok sendo chamado para dançar por um grupo de meninas o estômago do rapaz se virou.

Sabia que o amigo tinha vergonha de ficar com qualquer pessoa, mas só da possibilidade passar na mente do outro já foi demais.

Namjoon queria acreditar que era tão simples assim, mas algo lhe dizia que ele já sabia a resposta. Decidindo por um fim em toda aquela linha de pensamento e no sentimento de incômodo que se instaurou ao lembrar da cena do melhor amigo dançando com algumas meninas abaixando a cabeça para ver se conseguia dormir.

Não queria lembrar da briga que tiveram depois.  

E outra, não era como se precisasse prestar atenção em literatura, tinha um ótimo tutor particular.  

(...)

— Joon? Acorda?! Vamos? Já estou liberado — Namjoon abriu os olhos para dar de cara com Hoseok sorrindo enquanto fazia um carinho em seu braço, infelizmente coberto pelo moletom.

— Já acabou? — Tateou para pegar o celular jogado em algum lugar ao seu lado. Apertando e confirmando que era mais cedo que o normal. — O que aconteceu?

Ele perguntou enquanto arrumava os cabelos bagunçados. Nessas horas, ele gostava que a escola tinha esses espaços para os alunos descansarem depois das aulas. Mesmo que servisse mais como uma sala de soneca do que um ambiente para eles desestressarem, tava valendo.


Quando Hoseok tinha suas aulas extras ele ficava lá.

— O professor liberou a gente mais cedo. Ele vai defender uma tese hoje e achou que merecemos uma folga. — Hoseok em nenhum momento tirou o sorriso do rosto. — E eu nunca agradeci tanto, estou morrendo de sono...

— Ah então temos tempo antes de voltar para casa? Certo?

— Uhum, por que? O que tem em mente?

O loiro apenas sorriu. Ainda estava com os movimentos meio lentos do cochilo que havia acabado de ter, mas logo puxou sua bolsa para poder se levantar e ajudar o ruivo.

— Que tal irmos naquela livraria? — A cara que recebeu de confusão do outro o fez sorrir e o puxar para que pudessem sair da escola, agora bem mais vazia do que quando estavam tendo aulas pela manhã. — Lembra que você disse que queria passar na livraria lá perto da Paulista? Vamos lá, temos tempo… e eu quero comprar um jogo novo. Prometo não demorar.

Na verdade não queria, mas era melhor falar isso em voz alta do que o real motivo de querer ficar mais tempo com o outro, durante a semana era difícil ficarem muito tempo sozinhos. O Kim sorriu enquanto pensava em Yoongi, que provavelmente iria o chamar de hipócrita e medroso, ainda mais agora que ele tinha um braço apoiado nos ombros do ruivo enquanto andavam para a saída.

Perto demais para serem apenas amigos.

Hoseok começou a contar como havia sido o dia dele, as vezes parecia que eles eram realmente de turmas diferentes. Metade das coisas que ele contou Namjoon não fazia nem ideia que realmente aconteceram, provavelmente por ele matar muita aula além de dormir nas que ele ia.

O que resultou numa leve discussão quando chegaram na porta do metrô.

— Joon, eu já disse que você tem que parar de dormir nas aulas! E quando eu não puder mais de ajudar? — Hoseok disse enquanto passava seu bilhete na catraca. O mais alto pode ver que a capinha do objeto era uma que ele havia comprado para o outro assim que voltaram de férias no segundo ano.

Uma capinha com um ursinho em alto relevo, que combinava com a sua própria, igual porém com um esquema de cores diferente. Depois dessas férias, foi também quando os beijos começaram a ficar mais frequentes.

— Mas você sempre vai me ajudar? Não entendi esse tom? — Ele disse sorrindo enquanto olhava o menino o encarar com falsa raiva.

— Eu devia começar a te ignorar para você aprender.

— Duvido que você conseguiria. Nem no intervalo você esquece de mim… E lembra de quando discutimos? Não durou nem um dia direito… — O tom de deboche apenas disfarçou uma realização que atingiu o mais alto com força.

— Idiota. — Hoseok disse andando na frente, sem antes puxar a alça da mochila do outro. — Vamos que eu ainda tenho que fazer os dois mapas mentais que a professora de história pediu. Quero deixar pronto hoje e ainda quero cochilar.

Namjoon apenas se deixou levar pelo rapaz um pouco menor que si e de cabelos ruivos.

Logo estavam dentro do metrô seguindo para a avenida mais movimentada da cidade, estaria perfeito se não pegassem o transporte no meio da linha e a maioria dos lugares já estarem ocupados. No entanto, o Kim não reclamou nem um pouco em ter que ficar na frente do rapaz ao lado da porta.

Era uma posição bem familiar para os dois - ainda mais quando Hoseok pegava o celular e ficava olhando para o feed de alguma de suas redes sociais, enquanto compartilhava indiretamente o que via com o amigo. Namjoon gostava desses momentos, os dois estavam próximos vendo qualquer coisa que aparecesse na tela do celular e rindo, era uma bolha que trazia o sentimento de conforto.

Hoseok olhava algo nas pequenas televisões espalhadas pelo vagão enquanto o loiro não pôde evitar e encarar o outro distraído.

Ele sabia que o ruivo gostava de cuidar da aparência, mas a escolha dele em ficar ruivo foi uma das melhores coisas que eles decidiram fazer. O fato aconteceu no mesmo dia que o Kim pintou o cabelo de loiro, ambos estavam na casa de praia da família do Kim, quando surgiu a ideia.

No começo ele pareceu meio relutante de ter uma cor de cabelo tão chamativa assim, mas depois de certo convencimento por parte do futuro loiro ele topou. Os dois trocaram uma tarde inteira na praia para conseguir fazer os cabelos ficarem no tom certo.

De primeiro as mechas de Namjoon ficaram num laranja meio brega, até hoje motivo de piadas entre os dois, ainda mais que o menor fez questão de tirar algumas fotos dele. Mas assim que conseguiram arrumar o tom de loiro certo, começaram a preparar a tinta vermelha.

Nesse dia também os beijos começaram a ficar mais tímidos. Não que o loiro notou de cara, mas Hoseok estava mais controlado em querer beijar o loiro todos os momentos, por mais que para Namjoon isso não havia acontecido.

A mãe de Namjoon ficou um pouco brava por terem manchado algumas toalhas, mas assim que viu os dois sentados lado a lado na rede da varanda, nem teve coragem de falar nada. O loiro só ficou sabendo disso porque depois ela mandou para ele uma foto dos dois na dita rede.

Não que ele fosse admitir em voz alta, mas ele tinha a foto como wallpaper da conversa dos dois, não o julguem, era uma foto muito bonita.

Um sentimento novo começava a crescer em seu peito, talvez Yoongi realmente estivesse certo e ele havia sido o maior idiota da vida em não perceber os mais simples dos detalhes.

Agora olhando a cor mais desbotada, claramente com a raiz já crescia, mas ainda sim com a mesma aparência de sempre. Namjoon sabia que os cabelos do outro por mais que tivessem sido pintados eram macios, quando eles faziam algumas maratonas de filmes de alguma forma, os dois sempre acabavam dividindo o mesmo cobertores, e com mais frequência que o rapaz poderia dizer, ele acabava deixando que o menor deitasse em seu colo, e céus, quem em sã consciência perderia a oportunidade de fazer um cafuné em Jung Hoseok?

Claramente não Kim Namjoon.

— O que foi? — A voz suave do ruivo o tirou dos pensamentos — Tem alguma coisa na minha cara? De repente você ficou olhando.

O maior apenas negou com a cabeça, disfarçando trocando o braço de apoio no metal do vagão. Além de uma vergonha em lembrar de como ficaram juntos na rede da casa de praia, ele teve uma súbita vontade de beijar o outro ali, sem mais nem menos.

— Nada, eu tava pensando quando pintamos o cabelo, lembra?

— Lógico, como eu poderia esquecer aquele laranja horrível que você ficou? Um dia ainda temos que fazer ele acontecer de novo. E dessa vez eu vou mandar a foto para todo mundo da sala, para eles verem que você não é tão misterioso e sério como você aparenta.

Nem perceberam quando começaram a entrar em um ciclo de lembranças e brincadeiras. Hoseok dizendo coisas que faziam quando estavam de férias, reclamando que o maior não deixava ele usar os moletons mais confortáveis, e Namjoon debatendo o como ele nunca deixava que ele ficasse dormindo do lado da parede quando ele ia dormir na casa do outro.

Nenhum dos dois percebeu que já haviam chegado na estação deles.

(...)

Hoseok estava distraído olhando alguns dos livros na sua seção favorita enquanto Namjoon deu uma desculpa qualquer sobre olhar os novos lançamentos de jogos apenas para observar ele de longe.

Ele iria falar com Yoongi depois. O filho da mãe estava certo, no fim das contas. Quando ele não estava, afinal?

O ruivo estava com um dos seus moletons, um dos quais ele nem se lembrava que o rapaz havia pego, mas ele não podia negar o sentimento que surgia em pensar que ele estava usando suas roupas.


Deveria ser algo sem explicação que acontecia com adolescentes com os hormônios exaltados. Olhando daquela distância o rapaz parecia menor do que era, o moletom azul o engolia e deixava com um aspecto fofo. Namjoon não pode evitar em sorrir ao ver ele arrumar as mangas do casaco para poder ver outro livro.

Hoseok sempre foi cuidadoso, fosse com livros, jogos e até mesmo situações que o deixavam claramente desconfortáveis.

A memória mais forte disso foi quando Namjoon chegou em casa bêbado. Os pais haviam ido viajar e a empregada só chegaria no outro dia de manhã. Até hoje ele não sabe realmente como Hoseok chegou no apartamento, sendo que ele não se lembra de ter ligado para ninguém.

Nesse dia, o ruivo lhe deu uma bronca que até hoje ele leva no coração, não que ele tivesse ficado ressentido, mas sim que a expressão de decepção ficou marcada demais para seu gosto. Nunca mais, mesmo no estado alterado que estava, ele iria fazer Hoseok ficar com aquele olhar preocupado.

Até então ele estava mantendo essa promessa.

Quando viu que ele estava se aproximando de si, Namjoon fingiu mexer em alguns dos jogos expostos na sua frente.

— Vamos, Joon? Se der tempo quero passar naquela cafeteria…

O loiro apenas assentiu, pegando um jogo qualquer no qual o título havia chamado a atenção e indo para o caixa. O ruivo estava com dois livros na mão e parecia decidir qual deles levaria, diferente de Namjoon, ele controlava seus gastos muito bem - mesmo que  sua família tivesse muito ele nunca foi uma rapaz de sair por aí gastando. Ele nem fazia questão de andar por aí com o cartão que o pai lhe deu.

Quando viu que ele iria deixar um dos livros, o loiro foi mais rápido e pegou da mão do outro.

— Joon, não. Você já gasta dinheiro demais comigo. Eu vou comprar ele mês que vem, devolve.

— Deixa disso, vou comprar como um presente. 'Tá que é um presente que você já sabe o que é, mas ainda sim um presente.

Os dois se encararam por um momento até o ruivo se dar por vencido, sabia como o melhor amigo era e ele não estava afim de discutir. Namjoon vendo que tinha conseguido convencer o rapaz, apenas o puxou para perto, deixando seu braço confortável em volta da cintura do outro enquanto esperavam a vez deles na fila.


(...)

O caminho de volta foi mais tranquilo do que imaginaram. Mesmo estando próximos do horário de pico, não pegaram o metrô tão cheio. Hoseok estava falando algo enquanto tomava a bebida que fez questão de comprar, eles haviam ido na cafeteria dentro da loja que estavam, mas aparentemente não tinham mais o sabor que o ruivo pediu, então decidiram ir na loja de rua.


Demoraram um pouco mas valeu a pena.

Os dois moravam no mesmo prédio no centro da cidade, dois andares de diferença. Namjoon ficava no décimo-segundo e Hoseok no décimo-quarto, e ambos já tinham acostumado a entrar e sair da casa um do outro livremente, apenas avisando com uma mensagem e nada mais.

Por isso quando estava jogando uma partida do seu jogo online com Jungkook e escutou o ruivo entrando, não estranhou nem um pouco.

— Achei que você ia adiantar a lição de casa. — O loiro disse sem se virar na cadeira — Não, Kookie, to falando com o Hope. Presta atenção no NO 352, tem um cara lá.

— Eu ia, mas decidi fazer depois. Eu vi que lançou aquele filme dos robôs gigantes que você queria ver e não conseguimos ir no cinema. Acho que podemos assistir hoje, que tal? Manda um oi para o Kookie — Depois de não ter uma resposta do outro, decidiu lançar um dos travesseiros na cabeça do rapaz que reclamou.

Hoseok pode até escutar a risada alta de Jungkook vindo dos fones de ouvido.

— Acho uma ideia brilhante… Deixa eu terminar essa partida e podemos ver sim. Robôs gigantes sempre são uma ótima pedida… Kookie, o Hope ta mandando um oi... — Ele virou rapidamente para o rapaz, que se fez confortável em sua cama com medo de receber mais algum objeto.

— Ótimo — Namjoon poderia ser o maior idiota do mundo, mas ele adorava quando ele fazia Hoseok rir daquele jeito.

A partida demorou mais do que o previsto, mas assim que terminou o Kim desconectou sua ligação com o amigo virtual e se virou para o rapaz deitado.

— Você arruma a cama enquanto eu tomo um banho, aí podemos ver o filme e depois pedimos uma pizza? Que tal? — Não teve resposta, então se aproximou da figura de costas para si deitada em sua cama.

Hoseok havia dormido, quem pudera também. Os dois dormiram tarde no dia anterior e ainda decidiram ter uma breve aventura no centro, ele deveria estar cansado. Decidiu que deixaria o rapaz dormir mais um pouco enquanto ele fazia as coisas que deixou de lado, não realmente pensando que Hoseok iria descer.

Como tomar banho.

Antes de entrar no banheiro ele não pode evitar em perceber os mínimos detalhes do rosto do outro. O nariz levemente arrebitado, os cílios longos, a pele macia, os lábios cheios e vermelhos naturalmente…

Quando sentiu que sua mente estava indo um pouco além do de costume decidiu entrar no banheiro e mandar uma mensagem para Yoongi, dizendo que ele realmente estava certo e Namjoon era um idiota em não perceber todos os sinais antes, muito menos entender o porque Hoseok havia ficado tão tímido nos últimos tempos..

Yoongi havia sido petulante ao ponto de mandar uma parte da música do Renato Russo que dizia: “E queria sempre achar explicação pro que eu sentia”. Namjoon queria xingar o outro de todos os nomes, mas o amigo estava certo.

E por isso ele iria tomar uma atitude.

(...)

 Quando saiu do banho viu que o ruivo estava usando outras roupas, provavelmente decidiu se trocar porque estava mais frio e achou alguma coisa no armário alheio. Ele parecia distraído vendo algo no celular enquanto estava debaixo das cobertas na cama espaçosa do loiro.

— Acha que aguenta ver o filme? — Namjoon disse, indo se deitar ao lado do rapaz.

— Não duvide das minhas capacidades, Kim Namjoon. Ainda mais que eu tirei um cochilo. — Hoseok disse orgulhoso, mas em nenhum momento disfarçando o sorriso. — Mas vou confessar que eu preciso comer antes de qualquer coisa.

— Vamos pedir a pizza e depois pensamos no filme. Se quiser jogar no computador, ‘tá ligado — O Kim disse já indo se deitar ao lado do outro, que murmurou algo sobre não querer levantar ainda  — Hope, queria falar sobre algo com você.

O tom que Namjoon usou fez com que o ruivinho o encarasse com certa expectativa.

— O que foi?

Agora ou nunca.

— Você gosta de mim?

Ele pode ver os olhos do outro arregalando levemente junto com uma risada nervosa.

— Gosto, ué. Você é meu melhor amigo.

— Não, isso não. Quero dizer não desse jeito… Quero saber se você gosta de mim mesmo?

— Joon…

Namjoon já estava sentado encarando o outro, que parecia querer olhar para todos os lugares e para lugar nenhum. Então o maior decidiu aproximar o rosto do outro, em uma tentatica falha de o beijar.

— Joon, não.

Os rostos ainda continuavam próximos um do outro, as respirações estavam misturadas, mas nenhum dos dois realmente se mexeu.

— Por que não?

— Porque eu não aguento mais esses tipos de beijos onde não sabemos o que queremos, mesmo vindos de você… Eu não quero me decepcionar com você.

Namjoon pode ver algo que nunca tinha visto passar nos olhos do outro: as orbes castanhas pareciam olhar sua alma. Era a segunda vez que isso acontecia, a primeira havia sido quando os dois se beijaram pela primeira vez.

— Você não vai se decepcionar comigo.

Hoseok pareceu estar em uma batalha interna, enquanto o loiro tentava acalmar o coração acelerado e o impulso de se mexer um pouco mais para finalmente beijar o rapaz a sua frente.

— Como você sabe?

Houve um breve silêncio entre os dois. A troca de olhares parecia transmitir mais coisas que qualquer frase ou confissão, mas o Kim ainda decidiu falar em um sussurro.

— Deixa eu te mostrar.

Assim colou os lábios suavemente, lembrando de como era a sensação de ter os lábios do outro contra o seu e como as mãos dele iam direto para suas bochechas e como tudo aquilo parecia familiar demais para os dois.

O beijo não foi nada muito explícito, foi mais como um retorno de algo que sempre esteve ali mas por tempos mas de alguma forma passou batido pelos dois. Namjoon não soube explicar mas quando se separaram não pode parar de sorrir.

— Idiota. — Hoseok disse antes de puxar o rapaz para outro beijo, dessa vez um pouco mais animado.

(...)

O dia poderia ter começado ruim para Kim Namjoon, ele foi dormir tarde. Não teve tempo de passar na sua padaria favorita e comprar o doce que Hoseok pediu, a três semanas decidiram que ela era a melhor bomba de chocolate que já comeram.

Namjoon não era muito de fazer listas, mas depois que começou a namorar Jung Hoseok ele viu que a melhor coisa do mundo era beijar o namorado em noites que nenhum dos dois conseguia pegar no sono depois de ver algum filme de terror, sendo seguida de como ele ficava feliz quando o loiro mandava áudios tocando suas músicas favoritas.

Por mais que ele tivesse uma lista, a única e melhor coisa do mundo era o rapaz que estava sentando ao lado da porta da sala, lendo algum livro escolar.

— Hope, Hope, atrasado de novo? — O loiro disse sorrindo se sentando ao lado do ruivo, que o encarou e selou os lábios nos dele rapidamente.

— Por que será, né? Quem não me deixou dormir ontem?

Namjoon riu.

Tudo parecia muito familiar, mas ainda sim diferente, ainda mais que em sua mão direita tinha um pequeno anel de prata igualzinho ao que tinha na mão do ruivo. Enquanto o outro começou a falar alguma coisa sobre o livro que estava lendo, Namjoon decidiu que a melhor coisa do mundo era pura e simplesmente Jung Hoseok.


Notas Finais


Me deixem saber o que vocês acharam :)

Música mencionada: https://www.youtube.com/watch?v=xYh5dy41TjA


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...